Juntos somos mais fortes

Filie-se agora

Notícias

STF tem placar de 8 a 0 pela validade e continuidade do inquérito das fakes news - COM VÍDEO

Julgamento segue amanhã com mais 3 votos. Maioria vota pela continuidade do inquérito das fake news; STF conclui julgamento nesta quinta. Investigação mira disseminação de mentiras e ameaças a ministros do tribunal e seus familiares. Inquérito foi instaurado pelo próprio Supremo Tribunal Federal para apurar difusão de informações falsas e ameaças a ministros. Partido moveu ação que questionou legalidade. O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta quarta-feira (17) maioria de votos favoráveis ao prosseguimento do chamado "inquérito das fake news", aberto no ano passado por iniciativa do próprio tribunal, a fim de apurar a disseminação de informações falsas e ameaças a ministros. Oito dos 11 ministros já votaram a favor da validade do inquérito. Faltam os votos de Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e Dias Toffoli. O julgamento será retomado na sessão desta quinta. O tribunal analisa uma ação que contesta a legalidade da investigação, apresentada em 2019 pelo partido Rede Sustentabilidade. Há três semanas, o próprio partido apontou uma escalada da difusão de fake news e pediu a extinção da ação. Mas o relator do processo, ministro Edson Fachin, rejeitou o pedido e decidiu remeter o caso para o plenário do Supremo. Foi no âmbito desse inquérito que o ministro Alexandre de Moraes autorizou uma operação, em maio deste ano, de buscas e apreensões contra empresários e blogueiros ligados ao presidente Jair Bolsonaro. Para Moraes, há provas que apontam para a "real possibilidade" de uma associação criminosa ter sido formada para a disseminação das fake news. Ele afirmou ainda que as informações falsas afetam a independência entre os poderes e põem em risco a democracia. Os votos O julgamento começou na semana passada com o voto do ministro Edson Fachin. Ele defendeu a continuidade da investigação, desde que acompanhada pelo Ministério Público e que advogados tenham acesso aos autos e observe a liberdade de expressão. Ministro Edson Fachin vota a favor da validade do inquérito das fake news  ASSISTA AO VÍDEOhttps://globoplay.globo.com/v/8618005/ Na sessão desta quinta, Fachin retirou essas premissas, sob o entendimento de que já estão sendo cumpridas no âmbito do inquérito das fake news. Esse entendimento foi acompanhado nos demais votos. Primeiro a votar na retomada do julgamento, nesta quarta-feira, Alexandre de Moraes acompanhou o relator, afirmando que esse tipo de inquérito é previsto no regimento, que estabelece “expressamente” a possibilidade de instauração de procedimento investigatório pelo presidente do STF. “Texto expresso”, afirmou. Inquérito das fake news: Alexandre de Moraes acompanha voto do relator ASSISTA AO VÍDEO https://g1.globo.com/globonews/jornal-globonews-edicao-das-10/video/inquerito-das-fake-news-alexandre-de-moraes-acompanha-voto-do-relator-8632208.ghtml Moraes citou caso de um artefato que explodiu em frente à casa de um dos ministros, "para que se pare de uma vez por todas de se fazer confusões de críticas, por mais ácidas que sejam, que devem existir e continuar, com agressões, ameaças e coações”. Ele leu trechos de ameaças que estão no inquérito: “'Que estuprem e matem as filhas dos ordinários ministros do STF'. Em nenhum lugar do mundo isso é liberdade de expressão. Isso é bandidagem, criminalidade. Postado por uma advogada do Rio Grande do Sul, incitando o estupro”. “Quanto custa atirar à queima roupa nas costas de cada filho da p... de ministro do STF que queira acabar com a prisão em segunda instância. Se acabar com a segunda instância, só nos basta jogar combustível e tocar fogo do plenário com os ministros dentro. Onde está aqui a liberdade de expressão?” “Já temos em poder armas e munição de grosso calibre. Esconda seus filhos e parentes bem escondido na Europa, porque aqui não vai ter onde se esconder. Faremos um tribunal em praça pública com direito ao fuzilamento de todos os parasitas e vagabundos estatais.” O ministro defendeu que a investigação é “mais que um direito, é um dever” do presidente do STF contra “fatos orquestrados com intuito de intimidar e deslegitimar o papel da Corte”. “Coagir, atacar, constranger, ameaçar, contra o Supremo, contra seus familiares, magistrados, é atentar contra a Constituição, a Democracia e o Estado de Direito”, afirmou. Terceiro a votar pela legalidade do inquérito, Luís Roberto Barroso defendeu que o exercício de liberdade de expressão não é infração à lei penal, por isso, não é alvo do inquérito. Inquérito das fake news: Luís Roberto Barroso acompanha voto do relator ASSISTA AO VÍDEOhttps://g1.globo.com/globonews/jornal-globonews-edicao-das-10/video/inquerito-das-fake-news-luis-roberto-barroso-acompanha-voto-do-relator-8632270.ghtml “A livre circulação de ideias, de fato e de opinião é pressuposto do exercício de múltiplas liberdades”, disse. “É preciso não confundir liberdade de expressão com outros comportamentos”, afirmou Barroso. “A democracia não tem espaço para a violência, para as ameaças e para o discurso de ódio. Isso não é liberdade de expressão. Isso tem outro nome, se insere dentro da rubrica maior que é a criminalidade.” Barroso disse que o inquérito é a legítima defesa do STF e que “nenhuma sociedade civilizada pode tolerar esse tipo de conduta, esse tipo de desrespeito às instituições e as pessoas”. “Juiz tem que ser independente, tem que poder julgar sem medo, medo pessoal, medo pela sua família. Juiz não exerce poder em nome próprio, exerce poder em nome da sociedade, sob a Constituição, para fazer o que é certo. Juiz não tem amigo ou inimigo, nem adversário, nem aliado. A lógica do juiz é do certo ou errado, justo ou injusto, legítimo ou ilegítimo”, afirmou o ministro. Segundo Barroso, “uma das características do pensamento fascista é a inaceitação do outro, é a crença de que existam donos da verdade”, e que, “na democracia, a verdade não tem dono”. A ministra Rosa Weber disse que há precedentes desse tipo de investigação no âmbito dos três poderes e que o tema das fake news tem sido alvo de preocupação geral. Rosa Weber acompanha Fachin e vota pela validade do inquérito das fake news ASSISTA AO VÍDEO https://g1.globo.com/globonews/estudio-i/video/rosa-weber-acompanha-fachin-e-vota-pela-validade-do-inquerito-das-fake-news-8633066.ghtml Segundo Rosa Weber, a desinformação divulgada em larga escala passou a influenciar a sociedade nos mais diversos temas, produzindo um choque de realidade sobre a dimensão do problema. “Nos vemos às voltas com ataques sistemáticos que em absoluto se circunscrevem a críticas e divergências abarcadas no direito de livre expressão e manifestação assegurados constitucionalmente. Antes, ameaças destrutivas as instituições e seus membros com a intenção de desmoralizá-las”, afirmou. Segundo Rosa Weber, ataques deliberados e destrutivos ao Supremo e seus membros, com pretensão ao seu fechamento, longe de traduzir exercício da liberdade do direito de expressão, “revelam não só absoluto desapreço à democracia e total incompreensão ao que ela representa, como também em seu extremo de ameaças graves,, configuram crimes”, completou. O ministro Luiz Fux afirmou que o poder jurisdicional é o poder “também de aferir a existência de crimes, principalmente em defesa da jurisdição”. Assista ao voto de Luiz Fux no inquérito que apura fake news ASSISTA AO VÍDEOhttps://g1.globo.com/politica/video/assista-ao-voto-de-luiz-fux-no-inquerito-que-apura-fake-news-8633124.ghtml “Não é estranhável que o juiz diante de fatos gravíssimos que o juiz não possa atuar de ofício para depois remeter os autos ao Ministério Público.” Fux afirmou que os atos praticados são gravíssimos à dignidade da Corte e da Democracia. “Estamos aferindo atos gravíssimos que se enquadram no Código Penal, na Lei de Segurança Nacional, na Lei de Organizações Criminosas e são atos equiparados ao terrorismo”, afirmou. “É o germe inicial da instalação no Brasil de atos de terrorismo contra a Corte, visando a levar o terror, no afã de fazer com que os juízes percam aquilo que é a essência de sua jurisdição, que é a sua independência”, afirmou. "Temos que matar no nascedouro esses atos abomináveis que estão sendo praticados contra o STF. Dar um basta nesses atentados à dignidade da Corte, é nosso dever de ofício coibí-los.” Sexta a apresentar o voto, a ministra Cármen Lúcia também se manifestou pela validade do inquérito, formando maioria para dar continuidade às investigações. 'Liberdade não rima com criminalidade e menos ainda com impunidade', afirma. ASSISTA AO VÍDEOhttps://g1.globo.com/politica/video/liberdade-nao-rima-com-criminalidade-e-menos-ainda-com-impunidade-afirma-carmen-lucia-8633268.ghtml “Liberdade de expressão é gênero de primeira necessidade na democracia. Liberdade de imprensa é artigo imprescindível na cesta básica dos direitos fundamentais”, afirmou. Segundo a ministra, “liberdade rima juridicamente com responsabilidade, mas não rima com criminalidade, menos ainda com impunidade de atos criminosos”. “Não é parte desse inquérito, nem poderia, qualquer expressão livre do que se pensa, mas os atos que atentam contra as instituições”, completou. Para a ministra, “discursos de ódio, de destruição do estado democrático, falas de incitação a crime, são contrários ao direito, aos valores da dignidade humana, da pluralidade democrática e não é uma ou outra pessoa, um ou outro juiz que não a suporta, é o sistema constitucional que não a permite”. O ministro Ricardo Lewandowski afirmou que cabe ao presidente do STF, com responsabilidade “intransferível”, zelar pela segurança dos membros da Corte. Lewandowski volta pela constitucionalidade do inquérito das fake news ASSISTA AO VÍDEO https://g1.globo.com/globonews/jornal-globonews-edicao-das-16/video/lewandowski-vota-pela-constitucionalidade-do-inquerito-das-fake-news-8633228.ghtml Lewandowski disse que não se verificou, ao longo do inquérito, nenhum impedimento de acesso ao Ministério Público ou aos advogados. Sobre o sigilo, o ministro afirmou que foi determinado para garantir o êxito da coleta de provas e também para proteger a própria privacidade dos investigados, como reza a Constituição. O ministro Gilmar Mendes também acompanhou o relator. Ele afirmou que a disseminação de notícias falsas foi considerada um problema maior do que o terrorismo e deve ser compelido pelo Supremo. “A divulgação massiva de notícias falsas não é enfrentada apenas pelo estado brasileiro”, disse o ministro. “Estamos no meio de um ataque mundial com base na internet às democracias, na qual a primeira baixa é a confiança no regime democrático.” Segundo Gilmar Mendes, no Brasil, houve “peculiaridades”, como o processo relativo ao disparo em massa durante o processo eleitoral de 2018 e que gerou divulgação ameaças, injúrias e calúnia à ministra Rosa Weber, então presidente do Tribunal Superior Eleitoral. Além de notícias falsas sobre a urna eletrônica. O ministro afirmou que, atualmente, novas “câmaras de ego” geradas pelas redes sociais e seus algoritmos criam “suspeitas delirantes”. “Não se trata de liberdade de expressão. O movimento orquestrado de robôs, recursos e pessoas para divulgar de forma sistemática ameaças ao STF, seus ministros e familiares passa longe da mera crítica ou manifestação de opinião. Trata-se de movimento organizado e orquestrado que busca atacar um dos poderes responsáveis pelos poderes fundamentais e das regras do jogo democrático”, afirmou. Mendes disse ainda que as ameaças a ministros do Supremo não foram totalmente apuradas pela Procuradoria Geral da República, o que valida a instauração do inquérito de forma excepcional pela Corte. “Nos últimos anos, até membros do MP têm desferido críticas expressas aos ministros do Supremo em meios de imprensa”, disse. Com informações do G1

