Juntos somos mais fortes

Filie-se agora

Notícias

20 de abril, segunda-feira - A ABRACAM apresenta os destaques da mídia

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.  A semana começa com a tensão entre Bolsonaro e o Congresso. Ontem o presidente discursou durante um ato em Brasília que defendia intervenção militar, o que não está previsto na Constituição, e pedidos de fechamento do Congresso e do STF. Em meio a esse clima, vence hoje o prazo da medida provisória que criou o contrato Verde e Amarelo, projeto do governo que visa estimular a geração de empregos, principalmente entre os jovens. O texto está em vigor, mas precisa ser aprovado pelo Congresso. O Brasil chegou a 2.462 mortes por coronavírus com uma letalidade de 6,4%. A Caixa paga mais um lote do auxílio emergencial de R$ 600. Bolsonaro em ato  Bolsonaro discursa em Brasília para manifestantes que pediam intervenção militar  ASSISTA O VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8493746/ O presidente Jair Bolsonaro discursou ontem durante um ato em Brasília que defendia uma intervenção militar, o que não está previsto na Constituição, e também o fechamento do Congresso e do STF. Dezenas de simpatizantes se aglomeraram para ouvir o presidente, contrariando as orientações de isolamento social da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar a propagação do coronavírus. Durante o discurso, Bolsonaro tossiu algumas vezes, sem usar a parte interna do cotovelo, conforme orientação das autoridades sanitárias. Do alto de uma caminhonete, Bolsonaro disse que ele e seus apoiadores não querem negociar nada e voltou a criticar o que chamou de "velha política". Nós não queremos negociar nada. Nós queremos é ação pelo Brasil. O que tinha de velho ficou para trás. Nós temos um novo Brasil pela frente. Todos, sem exceção, têm que ser patriotas e acreditar e fazer a sua parte para que nós possamos colocar o Brasil no lugar de destaque que ele merece. Acabou a época da patifaria. É agora o povo no poder." Reação  Políticos e entidades criticam discurso de Bolsonaro em ato a favor da intervenção militar Políticos e entidades se posicionaram sobre a participação do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), em um ato em Brasília que defendia medidas ilegais, como a intervenção militar. Ministros do STF, governadores e entidades repudiaram o discurso. Em carta, governadores de 20 estados manisfestam apoio a Maia e Alcolumbre CAMAROTTI: Presença de Bolsonaro em ato contra a democracia causa mal-estar na ala militar do governo ANDRÉIA SADI: Cúpula militar do governo atua para minimizar ida de Bolsonaro a ato e descarta risco à democracia Aras reitera papel da PGR em velar pela ‘ordem jurídica que sustenta o regime democrático’ O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), publicou em uma rede social, mensagem na qual repudia "todo e qualquer ato que defenda a ditadura, atentando contra a Constituição". Maia: 'Temos que lutar contra o corona e contra o vírus do autoritarismo" ASSISTA O VÍDEO https://g1.globo.com/globonews/jornal-globonews/video/maia-temos-que-lutar-contra-o-corona-e-contra-o-virus-do-autoritarismo-8493741.ghtml  Contrato Verde e Amarelo  E em meio a esse clima de tensão entre o presidente e o Congresso, perde validade hoje a medida provisória (MP) que criou o contrato Verde e Amarelo, texto editado pelo governo em novembro do ano passado, com o intuito de reduzir encargos trabalhistas de empresas e, dessa forma, estimular a geração de empregos, principalmente entre os jovens. A medida está em vigor desde a edição pelo Executivo, mas precisa ser aprovada pelo Congresso para se transformar em lei. O prazo para a análise de uma MP pelo Legislativo é de 120 dias. Se o texto não for votado nesta segunda e perder a validade, caberá ao Congresso aprovar um projeto de decreto legislativo para regulamentar o que acontecerá com os contratos firmados durante a vigência da MP. Neste domingo, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), sugeriu ao presidente Jair Bolsonaro que reedite a MP. "Para ajudar as empresas a manter os empregos dos brasileiros, sugiro ao presidente @jairbolsonaro que reedite amanhã (20) a MP 905, do Contrato Verde e Amarelo. Assim, o Congresso Nacional terá mais tempo para aperfeiçoar as regras desse importante programa", escreveu Alcolumbre em uma rede social. Seguro obrigatório A medida provisória (MP) que extinguiria, a partir de 2020, o seguro obrigatório Dpvat e o Dpem perderá a validade nesta segunda-feira (20). Não houve acordo entre os parlamentares para a votação do texto editado pelo governo federal em novembro do ano passado. O Dpvat é pago todos os anos por proprietários de veículos e indeniza vítimas de acidente de trânsito. O Dpem assiste vítimas de danos causados por embarcações. Do total arrecadado com o Dpvat, 45% deve ser destinado para o Ministério da Saúde, para custear o atendimento hospitalar de vítimas; 5% para programas de prevenção de acidentes; e o restante, para indenizações. O texto também foi questionado no Supremo Tribunal Federal pelo partido Rede Sustentabilidade. Em dezembro do ano passado, a Corte suspendeu a medida provisória. Com a suspensão, a cobrança do DPVAT prosseguiu em 2020. Coronavírus O Ministério da Saúde divulgou neste domingo (19) o mais recente balanço dos casos de coronavírus no Brasil. Os principais dados são: 2.462 mortes – no sábado, eram 2.347 (aumento de 4,9%) 38.654 confirmados – no sábado , eram 36.599 (aumento de 5,6%) 6,4% é a taxa de letalidade em 7 dias foram 1.239 mortes a mais (aumento de 101%) São Paulo tem 1.015 mortes e 14.267 casos Os estados com mais mortes confirmadas são: São Paulo - 1.015 Rio de Janeiro - 402 Pernambuco - 216 Ceará - 186 Amazonas - 182 No mundo, a Nova Zelândia mantém restrições mesmo com número baixo de casos, a Alemanha se prepara para reabrir parte do comércio e a Índia registra o pico de casos desde o início da doença. Leia as últimas sobre o coronavírus. Um funcionário da segurança limpa carrinhos de compras na entrada de uma loja de jardinagem em Munique, na Alemanha, nesta segunda-feira (20) — Foto: Matthias Schrader/AP Pesquisa Datafolha Pesquisa realizada pelo instituto Datafolha e divulgada pelo jornal "Folha de S. Paulo" neste domingo (19) mostra que 89% dos entrevistados avaliam que os políticos deveriam deixar para os médicos a avaliação sobre o uso da cloroquina. A pesquisa mostra que 7% consideram melhor os políticos incentivarem o uso da cloroquina e 4% declararam não saber. O levantamento foi feito na sexta-feira (17). Foram ouvidas 1.606 pessoas por telefone em todas as regiões do país. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. Exclusivo Fantástico "É um vírus ruim, perigoso", alerta Nobel de Medicina sobre coronavírus  ASSISTA O VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8493763/ O novo coronavírus é o atual pesadelo da humanidade, mas a nossa história está marcada por outras pandemias que também foram causadas por vírus. O repórter Álvaro Pereira Júnior, do Fantástico, conversou com o Prêmio Nobel de Medicina que desvendou como o nosso organismo reage ao ataque de um vírus. "É um vírus ruim, perigoso", afirmou o Dr. Peter Doherty. Assista acima Auxílio emergencial A Caixa Econômica Federal segue com o calendário de pagamentos do auxílio emergencial de R$ 600. Nesta segunda-feira (20), serão creditados os pagamentos para 6.154.392 pessoas, entre beneficiários do Bolsa Família e inscritos via aplicativo e site, que vão receber por meio de poupança digital da CEF. Até as 21h de sexta-feira, já haviam sido pagos R$ 11,36 bilhões para 16,6 milhões de brasileiros. Violência contra a mulher Levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança 'Pluft, o Fantasminha' se apresenta no Teatro Isabel nos dias 20 e 21 de julho — Foto: Costa Neto/Divulgação Com o fechamento dos teatros na quarentena, cerca de 12 mil profissionais do setor tiveram que parar, só no Rio e em São Paulo. A estimativa da Associação dos Produtores de Teatro (APTR) é que, nas duas capitais, as temporadas de quase 350 peças tenham sido interrompidas pela pandemia do coronavírus. Segundo a entidade, pelo menos 70% desses espetáculos não tinham patrocínio - ou seja, suas rendas dependiam exclusivamente da bilheteria. "Nosso setor vive de aglomeração. A música tem os direitos autorais. O audiovisual ainda pode ser exibido em plataformas de streaming. Já o teatro é feito ao vivo", diz Eduardo Barata, presidente da APTR. Live do Rei Roberto Carlos pede uso de máscaras — Foto: Reprodução/GloboPlay O cantor Roberto Carlos se apresentou ao vivo neste domingo (19), direto de seu estúdio no Rio de Janeiro, para comemorar o aniversário de 79 anos, em show transmitido pelo Globoplay. Entre sucessos como "Emoções", o rei aproveitou para reforçar um pedido durante a pandemia de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus: "Fique em casa". Ele ainda mostrou a máscara que estava usando antes de começar a cantar e ressaltou a importância do uso. "Só tirei porque preciso cantar, cantar de máscara é estranho", justificou. "Quero dizer para vocês que estava usando essa máscara, ela está usada. Vocês têm que usá-la com certeza. Isso é uma defesa muito grande contra tudo isso que está acontecendo neste momento, que eu não gosto nem de falar o nome", disse Roberto. Roberto Carlos comemora aniversário de 79 anos com live  ASSISTA O VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8493771/ Com informações do G1

Dia 19 de abril – Domingo – A ABRACAM apresenta os destaques da mídia

Destaque 1 Bolsonaro tenta isolar Maia e oferece cargos a partidos Desde o mês passado, quando a crise do coronavírus se agravou e a demissão do então ministro da Saúde Sem apoio no Congresso e com a popularidade em queda, o presidente Jair Bolsonaro tenta agora montar uma base de sustentação parlamentar com o antigo Centrão, oferecendo cargos em troca de votos. A estratégia busca rachar o bloco ao isolar o DEM do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), a quem Bolsonaro se refere como um político que age para promover o seu impeachment. Desde o mês passado, quando a crise do coronavírus se agravou e a demissão do então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), entrou no radar, Bolsonaro começou a se reunir com presidentes e líderes de partidos do grupo batizado como "Centrão raiz", entre os quais PP, PL, PSD e Republicanos. Mas não convidou o DEM, que também integra o bloco. Das fileiras do DEM, ele chamou apenas o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (AP), de quem procura se reaproximar. Até agora não conseguiu, tanto que, ainda ontem, Alcolumbre suspendeu a análise da medida provisória (MP) que institui o contrato verde e amarelo, atendendo a pedido da oposição. Com a manobra, a medida enviada pelo governo para flexibilizar direitos trabalhistas vai caducar, uma vez que perde a validade na segunda-feira. Convencido de que Maia quer "enfiar a faca" em seu pescoço para derrubá-lo, Bolsonaro decidiu mudar o modelo de articulação no Congresso e fechar alianças diretamente com deputados e senadores que antes carimbava como representantes da "velha política". O jornal O Estado de S. Paulo apurou que o DEM perderá o comando da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e da Parnaíba (Codevasf), que deve ser entregue ao PP do senador Ciro Nogueira. Além disso, a direção e as superintendências do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), hoje com militares, podem ficar com o PL de Valdemar Costa Neto. Em governos passados, o partido de Valdemar tinha o domínio da área de transportes. Bomba-relógio Na dança das cadeiras, o Banco do Nordeste também terá novos ocupantes. De acordo com líderes de partidos ouvidos sob a condição de anonimato, as negociações envolvem, ainda, prioridade na liberação de emendas parlamentares para o combate à pandemia do coronavírus. Como mostrou o Estado, dos R$ 8 bilhões anunciados por Bolsonaro em março, apenas R$ 119 milhões (1,5%) saíram dos cofres públicos até agora. Na avaliação de Bolsonaro há uma "bomba-relógio" fiscal em curso, armada por Maia, com o objetivo de ferir de morte sua gestão. Diante do que vê como "conspiração", o presidente faz agora de tudo para esvaziar o poder de Maia. O novo capítulo da queda de braço é o programa de socorro a Estados e municípios, aprovado pela Câmara, no valor de R$ 89,6 bilhões. O ministro da Economia, Paulo Guedes - que não fala mais com Maia - chegou a dizer que não se pode dar um "cheque em branco" a governadores de Estados mais ricos. Era uma referência a João Doria (São Paulo) e a Wilson Witzel (Rio), adversários de Bolsonaro e pré-candidatos ao Planalto, em 2022. "Parece que a intenção é me tirar do governo. Quero crer que eu esteja equivocado", disse Bolsonaro, na noite desta quinta-feira, em entrevista à emissora CNN Brasil. "Qual o objetivo do senhor Rodrigo Maia? Ele quer atacar o governo federal, enfiar a faca. (...) Está conduzindo o País para o caos", atacou. Dois dias antes, Maia já havia reclamado dos "coices" dados pelo Planalto. Desta vez, porém, reagiu às declarações de Bolsonaro em outro tom. "Ele joga pedras e o Parlamento vai jogar flores". O líder do governo na Câmara, Vitor Hugo (PSL-GO), admitiu que a estratégia do governo vai mudar diante do excesso de críticas de Maia ao Executivo. "Estou sentindo do presidente e ministros uma disposição maior para interagir de maneira direta, sem que, necessariamente, (a negociação) tenha de passar pelos presidentes das duas Casas", afirmou ele, em entrevista publicada pelo Estado, numa referência a Maia e a Alcolumbre. Para ACM Neto, presidente do DEM, a demissão de Mandetta e as críticas a Maia "degradaram" o apoio que ele ainda poderia ter no partido. "Nós enxergamos esses ataques como estratégia para desviar o foco, em razão da gravidade da crise", disse ACM Neto ao Estado (mais informações nesta página). Mesmo com a saída de Mandetta, o DEM ainda controla dois ministérios (Cidadania, com Onyx Lorenzoni, e Agricultura, com Tereza Cristina). Prefeito de Salvador, ACM Neto não quis tecer comentários sobre o loteamento do governo para obter apoio no Congresso. "Seria o caminho da desmoralização se o governo cedesse a qualquer tipo de 'toma lá, dá cá'", constatou. "Mas não me cabe fazer qualquer juízo de valor sobre a articulação de um governo que nunca teve articulação." Com informações de Estadão Conteúdo Destaque 2 Após ataques, Alcolumbre dá a PT relatoria de projeto do governoO projeto é fortemente criticado por petistas e sindicalistas e após ataques, Alcolumbre dá a PT relatoria de projeto do governo Depois de retirar Luiz Henrique Mandetta do cargo e partir para cima de Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente Jair Bolsonaro já sofre os primeiros revezes no Congresso Nacional. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), entregou ao líder do PT na Casa, Rogério Carvalho (SE), a relatoria da medida provisória 905, do contrato de trabalho verde e amarelo, cujo conteúdo é fortemente criticado por petistas e sindicalistas. O argumento é que se trata uma precarização nas relações de trabalho. Na Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) colocou na pauta do próximo dia 22 a votação da urgência do projeto de lei patrocinado pelo centrão que obriga as empresas com patrimônio acima de R$ 1 bilhão a emprestar parte do seu lucro ao governo, para o combate ao coronavírus. O texto enfrenta forte resistência do setor privado, principalmente dos bancos, principal alvo da medida, que pressionam o governo para frear a iniciativa. As duas decisões ocorreram na noite desta quinta (16). A retirada de Mandetta desagradou o meio político e principalmente o DEM, partido do agora ex-ministro. Contribuiu para o caldo de insatisfação a entrevista de Bolsonaro à CNN, com ataques a Maia. Com informações da Folhapress e Foto: Marcos Brandão/Senado Federal Destaque 3 Em despedida privada, Mandetta falou em ingratidão e risco de colapso A fala se deu em uma cerimônia informal para colocar a foto dele na galeria, no hall do prédio da pasta "Eu agora sou mais um nessa galeria de ex-ministros", afirmou Luiz Henrique Mandetta a servidores, momentos antes de deixar o prédio do Ministério da Saúde. A fala se deu em uma cerimônia informal para colocar a foto dele na galeria, no hall do prédio da pasta, depois de ele ter sido exonerado na tarde de quinta-feira (16) pelo presidente Jair Bolsonaro. O ex-ministro discursou por dez minutos após ouvir aplausos, cantoria e falas emocionadas de aliados que estiveram com ele durante 1 ano, 3 meses e 16 dias na pasta. A reportagem acompanhou o encontro. Foi com uma menção à santa Irmã Dulce dos Pobres, canonizada em 2019, que Mandetta começou a se despedir. Antes, ele pediu que colocassem a imagem da santa baiana atrás da moldura da sua foto que ficará na galeria. Emocionado, quase derrubou o quadro para checar se a imagem estava no lugar. "Quando fui a Salvador ver o hospital da obra de Irmã Dulce, estava com o prefeito ACM Neto e ele se ajoelhou. Eu decidi ajoelhar também e rezar para que ela iluminasse o país. E disse: 'Irmã Dulce, se a senhora for santa, vou no Vaticano'. Achei que ia demorar 30 anos e pagar a promessa lá na frente, mas fui. Chegando lá, o que pedi foi: protege o SUS, porque, ao proteger o SUS, a senhora protege muita gente." Mandetta usou do exemplo da santa para se referir ao coronavírus e o desafio em implementar medidas de isolamento social –alvo de críticas de Bolsonaro. "A obra dela era para gente pobre, gente da rua. Tudo o que fizemos aqui foi pensando nos mais humildes. No dia que gente desse ministério me falou como era o ônibus que vinha para cá, o grau de proximidade das pessoas, vamos falar em isolamento social como? O SUS vai pagar a conta de séculos de negligência com o povo mais humilde que é a grande massa trabalhadora desse país", disse. "O que é falar para eles: 'vão trabalhar, porque temos que passar por isso rápido'? Se passar por isso rápido significa estressar muito além do razoável o sistema de saúde." Em seguida, Mandetta disse que, caso sejam afrouxadas as recomendações atuais da pasta, o sistema de saúde brasileiro poderá ter reflexos como o da Europa, em que há funcionários que já atendem "com saco de lixo na cabeça". "Porque não tem equipamento de proteção individual em quantidade e qualidade que todo mundo quer."Em recado indireto a Bolsonaro, que já chegou a comparar a Covid-19 a uma "gripezinha", Mandetta disse que idosos "não são e nunca serão descartáveis, sob o argumento da economia que for". "Não existe ninguém que a gente esteja autorizado a largar para trás. A gente tem que pensar na cracolândia, na favela", afirmou o ex-ministro.Ele expressou preocupação com o relaxamento de medidas de isolamento social e pediu a técnicos da pasta que "não tenham medo de andar ao lado da verdade". Horas após a