17 de junho, quarta-feira - A ABRACAM mostra os destaques do dia

  Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado. O Monitor da Violência aponta que o Brasil teve alta de 8% no número de assassinatos em abril, em comparação com o mesmo período do ano passado. Em meio à pandemia, o mercado prevê que o Copom deva baixar o juro básico para 2,25% ao ano. O podcast O Assunto discute a segunda onda de contágios do coronavírus na Ásia; Pequim, por exemplo, cancelou mais de mil voos. No Brasil, as mortes chegam a 45.467. Bolsonaro fala em abusos, violação de direitos e diz que tomará 'medidas legais' para proteger Constituição. Novo ministro das Comunicações toma posse. Brasileiro gasta com cartão de crédito, em média, quase 30% do salário. Monitor da Violência novo selo monitor da violência 06 — Foto: Amanda Paes / G1 O Brasil teve uma alta de 8% no número de assassinatos em abril deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. É o que mostra o índice nacional de homicídios criado pelo G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. Foram 3.950 mortes violentas em abril de 2020. No mesmo mês no ano passado, foram 3.656. O crescimento ocorre mesmo em meio à pandemia da Covid-19, em um mês onde medidas de isolamento social foram adotadas em todo o país. Já considerando o período de janeiro a abril, foram 15.868 vítimas de assassinatos neste ano, contra 14.580 em 2019, uma diferença de 1.288 mortes. PÁGINA ESPECIAL: Mapa mostra assassinatos mês a mês no país METODOLOGIA: Monitor da Violência Juro básico O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) se reunirá hoje e deve reduzir a taxa básica de juros da economia brasileira de 3% para 2,25% ao ano, segundo a previsão da maior parte dos economistas do mercado financeiro. A decisão do BC será anunciada por volta das 18h e será tomada em um momento de forte redução do nível de atividade da economia mundial em razão da pandemia do novo coronavírus, o que tem impactado os índices de inflação. O Assunto: a segunda onda na Ásia China, Japão, Coreia do Sul... Países que já avançavam na reabertura agora voltam a tomar medidas de restrição para conter uma nova onda de casos. Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com Luiz Tasso Neto, brasileiro que trabalha na agência de notícias chinesa Xinhua, que conta a sensação de ver o fantasma da Covid-19 voltar a assombrar uma rotina que parecia voltar ao "novo normal", e também com Carlos Gil, correspondente da Globo no Ásia. Ouça:   Ameaça invisível de novo Saguão do Aeroporto Internacional de Pequim, depois que vários voos domésticos foram cancelados após o novo surto de coronavírus — Foto: Carlos Garcia Rawlins / Reuters Os dois aeroportos de Pequim cancelaram mais de mil voos nesta quarta-feira, após o ressurgimento de casos da Covid-19 na capital chinesa, anunciou a imprensa local. O país entende que enfrenta uma segunda onda de coronavírus. Mais de 45 mil mortos O Brasil tem 45.467 mortes por coronavírus confirmadas até as 8h desta quarta-feira (17), aponta um levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. Veja os dados atualizados às 8h desta quarta-feira (17): 45.467 mortes 929.149 casos confirmados As técnicas de combate ao vírus Médico e enfermeira se cumprimentam com as mãos em UTI em um hospital de Roma, na Itália, no dia 20 de abril. — Foto: Alberto Pizzoli / AFP Photo Mais de 100 dias depois do 1º caso de Covid-19 no Brasil, o que aprendemos sobre como combater o novo coronavírus. Veja as técnicas mais comuns usadas para ajudar pacientes, entre elas deixar o paciente de bruços, usar medicamentos anticoagulantes e aplicar diálise. Entenda o que faz um corticoide barato ser apontado como 1º remédio capaz de reduzir mortes por Covid Dominando o vírus Pessoas se sentam em café ao ar livre em Nelson, na Nova Zelândia, no primeiro dia após o fim das regulamentações depois de o país ser declarado livre do coronavírus, na terça-feira (9) — Foto: Tatsiana Chypsanava / Reuters Quinze países, em cinco continentes, destacam-se por terem dominado a pandemia do novo coronavírus. São casos identificados pela empresa alemã Iunera, de análise de dados, como “um caminho bem-sucedido de recuperação. Entenda no blog da Sandra Cohen. Rio 'reaberto' o entra nesta quarta (17) na segunda fase de retomada gradual das atividades  ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8631218/ O Rio implanta, a partir desta quarta-feira, a Fase 2 da reabertura gradual da cidade, prometida pelo prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) para ser concluída em seis etapas. O futebol vai voltar, mas sem público. Uma reunião definirá quando será 1º jogo do Campeonato Carioca. Veja as regras e as próximas etapas. Inquérito das fake news  Ministro Edson Fachin vota a favor da validade do inquérito das fake news   ASSISTA AO VÍDEO  https://globoplay.globo.com/v/8618005/ Os ministros retomam o julgamento da ação que discute se o inquérito das fake news está de acordo com a Constituição. O relator da ação, ministro Edson Fachin, votou na semana passada. Ele considerou que o inquérito está de acordo com o texto constitucional, mas defendeu ajustes, entre os quais a participação do Ministério Público. O julgamento deve ser retomado com o voto do ministro Alexandre de Moraes, o relator do inquérito. Bolsonaro aponta abusos  Bolsonaro vê abusos e diz que tomará ‘medidas legais’ para proteger Constituição    ASSISTA AO VÍDEO    https://globoplay.globo.com/v/8631240/ Jair Bolsonaro publicou na noite de ontem em uma rede social série de dez mensagens nas quais aponta "abusos", "violação de direitos" e "ataques concretos" ao governo e que, diante disso, tomará as "medidas legais" para, segundo afirmou, proteger a Constituição. O presidente não disse explicitamente, mas parece se referir às investigações de manifestações antidemocráticas e inconstitucionais feitas por apoiadores dele, que pediam o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF). ela manhã, aliados do presidente tinham sido alvos de operação da Polícia Federal no inquérito que apura o financiamento de atos antidemocráticos. Dez deputados e um senador bolsonaristas tiveram os sigilos bancários quebrados por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF. Em maio, aliados do presidente também foram alvos de uma operação no inquérito que apura disseminação de fake news e ameaças a ministros do STF. Na ocasião, Bolsonaro afirmou em entrevista que "ordens absurdas" não devem ser cumpridas, emendando: "Acabou, porra!". Novo ministro das Comunicações  Bolsonaro escolhe o deputado Fábio Faria para comandar o novo Ministério das Comunicações ASSISTA AO VÍDEO  https://globoplay.globo.com/v/8620546/ Jair Bolsonaro dá posse ao deputado Fábio Faria como ministro das Comunicações, ministério recriado no dia 11 de junho. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), participa. A nova pasta agrega a Secretaria Especial de Comunicação Social, antes na Secretaria de Governo da Presidência da República, além das secretarias de Radiodifusão e Telecomunicações. Também estarão sob o órgão Telebras, Correios, Anatel e EBC. Agro é pop Lavoura de algodão na Bahia, um dos principais estados produtores do Brasil — Foto: Ernesto Rodrigues / Agência Estado  Não à toa o algodão é conhecido como "boi vegetal". É que, assim como no animal, tudo nele se aproveita... E vira roupa, máscaras de proteção ao coronavírus, óleo de cozinha, combustível e também faz parte das notas de real. Ajuda de R$ 600 — Foto: Marcos Santos / USP Imagens A Caixa Econômica Federal (CEF) credita nesta quarta-feira a primeira parcela do Auxílio Emergencial para os demais aprovados do terceiro lote do benefício, inscritos por meio do site e do aplicativo do programa. São 2,5 milhões de beneficiados. Veja o calendário completo de pagamentos Tire dúvidas Saiba tudo sobre o Auxílio Emergencial O brasileiro e o cartão de crédito Cliente passa cartão de crédito em máquina de pagamento — Foto: Reprodução / TV Globo  Os gastos com cartão de crédito representam, na média, 29,2% da renda do consumidor brasileiro, de acordo com levantamento inédito da Serasa, com base nas informações do Cadastro Positivo. A pesquisa mostra também que, quanto menor o poder de compra, maior é percentual do salário comprometido com esse tipo de despesa. Educação A Comissão Externa da Câmara destinada a acompanhar ações do Ministério da Educação (MEC) concluiu relatório sobre a atuação da pasta durante a pandemia do coronavírus. O documento traz críticas à falta de liderança da pasta na orientação dos gestores nos estados e nos municípios e à ausência de diálogo em decisões tomadas pelo ministério no período. Cinema drive-in Martin Sheen, em cena de 'Apocalipse Now', filme de Francis Ford Coppola — Foto: Divulgação / Francis Ford Coppola Cinema drive-in estreia no Memorial da América Latina com sessões esgotadas até julho. Espaço com 100 vagas para carros vendeu ingressos a R$ 65. Organização se prepara para abrir mais 2 semanas de programação. Lives de hoje Chitãozinho & Xororó fazem show no Rodeio de Jaguariúna — Foto: Júlio César Costa / G1  Chitãozinho & Xororó, Vitor Kley, Sepultura, Fafá de Belém, MC Soffia, Tereza Cristina, Adriana Moreira e mais shows para ver em casa. Mega-Sena Aposta única da Mega-Sena custa R$ 4,50 e apostas podem ser feitas até às 19h — Foto: Marcelo Brandt / G1 O concurso 2.271 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 32 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. A aposta mínima custa R$ 4,50 e pode ser realizada pela internet - saiba como fazer. Curtas e Rápidas: Start up Wedy criou uma plataforma para celebrações de casamento online — Foto: Wedy/Divulgação Plataforma de empresa de São Leopoldo possibilita celebrações de casamentos online DJ convida pessoas brancas a enviarem plantas para amigos negros como gesto de solidariedade  Previsão do tempo Veja a previsão do tempo para esta quarta (17) no Brasil ASSISTA AO VÍDEO   https://globoplay.globo.com/v/8631090/

Terça-feira, 16 de junho - RESUMO das notícias que foram destaques

  Boa noite! Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado.   Inquérito que investiga atos antidemocráticos tem dia de operação da PF e quebra de sigilo bancário de parlamentares apoiadores de Bolsonaro. Estudo aponta que corticoide pode reduzir mortes de paciente com Covid-19 em estado grave. Após protestos antirracistas, Trump assina decreto sobre reforma da polícia, mas a resposta é considerada insuficiente. Investigação contra atos antidemocráticos Blogueiro Alan dos Santos acompanha agentes da Polícia Federal durante operação de busca e apreensão em sua residência no Lago Sul, em Brasília — Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO O inquérito do Supremo Tribunal Federal que apura a organização de atos contra a democracia avançou algumas casas hoje. Pela manhã, a Polícia Federal foi às ruas para cumprir 26 mandados de busca e apreensão em 5 estados e no Distrito Federal. Ao todo, foram 26 mandados contra 21 alvos, entre eles o publicitário Sérgio Lima e o empresário Luís Felipe Belmonte, ambos ligados ao Aliança pelo Brasil, partido que o presidente Jair Bolsonaro quer criar, e o deputado federal bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ). No fim do dia, por determinação do ministro do STF Alexandre de Moraes, foi quebrado o sigilo bancário de 10 deputados e um senador bolsonaristas. São eles: Alê Silva, deputada (PSL-MG); Aline Sleutjes, deputada (PSL-PR); Arolde de Oliveira, senador (PSD-RJ); Bia Kicis, deputada (PSL-DF); Carla Zambelli, deputada (PSL-SP); Caroline de Toni, deputada (PSL-SC); Daniel Silveira, deputado (PSL-RJ); General Girão, deputado (PSL-RN); Guiga Peixoto, deputado (PSL-SP); Junio Amaral, deputado (PSL-MG) e Otoni de Paula, deputado (PSC-RJ).   O objetivo das medidas é identificar financiadores de manifestações antidemocráticas que pediam fechamento do Supremo, do Congresso e intervenção militar. Entenda o inquérito sobre atos antidemocráticos Valdo Cruz: PF fecha o cerco a financiadores de atos antidemocráticos Remédio para casos graves Um tipo de corticoide comum pode ajudar na recuperação de pacientes com coronavírus em estado grave, segundo pesquisadores britânicos. Dados preliminares do estudo elaborado pela Universidade de Oxford mostram que o risco de morte cai de 40% para 28% para doentes que estão usando respiradores. Entre os que recebem oxigênio, a chance de morrer foi reduzida de 25% para 20%. Já para os casos mais leves não houve constatação de melhora. Conheça o remédio apontado como capaz de reduzir mortes por Covid-19 Números do coronavírus O Brasil teve 1.338 novas mortes registradas em razão do novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde. Com isso, já são 45.456 óbitos pela Covid-19 até esta terça-feira (16) no país. É o 2º maior registro em 24 horas desde o início da pandemia. São Paulo concentra mais de 1/4 do total de óbitos registrados nas últimas 24 horas. O casos confirmados no país já são 928.834. Resposta fraca Na tentativa de responder à onda de protestos no país contra a violência de forças de segurança e o racismo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou um decreto que determina uma reforma limitada do sistema policial. O documento sugere, por exemplo, a proibição de manobras de sufocamento, como as utilizadas em George Floyd - a não ser em casos de risco para a vida de agentes. As medidas foram consideradas insuficientes por grupos de direitos humanos americanos. Índia X China     Confronto na Caxemira deixa 20 mortos Vinte militares indianos morreram em um confronto com tropas chinesas na região da Caxemira, na fronteira entre os dois países. É a 1ª vez em 45 anos que disputa entre os dois países tem vítimas. Consequências da pandemia Parlamentares e especialistas na área de saúde discutiram em reunião virtual com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o adiamento das eleições municipais deste ano e a possibilidade de não usar a biometria. Previsto para outubro, o pleito deve ser postergado devido à pandemia de Covid-19. Novas datas ainda não foram definidas e qualquer mudança exige aprovação de uma proposta de emenda à Constituição (PEC) pelo Congresso. Entenda. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, defendeu que o Congresso comece a analisar, em no máximo duas semanas, o adiamento das eleições para 15 de novembro. Contágio na economia 1 milhão de brasileiros perderam o emprego em maio, devido à pandemia de Covid-19. O dado faz parte de um levantamento inédito divulgado nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ao todo, 10,9 milhões de pessoas estavam desempregadas na última semana de maio, o que deixou a taxa de desemprego em 11,4%. Na primeira semana, este número era de 9,8 milhões e a taxa de 10,5%. 16,8% foi o tamanho do tombo da vendas do comércio varejista em abril, na comparação com março, segundo o IBGE. É o pior resultado desde o início da série histórica (janeiro de 2000). Marley remasterizado 'Não se preocupe com nada. Porque cada pequena coisa vai ficar bem', diz a letra de 'Three Little Birds', um dos maiores sucessos de Bob Marley. Então, se apegue a esta mensagem positiva nestes tempos difíceis e curta o registro de um show do cantor em Londres, no ano de 1977, ao lado da banda The Wailers. O material foi remasterizado e disponibilizado no YouTube. Saiba mais.

VÍDEO COMPLETO da fala do Ministro Barroso (TSE) sobre Eleições Municipais no Programa Roda Viva

Eleições municipais vão acontecer entre 15 de novembro e 20 de dezembro   Ministro Luís Roberto Barroso - Reprodução / TV Cultura O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Roberto Barroso, afirmou em entrevista ao Roda Viva, nessa segunda-feira (15), que as eleições municipais deste ano vão acontecer entre os dias 15 de novembro e 20 de dezembro. As datas exatas da realização do primeiro e segundo turnos, entretanto, ainda não estão definidas. Segundo ele, a alteração está sendo discutida entre um grupo de especialistas em saúde, os presidentes da Câmara e do Senado e as lideranças partidárias.  > PGE manda ofício a Maia e Alcolumbre contra adiamento das eleições “A data das eleições está marcada na Constituição, primeiro domingo de outubro, então qualquer alteração depende do Congresso Nacional. Conversei com epidemiologistas, infectologistas, biólogos, físicos especializados em cálculo de epidemiologia”, relatou.   Segundo Barroso, os especialistas preveem uma queda na curva de ascensão da doença entre agosto e setembro, portanto haveria a possibilidade de realizar as eleições na janela entre 15 de novembro e 20 de dezembro. Desse modo, será atendida uma preocupação do ministro e dos presidentes da Câmara e do Senado: a realização do pleito ainda em 2020.  > Congresso só deve decidir sobre adiamento das eleições em julho “A constituição veda uma segunda reeleição e cerca de 20% dos prefeitos já estão terminando o segundo mandato. Portanto, em violação à constituição, daríamos um terceiro mandato a esses prefeitos”, avalia Barroso a respeito da hipótese de adiar as eleições para 2020.  Além da mudança na data, o ministro prevê, sem dar maiores detalhes, alterações na rotina das eleições. Barroso adiantou que se cogita estender o período de votação e separá-lo em turnos para evitar aglomerações nos locais de votação.   “A saúde pública é a nossa principal preocupação, logo atrás vem a preservação da democracia”, afirmou.      ASSISTA O VÍDEO COMPLETO     

Eleições municipais devem ocorrer entre 15 de novembro e 20 de dezembro, diz Alcolumbre

Mudança na data precisa passar pela Câmara dos Deputados e pelo Senado antes de vigorar  O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), anunciou pelas redes sociais, nesta terça-feira (16), que há consenso pelo adiamento das eleições municipais de 2020 devido à pandemia de coronavírus. Segundo ele, o primeiro e o segundo turnos devem ocorrer entre 15 de novembro e 20 de dezembro.  Como a data das eleições está na Constituição Federal, uma mudança terá que ser votada por meio de Proposta de Emenda Constitucional (PEC) na Câmara dos Deputados e no Senado. Twitter de Davi Alcolumbre    Entre os participantes, houve consenso pelo adiamento do pleito por algumas semanas, com a garantia de que o pleito se realize ainda este ano, em data a ser definida pelo Congresso Nacional, com base em uma janela que varia entre os dias 15 de novembro e 20 de dezembro.  Além de Alcolumbre, participaram da reunião o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e do TSE Edson Fachin e especialistas em virologia e saúde. Na noite de segunda-feira (15), em entrevista ao programa Roda Viva, Barroso afirmou que a Corte eleitoral trabalha com diversas alternativas para as eleições municipais deste ano. Entre elas, além das eventuais mudanças de data, uma possível extensão do horário do pleito (entre as 8h e as 20h, por exemplo) e um revezamento por turnos. Entretanto, todos esses temas precisam ser debatidos e votados no Congresso Nacional, uma vez que é definido pela Carta que a votação deve ocorrer no primeiro domingo de outubro.

Artigo - AS ENQUETES DURANTE A PRÉ-CAMPANHA ELEITORAL.