demissão, Bolsonaro anunciou que Mandetta seria substituído pelo médico oncologista Nelson Teich, que se declarou alinhado às demandas do presidente.Embora com aparência firme, o ex-ministro deixou transparecer que sai da pasta com um pouco de ingratidão. "O Padre Antônio Vieira falava: 'se tudo que fizeres pela pátria, e ela ainda assim lhe for ingrata, não tereis feito mais do que sua obrigação'." Em nome dos servidores, o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos, Denizar Vianna, afimou que foi um privilégio trabalhar com Mandetta e que o corpo técnico da pasta poucas vezes teve um ministro tão humanista e que pautava "suas decisões na ciência".Vianna, que é próximo de Teich, fez questão de ressaltar os panelaços ocorridos durante o anúncio da demissão de Mandetta feito por Bolsonaro. "O panelaço comeu solto na sua demissão. Mostrando que a população te apoia".O secretário afirmou que, sem as ações de Mandetta, o quadro de mortalidade no país poderia ser maior e que suas entrevistas viraram "a novela do brasileiro". "Todo mundo queria ouvir o ministro."Em outro momento, uma servidora começou a puxar o coro da canção "Timoneiro", de Paulinho da Viola. Depois de se despedir, Mandetta saiu pela garagem, nos fundos do prédio. Na portaria, ao menos quatro servidores se despediam de colegas com caixas com objetos pessoais nas mãos. Alguns choravam. Na despedida, houve uma pequena aglomeração de servidores. Parte deles usava máscara e evitou abraçar o ex-ministro. Com informações e foto da Folhapress Destaque 4 Bolsonaro volta defender abertura de fronteiras e comércio Em posse de Teich, Bolsonaro voltou a criticar governadores e defender abertura de fronteiras e comércio O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defendeu, nesta sexta-feira (17), a reabertura de fronteiras e comércios no Brasil e voltou a criticar medidas tomadas por governadores no combate à pandemia do novo coronavírus. "Essa história de começar a abrir para o comércio é um risco que eu corro. Se agravar, vem para o meu colo", declarou Bolsonaro, durante cerimônia de posse de Nelson Teich como novo ministro da Saúde no lugar de Luiz Henrique Mendetta (DEM). "O que eu acredito? Muita gente já está tendo consciência que tem que abrir", complementou. Na mesma declaração, Bolsonaro afirmou que defendeu junto ao ministro Sergio Moro (Justiça) a reabertura de fronteiras terrestres no Brasil, que estão fechadas em razão da emergência sanitária. "Na minha opinião, começar a abrir as fronteiras. Por que está fechada com o Paraguai? É seca e não temos como fiscalizar. O mesmo com Uruguai". Bolsonaro investiu novamente contra governadores e disse que jamais mandaria forças de segurança prenderem pessoas que estejam violando regras de quarentena. "Essas prisões mais que ilegais, atingem a alma de cada cidadão brasileiro. Não podemos admitir isso. Não vou pregar desobediência civil, mas medidas como essas têm que ser rechaçadas". Embora não o tenha citado, a referência de Bolsonaro é uma crítica ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), considerado pelo Planalto um possível adversário em 2022. Doria chegou a afirmar que cidadãos que desrespeitassem regras de quarentena no estado seriam advertidas e orientadas a voltar para caso, mas quem em casos de reincidência poderia haver prisão. Apesar das críticas, Bolsonaro reconheceu que não pode decidir sobre ações de isolamento social na resposta à crise da Covid-19, uma vez que o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu que estados têm competência para tomar essas medidas. Bolsonaro disse ainda que, em seu governo, qualquer portaria ministerial envolvendo medidas restritivas passarão antes pelo crivo da Casa Civil. O presidente afirmou ainda que havia opiniões diferentes entre ele e Mandetta, o que motivou a demissão do agora ex-ministro. "A visão do Mandetta, muito boa, é a da saúde e da vida. A minha também é a da saúde e da vida, mas entra também o Paulo Guedes, a economia e o emprego. Desde o começo eu tinha uma visão que nós devemos abrir o Brasil. O efeito colateral do combate ao vírus não pode ser, do meu ponto de vista, mais danoso do que o próprio remédio. Teich e Mandetta também falaram na cerimônia. Sem mencionar propostas efetivas, o novo ministro da Saúde fez um discurso afirmando que fará uma gestão com foco nas pessoas e defendeu uma maior integração com outras áreas no combate ao novo coronavírus. "Uma coisa importante que temos que entender é que a Covid abrange todas as atenções, mas tem outras doenças. Se você tem menos acesso, menos diagnóstico, será que não vai prejudicar o diagnóstico de pessoas com câncer? O que vai acontecer quando a pessoa fica em casa com medo de ir ao pronto-socorro e não chega ao hospital?", questionou. "Tem que acompanhar também os indicadores sociais. Se tivermos mais desemprego e pessoas que perderem os planos de saúde, isso vai impactar no SUS." Teich iniciou sua fala apresentando sua formação como médico de família e oncologista para dizer que tem contato próximo com pacientes e que sua formação terá foco "nas pessoas". "O foco de tudo o que vamos fazer é nas pessoas. Por mais que fale em saúde, em economia, o final é sempre gente. Trazer uma vida melhor para a sociedade e as pessoas do Brasil", disse. "Não podemos esquecer que as pessoas mais frágeis, mais pobres são aquelas que mais vão sofrer. A atenção para as pessoas tem que ser total." Teich disse que vai defender a visibilidade de mais informações sobre a doença na tentativa de "administrar o comportamento de uma sociedade que hoje está com muito medo". Em seguida, disse que trabalhará com planejamento para a construção de uma solução para a pandemia do novo coronavírus, mas admitiu que poderá trabalhar em um cenário de incertezas. "A gente vai ter que trabalhar esse cenário de muita incerteza, mas hoje vemos medicamentos que estão surgindo com muita possibilidade", disse. Citando seu histórico empresarial, ele defendeu a necessidade de "formar times" para que haja condições de trabalho. "É pegar não só a área do ministério mas as outras áreas, uma lista de problemas de cada área." Com informações da Folhapress e foto Reuters Destaque 5 Bolsonaro nega ter recebido dossiê com plano para retirá-lo do governo À noite de sexta(17), na mesma rápida declaração em frente ao Alvorada, o presidente disse que seu irmão Renato pretende processar a Folha de S.Paulo por causa de uma reportagem publicada semana passada. O presidente Jair Bolsonaro negou na noite desta sexta-feira(17) que tenha tido acesso a um dossiê com um plano para retirá-lo do governo. Nesta quinta-feira, o jornal Folha de S.Paulo revelou que o presidente afirmou a parlamentares que tem informações de inteligência de que Rodrigo Maia (DEM-RJ), o governador João Doria (PSDB-SP) e um setor do STF estão tramando um plano para tirá-lo do governo. "A Folha de S.Paulo falou que tem um dossiê que eu fiz dizendo que havia um complô da Câmara, Supremo para me derrubar. Eles inventam coisa. Segundo uma fonte do Planalto... Sempre é assim. Se é tão grave assim, podiam dar o nome da fonte, né?" disse o presidente, em rápida declaração em frente ao Palácio da Alvorada, a residência oficial da Presidência. Mais cedo, a Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto afirmou que não há dossiê nem análise nem conclusão de que exista conspirações em andamento contra Jair Bolsonaro. "Não é verdadeira a informação veiculada hoje na coluna Painel da Folha de S.Paulo de que o presidente da República, Jair Bolsonaro, disporia de um dossiê da inteligência do governo sobre uma suposta conspiração contra sua gestão. Trata-se mais de uma desinformação, de uma fakenews que tem o objetivo de criar clima hostil e de desconfiança no relacionamento do Executivo com os demais Poderes da República e seus representantes", escreveu a Secom. À noite, na mesma rápida declaração em frente ao Alvorada, o presidente disse que seu irmão Renato pretende processar a Folha de S.Paulo por causa de uma reportagem publicada nesta semana. Nesta quinta-feira, reportagem do jornal mostrou que o irmão de Bolsonaro se recusou a cumprir medidas estipuladas pela Prefeitura de Registro para prevenir o contágio do coronavírus e acabou barrado na porta de um açougue da cidade, no Vale do Ribeira. "A Folha de S.Paulo, uma notícia para a Folha aí. Falaram que meu irmão foi expulso de um açougue em Registro. Declaração do dono do açougue. Ele não esteve lá, comprovou que estava em São Paulo neste horário e vai processar aí a Folha de S.Paulo." Um dia após a publicação da reportagem pelo jornal, a dona do açougue voltou atrás no relato que fez à Folha de S.Paulo dizendo que Renato Bolsonaro havia se negado a cumprir regra de proteção para fazer compras no local. Antes, em conversa gravada pela reportagem da Folha de S.Paulo, ela havia afirmado que o irmão do presidente não quis colocar máscara de proteção para entrar no açougue, o que é obrigatório por causa de uma norma da prefeitura para evitar o contágio da população. O jornal já havia obtido o relato com outras testemunhas e telefonou para o estabelecimento para obter a versão deles para o caso. A versão inicial da dona do açougue coincide com o relato de duas outras pessoas contatadas pela Folha de S.Paulo no mesmo dia. Elas mantêm a versão, mas dizem ter medo de represália por isso não querem ser identificadas. Com informações da Folhapress e foto Reuters

Os números do Ministério da Saúde relativo ao COVID-19

Os números da CONVID-19 - clicar no link abaixo   https://covid.saude.gov.br/  

17 de abril, sexta-feira - A ABRACAM mostra os destaques da mídia

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.   A economia da China encolheu 6,8% no primeiro trimestre. Nelson Teich, o novo ministro da Saúde, toma posse. A demissão de Mandetta e o futuro da saúde no país é o tema do podcast O Assunto. E saiba quem é novo comandante das ações contra a pandemia do coronavírus, que já matou quase 2 mil e infectou mais de 30 mil no Brasil. A Câmara aprova projeto que amplia alcance da ajuda de R$ 600 e derruba exigência de CPF. E fique por dentro das lives que agitam o final de semana na quarentena. Economia encolheu na China Economia da China encolhe pela primeira vez desde 1976   = ASSISTA O VÍDEO - https://globoplay.globo.com/v/8488623/ A economia da China contraiu-se no primeiro trimestre deste ano. O Produto Interno Bruto (PIB) do gigante asiático caiu 6,8% no período, confirmando os efeitos causados pela pandemia do novo coronavírus que parou o país no início de 2020. No último trimestre de 2019, o crescimento foi de 6% em relação ao ano anterior. Nelson Teich, o novo ministro da Saúde Saiba quem é Nelson Teich, novo ministro da Saúde - ASSISTA O VÍDEO - https://globoplay.globo.com/v/8488611/ O novo ministro da Saúde, Nelson Teich, toma posse hoje. Ontem, ao ser anunciado por Jair Bolsonaro no lugar de Luiz Henrique Mandetta, afirmou que não haverá uma "definição brusca" em relação às orientações sobre o isolamento social, mas que está alinhado ao presidente. Saiba mais sobre o novo titular da pasta que comanda o combate à epidemia de Covid-19. Na despedida, Mandetta pede aos servidores da Saúde apoio ao futuro ministro Gerson Camarotti: Mandetta já não tinha condição de tocar o trabalho', diz presidente do DEM   ANDRÉIA SADI: Transição pode ser no pico da pandemia GERSON CAMAROTTI: Mandetta caiu porque deixou claro que o rei estava nu Maia e Alcolumbre dizem que troca 'não é positiva'; leia repercussão 'Demissão em plena crise': imprensa internacional destaca queda de ministro Cidades brasileiras têm panelaço após demissão de Mandetta Ajuda de R$ 600 Câmara aprova fim da exigência de CPF ou título de eleitor para ajuda de R$ 600 - ASSISTA O VÍDEO - https://globoplay.globo.com/v/8488429/ A Câmara dos Deputados aprovou ontem projeto de lei que estende o auxílio emergencial de R$ 600 pago a trabalhadores informais por três meses a outros grupos sociais, incluindo mães adolescentes. Pais solteiros que sejam chefes de família receberão em dobro o auxílio, criado como forma de compensar a perda de renda de trabalhadores informadores em razão da crise do coronavírus. A proposta aprovada também permite que recebam o auxílio pessoas que não têm CPF ou título de eleitor. Caixa começou a pagar para beneficiários do Bolsa Família e cadastrados via app e site; veja calendário Mortes na linha de frente — Foto: Susana Vera / Reuters O Brasil registra ao menos 30 mortes de profissionais de enfermagem causadas pela Covid-19, de acordo com balanço do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen). Os dados retratam o impacto das infecções do novo coronavírus entre enfermeiros, técnicos e assistentes até quarta-feira (15). Outros 4 mil profissionais estão afastados pela doença, sendo 552 com diagnóstico confirmado e mais de 3,5 mil em investigação. E mais: já são mais de 4,8 mil denúncias por falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) para trabalhar. PANDEMIA: veja quais países já registraram casos da doença GUIA ILUSTRADO: sintomas, transmissão e prevenção SÉRIE DE VÍDEOS: veja perguntas e respostas sobre o coronavírus Brasil tem mais 188 mortes por coronavírus e se aproxima de 2 mil Máscaras obrigatórias em BH — Foto: Heloise Hamada / G1 A partir de quarta-feira (22), quem passar pelas ruas e estabelecimentos de Belo Horizonte vai ter que usar máscara. A proteção passa a ser obrigatória. De acordo com o documento, a medida é válida para todo o espaço público, transporte coletivo e para o comércio. Linguagem de favela em BH  Moradores do Morro do Papagaio em BH fazem rap para conscientizar comunidade - ASSISTA O VÍDEO - http://g1.globo.com/minas-gerais/videos/v/moradores-do-morro-do-papagaio-em-bh-fazem-rap-para-conscientizar-comunidade/8487735/   Um carro de som, alugado por R$ 20 a hora, circula pelas ruas e vielas do Morro do Papagaio, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, tocando um rap que já virou hit na comunidade. Rap "Corona, cerol fininho" e grupo de WhatsApp ajudam a conscientizar moradores. Ideia surgiu da necessidade de fazer as pessoas se identificarem com a letra e, assim, entenderem a importância das medidas de prevenção. "Pra favela é complicado mudar suas ações. Mas, na medida do possível, sigam as orientações”. Este é um trecho de “Corona, cerol fininho”, composto pelo líder comunitário Júlio Fessô em parceria com o MC Jhonata. "É a linguagem da favela", diz um dos autores da composição. Canto na janela virou show no Rio Cantora faz shows na janela do apartamento no Flamengo, na Zona Sul do Rio - ASSISTA O VÍDEO - https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/video/cantora-faz-shows-na-janela-do-apartamento-no-flamengo-na-zona-sul-do-rio-8485617.ghtml O isolamento social devido ao novo coronavírus transformou a janela da cantora Chrystal Faini em uma espécie de palco. Uma vez por semana, ela tem dado shows para seus vizinhos no Condomínio Residência, no Flamengo, Zona Sul do Rio. “Eu resolvi ir para a janela do meu prédio levar um pouco de amor para meus vizinhos através do canto. Eu nunca iria imaginar que o prédio todo iria parar para assistir, aplaudir e muito menos cantar junto”, disse a cantora. “A minha primeira reação foi arrepio, seguido de choro e gritos de alegria. Essa foi a primeira vez que eu fiz algo tão ousado e que deu uma resposta tão linda.”  Rei na TV e Globoplay Roberto Carlos — Foto: Natália Clementin/G1 Roberto Carlos vai comemorar seu aniversário de 79 anos nesse domingo (19), com a TV Globo e o Globoplay. O cantor estará em seu estúdio, na Urca, no Rio de Janeiro, e o Domingão do Faustão exibirá, ao vivo, às 19h45, as duas primeiras músicas. O público poderá cantar todos os sucessos com o Rei e acompanhar a apresentação completa, com duração prevista de 45 minutos, no Globoplay e no canal de Roberto Carlos no Youtube. Lives desta sexta-feira Maiara e Maraisa, Marília Mendonça e Zé Neto e Cristiano participam do WorkShow Live — Foto: Divulgação Hoje tem Marília Mendonça, Fresno, Maiara e Maraisa, Zé Neto e Cristiano, João Neto & Frederico, Dilsinho, Paulo & Nathan, Diego & Victor Hugo, Luísa & Maurílio, Léo Santana, Mariana Fagundes e mais. Contra lives que viraram 'DVD ao vivo', Lucas Silveira testa Fresno em isolamento real US$ 900 para cada Site do Enem — Foto: Reprodução site do Enem Termina às 23h59 desta sexta-feira o prazo para pedir isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020. O participante que deseja solicitar o direito de não pagar a taxa e estiver dentro dos critérios do edital deve acessar a página do Enem 2020 e se inscrever. O resultado será divulgado no dia 24 de abril. Enem em tempos de pandemia: o que muda na preparação dos jovens para a prova de 2020 Morre cantor francês Christophe Christophe em imagem de 11 de dezembro de 2019 em Paris — Foto: Joel Saget / AFP Photo O cantor francês Christophe, de 74 anos, conhecido por diversos sucessos como "Aline" e "Les Mots Bleus", morreu de uma doença pulmonar, informou sua mulher, Véronique Bevilacqua. Daniel Bevilacqua (seu verdadeiro nome), deu entrada em um hospital de Paris no dia 26 de março com enfisema, sendo transferido posteriormente para Brest (oeste). Família não citou a Covid-19.

Saiba quem é Nelson Teich, novo ministro da Saúde

  Teich foi indicado ao cargo nesta quinta-feira em substituição a Luiz Henrique Mandetta. Ele defendeu em artigo necessidade de isolamento social horizontal contra o coronavírus. ‘Tudo vai ser tratado de maneira técnica e cientifica’, diz novo ministro da Saúde Assista o vídeo  https://g1.globo.com/globonews/estudio-i/video/tudo-vai-ser-tratado-de-maneira-tecnica-e-cientifica-diz-novo-ministro-da-saude-8487715.ghtml Indicado nesta quinta-feira (16) pelo presidente Jair Bolsonaro para o cargo de ministro da Saúde, em substituição a Luiz Henrique Mandetta, o oncologista Nelson Teich defende a necessidade de isolamento social horizontal no combate ao coronavírus. Em artigo publicado em 2 de abril em uma rede social, Teich fala na importância de medidas como o isolamento social, a testagem em massa e o uso de projeções matemáticas no enfrentamento da pandemia. "Além do impacto no cuidado dos pacientes, o isolamento horizontal é uma estratégia que permite ganhar tempo para entender melhor a doença e para implantar medidas que permitam a retomada econômica do país". Em pronunciamento no Palácio do Planalto na tarde desta quinta, Teich afirmou que não haverá "definição brusca" sobre esse tema. O presidente Jair Bolsonaro já defendeu publicamente o que chama de "isolamento vertical", menos rigoroso por ser restrito a grupos de risco, como pessoas acima de 60 anos. Em 24 de março, em outro artigo sobre o coronavírus, o médico destaca as dificuldades enfrentadas pelo gestor de saúde em meio à pandemia e cita pontos que devem ser considerados nas tomadas de decisão. "Não me coloco aqui como alguém que defende um lado ou outro, na verdade é o oposto, não pode existir lado. O fundamental é analisar criticamente e de forma contínua a situação e as projeções, integrando continuadamente a nova informação na análise. A informação que chega a cada dia precisa ser complexa, detalhada e em tempo real. É necessário rever diariamente a realidade, os cenários, as projeções e as ações. Como comentado, projeções e posições radicais e emocionais só levam a mais confusão e problema", diz. Valdo Cruz: veja o que esperar de Nelson Teich no Ministério da Saúde - Assista o vídeo  https://g1.globo.com/globonews/estudio-i/video/valdo-cruz-veja-o-que-esperar-de-nelson-teich-no-ministerio-da-saude-8487617.ghtml Carreira Teich foi responsável nos anos 1990 pela fundação do Centro de Oncologia Integrado (Grupo COI), onde atuou até 2018. Segundo o perfil dele em uma rede social, trabalhava como consultor em gestão de saúde. De setembro do ano passado até janeiro deste ano, também de acordo com o perfil, Teich prestou orientações à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde (SCTIE) do Ministério da Saúde, comandada por Denizar Vianna. O novo ministro é formado em medicina pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Teich foi residente de Oncologia no Instituto Nacional do Câncer. Na sequência, focou sua formação na área de gestão da saúde, ao cursar um MBA na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e um mestrado na Universidade de York (Reino Unido) voltados para o tema. Em 2010 e 2011, ele prestou consultoria para o Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, também focada em gestão da saúde. Teich foi um dos sócios-fundadores do MDI Instituto de Educação e Pesquisa, onde foi sócio do atual secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde (SCTIE) do Ministério da Saúde, Denizar Vianna.