AS ENQUETES DURANTE A PRÉ-CAMPANHA ELEITORAL. Dr.César Rômulo Rodrigues de Assis - Vice-presidente Jurídico da ABRACAM A Resolução TSE n. 23.600/2019 , traz em seu artigo 23 a proibição de realização de enquetes relacionadas ao processo eleitoral.Neste caso, entende-se por enquete ou sondagem o levantamento de opiniões sem plano amostral, que dependa da participação espontânea do interessado, e que não utilize método científico para sua realização, quando apresentados resultados que possibilitem ao eleitor inferir a ordem dos candidatos na disputa.Segundo o texto, a partir de 1º de janeiro cabe o exercício do poder de polícia pelo juízo eleitoral contra divulgação de enquetes que contrariem a legislação, com a expedição de ordem para que seja removida, sob pena de crime de desobediência.A proibição legal estende-se do dia 16 de agosto a 4 de outubro, período entendido como eleitoral onde se desenvolve a campanha para as eleições municipais de 2020.Portanto no período que antecede a 16 de agosto, nos meses de junho, julho até 15 de agosto, nada impede que os pré -candidatos mandem realizar enquetes para aferir a preferência do eleitorado quanto aos concorrentes pré apresentados nos meios de comunicação social.O que a legislação proíbe, é a utilização do resultado da enquete em favor de quem conseguiu a melhor classificação , publicando-os em sites próprios ou sua divulgação nos seus meios de comunicação social, vedada a sua divulgação no rádio ou na televisão.Realizada a enquete, qualquer cidadão eleitor, exceto o pré- candidato , pode divulgar o seu resultado nos meios de comunicação social(face book, sites, instagram. twitter , whatsaap etc,) dando conhecimento ao publico em geral da preferência do eleitorado local, sem comprometer os pré-candidatos com a prática da propaganda eleitoral antecipada.Antes de 16 de agosto de 2020 , é perfeitamente possível e legal a realização de enquetes e sua divulgação, obedecida as limitações estabelecidas pela legislação eleitoral.    

16 de junho, terça feira - A ABRACAM mostra os destaques do dia

  Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.  Uma operação da Polícia Federal na investigação dos atos antidemocráticos. O cerco ao ministro da Educação, Abraham Weintraub. A prisão de Sara Giromini, que deve dar um novo depoimento à PF. O Assunto discute as reações à ofensiva bolsonarista contra o STF. Um estudo japonês com pacientes afetados pelo coronavírus identificou locais de supercontaminação. O Brasil acumula mais de 44 mil mortos, sendo que a primeira morte ocorreu há três meses. Mais um lote da ajuda de R$ 600. E as lives de hoje. Operação na investigação dos atos antidemocráticos A Polícia Federal foi às ruas nesta terça para cumprir mandados de busca e apreensão. As medidas foram autorizadas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). A ação é um desdobramento do inquérito que apura a organização e financiamento de atos antidemocráticos. Um dos alvos é o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), aliado do presidente Jair Bolsonaro. Ele disse no Twitter que a Polícia Federal estava em seu apartamento e que isso ocorre porque ele está "incomodando algumas esferas do velho poder". Outro alvo é Allan Santos, dono do canal Terça Livre na internet, também apoiador de Bolsonaro. Ele afirmou que os policiais apreenderam seu celular e equipamentos de gravação. Cerco a Weintraub STF forma maioria e rejeita pedido de habeas corpus ao ministro Weintraub ASSISTA AO VÍDEOhttps://globoplay.globo.com/v/8628418/ SAIBA MAIS...  CLIQUE ABAIXO https://foconapolitica.com.br/16-de-junho-terca-feira/  

Segunda-feira, 15 de junho - RESUMO das notícias que foram destaques

  Boa noite! Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado. Sara Giromini e mais 5 são presos A Polícia Federal prendeu em Brasília a extremista Sara Fernanda Giromini, que adotou o pseudônimo Sara Winter, e mais cinco integrantes do '300 do Brasil', grupo de apoio ao presidente Jair Bolsonaro que montou um acampamento na Esplanada com cerca de 30 pessoas, classificado como 'milícia armada' pelo Ministério Público do DF e desmobilizado no fim de semana. Segundo a investigação, eles são suspeitos de organizar e captar recursos para atos antidemocráticos e de crimes contra a Lei de Segurança Nacional. A prisão é temporária e foi autorizada pelo ministro do STF Alexandre de Moraes. A advogada de Sara diz que a prisão é política. Em depoimento, a extremista negou ligação com o ataque com fogos ao Supremo, no sábado, e disse que não tem apoio do governo ou de partidos. Extremista foi expulsa de grupo feminista por sumir com dinheiro para protesto Irmão diz que Sara 'quer fama' e que ela tem 'distúrbios' Entenda como grupo bolsonarista entrou na mira das autoridades Camarotti: silêncio de Bolsonaro sobre ataque ao STF gera incômodo em ministros Pseudônimo de extremista é referência a socialite que apoiava o nazismo Rodrigo Maia diz que lançar rojões contra STF é 'ataque inaceitável' Números da pandemia O país registrou 729 novas mortes pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo o levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa. O total de óbitos chega a 44.118, e há quase 900 mil casos confirmados da doença. Belo Horizonte registrou a maior ocupação de leitos de UTI após a reabertura do comércio: 80%. No estado, essa taxa é de 72%. Já a cidade do Rio, onde há quase 8 mil mortes por coronavírus e os casos confirmados passam de 80 mil, teve o menor índice de isolamento social desde o início da pandemia no fim de semana. A preocupação com o aumento do ritmo de contágio fez algumas capitais recuarem em medidas de relaxamento da quarentena. Porto Alegre publicou um decreto que limita funcionamento dos shoppings e do comércio de rua. Curitiba fechou templos religiosos e bares. 6 estados do país têm mais mortes no interior do que nas capitais 600 cidades paulistas fizeram gastos sem licitação 2ª onda de contágio Autoridades da Organização Mundial da Saúde disseram que estão trabalhando em estreita colaboração com a China para identificar a origem de uma segunda onda de infecções pelo novo coronavírus na capital, Pequim, que ampliou a área de quarentena após novos casos. A suspeita principal está relacionada ao maior mercado atacadista de alimentos da Ásia. Temor de 2ª onda de contágio faz dólar subir e fechar a R$ 5,14 O mundo teve uma média de 124 mil novos casos de Covid-19 por dia, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde. Quase metade das mortes diárias por coronavírus são na América Latina. Veja mapa que mostra onde a pandemia avança e recua. Longevidade da pandemia pode isolar o Brasil do resto do mundo, diz infectologista Paraguai registra 1ª morte por novo coronavírus em mais de um mês Busca pela vacina A vacina em testes para Covid-19 produzida pela empresa chinesa Sinovac induziu produção de anticorpos em 90% dos pacientes que receberam a dose. O laboratório firmou parceria com o Instituto Butantan e vai aplicar a substância em voluntários brasileiros.   Mais de cem vacinas estão sendo desenvolvidas no mundo. O GloboNews Debate reuniu especialistas para discutir os avanços das pesquisas e dos testes. Cloroquina em xeque Os Estados Unidos cancelaram a autorização para uso da hidroxicloroquina no tratamento contra a Covid-19. A FDA, agência que atua como a Anvisa nos EUA, afirmou que, após reavaliação dos dados e com base em novas informações, 'não é mais razoável acreditar que as formulações orais de hidroxicloroquina e de cloroquina possam ser eficazes'. Ainda assim, o presidente americano, Donald Trump, disse que continuará enviando o medicamento para o Brasil. E o Ministério da Saúde também ampliou o uso do medicamento, passando a dar orientação para o uso no tratamento de grávidas e crianças com o coronavírus. Por que autoridades dos EUA desautorizaram uso da cloroquina OMS vai discutir se mantém testes com substância Weintraub balança A ala política do governo -- incluindo ministros que são militares -- aumentaram a pressão nos bastidores para que o presidente Jair Bolsonaro demita Abraham Weintraub do Ministério da Educação. É o que informa a colunista Andréia Sadi. CAMAROTTI: Auxiliares do presidente defendem demissão urgente do ministro Nos bastidores do STF, a demissão de Weintraub é esperada para o quanto antes, por causa dos ataques ao Supremo. Ontem, o ministro participou de um ato de apoio a Bolsonaro, em Brasília. Ele foi multado em R$ 2 mil por não usar máscara de proteção. Weintraub provocou aglomeração, tirou fotos e abraçou manifestantes. Bolsonaro disse que o ministro não foi 'prudente'. Mudança no Tesouro Bruno Funchal, diretor de Programas da Economia, será o novo secretário do Tesouro Nacional. Ele vai assumir o lugar de Mansueto Almeida, que deixará o governo, terá o desafio de recolocar a economia no caminho do ajuste das contas públicas — caberá a ele, por exemplo, negociar a aprovação de reformas com o Congresso. O blog da Ana Flor traz detalhes.   'Decisão difícil', diz Mansueto Almeida sobre pedido de demissão do Ministério da Economia Museu em chamas Um incêndio destruiu parte do acervo do Museu de História Natural de Minas Gerais, em Belo Horizonte, nesta segunda. Ainda não há informações sobre o tamanho do prejuízo do acervo, formado por mais de 260 mil itens. As chamas destruíram parte do prédio central da administração, principalmente salas onde ficam coleções que não estão em exposição. Oscar é adiado Por causa da pandemia do novo coronavírus, o Oscar 2021 será no dia 25 de abril, anunciou a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood nesta segunda. A premiação estava prevista para 28 de fevereiro. Produções que estrearem até esta data poderão concorrer. Antes, apenas filmes exibidos nos cinemas de Los Angeles durante 2020 poderiam ser indicados. Principal prêmio do cinema britânico também altera data Tem 5 minutos? O manifestante negro Patrick Hutchinson carrega um contra-manifestante branco ferido para local seguro, perto da estação Waterloo, em Londres, durante protesto pela morte de George Floyd, no sábado (13) — Foto: Reuters/Dylan Martinez Uma foto de um manifestante negro carregando um homem branco ferido, em segurança, durante uma briga em Londres entre manifestantes antirracismo e oponentes de extrema-direita no fim de semana viralizou nas redes sociais. Em entrevista nesta segunda, Patrick Hutchinson disse que 'era a coisa certa a fazer'. Agenda de lives A maratona das lives durante a pandemia segue firme e forte. Quem gosta de acompanhar os artistas da música terá a agenda cheia esta semana. Ivete Sangalo, Wesley Safadão e Elba Ramalho (foto) são alguns que farão transmissões ao vivo. Confira a agenda. São destaques Sara Giromini e mais 5 integrantes de grupo extremista são presos pela PF por atos antidemocráticos. Agência dos EUA veta o uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19. OMS e China trabalham juntas para achar origem de segunda onda do novo coronavírus. Ala política do governo faz pressão pela demissão de Weintraub. E o Oscar de 2021 é adiado.

Câmara Municipal de Barreiras está pagando 50% do 13º salário

A Câmara Municipal de Barreiras comunica que está pagando 50% do 13º salário a todos os servidores. Segundo a Câmara Municipal “Valorizar os nossos servidores é cuidar de quem nos ajuda a trabalhar por Barreiras!”, conforme o cartaz da comunicação. Eurico Queiroz Filho é o atual presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Barreiras no Biênio 2019/2020. Junto com ele, João Felipe de Melo Lacerda – vice-presidente; Alcione Rodrigues de Macedo – 2º secretário e Hipólito dos Passos de Deus – 2º secretário.

Convenções partidárias poderão ser realizadas por meio virtual, diz TSE

Convenções partidárias poderão ser realizadas por meio virtual, diz TSE Plenário respondeu a consultas formuladas por parlamentares sobre o tema Compartilhar página via emailCompartilhar página via facebookCompartilhar página via twitterCompartilhar página via Whatsapp Por unanimidade de votos, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou a possibilidade de os partidos políticos realizarem convenções partidárias por meio virtual para a escolha dos candidatos que disputarão as Eleições 2020. O posicionamento foi definido ao responder à consulta formulada pelo deputado federal Hiram Manuel (PP-RR) sobre o tema, diante do quadro de pandemia do coronavírus (responsável pela Covid-19) enfrentado com o distanciamento social, conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS). As convenções partidárias deverão ser realizadas entre o dia 20 de julho e 5 de agosto, conforme prevê o Calendário Eleitoral. O relator, ministro Luis Felipe Salomão, ponderou em seu voto que as convenções virtuais devem seguir as regras e os procedimentos previstos na Lei nº 9.504/97 e na Res. TSE 23.609/2019, além de respeitarem as normas partidárias e a democracia interna das legendas. Além disso, ficou definido que os partidos têm autonomia para utilizarem as ferramentas tecnológicas que entenderem mais adequadas para suas convenções. “As convenções partidárias constituem etapa das mais relevantes do macroprocesso eleitoral, porquanto objetivam a escolha, no âmbito interno dos partidos políticos, dos pré-candidatos que virão a representar os ideais, as aspirações e os programas das legendas nas campanhas”, destacou em seu voto, ao lembrar que os artigos 7º e 8º da Lei das Eleições não prescrevem modalidade específica de formato, ou seja, se presencial ou virtual. Para o ministro, negar a adoção do formato virtual equivaleria a ignorar a realidade enfrentada no combate à doença e, diante do Calendário Eleitoral, poderia inviabilizar etapa imprescindível à concretização de eleições democráticas e transparentes. Ele destacou, ainda, que deve ser levado em conta o Projeto de Lei nº 1.179/2020, aprovado recentemente pelo Congresso Nacional, que dispõe sobre o Regime Jurídico Emergencial e Transitório das relações jurídicas de Direito Privado (RJET) no período da pandemia do Coronavírus. De acordo com o texto da lei, associações, sociedades e fundações devem observar as restrições a eventos presenciais até 30 de outubro de 2020, priorizando assembleias virtuais. Apesar de não se referir especificamente às convenções partidárias, o mesmo entendimento pode ser aplicado por analogia. Grupo de Trabalho O relator propôs, ao final de seu voto, que a Presidência do TSE crie Grupo de Trabalho (GT) para estudar e definir regras com ênfase especial nas convenções virtuais. O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, concordou com a sugestão sobre criação do GT para estabelecer diretrizes a serem obedecidas pelas legendas nas convenções virtuais. Entre elas, como se dará o registro do resultado das convenções, em que local tais informações ficarão armazenadas, entre outros detalhes. Ao final dos trabalhos, o GT deve apresentar uma minuta de resolução a ser deliberada pelo Plenário ainda no mês de junho. Mais duas consultas sobre o mesmo tema também foram analisadas na sessão de hoje. Entre elas, um questionamento do partido Republicanos sobre a possibilidade de alterar a data das convenções. O Plenário decidiu que o prazo de 180 dias antes do pleito, estabelecido pela Lei das Eleições, não pode ser flexibilizado, justamente porque dependeria de alterar a norma no âmbito legislativo. A outra será respondida pelo GT. Com informações do TSE

Maia estuda 1º turno da eleição para 15 de novembro ou 6 de dezembro

Proposta será analisada pelo Congresso Nacional O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje (21) que o primeiro turno das eleições municipais deste ano poderá ser realizado no dia 15 de novembro ou 6 de dezembro. A proposta será analisada pelo Congresso Nacional, em comissão mista formada por deputados e senadores. “Talvez o melhor modelo seja uma reunião do colégio de líderes das duas Casas para que se construa uma maioria em relação a adiar e para qual período. Você tem dois períodos discutidos, 15 de novembro ou primeiro domingo de dezembro, para o primeiro turno, e um [intervalo] para o segundo turno um pouco menos para dar tempo para a transição. Essas são as ideias”, afirmou Maia. “Mas temos que saber se vai ter voto para adiar ou não. A partir do momento que tiver voto para adiar, se discute uma data, tudo com sintonia com o TSE”, acrescentou. Apesar do adiamento das eleições, o congressista tem se posicionado contra a prorrogação dos mandatos. A comissão mista está prevista para ser criada na próxima semana, logo após a posse do ministro Luís Roberto Barroso na presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Sou radicalmente contra prorrogação de mandato”, disse. “Não vejo na Constituição Federal um prazo para prorrogar mandato, porque no futuro alguém pode se sentir forte, ter apoio no Parlamento, criar uma crise e prorrogar seu próprio mandato. A questão de prorrogação do mandato acho que é muito sensível para a nossa democracia”, argumentou Rodrigo Maia. Segundo o site Congresso em Foco por acordo do colégio de líderes do Senado, ficou decidido que até o dia 30 de junho não haverá nenhuma decisão quanto ao adiamento do calendário das eleições municipais de 2020. Com informações da Agência Brasil e Congresso em Foco

15 de junho, segunda-feira - A ABRACAM mostra os destaques da mídia nacional

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado. A semana começa com a prisão de seis ativistas bolsonaristas na investigação sobre protestos antidemocráticos. A PGR abriu um procedimento preliminar para apurar o disparo de fogos de artifício contra o STF. O homem que derrubou cruzes na praia de Copacabana durante ato em memória de vítimas da Covid-19 disse que "não resistiu". O Brasil tem quase 43,4 mil mortos e 870 mil casos confirmados. O Assunto explica o que é a deflação e o que os últimos resultados do IPCA mostram sobre a economia brasileira. E a Caixa libera a consulta ao valor e à data dos novos saques do FGTS. Novos saques do FGTS! Caixa libera novo saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), de até R$ 1.045 por trabalhador, por causa da pandemia do novo coronavírus — Foto: CAIO ROCHA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO A Caixa liberou nesta segunda-feira (15) a consulta ao valor e às datas dos novos saques do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Cada trabalhador poderá sacar até R$ 1.045 de contas ativas (do emprego atual) ou inativas (de empregos anteriores). O calendário começa no dia 29 e vai até novembro e depende do mês de nascimento do trabalhador. Presos pela PF Sara Winter é líder do grupo 300 do Brasil, que apoia o presidente Jair Bolsonaro — Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo  A ativista Sara Winter e mais cinco pessoas foram presas pela Polícia Federal na manhã desta segunda-feira (15) em Brasília. Winter é líder do grupo 300 do Brasil, que apoia o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). As prisões foram autorizadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. Ataque com fogos ao STF A Procuradoria-Geral da República instaurou neste domingo (14) um procedimento preliminar para apurar o ato de manifestantes que, na noite de sábado (13), dispararam fogos de artifício em direção ao prédio do STF, em Brasília. A investigação atende a um pedido do presidente da Corte, Dias Toffoli, que também solicitou que Renan da Silva Sena, apoiador de Bolsonaro, seja responsabilizado "por ataques e ameaças à Instituição deste Supremo Tribunal Federal e ao Estado Democrático de Direito". Renan foi detido ontem, mas depois liberado.  Grupo lança fogos de artifício na direção do prédio do STF Aposentado que derrubou cruzes em ato por vítimas da Covid-19 Héquel da Cunha Osório, aposentado de 78 anos, diz que derrubou cruzes na praia de Copacabana, na quinta-feira (11), porque "não resistiu". O ato da ONG Rio de Paz era uma homenagem às vítimas do novo coronavírus no Brasil. Voluntários fizeram 100 covas rasas e colocaram 100 cruzes nas areias da praia, simbolizando as mais de 40 mil vítimas da Covid-19 no Brasil. Mensagem em grupo de Whatsapp é atribuída a homem que derrubou cruzes em Copacabana — Foto: Reprodução/TV Globo Mais de 43 mil mortos O país tem quase 43,4 mil mortes e 869 mil casos confirmados do novo coronavírus. O levantamento é feito por jornalistas de G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de Saúde. selo mortes covid 15/06 balanço das 8h — Foto: Rodrigo Sanches/G1 Deflação Abril e maio registraram recuo no índice que mede a alta nos preços no país, e a inflação caminha para ficar abaixo da meta do governo. Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com Alexandre Schwartsman, ex-diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central. Schwartsman explica o que é a deflação e o que os últimos resultados do IPCA mostram sobre a economia brasileira. Ouça:   Doação de yakisobas no Rio O projeto de um fotógrafo que registrava pessoas em situações de rua durante a pandemia do novo coronavírus motivou doações de comida oriental por um restaurante e uma corrente de solidariedade no Rio. Cadu Andrade, de 25 anos, conta que tudo começou com o projeto “Ruas Vazias”, bem no início das medidas de isolamento social, há quase três meses. A ideia era capturar imagens da cidade do Rio de um jeito diferente, com todas as mudanças que estavam acontecendo. Mas, logo, o foco passou para as pessoas que vivem na rua, que de uma hora para a outra se viram mais sozinhas do que nunca. “Mexeu muito comigo. Eu comecei a ir para a rua só para registrar isso”, diz Cadu. Pessoa em situação de rua recebe yakisoba e outras doações — Foto: Cadu Andrade/Divulgação  Funk consciente Nova geração de MCs deixa de lado versos sobre 'sentar e quicar' e sobe nas paradas com músicas emotivas sobre vida na favela, com toque religioso e moto como símbolo de superação. Treze das cem músicas mais tocadas no YouTube no Brasil entre 29 de maio e 4 de junho no Brasil são dessa nova leva emotiva do funk consciente. "Sou vitorioso" chegou ao 6º lugar nacional nas vozes de Lele JP e de Neguinho do Kaxeta, veterano da geração anterior do "consciente" de SP. Previsão do tempo     Previsão de chuva forte em Alagoas e Pernambuco Curtas e rápidas Briga de Anavitória com Tiago Iorc expõe distorção na lei de direitos autorais Campanha busca ajudar fotógrafos cearenses em situação vulnerável por conta da pandemia Mãe e filha recriam pinturas famosas para driblar solidão na pandemia; veja Covid-19: Pesquisadores mineiros driblam orçamento apertado na busca por respostas à doença Gols, casamento e coronavírus: os 70 anos do estádio do Maracanã Com informações do G1 

Notícias DESTAQUES DA SEMANA

  Bolsonaro vetará extensão do coronavoucher se Congresso fixar valor em R$ 600 Governo quer duas parcelas extras e valor deve ser de R$ 300 cada O presidente Jair Bolsonaro disse na noite desta 5ª feira (11.jun.2020) que vetará a prorrogação do auxílio emergencial se o Congresso decidir pela manutenção do valor atual, de R$ 600. O governo federal quer pagar duas parcelas extras no valor de R$ 300 cada. Alguns congressistas, incluíndo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendem a manutenção dos R$ 600 mensais. “Na Câmara por exemplo, vamos supor que chegue uma proposta de duas [parcelas] de R$ 300. Se a Câmara quiser passar para R$ 400, R$ 500, ou voltar para R$ 600, qual vai ser a decisão minha? Para que o Brasil não quebre? Se pagar mais duas de R$ 600, vamos ter uma dívida cada vez mais impagável. É o veto”, disse Bolsonaro. Presidente Bolsonaro recria Ministério das Comunicações e dá pasta a genro de Silvio Santos Fábio Faria (PSD-RN) deputado federal do Centrão assume dução/Instagram O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta 4ª feira (10.jun.2020) a recriação do Ministério das Comunicações, que até então estava incorporado à pasta da Ciência e Tecnologia, do ministro Marcos Pontes. O titular do novo ministério será o deputado Fábio Faria (PSD-RN), integrante do Centrão, grupo sem bandeiras ideológicas que se aproximou do presidente nos últimos meses. Fábio é marido de Patrícia Abravanel, filha de Silvio Santos. O dono do SBT é apoiador do presidente Jair Bolsonaro. Com a nomeação de Faria, a área de comunicações volta para o PSD, partido de Gilberto Kassab. O presidente da sigla chefiou o Ministério de Ciência, Tecnologia e Comunicações durante a gestão de Michel Temer, de maio de 2016 até o final de 2018. Em publicação no Facebook, Bolsonaro afirmou que a recriação da pasta das Comunicações será oficializada por medida provisória. O texto ainda não foi publicado no Diário Oficial da União. Com a mudança, o governo Bolsonaro passa a ter 23 ministérios (conta que inclui o Banco Central e a Advocacia Geral da União). O governo Temer terminou com 29 pastas. Criado em 1985 no governo de José Sarney, o Ministério das Comunicações foi incorporado à pasta hoje comandada por Marcos Pontes em 2016, por decisão de Temer. Forças Armadas não podem exercer ‘intromissões’ em outros Poderes, decide STF Fux proferiu decisão nesta 6ª feira e diz que poder de chefia é limitado. Bolsonaristas interpretam diferente. O vice-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Luiz Fux, proferiu decisão nesta 6ª feira (12.jun.2020) para definir os limites da atuação das Forças Armadas e do poder do presidente da República sobre os militares, conforme a Constituição. A decisão é liminar (provisória) e será reavaliada pelo plenário da Corte. Eis a íntegra (292 KB). Fux atendeu parcialmente a ação do PDT, que pediu que o Supremo interpretasse trechos da Carta Magna que tratam sob as responsabilidades das Forças Armadas. O partido questionou pontos que tratam da hierarquia “sob autoridade suprema do presidente da República“, citando haver risco que o presidente venha a editar decreto que confira aos militares “miríade indefinida de ações“. Fux ressaltou que a missão institucional das Forças Armadas na defesa da Pátria, na garantia dos poderes constitucionais e na garantia da lei e da ordem “não acomoda o exercício de poder moderador entre os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário“. A afirmação confronta a interpretação dada por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro ao artigo 142 da Constituição. Para estes, o trecho abre caminho para uma intervenção militar. Fux considerou, por outro lado, que o papel do presidente como chefe das Forças Armadas tem “poder limitado“, “excluindo-se qualquer interpretação que permita sua utilização para indevidas intromissões no independente funcionamento dos outros Poderes, relacionando-se a autoridade sobre as Forças Armadas às competências materiais atribuídas pela Constituição ao presidente da República”. O ministro também afirmou que a prerrogativa do presidente da República de autorizar o emprego das Forças Armadas, por iniciativa própria ou em atendimento a pedido manifestado por quaisquer dos outros poderes constitucionais, não pode ser exercida contra os próprios Poderes entre si. “O emprego das Forças Armadas para a ‘garantia da lei e da ordem’, embora não se limite às hipóteses de intervenção federal, de estados de defesa e de estado sítio, presta-se ao excepcional enfrentamento de grave e concreta violação à segurança pública interna, em caráter subsidiário, após o esgotamento dos mecanismos ordinários e preferenciais de preservação da ordem pública“, afirmou o ministro, ao lembrar que a ação deve ocorrer mediante a atuação colaborativa das instituições estatais e sujeita ao controle permanente dos demais Poderes, na forma da Constituição e da lei.   BOLSONARO: ‘FORÇAS ARMADAS NÃO CUMPREM ORDENS ABSURDA‘ O presidente Jair Bolsonaro divulgou nota depois da decisão de Fux. Disse que o entendimento do ministro “bem reconhece o papel e a história das Forças Armadas sempre ao lado da democracia e da liberdade“. Assinam também o texto o vice, Hamilton Mourão, e o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo. Os 3 têm passado no Exército Brasileiro. Eis a íntegra da nota: Lembro à Nação Brasileira que as Forças Armadas estão sob a autoridade suprema do Presidente da República, de acordo com o Art. 142/CF. – As mesmas destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem. – As FFAA do Brasil não cumprem ordens absurdas, como p. ex. a tomada de Poder. Também não aceitam tentativas de tomada de Poder por outro Poder da República, ao arrepio das Leis, ou por conta de julgamentos políticos. – Na liminar de hoje, o Sr. Min. Luiz Fux, do STF, bem reconhece o papel e a história das FFAA sempre ao lado da Democracia e da Liberdade. – Presidente Jair Bolsonaro. – Gen. Hamilton Mourão, Vice PR. – Gen. Fernando Azevedo, MD. Moraes pede vista e TSE suspende julgamento que pede cassação de Bolsonaro Os autores são Marina Silva e Boulos, que apontam ataques em prol de Bolsonaro. Relator não vê provas suficientes Foto : Manifestantes pró e contra o presidente Jair Bolsonaro em frente ao Tribunal Superior Eleitoral durante o julgamento da ação que pede a cassação da chapa com Mourãoérgio Lima/Poder360 - 9.jun.2020 O ministro Alexandre de Moraes pediu vista e o plenário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) adiou a análise de pedido da oposição para cassar a chapa Jair Bolsonaro-Hamilton Mourão, eleita em 2018. O julgamento, retomado nesta 3ª feira (9.jun.2020), teve início em novembro de 2019. Não há data para ser concluído. O presidente e o vice são acusados de envolvimento com supostos ataques de hackers contra o grupo virtual Mulheres Unidas contra Bolsonaro. Segundo os autores das representações, o grupo que reunia mais de 2,7 milhões de pessoas teve o conteúdo da página alterado –o título foi mudado para “Mulheres COM Bolsonaro #17”. O arquivamento da denúncia é esperado. O relator do caso na Corte, ministro Og Fernandes, votou contra o pedido dos autores. Segundo ele, mesmo que tenha sido comprovada a invasão da página, as investigações não foram conseguiram indicar o autor do crime cibernético. Há outras 6 ações contra a chapa presidencial eleita em 2018 em andamento no TSE. Quatro delas tratam de irregularidades na contratação do serviço de disparos em massa de mensagens pelo WhatsApp durante a campanha eleitoral. No julgamento desta 3ª feira (9.jun), o ministro Edson Fachin suscitou a necessidade de se colher novas provas nas ações. Leia a íntegra (37 kb) do voto do ministro. “Extraio a possibilidade e a necessidade de atender ao direito de produção de prova pericial nos presentes autos, como elemento indispensável à pretensão dos investigantes de demonstrar ou não a existência de vínculo objetivo e subjetivo entre o perpetrador da conduta que ora se rotula abusiva e os investigados”, destacou Fachin em seu entendimento. O relator, ministro Og Fernandes, discordou de Fachin. Disse que não há investigações em andamento. O ministro Luís Felipe Salomão também votou contra a abertura de novo prazo. Os ministros Carlos Velloso Filho e Tarcísio Vieira, acompanharam o pedido de Fachin. Restam, portanto, os votos de Alexandre de Moraes e do presidente do TSE, Luís Roberto Barroso. 49% de quem já foi às ruas ou pretende ir é para protestar contra Bolsonaro 31% fazem atos a favor do presidente 11% vão às ruas por igualdade racial Leia levantamento do DataPoder360 Manifestantes em Brasília protestam contra o racismo e pedem o impeachment do presidente Jair BolsonaroSérgio Lima/ Pesquisa DataPoder360 mostra que, para quase metade (49%) dos brasileiros que já foram ou pretendem ir a manifestações, a principal causa para ir às ruas é protestar contra o presidente Jair Bolsonaro. Outros 31% dizem que os atos públicos devem ser realizados em defesa do governo. No último domingo (7.jun.2020), pelo menos 20 capitais registraram protestos, contra e a favor da administração do chefe do Executivo. Além do Brasil, os Estados Unidos também enfrentam forte onda de manifestações depois de 1 homem negro ter sido por causa de violenta abordagem policial. A igualdade racial também é 1 tema citado para se manifestar no Brasil, mas apenas por 11% dos entrevistados. A pesquisa foi realizada de 8 a 10 de junho de 2020 pelo DataPoder360, divisão de estudos estatísticos do Poder360, por meio de ligações para telefones celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 518 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Conheça mais sobre a metodologia lendo este texto. O levantamento mostra que a maioria dos brasileiros não pretende participar de nenhum protesto de rua. Apenas 27% já foram ou ainda querem ir em algum ato. Saiba mais... https://www.portalr10.com/noticia/51180/ Com informações do Poder360