Casos de coronavírus e número de mortes no Brasil em 16 de abril

Secretarias estaduais de saúde contabilizam 29.165 infectados e 1.764 mortos em todos os estados. As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até as 11h15 desta quinta-feira (16), 29.165 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil, com 1.764 mortes. Nesta manhã, Minas Gerais atualizou os dados para 33 mortes e 958 casos confirmados, o Ceará já soma 2.386 infectados e mantém o número de 124 mortes, e o Acre confirmou a 5ª morte do estado. Mariano Neto, de 35 anos, era motorista de aplicativo e morreu na terça-feira (14) com diagnóstico de pneumonia. Exame confirmou hoje que a causa da morte foi a Covid-19.  No início da madrugada de quinta, o Pará divulgou 103 novos casos e chegou a 487 infectados. O estado não confirmou novas mortes. O balanço mais recente do Ministério da Saúde, divulgado nesta quarta-feira (15), aponta 28.320 casos confirmados e 1.736 mortes.  CLOROQUINA: entenda riscos do medicamento CURA: veja histórias de quem se curou da Covid-19 PERDA: a dor de quem perdeu um familiar para o coronavírus MAPA: casos nas cidades brasileiras e no mundo NO MUNDO:Colapso em hospitais e cemitérios no Equador FEIRA E MERCADO: Como higienizar as compras EMERGENCIAL: tire dúvidas sobre a ajuda R$ 600 CRONOLOGIA: como a doença avançou no Brasil Casos de coronavírus no Brasil Primeiro caso foi confirmado em 26 de fevereiro, e 1º morto, em 17 de março; os dois eram de São Paulo● Casos confirmados: 98    Fonte: Ministério da Saúde até 15 de março; secretarias estaduais da Saúde a partir de 16 de março. Com informações do G1  

16 de abril, quinta-feira - A ABRACAM mostra os destaques da mídia

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.  A Justiça derruba exigência de regularizar o CPF para receber a ajuda de R$ 600, barreira que estava provocando filas e aglomerações pelo Brasil, mas as filas continuam nesta quinta em várias cidades. Mapa de Prefeitura de SP mostra que as mortes por coronavírus estão concentradas na periferia. A provável substituição de Mandetta no Ministério da Saúde é tema do podcast O Assunto, com Renata Lo Prete. Os EUA têm 2.569 mortes em 24 horas, maior número já registrado na pandemia. E o Monitor da Violência, ferramenta exclusiva do G1, mostra que o número de pessoas mortas pela polícia cresceu no Brasil em 2019 e o de policiais assassinados caiu pela metade. Ajuda de R$ 600, filas e o CPF O juiz federal Ilan Presser, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1), suspendeu a exigência de regularização do Cadastro de Pessoa Física (CPF) para que a pessoa possa receber o auxílio emergencial de R$ 600. A regularização do CPF era uma das exigências do governo para liberar o pagamento, mas a Justiça entendeu que a exigência tem provocado aglomerações - o que contraria orientações das autoridades de saúde. Apesar da decisão, pessoas voltaram a passar a madrugada em filas para regularizar o CPF. Mesmo com chuva, a situação se repetiu pelo 4º no Rio. "As praias estão interditadas, eu vivo da praia. Está difícil, preciso desse benefício. Claro, não é muito, não vai salvar a minha vida, mas vai ajudar a comprar as coisas, ajudar dentro de casa", diz o ambulante Mauro dos Santos, o primeiro a chegar na fila em Madureira, na Zona Norte do Rio. Agências da Receita Federal continuam com filas nesta quinta (16) Assista o link https://globoplay.globo.com/v/8485941/ Calendário de pagamentos A Caixa começa a pagar nesta quinta a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 aos beneficiários do Bolsa Família e aos trabalhadores que se inscreveram no programa emergencial por meio do aplicativo e do site logo no primeiro dia. Quem tem direito e como funciona? Tire suas dúvidas Veja PASSO a PASSO como pedir o auxílio emergencial Calendário e formas de pagamento Mortes da periferia de São Paulo Mortes suspeitas ou confirmadas de coronavírus se concentram na periferia da cidade de São Paulo, aponta estudo. — Foto: Divulgação / Secretária Municipal de Saúde A cidade de São Paulo registrou 1.207 mortes confirmadas ou suspeitas de coronavírus entre 23 de fevereiro e 11 de abril, segundo a Secretaria Municipal da Saúde. Os dados fazem parte de um mapa que mostra a distribuição dos óbitos por distrito. A concentração de vítimas se dá na periferia. As 1.207 mortes potencialmente causadas pelo vírus são quase o triplo das 422 mortes confirmadas na capital. A diferença dos números oficiais para o mapa se deve, em grande parte, ao atraso no processamento dos testes. Monitor da Violência — Foto: Amanda Paes/G1 O Brasil teve ao menos 5.804 pessoas mortas por policiais no ano passado – alta de 1,5% em relação a 2018 – e 159 policiais assassinados – queda de 51%. É o que mostra um levantamento feito pelo G1 com base nos dados oficiais de 25 estados e do Distrito Federal. Apenas Goiás se recusa a passar os dados. PÁGINA ESPECIAL: Mapa mostra mortes por policiais no país; Amapá é o mais violento ANÁLISE DO NEV: Recorde de letalidade mostra dificuldade dos estados em controlar suas polícias ANÁLISE DO FBSP: Uso da força pelos agentes segue como desafio no país METODOLOGIA: Monitor da Violência Mandetta até quando na Saúde? Mandetta reconhece divergência com Bolsonaro e admite sair; saiba o que disse o ministro - Assista o vídeo - https://globoplay.globo.com/v/8485768/ O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou ontem que ele e os secretários que o auxiliam entraram juntos no ministério e sairão juntos. Mais cedo, seu secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, chegou a pedir demissão. O motivo era a provável saída de Mandetta do ministério, devido às divergências com o presidente Jair Bolsonaro, mas o ministro não aceitou o pedido. Apesar da recusa, Mandetta falou em tom de adeus do Ministério da Saúde, reconheceu a divergência com Bolsonaro e admitiu que pode sair. CRISTIANA LÔBO: Mandetta se mostra pronto para passar o cargo ANDRÉIA SADI: Ministro assume que Bolsonaro já se decidiu sobre demissão VALDO CRUZ: Ala moderada quer nome técnico para substituir ministro Servidores sem reajustes O governo federal não prevê reajustes para servidores públicos nem novos concursos no próximo ano, mostra o projeto do Orçamento de 2021 enviado ontem ao Congresso Nacional. Segundo o secretário de Orçamento, George