12 DE JUNHO,SEXTA-FEIRA – RESUMO DO DIA

 Mais uma triste marca para o Brasil: com 41.901 mil mortos por Covid-19, somos agora o 2º país com maior número de óbitos pela doença — atrás dos EUA e à frente do Reino Unido. Uma liminar do STF ressalta que as Forças Armadas não são 'poder moderador'. E o governo revoga a medida provisória que dava carta branca para o ministro da Educação, Abraham Weintraub, escolher reitores de universidades durante a pandemia. Processo que apura compra de respiradores no Amazonas cabe ao STJ, decide ministro do tribunal Ministério Público estadual deflagrou operação na quarta, mas ministro Francisco Falcão frisou que há indícios relacionados ao governador Wilson Lima e, por isso, caso deve ficar no STJ. O ministro Francisco Falcão, do Superior Tribunal de Justiça, decidiu nesta sexta-feira (12) que a competência sobre as investigações relacionadas à compra de respiradores no Amazonas é do próprio STJ. Na última quarta (10), o Ministério Público estadual deflagrou a Operação Apneia, que investiga a compra de equipamentos pela Secretaria de Saúde do Amazonas. Segundo as investigações, o contrato de compra dos respiradores foi direcionada, e o fornecimento apresenta indícios de superfaturamento Saiba mais... https://www.portalr10.com/noticia/51141/processo-que-apura-compra-de-respiradores-no-amazonas-cabe-ao-stj Entidades reagem a fala de Bolsonaro, que incentivou pessoas a entrar em hospitais e filmar Presidente pediu a apoiadores para encontrarem uma maneira de entrar nos hospitais e filmar, a fim de mostrar se há ou não leitos ocupados por pacientes de covid-19. Entidades e políticos reagiram nesta sexta-feira (12) à fala do presidente Jair Bolsonaro na noite anterior, na qual ele incentiva pessoas a entrar em hospitais públicos ou de campanha que tratam da covid-19 para filmar o interior das instalações a fim de constatar se há leitos desocupados. A crise do coronavírus vem provocando superlotação em hospitais pelo país, com falta de leitos para atender aos doentes nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Saiba mais... https://www.portalr10.com/noticia/51142/entidades-reagem-a-fala-de-bolsonaro-que-incentivou-pessoas-a-entrar-em Fux diz que Forças Armadas não são 'poder moderador' em eventual conflito entre poderes Ministro do Supremo Tribunal Federal fez afirmação em decisão liminar (provisória) ao analisar pedido do PDT, que questionou pontos de leis que tratam da atuação das Forças Armadas. O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu uma liminar (decisão provisória) nesta sexta-feira (12) fixando que as Forças Armadas não atuam como poder moderador em um eventual conflito entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. A decisão do ministro atende a um pedido do PDT, que apresentou ação na última quarta-feira (10) questionando pontos de leis complementares que tratam da atuação das Forças Armadas. Estas leis definem as Forças Armadas e explicitam a atuação delas na "garantia dos poderes constitucionais". Saiba mais... https://www.portalr10.com/noticia/51143/forcas-armadas-nao-sao-poder-moderador-diz-fux   Avanço da Covid-19 Cemitério em Manaus durante pandemia de coronavírus — Foto: Reuters/Bruno Kelly O Brasil chegou hoje a 41.901 óbitos por Covid-19, segundo o consórcio de veículos de imprensa. Foram 843 nas últimas 24 horas. Com isso, o país passou o Reino Unido em número de óbitos, ficando atrás somente dos Estados Unidos. O número de casos confirmados passa de 829 mil. Nesta sexta, a OMS afirmou que 'a situação atual do Brasil é uma preocupação frequente'. Especialistas ouvidos pelo G1 afirmam que são feitos tão poucos testes no país que cientistas recorrem a números de mortes e de ocupação de leitos para entender a progressão da doença. "Estamos totalmente cegos, no escuro, com números que não refletem nada", diz um entrevistado. Em São Paulo, estado mais atingido pela pandemia no país, o número de mortes chega a 10,3 mil. Enquanto isso, a capital tem ruas de comércio lotadas após a flexibilização da quarentena em várias regiões. No Rio, shoppings e praias também tiveram movimentação intensa.   Corrida pela vacina 11 mil voluntários brasileiros vão receber nas próximas semanas duas vacinas diferentes contra o coronavírus que estão em fase avançada de testes. Entenda como funcionam essas vacinas, iniciativas da Universidade de Oxford e do Instituto Butantan em parceria com uma empresa chinesa. O Brasil se tornou um território atraente para testes por causa do avanço veloz e devastador da pandemia no país, explicou Helio Gurovitz em seu blog. Sem carta branca  Governo federal revoga MP sobre reitores que dava poderes a Weintraub O governo revogou, nesta sexta, a medida provisória que dava ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, o poder de nomear reitores para universidades federais durante a pandemia do coronavírus. A decisão veio depois que o presidente do Senado Davi Alcolumbre já havia devolvido o texto ao Planalto, por ter considerado a MP inconstitucional. Ainda hoje, o Ministro do STF Edson Fachin votou por manter Weintraub no inquérito das fake news. Liminar do Supremo O ministro do Supremo Luiz Fux concedeu uma liminar fixando que as Forças Armadas não atuam como poder moderador em um eventual conflito entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Fux ressaltou ainda que o presidente da República não pode recorrer a elas para atuar contra os poderes constituídos. A decisão atende a um pedido do PDT, que apresentou ação questionando pontos de leis complementares que tratam da atuação das Forças Armadas.   Direitos humanos  Governo exclui dados de violência policial de relatório do Disque 100 O governo excluiu os casos de violência policial do relatório anual sobre violações de direitos humanos. De acordo com o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, comandado por Damares Alves, os dados não foram divulgados porque há 'inconsistências em seus registros'. O Monitor da Violência do G1 mostrou que o número de vítimas em confronto com a polícia cresceu 1,5% no ano passado, em relação a 2018 — 5.804 pessoas foram mortas por policiais no país. Entidades alertam para falta de transparência do governo. Impacto na economia O PIB do Reino Unido teve queda recorde de 20,4% em abril na comparação com março, quando a retração foi de 5,8%. Nos EUA, o temor de uma segunda onda de contaminação da Covid-19 fez as bolsas oscilarem. O dólar fechou em alta de 2,18% rompendo a barreira dos R$ 5. Na abertura, pressionado pela queda de mercado na véspera, a moeda chegou a R$ 5,11. Tem 5 minutos?  Músicos de vários países se unem para tocar Queen   Músicos da Rússia, Itália, Suíça, do Japão, Cazaquistão e dos EUA se reuniram online e tocaram 'Bohemian Rhapsody', do Queen, para 'aquecer os corações', como bem disse um deles. O arranjo para piano, violino e violoncelo é de arrepiar. Reabertura do comércio 46% dos brasileiros devem reduzir a frequência a bares e restaurantes após a retomada das atividades, segundo pesquisa encomendada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). 45% afirmaram que pretendem ir menos a shoppings — quase 70% desses estabelecimentos já estão funcionando no país, apesar do aumento de casos e mortes por coronavírus. Dia dos namorados Priscylla e Carlos se conheceram durante um plantão em 2017 — Foto: Cedida O Dia dos Namorados de Pryscilla e Carlos, de Mossoró (RN), está sendo no plantão. O casal de enfermeiros, que se apaixonou à primeira vista quando trabalhava em um hospital, atua na linha de frente de combate ao novo coronavírus. 'Apesar do triste cenário, a gente tenta comemorar as coisas boas e ao mesmo tempo cuidar dos pacientes', diz ela. Viva o amor e os profissionais da saúde! O Assunto   O governo vai manter o auxílio emergencial por mais dois meses, mas pretende reduzir o valor à metade. Para depois desse período, o ministro Paulo Guedes promete o Renda Brasil, um Bolsa Família turbinado, que incluiria trabalhadores informais. Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com Fabio Graner, repórter do Valor Econômico, e com Julia Duailibi, comentarista da GloboNews.

12 de junho, sexta-feira - A ABRACAM mostra os destaques do dia

  Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.  O Brasil faz menos testes para coronavírus do que deveria: "estamos no escuro", diz especialista. Agora, são 41.058 mortos e mais de 805 mil casos confirmados. Veja o mapa do vírus em São Paulo. O Assunto fala sobre o futuro "Renda Brasil", o Bolsa Família de Jair Bolsonaro. Um novo lote de R$ 600. O Dia dos Namorados tem lives e programas românticos para curtir em casa. E um estudante brasileiro é finalista na Nasa. Poucos testes no Brasil Testes PCR em laboratório de Madrid — Foto: Pierre-Philippe Marcou / AFP Photo Números mostram que o Brasil ainda faz menos testes para coronavírus do que deveria. Testagem é fundamental para detectar os infectados, isolá-los e frear avanço da pandemia no país. "Estamos no escuro", diz especialista. A avaliação é de especialistas ouvidos pelo G1. Segundo eles, é mais seguro considerar outros índices, como o de óbitos e o de ocupação de leitos de UTI, para compreender se é momento de retomar os serviços essenciais ou de decretar lockdown, por exemplo. Brasil conta 41 mil mortos Brasil tem mais de 41 mil mortes por coronavírus, mostra consórcio de veículos de imprensa  ASSISTA AO VÍDEO  https://globoplay.globo.com/v/8620386/ Brasil tem 1.261 mortes por coronavírus em 24 horas. Já são 41.058 no total. Levantamento feito por jornalistas de G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de Saúde mostra ainda que país já tem 805.682 casos confirmados. Coronavírus avança cada vez mais para as cidades menores do Brasil Pandemia atinge milhares de idosos que trabalhavam sem carteira assinada Anticorpos   Estudo: em 2 semanas, proporção da população do país que tem ou já teve Covid aumentou 53% ASSISTA O VÍDEO   https://globoplay.globo.com/v/8620445/ Um estudo coordenado pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel) revela um aumento de 53% em apenas duas semanas na proporção da população com anticorpos para o novo coronavírus no Brasil. Mapa do vírus em São Paulo Mapa das mortes por coronavírus nos bairros de São Paulo até o dia 5 de junho. — Foto: Divulgação / PMSP  Os bairros do Pari, na Zona Leste, e Campo Belo, na Zona Sul, são os distritos da capital paulista com maiores taxas de mortes por 100 mil habitantes, segundo o mapa de óbitos confirmados ou suspeitos por coronavírus na cidade de São Paulo, divulgado pela prefeitura. Os óbitos se referem ao período do início da pandemia até 5 de junho, data que foi emitido o mapa pela Secretaria Municipal da Saúde. Entenda mais sobre o mapa e os números. Renda Brasil, o Bolsa Família de Bolsonaro O governo vai manter o auxílio emergencial por mais dois meses, mas pretende reduzir o valor à metade. Para depois desse período, o ministro Paulo Guedes promete o Renda Brasil, um Bolsa Família turbinado, que incluiria trabalhadores informais. Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com Fabio Graner, repórter do Valor Econômico, e com Julia Duailibi, comentarista da GloboNews. Ouça: Ajuda de R$ 600 — Foto: Marcos Santos/USP Imagens  A Caixa Econômica Federal (CEF) libera nesta sexta-feira as transferências e os saques em dinheiro da segunda parcela do Auxílio Emergencial depositada em poupanças sociais digitais do banco para os 2,5 milhões de beneficiários nascidos em novembro. Condomínios O presidente Jair Bolsonaro vetou um trecho de um projeto aprovado no Congresso Nacional que dava aos síndicos o poder de barrar festas em condomínios durante a pandemia do novo coronavírus. Saiba o que pode e o que não pode em condomínio, segundo STJ Dia dos namorados Daniel, Lulu Santos e Nando Reis fazem lives nesta sexta-feira (12), dia dos Namorados — Foto: Divulgação; Divulgação/Leo Aversa O Dia dos Namorados não vai passar sem comemoração. Veja as lives que vão tornar o dia mais romântico: hoje tem Daniel e Roupa Nova, Lulu Santos, Nando Reis, Anavitória, Duda Beat, Silva, Jorge Vercillo, Marcelo Jeneci e Dorgival Dantas, Delacruz e Mahmundi. Hitch - Conselheiro amoroso / Will Smith e Eva Mendes — Foto: Divulgação   Também há programas para curtir a dois sem sair de casa. No Rio, comerciantes de comunidades criaram novos hábitos durante pandemia para terem lucro com os casais. E músicos de diferentes países se uniram para tocar "Bohemian Rhapsody": assista. Roupa Nova faz live com Daniel para o Dia dos Namorados  Músicos de vários países se unem para tocar Queen ASSISTA AO VÍDEO  https://g1.globo.com/olha-que-legal/video/musicos-de-varios-paises-se-unem-para-tocar-queen-8617999.ghtml   E a enfermeira Priscylla Fernandes e o técnico de enfermagem Carlos Vanuccy de Castro vão festejar o Dias dos Namorados em um plantão, trabalhando. Ambos atuam na linha de frente no combate ao coronavírus em hospitais de Mossoró (RN). Priscylla e Carlos se conheceram durante um plantão em 2017 — Foto: Cedida Estudante do PR é finalista na Nasa Equipe "Megazord" propôs aplicativo com pontos de coleta de lixo, que gerariam créditos para água potável — Foto: Heryvelton Martins / Arquivo pessoal Uma solução tecnológica para reduzir a poluição, elaborada com a ajuda de um estudante de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, foi eleita finalista de uma maratona virtual da Agência Espacial Norte Americana (Nasa). Heryvelton Martins, que cursa jornalismo na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), pensou em um projeto para transformar lixo reciclável em distribuição de água potável para quem precisa. O projeto "CashBack Water" foi o finalista na categoria Nova Perspectiva do Nasa Space Apps Challenge Brazil, que propôs desafios para enfrentar problemas causados pela pandemia da Covid-19. Curtas e Rápidas: Pandemia diminui confiança de recrutadores e profissionais no mercado de trabalho, aponta pesquisa Grupo que distribui mais de 5 mil quentinhas por dia em Fortaleza terá que paralisar a cozinha por falta de recursos Blog do Altieres Rohr: Ativistas denunciam censura de reuniões virtuais sobre a China no Zoom Pesquisa do IBGE mostra que mineiros se envolvem pouco com o voluntariado e que mulheres dominam tarefas domésticas Morando em Salvador, chileno tem voo de volta para o país cancelado cinco vezes e sobrevive dando aulas de karatê pela web Previsão do tempo  Anne Lottermann explica fenômenos meteorológicos que podem ter atingido SC ASSISTA AO VÍDEO  https://globoplay.globo.com/v/8620595/   Com informações do G1

RESUMO das notícias que foram destaques

RESUMO DO DIA – Quinta-feira, 11 de junho Bolsonaro diz que vetará extensão do auxílio emergencial se Congresso fixar valor em R$ 600 Lei atual prevê três parcelas de R$ 600 a informais, desempregados e beneficiários do Bolsa Família. Governo propõe duas parcelas de R$ 300, mas Maia já defendeu pagamento integral. O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira (11), que pretende vetar a prorrogação do auxílio emergencial motivado pela pandemia do coronavírus se o Congresso decidir pela manutenção do valor atual, de R$ 600. A declaração foi dada durante transmissão em rede social. Na última semana, o Ministério da Economia informou que pretende pagar duas parcelas adicionais, no valor de R$ 300 cada. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defende a manutenção dos R$ 600 mensais. "Na Câmara por exemplo, vamos supor que chegue uma proposta de duas [parcelas] de R$ 300. Se a Câmara quiser passar para R$ 400, R$ 500, ou voltar para R$ 600, qual vai ser a decisão minha? Para que o Brasil não quebre? Se pagar mais duas de R$ 600, vamos ter uma dívida cada vez mais impagável. É o veto", declarou Jair Bolsonaro. Saiba mais... https://foconapolitica.com.br/bolsonaro-diz-que-vetara-extensao-do-auxilio-emergencial-se-congresso-fixar-valor-em-r-600/ Governo defende revogação da decisão que o obrigou a voltar a divulgar dados totais da covid-19  Advocacia-Geral da União afirmou ao Supremo Tribunal Federal que instabilidade na plataforma do Ministério da Saúde já foi sanada e todos os dados já estão disponíveis. Saiba mais... https://www.portalr10.com/noticia/51076/governo-defende-revogacao-da-decisao-que-o-obrigou-a-voltar-a-divulgar Brasil tem 1.261 mortes por coronavírus em 24 horas, revela consórcio de veículos de imprensa; são 41.058 no total Levantamento feito por jornalistas de G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de Saúde mostra ainda que houve 30.465 novos casos de Covid-19 em um dia; são 805.649 no total. Saiba mais... https://www.portalr10.com/noticia/51077/brasil-tem-1-261-mortes-por-coronavirus-em-24-horas-revela-consorcio Shoppings reabrem com restrições, ficam cheios e com filas Retomada das atividades é feita com uma série de cuidados, como redução da capacidade dos estacionamentos e praças de alimentação fechadas. Saiba mais... https://www.portalr10.com/noticia/51078/rio-de-janeiro-shoppings-reabrem-com-restricoes-ficam-cheios-e-com-filas Com informações do G1