Soares, o texto prevê somente a transformação de cargos e de funções, sem alterações na remuneração. A tragédia dos números nos EUA Profissionais de saúde socorrem mulher com dificuldades de respirar, um dos sintomas da Covid-19, em Nova York (EUA) nesta quarta-feira (150 — Foto: Lucas Jackson / Reuters Os Estados Unidos registraram ontem um novo recorde, com 2.569 mortes provocadas pelo novo coronavírus em 24 horas, o pior boletim diário para um país em todo o mundo. O país já tem 28.325 vítimas. Desviando o foco  Anúncio de Trump sobre a suspensão do financiamento da OMS desencadeia corrente de crítica  - ASSISTA O VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8485775/ No meio da pandemia, o presidente Donald Trump cumpriu uma ameaça feita na semana passada e anunciou que os EUA congelarão a contribuição à Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas o que significa a suspensão do financiamento dos EUA para a OMS e para Trump? Entenda no blog da Sandra Cohen. Transmissão comunitária nas Américas   No mundo, já são mais de 2 mi de infectados e 137 mil mortos pela Covid-19 - ASSISTA O VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8485766/ O mundo tem atualmente 24 países em que a transmissão do novo coronavírus é considerada comunitária. Metade estava na América, segundo a OMS. A transmissão comunitária é a fase do contágio em que a origem da transmissão não pode ser identificada e o vírus circula de forma sustentada. OMS pede a governos que limitem acesso a bebidas alcoólicas durante a pandemia Há um mês, a primeira morte no Brasil Mãe do 1ª brasileiro que morreu com Covid-19 está preocupada com o marido e filhos - ASSISTA O VÍDEO -https://globoplay.globo.com/v/8413598/ A primeira morte por Covid-19 no Brasil completa um mês nesta quinta. Desde então, o Brasil já registrou mais de 1.700 mortes e mais de 28 mil casos. A primeira vítima foi um homem de 62 anos que estava internado em uma unidade do hospital Sancta Maggiore, do plano de saúde Prevent Sênior, em São Paulo. Ele tinha histórico de diabetes e hipertensão e hiperplasia prostática — um aumento benigno da próstata que não é uma doença, mas uma condição comum em homens mais velhos e que pode causar infecções urinárias. Certo e errado em tempos de pandemia  Coronavírus: veja jeito certo e errado de gestos do dia a dia durante a pandemia  - ASSISTA O VÍDEO - http://g1.globo.com/videos/v/coronavirus-veja-jeito-certo-e-errado-de-gestos-do-dia-a-dia-durante-a-pandemia/8479575/ Alguns gestos e comportamentos do dia a dia precisam ser repensados para ficarem de acordo com as medidas de higiene necessárias para conter a pandemia. Vídeo mostra alguns bons hábitos para se proteger da contaminação. Anticorpos Coleta de sangue de dedo de paciente com suspeita de coronavírus em drive-thru de Florianópolis — Foto: Diórgenes Pandini /NSC Entenda nova proposta do Butantan para tratamento com anticorpos de pacientes curados. Método tem pontos em comum com a terapia de plasma já utilizada no Brasil, mas estudo demanda mais tempo por ter uma seleção de genes que garante produto específico contra o vírus. 17 horas de fila e oferta de emprego Desabafo de mestre de obras provoca a união de vizinhos em rede de solidariedade - ASSISTA O VÍDEO -https://globoplay.globo.com/v/8485708/ A busca do mestre de obras Raimundo Nonato de Souza, de 56 anos, por um emprego pode finalmente chegar ao fim. Após ser entrevistado pelo Bom Dia Rio, uma empresária ofereceu emprego ao homem, que há dez anos busca uma oportunidade de trabalho. Ele foi ouvido enquanto tentava regularizar o número de CPF e, assim, conseguir dar entrada no auxílio emergencial de R$ 600 disponibilizado pelo governo devido à pandemia do novo coronavírus. O homem passou a noite na porta de um posto da Receita Federal em Madureira, na Zona Norte do Rio, até, enfim, conseguir corrigir as informações no cadastro. Foram 17 horas na fila. Relatos da pandemia Indígenas venezuelanos denunciam quartos aglomerados e falta de água e sabão em abrigo de Manaus Pias são instaladas em comunidade do Recife para facilitar higienização contra coronavírus Emprego: videoentrevista Videoentrevista se tornou rotina nos processos seletivos para vagas de emprego — Foto: Reprodução / TV Globo Com pandemia, videoentrevista ganha destaque nas seleções de emprego. Entrevista online é tão formal quanto a presencial, por isso, o candidato deve ter o mesmo cuidado que teria se fosse até o escritório da empresa. Confira dicas e os cuidados a serem tomados. 'Just Dance' Daya Luz e Pâmella Ribeiro dão dicas para 'Just Dance' em casa - ASSISTA O VÍDEO - https://g1.globo.com/pop-arte/video/daya-luz-e-pamella-ribeiro-dao-dicas-para-just-dance-em-casa-8485641.ghtml "Just Dance" é boa opção de exercícios em casa. A cantora Daya Luz, que é ex-bailarina do Faustão, e e a vice-campeã mundial e bicampeã brasileira do jogo Pâmella Ribeiro ajudam iniciantes. Repórter do G1 tentou seguir passos. Lives Di e Gee, ex-colegas de NX Zero, e Fresno fazem lives com 'emo raiz' nesta quinta (16) e sexta (17) — Foto: Divulgação Di Ferrero chama ex-colega Gee para lembrar NX Zero nesta quinta. Fresno faz #quarentEMO amanhã. Curtas e Rápidas - Coronavírus: Desenrola, Rio: o estado está chegando perto do pico da epidemia? Com pandemia, busca por empréstimos cresce, mas crédito bancário segue restrito e caro Casamento no hospital Gabriela com o pai, Glauco Palheta, no dia do casamento. Cerimônia aconteceu dentro do Hospital Alemão Oswaldo Cruz — Foto: Arquivo pessoal A cama de hospital onde estava o piloto de avião Glauco Palheta, de 56 anos, foi escoltada por enfermeiros pelos corredores do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo. Dessa vez, o trajeto não era para realizar algum exame de emergência. Ao lado da cama, estava a filha de Glauco, a estudante Gabriela, de 22 anos, de vestido branco e com um buquê na mão. Assim, pai e filha entraram na cerimônia de casamento que ocorreu num quarto do hospital no último dia 5 de abril. A cerimônia original estava marcada para o final de maio, mas teve de ser adiantada para que Glauco, que estava em estágio terminal de câncer, pudesse participar da celebração. Ele morreu na manhã seguinte ao casamento. Previsão do tempo  Veja como fica o tempo nesta quinta (16) - ASSISTA O VÍDEO - https://globoplay.globo.com/v/8485707/