11 de maio, quinta-feira - Os DESTAQUES do dia que a ABRACAM traz para você

DESTAQUE 1 Filiado ao PSD, que compõe o Centrão, Fábio Faria está no quarto mandato como deputado federal Bolsonaro prometeu na campanha ter 'no máximo' 15 ministérios; agora serão 23.     Governo anuncia a recriação do Ministério das Comunicaçõesuma rede social a recriação do Ministério das Comunicações. ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8618004/ O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (10) em uma rede social a recriação do Ministério das Comunicações.   Pouco depois do anúncio, o "Diário Oficial da União" publicou a nomeação do deputado Fábio Faria (PSD-RN) como ministro. O secretário-executivo da pasta será Fábio Wajngarten, atual secretário de Comunicação Social do governo. A pasta da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações foi desmembrada em duas: Ministério das Comunicações e Ministério da Ciência e Tecnologia, chefiado por Marcos Pontes. "Nesta data, via MP, fica recriado o Ministério das Comunicações a partir do desmembramento do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Para a pasta foi nomeado como titular o Deputado Fabio Faria/RN", publicou Bolsonaro na internet. Cerca de uma hora depois, ao chegar ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que houve "aceitação excepcional" sobre a decisão. O presidente também negou ter negociado a indicação de Fábio Faria com o Centrão, afirmando que não se lembra qual o partido do deputado (leia detalhes sobre o tema mais abaixo). "Vamos ter alguém que não é um profissional do setor, mas tem conhecimento até pela vida que tem junto à família do Silvio Santos", acrescentou o presidente. "É uma pessoa que sabe se relacionar e vai dar conta do recado", completou. Cris Lôbo: ‘Recriação do ministério é reivindicação do conjunto do centrão’ Assista o comentário  https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/cris-lobo-recriacao-do-ministerio-e-reivindicacao-do-conjunto-do-centrao-8617965.ghtml Despesas Segundo a Secretaria-Geral da Presidência, a recriação do ministério não representará aumento de despesa, uma vez que, segundo a pasta, o novo ministério utilizará "apenas cargos de estruturas já existentes". Ainda de acordo com a Secretaria-Geral, a Secretaria Especial de Comunicação Social, atualmente vinculada à Secretaria de Governo, será extinta, e as competências da secretaria, incorporadas ao novo ministério. O Ministério das Comunicações existiu até maio de 2016. Na ocasião, o então presidente, Michel Temer, que assumiu o cargo com o afastamento de Dilma Rousseff, unificou o Ministério das Comunicações e o Ministério da Ciência e Tecnologia. Temer nomeou à época como ministro Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo e presidente do PSD, partido de Fábio Faria.       Camarotti: ‘A gente já falava que o centrão iria ocupar o primeiro escalão do governo’ Assista o comentário https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/camarotti-a-gente-ja-falava-que-o-centrao-iria-ocupar-o-primeiro-escalao-do-governo-8617967.ghtml   Número de ministérios Na campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro disse que, se eleito, o governo teria "no máximo" 15 ministérios. Quando tomou posse, em 1º de janeiro de 2019, o presidente deu posse a 22 ministros. Com a recriação da pasta das Comunicações, serão 23 ministérios. Nesta quarta, o presidente declarou: "Algumas coisas nós exageramos, né, até era a questão dos ministérios. Num país continental como esse, a gente queria 15 ministérios, montamos um número, depois chegou a 22. E o ministério em si não tem muita despesa a mais sendo criado ou não mais um ministério, não é por aí". Na semana passada, Bolsonaro afirmou que também "existe a possibilidade" de ele recriar o Ministério da Segurança Pública, extinto no início do governo. Mais cedo, nesta quarta-feira, porém, o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, afirmou que, para ele, não é o momento de a pasta ser recriada.   Deputado Fábio Faria (PSD-RN) — Foto: Canindé Soares Centrão Fábio Faria está no quarto mandato de deputado federal e é filiado ao PSD, partido que integra o Centrão. Conforme o site de Fábio Faria, ele é formado em administração de empresas, pela Universidade Potiguar (UnP). O deputado é genro do empresário e apresentador Silvio Santos. A escolha de Bolsonaro pelo deputado ocorre em meio à aproximação do presidente com o Centrão, em troca de apoio político.   Nas últimas semanas, o Centrão também emplacou integrantes em outros cargos no governo. A diretoria do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), por exemplo, que conta com R$ 50 bilhões, ficou com o PL. O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas, cujo orçamento é de R$ 1 bilhão, ficou com uma indicação do Progressistas. Bolsonaro sempre criticou o que chama de "velha política" e sempre afirmou que formaria um "ministério técnico", isto é, segundo ele, live de indicações políticas.   Natuza: ‘Fábio Faria no ministério é visto como um bom movimento político de Bolsonaro’ Assista o comentário https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/natuza-fabio-faria-no-ministerio-e-visto-como-um-bom-movimento-politico-de-bolsonaro-8617968.ghtml Investigações Fabio Faria e o pai, Robinson Faria, foram delatados por Ricardo Saud, da JBS. Segundo o delator, os dois teriam recebido R$ 10 milhões para que privatizassem a Companhia de Água e Esgoto do Rio Grande do Norte e favorecessem a empresa na disputa. Um inquérito chegou a ser aberto no Surepmo Tribunal Federal (STF), mas a Procuradoria Geral da República (PGR) entendeu que não houve contrapartida e que não havia provas suficientes contra Fabio Faria. Diante disso, a PGR pediu o arquivamento do caso. O processo relativo a Robinson Faria foi encaminhado para o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE/RN). A PGR, posteriormente, pediu o desarquivamento do caso e a volta da investigação. Mas Faria alegou que as provas foram consideradas ilegais. A PGR aceitou o argumento e desistiu do desarquivamento, devolvendo o caso à Justiça Eleitoral do Rio Grande do Norte.   Fábio Faria também foi delatado por ex-executivos da Odebrecht por suposto recebimento de caixa 2, mas o inquérito foi arquivado porque a PGR entendeu não haver provas suficientes. Fabio Faria e o pai sempre negam irregularidades. DESTAQUE 2 Shoppings do Rio reabrem nesta quinta-feira com protocolos de segurança e restrições; veja lista Estabelecimentos retomam as atividades a partir de 12h.   rça-feira, 17 de março/ 17h: Shopping Leblon com corredores vazios antes da decisão de fechamento total dos estabelecimentos na quarta-feira — Foto: Marcos Serra Lima/ G1Após o prefeito do Rio anunciar que shoppings poderiam abrir nesta quinta-feira (11), empreendimentos garantiram a reabertura com protocolos de segurança e horário de funcionamento reduzido. Shoppings das zonas Sul, Oeste e Norte já vão reabrir nesta quinta-feira (11), na véspera do Dia dos Namorados (confira restrições e estabelecimentos que já confirmaram ao G1 que vão retomar as atividades no fim da reportagem). Desinfectação nas áreas comuns, manutenção da abertura das portas automáticas para renovar o ar, tapetes higienizadores e reforço na limpeza do filtro do ar-condicionado são algumas das medidas preventivas adotadas pelos estabelecimentos. A prefeitura anunciou, em 1º de junho, uma reabertura gradual da cidade e o retorno dos shoppings foi inserido na fase 2, mas o prefeito decidiu antecipar a abertura. Um decreto do estado do Rio publicado neste sábado (6) recomendou que os estabelecimentos fossem reabertos. Reabertura Quinta-feira (11) Shopping Metropolitano Barra, na Barra da Tijuca Shopping Nova América, em Del Castilho Shopping Boulevard, em Vila Isabel Botafogo Praia Shopping, em Botafogo Madureira Shopping, em Madureira Rio Design Barra, na Barra da Tijuca Shopping Leblon, no Leblon NorteShopping, no Cachambi Shopping Tijuca, na Tijuca Bangu Shopping, em Bangu Carioca Shopping, na Vila da Penha Passeio Shopping, em Campo Grande Via Parque Shopping, na Barra da Tijuca Recreio Shopping, no Recreio Santa Cruz Shopping, em Santa Cruz Terça-feira (16) Shopping Rio Sul, em Botafogo Restrições Estacionamentos com um terço da capacidade; Praças de alimentação fechadas para consumo no local; Restaurantes só podem funcionar por serviços de delivery, take away e drive thru; Áreas de lazer, festa e games fechadas; Medição de temperatura na entrada dos estabelecimentos; Distanciamento de 2 metros entre as pessoas; Horário de atendimento de 12h às 20h nas lojas. Além disso, os shoppings devem seguir medidas de precauções definidas pela prefeitura, chamadas de “regras de ouro”. Regras de Ouro da Prefeitura do Rio para a reabertura da cidade — Foto: Infografia: Fernanda Garrafiel/G1 DESTAQUE 3 Brasil tem 1.300 mortes por coronavírus em 24 horas, revela consórcio de veículos de imprensa; são 39.797 no total   Levantamento feito por jornalistas de G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de Saúde mostra ainda que houve 33.100 novos casos de Covid-19 em um dia; são 775.184 no total.   O Brasil teve 1.300 novas mortes registradas em razão do novo coronavírus nas últimas 24 horas, aponta levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde. Com isso, são 39.797 óbitos pela Covid-19 no país até esta quarta-feira (10). Veja os dados, consolidados às 20h: 39.797 mortes ; eram 38.497 até as 20h de terça-feira (9), uma diferença de 1.300 óbitos 775.184 casos confirmados; eram 742.084 até a noite de terça Os dados foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. O objetivo é que os brasileiros possam saber como está a evolução e o total de óbitos provocados pela Covid-19, além dos números consolidados de casos testados e com resultado positivo para o novo coronavírus. http Mortes por coronavírus no acumulado e por dia no Brasil, até 10 de junho — Foto: Editoria de Arte/G1     EXCLUSIVO G1: Veja taxa de ocupação nas UTIs, número de testes e pacientes recuperados da Covid-19 nos estados Parceria A parceria entre os veículos de comunicação foi feita em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de Covid-19. Personalidades do mundo político e jurídico, juntamente com entidades representativas de profissionais e da imprensa, elogiaram a iniciativa. Mudanças feitas pelo Ministério da Saúde na publicação de seu balanço da pandemia reduziram por alguns dias a quantidade e a qualidade dos dados. Primeiro, o horário de divulgação, que era às 17h na gestão do ministro Luiz Henrique Mandetta (até 17 de abril), passou para as 19h e depois para as 22h. Isso dificultou ou inviabilizou a publicação dos dados em telejornais e veículos impressos. “Acabou matéria no Jornal Nacional”, disse o presidente Jair Bolsonaro, em tom de deboche, ao comentar a mudança. A segunda alteração foi de caráter qualitativo. O portal no qual o ministério divulga o número de mortos e contaminados foi retirado do ar na noite da última quinta-feira (4). Quando retornou, depois de mais de 19 horas, passou a apresentar apenas informações sobre os casos “novos”, ou seja, registrados no próprio dia. Desapareceram os números consolidados e o histórico da doença desde seu começo. Também foram eliminados do site os links para downloads de dados em formato de tabela, essenciais para análises de pesquisadores e jornalistas, e que alimentavam outras iniciativas de divulgação. Entre os itens que deixaram de ser publicados estão: curva de casos novos por data de notificação e por semana epidemiológica; casos acumulados por data de notificação e por semana epidemiológica; mortes por data de notificação e por semana epidemiológica; e óbitos acumulados por data de notificação e por semana epidemiológica. Neste domingo (7), o governo anunciou que voltaria a informar seus balanços sobre a doença. Mas mostrou números conflitantes, divulgados no intervalo de poucas horas. Nesta quarta (10), o Ministério da Saúde divulgou os dados completos, obedecendo a ordem do STF. Segundo a pasta, houve 1.274 novos óbitos e 32.913 novos casos, somando 39.680 mortes e 772.416 casos desde o começo da pandemia – números menores que os apurados pelo consórcio. DESTAQUE 4 Durante pandemia, cresce número de candidatos que passam aceitar contratação como PJ; entenda a diferença em relação à CLT Procura das empresas aumentou quase 40% por candidatos com CNPJ; entenda as diferenças entre os contratos PJ e CLT.       O aumento das incertezas causado pela pandemia do coronavírus está mudando o mercado de trabalho. Levantamento da Revelo, empresa de tecnologia para recursos humanos, mostra que, no fim de março, início da quarentena, houve aumento de 27% entre os candidatos que buscavam vagas no modelo de contratação PJ (pessoa jurídica). No caso das empresas, o número de oportunidades para contratação dentro da modalidade aumentou 36%. A modalidade de contratação de pessoas com CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) é diferente do emprego com carteira assinada porque o profissional PJ não tem direitos trabalhistas como 13º salário, FGTS e seguro-desemprego, já que não tem vínculo formal com a empresa contratante (veja abaixo as diferenças entre os modelos de contratação). O levantamento foi feito entre os mais de 14 mil clientes da empresa e mais de um milhão de candidatos da plataforma entre março e maio deste ano e leva em conta processos de recrutamento e seleção em todo o Brasil. Flexibilidade e negociação Bruna Harumi Ikeda, de 25 anos, decidiu se candidatar a vagas PJ após três empregos com carteira assinada — Foto: Arquivo pessoal A diretora de arte Bruna Harumi Ikeda, de 25 anos, decidiu se candidatar a vagas na modalidade PJ depois de ter trabalhado em três empregos com contrato CLT. Ela está em busca de recolocação desde maio na área de design e marketing e já se candidatou a cerca de 150 vagas, a maior parte delas com a flexibilidade de contrato para um modelo PJ com negociação de salário.   ntre as razões estão o fato de ter mais chances de conseguir recolocação por causa do aumento de vagas no modelo de contratação e flexibilidade de horários. “Houve realmente um aumento das vagas neste modelo, acredito que por conta da instabilidade do cenário econômico neste período de pandemia. Mas o trabalho PJ permite certa flexibilidade em horários e organização de prazos e, em alguns casos, a possibilidade de prestar serviços a mais de uma empresa, possibilitando o aumento do retorno financeiro por conta da menor taxa de pagamento sobre impostos”, afirma. Bruna tem CNPJ aberto há três anos, quando se tornou MEI para fazer trabalhos freelancers de fotografia e design. A designer acha que a flexibilidade e o retorno financeiro maior compensam a perda da maior estabilidade e os benefícios trabalhistas do contrato CLT. “Por já estar acostumada a controlar meus projetos e administrar prazos em minhas experiências CLT, a flexibilidade me permitiria evoluir ainda mais nos estudos e especializações dentro da minha área de atuação, o que me permitiria galgar as posições desejadas em meu plano de carreira”, conta. Para ela, é possível ter um retorno financeiro de aproximadamente 80% a mais do que na modalidade CLT porque a empresa acaba por ter menos gastos com um profissional PJ do que um CLT. “Ainda que prefira uma vaga CLT, por conta da estabilidade e dos benefícios como 13º salário, férias, convênio médico, vale-refeição e vale-transporte, o investimento nos estudos e nos planos de vida pedem um pouco mais de recurso financeiro”, justifica. A pesquisa da Revelo mostra ainda que o nível hierárquico mais buscado está a carreira sênior, ou seja, profissionais com sólida experiência nas descrições de atividades buscadas pelas empresas. De acordo com Lucas Mendes, cofundador da Revelo, o modelo de contratação PJ chega em um momento de incertezas causado pela crise de saúde mundial e é visto como uma alternativa ao tradicional regime CLT, preferido dos candidatos.   Esse movimento de empresas e candidatos é uma tentativa de se adaptar à crise que estamos enfrentando. É uma maneira de flexibilizar a contratação em vez de cancelar ou congelar a vaga. Os candidatos também entendem que para seguir com a busca de uma nova oportunidade é necessário pensar em novos modelos de contratação. Quando houver uma retomada econômica significativa, o modelo CLT poderá voltar com força", afirma Mendes. Diferenças entre PJ e CLT Quem trabalha dentro do regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) tem carteira assinada, com direito a férias remuneradas, 13º salário, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), entre outros benefícios trabalhistas. No entanto, há empresas que optam por contratar profissionais que são pessoas jurídicas, com CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica). Esses profissionais contratados como PJ têm uma empresa aberta em seu nome e se tornam prestadores de serviços para a empresa contratante, emitindo notas fiscais. Eles não têm nenhum direito trabalhista previsto na CLT, porque não se trata de uma relação de emprego. Dentro dessa modalidade de profissionais com CNPJ entram por exemplo os microempreendedores individuais (MEIs) e os microempresários (MEs). A diferença entre os dois tipos está no faturamento anual, nas atividades e número de funcionários permitidos e no regime de tributação. De acordo com o advogado trabalhista Eduardo Pragmácio Filho, quando se contrata a prestação pessoal de um serviço, com habitualidade, salário e sob ordens, há o vínculo de emprego, conforme o artigo 3º da CLT. Nessas circunstâncias, o empregador, que é o tomador dos serviços, possui algumas obrigações e encargos trabalhistas e previdenciários, como recolher FGTS e o INSS patronal, pagar férias e 13º, assinar a carteira de trabalho, entre outros. “Para fugir desses encargos trabalhistas e previdenciários, as empresas optam por contratar essas pessoas mediante a emissão de notas fiscais emitidas pelos prestadores de serviços, em um fenômeno popularmente conhecido como pejotização, em referência às iniciais de pessoa jurídica (PJ)”, explica.   ragmácio destaca que o trabalhador que recebe salário em sua pessoa física (CPF), registrado em carteira, paga imposto de renda com alíquotas de até 27,5%, enquanto como PJ pode pagar menos tributo. “Essa modalidade de contratação, no entanto, é arriscada para as empresas, podendo gerar passivos trabalhistas e previdenciários enormes, além de levar à fiscalização da inspeção do trabalho e investigação do Ministério Público do Trabalho, podendo gerar multas e risco em sua reputação”, alerta. Esses problemas aos quais se refere o advogado ocorrem quando o profissional com CNPJ exerce o mesmo papel do empregado celetista, pois nesse caso fica caracterizado o vínculo empregatício. O advogado trabalhista Danilo Pieri Pereira explica que todo trabalho prestado pessoalmente, de forma habitual, remunerada e mediante subordinação a um empregador resulta em vínculo de emprego. Em caso de processo judicial, é possível que o profissional obtenha êxito no reconhecimento da relação empregatícia, tendo direito ao que os demais trabalhadores com carteira assinada recebem, como férias remuneradas, 13º salário e FGTS. Veja abaixo o que caracteriza o vínculo de emprego: Elementos típicos da relação de emprego: Subordinação Remuneração Pessoalidade Habitualidade Exemplos de situações que caracterizam o vínculo: Tem que responder a um chefe Recebe remuneração de forma periódica Realiza tarefas pré-estabelecidas Cumpre horário pré-determinado Presta serviço apenas para uma empresa A advogada trabalhista Bianca Canzi alerta que, para entrar com ação trabalhista, o profissional deve comprovar o vínculo empregatício. Entretanto, Pereira vê o trabalhador com CNPJ como uma alternativa em momentos de crise econômica como a gerada pela pandemia. “Sempre que a pessoa desejar empreender, não estar presa a uma prestação de serviços subordinada e tiver a intenção de ingressar no mercado de trabalho prestando serviços de forma autônoma, pode ser interessante a abertura de empresa e registro do respectivo CNPJ”, diz.   Mas não se pode confundir com empregado o pequeno empreendedor, formalizado como pessoa jurídica, que presta serviços com autonomia para um ou mais tomadores de serviços. São vários exemplos, como o parceiro em salão de beleza, o representante comercial autônomo, o transportador autônomo de cargas, microfranqueado e tantos outros”, ressalta Pragmácio. Direitos do PJ O MEI e o ME têm direito a aposentadoria por invalidez ou idade com tempo de contribuição, além de auxílio-doença e salário-maternidade. Para o MEI, a contribuição mensal equivale a 5% do salário mínimo, acrescida do ICMS ou ISS. Já para o microempresário, a contribuição varia de 11% a 20% do salário mínimo. Já o seguro-desemprego é pago a quem tem carteira assinada e que foi demitido sem justa causa. E, se o trabalhador tiver CNPJ aberto no momento da demissão, terá o benefício negado. Segundo Pereira, como apenas pessoas físicas (com CPF) podem deter a condição de empregados, é juridicamente impossível o pagamento do benefício a pessoas jurídicas (com CNPJ). “Para a ótica da Receita Federal, o registro de MEI possibilita ao profissional receber renda justamente através de sua microempresa”, diz. “O seguro-desemprego é destinado a pessoas que não tenham outra fonte de renda, assim, o registro na Receita Federal se torna o sinônimo de faturamento”, enfatiza Bianca Canzi. A advogada ressalta, entretanto, que o MEI pode ter direito ao seguro-desemprego caso não tenha renda mensal igual ou superior a um salário mínimo. “Porém, essa regra não tem sido respeitada. O sistema tem negado o benefício do seguro-desemprego para microempreendedores individuais, independente da renda mensal. Neste caso, o MEI deve tentar resolver de forma administrativa, comprovando que não possui nenhum outro tipo de renda ou que o faturamento não é suficiente. Caso não resolva, deverá procurar um advogado para ingressar na Justiça”.    comprovação da renda pode ser feita através de extrato bancário ou pela declaração de Imposto de Renda. Quem tem CNPJ pode ter carteira assinada De acordo com Eduardo Pragmácio Filho, quem tem um CNPJ pode trabalhar como empregado com carteira assinada. Ele cita como exemplos um médico empregado de um hospital e que é sócio de uma clínica, ou um advogado sócio de um escritório e empregado de uma universidade. “Uma coisa não exclui a outra. O que seria muito estranho, no entanto, é a pessoa ser empregada de uma empresa e, ao mesmo tempo, ser prestadora de serviços via PJ para essa mesma empresa, o que poderia levantar suspeita de pagamento de parte do salário via nota fiscal. Se uma pessoa tem uma empresa aberta (CNPJ) terá sempre a obrigação contábil de mantê-la em dia com as declarações ao Fisco”, explica. Entretanto, os microempreendedores individuais (MEIs) só podem ter emprego formal se as atividades exercidas nas duas modalidades não forem compatíveis. Pragmácio cita o exemplo de um auxiliar de serviços gerais empregado de uma empresa que, aos fins de semana, trabalha vendendo sanduíche na praia como empreendedor autônomo. "A atividade do MEI não pode gerar uma espécie de concorrência com o empregador, o que pode levar até a uma demissão por justa causa, por concorrência desleal. Ou seja, ser MEI numa atividade diretamente concorrente ao da empresa em que trabalha", esclarece. Segundo ele, é comum a pessoa abandonar seu CNPJ após conseguir emprego com carteira assinada e depois ter de pagar tributos atrasados, multas por falta de declarações, além de o fato de estar com o registro aberto impedir o recebimento do seguro-desemprego.  Pedidos de seguro-desemprego disparam na primeira quinzena de maio   assista ao vídeo https://globoplay.globo.com/v/8602991/  

Quarta-feira, 10 de junho - RESUMO das notícias que foram destaques

  Boa noite! Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado.  o Pará, Helder Barbalho é alvo da PF. No Rio, foi aberto o processo de impeachment de Witzel. Em SP, Doria relaxa a quarentena na Grande SP e endurece em 3 regiões do estado. Na capital, reabertura do comércio provocou aglomerações. Com 1.300 mortes em 24 horas, Brasil chega perto das 40 mil vítimas do coronavírus. Mulher cobra Bolsonaro sobre mortos por Covid e presidente responde: 'Sai daqui'. E Fachin vota pela validade do inquérito das fake news.   Helder Barbalho alvo da PF O governador do Pará, Helder Barbalho, foi alvo de operação da Polícia Federal que apura supostas fraudes na compra de respiradores pulmonares para tratamento de Covid-19. Foram 23 mandados de busca e apreensão no Pará e em mais cinco estados (RJ, MG, SP, SC, ES) e no Distrito Federal. Segundo as investigações, a compra custou R$ 50,4 milhões ao governo paraense, com pagamento antecipado de R$ 25,2 milhões por equipamentos 'imprestáveis para uso'. O presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), Alberto Beltrame, também foi alvo de buscas. Barbalho, Beltrame e empresários tiveram bens bloqueados. Barbalho é o 2º governador alvo da PF em investigação sobre combate ao coronavírus; relembre Natuza Nery: 'É preciso cuidado para nem passar o pano, nem se precipitar' De acordo com a Procuradoria-Geral da República, as irregularidades na compra de respiradores 'passam claramente pelo crivo' de Helder Barbalho. O governador nega as acusações e diz que agiu 'a tempo de evitar danos ao erário público'. Em entrevista à GloboNews, disse que é de seu interesse resolver essa questão.   Quase 40 mil mortes Enquanto as polêmicas na política acontecem, o novo coronavírus segue avançando no Brasil. O país registrou mais 1.300 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa. São 39.797 no total, e 775.184 casos confirmados da doença. Balanço do Ministério da Saúde indica 1.274 novas vítimas em 24 horas  Bolsonaro é cobrado por ex-apoiadora e reage: 'Cobre do seu governador. Sai daqui' Mulher cobra Bolsonaro sobre mortos por Covid e presidente responde: 'Sai daqui' Veja ocupação nas UTIs, testes feitos e pacientes recuperados em cada estado Contágios desaceleram nas capitais e avançam no interior, diz estudo 3 fatores que mostram por que país não atingiu pico da pandemia   Quarentena em SP O governo de SP prorrogou a quarentena até 28 de junho e atualizou as flexibilizações em algumas cidades. Barretos, Presidente Prudente e Ribeirão Preto recuam na abertura do comércio (clique aqui para ver detalhes). Já a Grande São Paulo, litoral e Registro terão menos restrições a partir do dia 15. O estado registrou 340 mortes nas últimas 24 horas, o maior número em um dia desde o início da pandemia. Movimentação na região central de São Paulo (SP), nesta quarta-feira (10), no primeiro dia de reabertura do comércio de rua — Foto: Nelson Almeida/AFP Comércio de rua da capital paulista reabre com filas nas lojas; veja fotos   Relaxamento no Rio Os shoppings da cidade do Rio poderão abrir amanhã, véspera do Dia dos Namorados, anunciou o prefeito Marcelo Crivella. Os estabelecimentos terão restrições como estacionamentos com um terço da capacidade e praças de alimentação fechadas. Estado do RJ passa de 7 mil mortes e 74 mil casos confirmados de Covid-19   Impeachment de Witzel A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro autorizou o processo de impeachment contra o governador Wilson Witzel (PSC) nesta quinta-feira. O pleito foi unânime. Em nota, Witzel disse que recebeu a notícia com 'espírito democrático e resiliência', e que vai provar sua inocência. A decisão da Alerj não afasta o governador do cargo. Veja os próximos passos.   Sem consulta O presidente Jair Bolsonaro editou Medida Provisória que permite que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, escolha reitores temporários de universidades federais durante a pandemia. O texto, que exclui a necessidade de consulta a professores e estudantes ou a formação de uma lista para escolha dos reitores, ainda precisa ser aprovado pelo Congresso — a Comissão da Câmara pediu que o Congresso devolva a MP. A medida pode atingir 19 instituições de ensino, que têm dirigentes com mandatos que vencem neste ano. Para a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior, a MP 'atenta de forma absurda contra a democracia'.   Caso Marielle Foi preso nesta quarta, no Rio, o sargento do Corpo de Bombeiros Maxwell Corrêa, suspeito de ajudar a jogar no mar as armas usadas no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Segundo o Ministério Público do Rio e a Polícia Civil, Suel é braço-direito de Ronnie Lessa, apontado como autor dos disparos no atentado. Ele foi detido em casa, uma mansão avaliada em R$ 1,9 milhão, onde também foi apreendido um carro de R$ 170 mil. Como sargento, Suel recebia salário de R$ 4,8 mil. Ele será investigado por lavagem de dinheiro.  65 prisões em 2 anos, mas crime ainda não foi esclarecido Veja a cronologia do atentado e da investigação   Inquérito das fake news O ministro Edson Fachin votou a favor da validade do 'inquérito das fake news', que investiga ameaças a ministros no Supremo Tribunal Federal e a disseminação de conteúdo falso na internet. Fachin defendeu que são 'inadmissíveis' as defesas da ditadura, do fechamento do Congresso e do Supremo. 'Não há liberdade de expressão que ampare a defesa desses atos', afimrou. Após o voto de Fachin, que é relator do caso, o julgamento desta quarta foi suspenso e será retomado no dia 17. Enem A enquete com os inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio para a definição da nova data da avaliação será feita entre os dias 20 e 30 de junho. São três datas possíveis: dezembro deste ano, janeiro ou maio de 2021. A votação será feita através da Página do Participante.   Irmã de Aécio indiciada A Polícia Federal concluiu o inquérito da Operação Escobar e indiciou Andrea Neves, irmã do deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG), por obstrução de Justiça. Segundo as investigações, Andrea se aproveitava de informações para impedir ou embaraçar investigações de organizações criminosas. A defesa vê o indiciamento com 'perplexidade'. Cabe ao Ministério Público definir se abre ou não denúncia contra ela.   Colombo degolado Duas estátuas de Cristovão Colombo foram alvo de depredação nos EUA, nas cidades de Boston e Richmond. Parte dos protestos dos últimos dias, que começaram após a morte de George Floyd, tem tido como alvo monumentos que simbolizam o passado imperialista do país e figuras ligadas à escravidão e à Guerra Civil. Banksy propõe nova versão de estátua derrubada na Inglaterra 'E o Vento Levou' é retirado de plataforma de streaming após protestos contra racismo Dicionário de referência nos EUA vai modificar sua definição de racismo    Tem 5 minutos? O Brasil caiu 10 posições no Índice Global da Paz, e agora ocupa a 126ª colocação no ranking que mede a paz em 163 países — é a pior posição entre as nações da América do Sul. O índice analise fatores como economia, estabilidade política, combate à corrupção e criminalidade urbana. Islândia é o país mais bem colocado. Confira a lista.   Efeitos da pandemia 7,4% é quanto deve ser a queda do PIB no Brasil em 2020, segundo projeções da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. A OCDE ainda afirma que, caso haja uma segunda onda de contágio pelo novo coronavírus no país, a retração pode chegar a 9,1%. A previsão é de uma recessão mundial de pelo menos 6% este ano. Miriam Leitão: 'Proteger vida é também proteger a economia' Brasil tem deflação de 0,38% em maio, menor índice em 22 anos 10 milhões de trabalhadores já tiveram redução de salário ou contrato suspenso   Influencers do sexo Já mandou seu nude hoje? É o que muitos brasileiros têm feito nesta quarentena. E mais: ganham por isso. Na rede social OnlyFans, o dono do perfil pode cobrar pelo acesso aos posts. Funciona para qualquer conteúdo, de músicas a aulas, mas basta entrar e ver que a maioria está ali para vender nudes. A busca na internet por 'OnlyFans' no Brasil dobrou de março — quando começou o período de isolamento social — a junho, e já há cinco mil perfis brasileiros ativos.