Supremo decide que estados e municípios têm poder para definir regras sobre isolamento

Em sessão por videoconferência devido à epidemia de coronavírus, ministros julgaram ação que questionava medida do governo federal de concentrar poder para decidir sobre normas.   Em sessão por videoconferência, o Supremo Tribunal Federal decidiu nesta quarta-feira (15) que, além do governo federal, os governos estaduais e municipais têm poder para determinar regras de isolamento, quarentena e restrição de transporte e trânsito em rodovias em razão da epidemia do coronavírus. Os nove ministros presentes à sessão votaram de forma unânime em relação à competência de estados e municípios para decidir sobre isolamento. Por maioria, o plenário entendeu ainda que o Supremo deveria deixar expresso que governadores e prefeitos têm legitimidade para definir quais são as chamadas atividades essenciais, aquelas que não ficam paralisadas durante a epidemia do coronavírus. Os ministros julgam uma ação do PDT contra medida provisória editada pelo presidente Jair Bolsonaro com o objetivo de concentrar no governo federal o poder de editar uma norma geral sobre os temas. A MP alterou uma lei de fevereiro, que previa quais ações poderiam ser tomadas durante a crise gerada pela pandemia do coronavírus. O partido considerou que as modificações na legislação feriam a Constituição. Também argumentou que é tarefa de União, estados e municípios, em conjunto, a competência para estabelecer políticas relacionadas à saúde; e que só por lei complementar – para a qual é necessária maioria absoluta de votos no Senado e na Câmara – é possível estabelecer regras de cooperação no tema entre União, estados e municípios. Em março, o ministro Marco Aurélio Mello, relator do caso, concedeu liminar (decisão provisória) para reforçar que tanto União como estados e municípios têm competência para legislar sobre medidas de saúde. Portanto, no entendimento dele, governadores e prefeitos podem estabelecer regras de isolamento, quarentena e restrição de transporte e trânsito em rodovias e portos. Na sessão desta quarta, o ministro defendeu a confirmação da liminar pelo plenário.  Marco Aurélio Mello disse que a MP foi editada para combater os efeitos da pandemia, mas faltou entendimento.   Há de ter-se a visão voltada ao coletivo, e talvez o que falte nesta quadra, presidente, é entendimento”, afirmou. Alexandre de Moraes afirmou que a competência comum não permite que todos os entes federais possam fazer tudo porque isso gera uma “bagunça ou anarquia”. De acordo com o ministro, a coordenação das medidas compete ao governo federal, mas, a partir de critérios técnicos, estados e municípios, dentro de seus espaços normativos, podem fixar regras de distanciamento social, suspensão de atividade escolar e cultura, circulação de pessoas. Ele ressaltou que governadores conhecem melhor as realidades regionais e os prefeitos, as locais. “Não é possível que a União queira ter monopólio da condução administrativa da pandemia. É irrazoável", declarou. Edson Fachin defendeu que estados e municípios podem, inclusive, estabelecer quais são as atividades essenciais, aquelas atividades que não sofrem restrições de funcionamento durante a crise. Ele afirmou que a atuação do governo federal deve seguir parâmetros, inclusive, internacionais. “As regras constitucionais não servem apenas para proteger a liberdade individual, mas também o exercício da racionalidade coletiva, isto é, da capacidade de coordenar as ações de forma eficiente”, afirmou. Luís Roberto Barroso se declarou impedido de participar do julgamento “por motivo de foro íntimo”, mas aproveitou para cobrar unidade em torno das ações para combater a crise. “Eu acho que o enfrentamento dessa questão da covid-19 [doença provocada pelo coronavírus] exige coordenação, liderança, racionalidade e exige cooperação entre os entes estatais. Não pode ser tudo centralizado e nem de uma forma que cada um corra para um lado”, afirmou. Para a ministra Rosa Weber, da saúde é uma competência comum administrativa e que "cabe ao Brasil valer-se da estrita federalização para evitar o caos". Segundo a ministra, é possível que sejam editadas medidas diferentes e até mais rígidas de controle do coronavírus diante das realidades de cada local, respeitando o princípio da proporcionalidade. Ricardo Lewandowski afirmou que o federalismo cooperativo exige que governos federal, estadual e municipal se apoiem mutuamente. O ministro disse que é preciso diálogo e liderança cooperativa. "Já foi sublinhado aqui com muita precisão que estados e municípios não podem ser alijados nessa batalha porque eles têm o poder, o dever de atuar", disse. Gilmar Mendes disse que o presidente da República não pode atropelar competências federativas, assim como os estados e município não podem atropelar as competências da União. “Nós temos no eixo SP, RJ e Minas 100 milhões de pessoas. A metade dos habitantes do Brasil vive nesse eixo. Portanto, sobre os governadores desses estados, recai uma imensa responsabilidade. (...) Tudo isso faz crescer a responsabilidade dos estados e municípios. Por isso, que esta Corte tem afirmado que, a despeito da competência da União, subsistem as competências dos estados e municípios para lidar com o tema", afirmou. Segundo Luiz Fux, o Supremo já decidiu que normas gerais da União deveriam prestigiar a legislação local, exatamente porque representava uma proteção mais eficiente do que a norma federal. O ministro citou ainda que Estados e municípios devem ouvir as agências reguladoras, que podem sugerir os melhores meios para se determinar uma atividade como essencial. “Acompanho voto do ministro relator, com a interpretação conforme, conferindo a todas as unidades federadas o poder de enumerar atividades essenciais, devendo ouvir agências reguladoras por falta de expertise para definir as atividades essenciais”, afirmou. Último a votar, Dias Toffoli entendeu que não era preciso deixar expresso que estados e municípios podem definir quais são os serviços essenciais. Para o presidente do Supremo, isso já seria implícito a partir do entendimento do plenário. “Na decisão do relator, essa conclusão já está clara o bastante, o suficiente”, disse o ministro. Com informações do G1