ARTIGO - DA PROPAGANDA ELEITORAL ANTES DAS CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS

ARTIGO - DA PROPAGANDA ELEITORAL ANTES DAS CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS. Dr.César Rômulo Rodrigues de Assis - Vice-presidente Jurídico da ABRACAM  Autorizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral a realização das Convenções Partidárias de maneira virtual (via internet) a partir do dia 20 de julho até o dia 05 de agosto do corrente ano, devem os pré-candidatos ficar atentos à possibilidade da realização de propaganda eleitoral visando a escolha do seu nome como candidato pelos convencionais, a fim de aumentarem as suas possibilidades de serem escolhidos pelos partidos para disputarem as eleições municipais. A legislação eleitoral vigente, trata da matéria da forma seguinte: A propaganda eleitoral é permitida a partir de 16 de agosto do ano da eleição (Lei nº 9.504/1997, art. 36). Ao postulante a candidatura a cargo eletivo é permitida a realização, durante as prévias e na quinzena anterior à escolha em convenção, de propaganda intrapartidária com vista à indicação de seu nome, inclusive mediante a afixação de faixas e cartazes em local próximo ao da convenção, com mensagem aos convencionais, vedado o uso de rádio, de televisão e de outdoor (Lei nº 9.504/1997, art. 36, § 1º). A propaganda deverá ser destinada exclusivamente aos convencionais, e imediatamente retirada após a respectiva convenção. Não será permitido qualquer tipo de propaganda política paga na rádio e na televisão (Lei nº 9.504/1997, art. 36, § 2º). A violação destas normas, sujeitará o responsável pela divulgação da propaganda e o beneficiário, quando comprovado o seu prévio conhecimento, à multa no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) a R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) ou equivalente ao custo da propaganda, se este for maior (Lei nº 9.504/1997, art. 36, § 3º) . Assim sendo, a serem realizadas as convenções partidárias pelos meios virtuais, ao nosso entender, podem os pré–candidatos comunicarem-se com os filiados dos partidos e os convencionais, por meio da internet ,usando o whatsapp , mensseger, twiter , e outros aplicativos de mensagens para em contato com os filiados nos quinze dias anteriores a data marcada para a realização da convenção, divulgarem suas propostas, visando a sua escolha como candidatos para as próximas eleições municipais.

10 de junho, quarta-feira - DESTAQUES DO DIA que a ABRACAM mostra para você

  Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.  Ritmo de contágio desacelera nas capitais e avança no interior. É o que mostra levantamento com cidades onde há mais mortos por Covid-19 no Brasil. Em SP, um dia após recorde de mortes no estado, o comércio reabre na capital com horário reduzido. Brasil cai 10 posições em ranking sobre paz, e relatório diz que pandemia deve agravar violência no mundo. No Rio, um bombeiro suspeito de envolvimento no caso Marielle foi preso. No podcast O Assunto, a epidemia que a ditadura escondeu. O Senado vota MP que libera suspensão de contratos e redução de salários. O STF analisa ação que questiona o inquérito das fake news. E a exoneração de Regina Duarte. Ritmo de contágio Agentes de saúde testam morador de comunidade ribeirinha Roli Madeira, no Pará, para coronavírus — Foto: Tarso Sarraf / AFP Photo O ritmo de contágio do novo coronavírus desacelerou em capitais e aumentou no interior do país entre o fim de maio e o começo de julho, aponta levantamento da plataforma Farol Covid, que analisou a situação das 124 cidades mais afetadas pela pandemia. Juntas, elas somavam 29.122 mortes na segunda-feira (8), o que representa 80% do acumulado no Brasil. O levantamento obtido com exclusividade pelo G1 detalha a situação nas 10 com maior e nas 10 com menor ritmo de contagio. Ele aponta que sete das dez cidades com maior ritmo de contágio estão no Pará. Também simbolizado por Rt, o "ritmo de contágio" é um número que traduz o potencial de propagação de um vírus: quando ele é superior a 1, cada infectado transmite a doença para mais de uma pessoa e a doença avança. Mais de 38 mil mortos  Consórcio da imprensa contabiliza 1.185 novos óbitos por Covid-19 no Brasil ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8614835/   Brasil tem 38.497 mortes por coronavírus, revela consórcio de veículos de imprensa. São 1.185 nas últimas 24 horas. Levantamento feito por jornalistas de G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de Saúde mostra ainda que houve 31.197 novos casos de Covid-19 em um dia; são 742.084 no total. Apenas Mato Grosso não divulgou os dados a tempo de entrar no balanço. Reabertura em São Paulo Comércio de rua reabre nesta quarta-feira (10) na capital ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8614507/ A Prefeitura de São Paulo autorizou a reabertura das lojas de rua e das imobiliárias da capital paulista a partir desta quarta-feira. Os estabelecimentos terão horário de funcionamento reduzido e regras de higiene. Segundo o prefeito Bruno Covas (PSDB), o acordo com os representantes dos shoppings centers deve ser assinado hoje, para que os estabelecimentos voltem a funcionar amanhã, véspera do dia dos namorados. Para dar conta da demanda de movimentação de passageiros na cidade neste primeiro dia de reabertura do comércio, a SPTrans prometeu colocar nas ruas 92% da frota de ônibus da cidade em operação, com 11.800 coletivos circulando pela capital. Governo de SP diz que testes de anticorpos já correspondem a 15% das confirmações de casos de coronavírus no estado Reabertura no Rio de Janeiro Mudanças nas regras de isolamento confundem os cariocas ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8614486/ Decretos e vaivém de decisões judiciais sobre flexibilização confundem cariocas. Veja o que está valendo. Empresários sugerem mais diálogo entre autoridades públicas, após decisões divergentes do poder público municipal e estadual. Alto risco Pessoas andando pelas ruas da Áustria: formas de relaxamento da quarentena são temas de debate mundial — Foto: Leonhard Foeger / Reuters  Um estudo matemático realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford e do Centro Britânico de Hidrologia e Ecologia de Wellingford, ambos do Reino Unido, e publicado na revista científica "Frontiers in Public Health", diz que a forma ideal de finalizar um período de quarentena não é liberando 100% da população de uma vez do isolamento. A pesquisa foi divulgada como "provisoriamente aceita", o que signific que já passou por revisão e aprovação de outros cientistas, mas ainda pode sofrer pequenas alterações para ganhar uma versão final. Isto é: fim de quarentena para toda a população de uma vez tem alto risco. Prisão de suspeito de ligação com o caso Marielle A Polícia Civil e o Ministério Público do RJ iniciaram nesta quarta-feira (10) uma operação contra suspeitos de ligação com o PM reformado Ronnie Lessa. Lessa é apontado como o autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes. O alvo, já preso, é o sargento do Corpo de Bombeiros Maxwell Simões Corrêa, de 44 anos, conhecido como Suel, que foi detido no início da manhã em casa, em um condomínio de luxo no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. Na porta da mansão, uma BMW X6 avaliada em R$ 170 mil. Maxwell Corrêa, o Suel, sargento do Corpo de Bombeiros do RJ e amigo do policial reformado Ronnie Lessa — Foto: Reprodução   Regina Duarte Regina Duarte — Foto: Isac Nóbrega / PR A atriz Regina Duarte foi exonerada do cargo de secretaria especial de Cultura. A exoneração foi publicada em edição desta quarta-feira (10) do "Diário Oficial da União". Ranking da paz Manifestantes queimam pneus em uma barricada enquanto protestam para solicitar alimentos do governo durante quarentena geral em meio à disseminação da doença por coronavírus (Covid-19) no bairro 'Puente Alto' em Santiago, no Chile, nesta segunda (25) — Foto: Ivan Alvarado / Reuters O mundo ficou menos pacífico neste ano, aponta o relatório Índice Global da Paz 2020. A situação é ainda pior no Brasil, que caiu 10 posições e agora aparece na 126ª colocação no ranking que mede a paz em 163 países. De acordo com o relatório, o mundo manteve a tendência de aumento nas tensões causadas por crises políticas e econômicas em quase todos os continentes. Além disso, há a preocupação de que a situação da paz no mundo se deteriore ainda mais no próximo ano devido aos efeitos da pandemia do novo coronavírus. Meningite: a epidemia que a ditadura esqueceu Vacinação contra meningite durante a epidemia da década de 1970 — Foto: Reprodução / TV Globo Escolas vazias, hospitais lotados, um governo que sonega informações... O Brasil da meningite tem algumas semelhanças com o da Covid-19. Na década de 1970 o país viveu sua pior epidemia letal da doença, que matou 13% dos infectados só na cidade de São Paulo. Para mostrar o subdimensionamento da crise praticado pelo governo militar, Renata Lo Prete fala com Carlos Fidelis Ponte, pesquisador do Observatório História e Saúde da Fiocruz. Ele explica como isso atrapalhou o enfrentamento do problema e aumentou a letalidade. Participa também a jornalista Eliane Cantanhêde, que conta o episódio da censura a uma entrevista reveladora feita por ela com o então ministro da Saúde. Ouça:   Suspensão de contratos e redução de salários   Senado vota amanhã (10/06) MP que suspende contratos de trabalho e reduz jornada ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8614960/ O Senado deve votar hoje a Medida Provisória que permite a suspensão de contratos de trabalho e a redução temporária de salários durante a pandemia. A medida está valendo desde abril e, de acordo com o Ministério da Economia, ajudou a manter mais de dez milhões de empregos - a maioria no setor de serviços e no comércio, que precisaram fechar as portas para garantir o distanciamento social. O texto que está em vigor permite que as empresas reduzam a jornada de trabalho e o salário dos funcionários por até três meses. Ou que suspendam o contrato de trabalho por até dois meses. Em contrapartida, os patrões não podem demitir esses funcionários pelo dobro do período acordado. Ajuda de R$ 600 — Foto: Marcos Santos / USP Imagens  Caixa Econômica Federal (CEF) libera as transferências e os saques em dinheiro da segunda parcela do Auxílio Emergencial depositada em poupanças sociais digitais do banco para os 2,6 milhões de beneficiários nascidos em setembro. Mais de 8 milhões de brasileiros que declararam estar desempregados tiveram auxílio negado Governo fala em prorrogar auxílio; 10 milhões não receberam nem a 1ª parcela Maia sugere cortar salários nos 3 poderes para manter valor em R$ 600 Novos saques do FGTS: veja como consultar o saldo de contas ativas ou inativas Imposto de Renda selo feed Imposto de Renda 2020 — Foto: Arte G1 O prazo para declaração do Imposto de Renda 2020 termina em três semanas - e pouco mais da metade dos contribuintes já enviou o documento à Receita Federal. Para ajudar nessa tarefa, o G1 vai trazer um especialista para responder, em vídeo, às perguntas dos contribuintes. Saiba tudo sobre o IR 2020 Brazil at Silicon Valley   Brazil at Silicon Valley discute nesta quarta como investidores de risco estão reagindo à crise e o que esperar para o futuro. G1 transmite. Hernan Kazah, Mariana Donangelo, Scott Sobel e Renata Quintini vão debater a reação do setor à crise da Covid-19 e o que podemos esperar. Conversa especial com Luciano Huck e Ashton Kutcher encerra o dia. Inquérito das Fake News  Supremo vai julgar ação que questiona investigação sobre fake news em 10 de junho ASSISTA AO VÍDEO https://g1.globo.com/globonews/jornal-globonews-edicao-das-18/video/supremo-vai-julgar-acao-que-questiona-investigacao-sobre-fake-news-em-10-de-junho-8595039.ghtml O Supremo Tribunal Federal (STF) julga hoje uma ação que questiona a validade do inquérito das fake news. A investigação foi aberta em 2019 para apurar ameaças a ministros do tribunal e a disseminação de conteúdo falso na internet. 'Armas biológicas venezuelanas' Migrantes venezuelanos chegam a acampamento perto de terminal de ônibus em Bogotá, na Colômbia, onde outros migrantes esperam conseguir ajuda para voltar para casa, em foto de 8 de junho — Foto: Fernando Vergara / AP Photo O regime comandado por Nicolás Maduro tacha como armas biológicas os refugiados que fugiram da fome e de perseguições e agora querem regressar à Venezuela para escapar da pandemia nos países vizinhos. Em vez de serem acolhidos e repatriados, os migrantes são tratados como potenciais transmissores do novo coronavírus e barrados nas fronteiras. Leia no blog da Sandra Cohen. Reitores das federais O presidente Jair Bolsonaro editou Medida Provisória (MP) que permite ao ministro da Educação, Abraham Weintraub escolher reitores temporários das universidades federais durante o período de pandemia. Texto vale para término de mandato de dirigente durante o período da emergência de saúde pública. MP não se aplica às instituições cujo processo tenha sido concluído antes da suspensão das aulas presenciais. Enem 2020 Enem 2020 será adiado por causa da pandemia no coronavírus — Foto: André Melo Andrade/Myphoto Press/Estadão Conteúdo  oje é o último dia para pagar inscrição do Enem 2020. Mais de 300 mil candidatos não efetuaram o pagamento, e Inep estendeu o prazo. OnlyFans Brasileiros que criaram perfis no OnlyFans (da esquerda): a 'web-striper' Aurora, a youtuber Lu Cremonez, a 'camgirl' Thamires Moura, a atriz e modelo Iara Ferreira e o escritor Fabrício Viana — Foto: Reprodução / Instagram — Foto: Reprodução / Instagram e Arquivo Pessoal OnlyFans: site que permite vender nudes cresce no Brasil e amplia mercado de influencers do sexo. Portal amplia mercado erótico e atrai amadores que querem ir além dos limites do Instagram e 'camgirls' profissionais. Eles dizem que seguidores pagam por intimidade e conexão pessoal. Lives de hoje Jorge e Mateus — Foto: Elias Dantas / Ag. Haack Jorge & Mateus, Luiza Possi, Beto Barbosa e Sepultura recebe Zé Ramalho: os shows para ver em casa. Veja horários. Veículos voadores Conheça os diferentes tipos de motos voadoras — Foto: Wagner Magalhaes / G1  oto voadora ou drone gigante? Conheça projetos de veículos voadores compactos e tripulados. Ao menos dois modelos devem ser lançados ainda em 2020; alguns utilizam hélices, e outros jatos. Em Dubai, vídeo de queda em teste foi divulgado nesta terça (9).  Moto voadora sofre acidente em Dubai Curtas e Rápidas: ‘Live’ nesta quarta faz ‘esquenta’ de encontro de desenhistas paralelo ao Rio Capital Mundial da Arquitetura Aluno de escola pública comove a web ao estudar usando wi-fi de açougue, em Goiás  Com informações do G1

ABRACAM

A Associação Brasileira da Câmaras Municipais, foi fundada em 1999 e há vários anos faz inúmeras ações que buscam dar capacidade e qualificação aos vereadores para que exerçam suas funções da melhor maneira possível.

Contato

Sede Brasília, SAS - Quadra 05 - Lote 05, Bloco F - Sala 08 (Setor de Autarquias Sul) Brasília/DF - CEP: 70070-910
Tel.: (61) 3322-0499 - Cel.: (61) 98111-0460
assessoria@abracambrasil.org.br

Menu