15 de abril, quarta-feira - Os destaques da mídia que a ABRACAM apresenta hoje

Dados apontam que casos graves de Covid-19 pode ser o dobro. Com primeira morte no Tocantins, todos os estados do país têm vítimas por coronavírus. O Amazonas em colapso. Vírus avança na Rocinha. Na economia, veja quais impostos, tributos e contribuições foram adiado, suspenso ou reduzido, e o cargos que estão em alta. O medo de ir ao hospital já afeta o tratamento de pacientes cardíacos e com câncer. O compositor e escritor Aldir Blanc está internado em estado grave. A tragédia no Equador. A onda de máscara fashion e as homenagens a Moraes Moreira. Casos graves podem ser o dobro Pelos menos 15 mil testes aguardavam resultado, segundo Infogripe, da Fiocruz Internações por SRAG/Covid-196.0436.04313.02613.02617.04217.042Ministério da SaúdeEstimativa mínimaEstimativa máxima05k10k15k20k Estimativa máxima O número de casos graves de Covid-19 que exigiram internação no Brasil é pelo menos o dobro do registrado, segundo estimativa feita pelo Núcleo de Dados do Jornalismo da Globo com base em informações do Infogripe da Fiocruz. O total de pacientes hospitalizados pode chegar a 13 mil. De acordo com o Ministério da Saúde, 6.043 pessoas foram internadas com Covid-19 até ontem. Esses pacientes foram testados e o coronavírus foi confirmado. Mas havia ao menos 15 mil testes aguardando resultado no país, segundo dados do Infogripe. Desses, entre 7 mil e 11 mil devem testar positivo para a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), segundo estimativa do Núcleo. alta de testes pode indicar que o número de mortes por coronavírus pode ser maior Primeira morte no Tocantins Secretaria de Saúde de Palmas, TO, registra primeira morte por Covid-19 Palmas registrou na noite de ontem a primeira morte pelo novo coronavírus no Tocantins. A vítima é a funcionária da Secretaria Municipal de Saúde da capital Francisca Romana Sousa Chaves, de 47 anos. Ela estava internada desde o dia 18 de março na UTI de um hospital particular. Segundo a prefeitura, Dona Romana, como era conhecida, trabalhava na prefeitura desde 2005. Com a notícia, todos os estados brasileiros passam a ter registro de mortes pelo novo coronavírus. MAPA EXCLUSIVO: coronavírus chega a mil cidades do país Amazonas em colapso Com mais de 1.200 casos, o Amazonas tem a maior proporção de confirmações de coronavírus por número de habitantes no país. Neste cenário, a UTI do hospital referência para tratar Covid-19 está lotada e faltam profissionais da área da saúde para tratar dos doentes. Vírus avança na Rocinha Moradores da Rocinha falam sobre aumento de 400% no número de diagnosticados com Covid-19 Número de infectados com novo coronavírus (Sars-CoV-2) na Rocinha aumentou de 6 para 34 em 4 dias, segundo secretaria municipal de Saúde. Moradores estudam centro de tratamento na comunidade. “A gente sabe que os próximos dias serão bem difíceis para as favelas. Não só para a Rocinha, mas para as favelas do Rio de Janeiro. É por isso que agora a gente está batendo nessa tecla de medidas concretas. Que o estado pense, junto com a prefeitura, de que forma ele pode mitigar essa proliferação da Covid-19”, afirma morador. Moradores da Rocinha relatam aumento de circulação de pessoas No Rio, hospital de referência para Covid-19 tem 90% da UTI ocupada Economia Impostos, tributos e contribuições: veja o que foi adiado, suspenso ou reduzido durante a pandemia. Mudanças beneficiam não só empresas, mas também pequenos negócios, microempreendedores individuais, empregadores de trabalhadores domésticos e pessoas físicas Medidas econômicas na crise do coronavírus: veja perguntas e respostas Coronavírus: veja as medidas econômicas já anunciadas pelo governo federal e pelo BC Trabalho em tempo de epidemia Profissional de TI — Foto: Reprodução / EPTV A epidemia de coronavírus está provocando onda de contratações de profissionais de tecnologia. Veja cargos em alta. Empresas buscam executivos para acelerar projetos de infraestrutura, reforçar segurança de dados e ampliar suporte técnico. Medo de hospital O medo de ir ao hospital devido ao coronavírus está afetando o tratamento de pacientes cardíacos e com câncer. A comunidade médica aponta números: houve alta no número de mortes por ataque cardíaco em casa em Nova York e, em São Paulo, uma queda de 45% nos atendimentos do Instituto do Coração (Incor). Coronavírus x fumo: tabaco, maconha e até cigarro eletrônico podem aumentar gravidade da Covid-19 Aldir Blanc Aldir Blanc — Foto: Reprodução O compositor e escritor Aldir Blanc está internado em estado grave no Centro de Emergência Regional do Leblon, na Zona Sul do Rio. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, ele deu entrada na sexta-feira (10) com quadro de infecção generalizada, de origem urinária, e pneumonia. Os últimos exames indicaram suspeita de coronavírus e Aldir Blanc foi transferido para o CTI da unidade, na noite de ontem. Achatando a curva? O estado de São Paulo encerrou a terça-feira com o registro de 695 mortes causadas pelo coronavírus, metade do número de óbitos previsto pelo governo estadual há uma semana. Especialistas ouvidos pelo G1 apontam que há indícios de que o estado está conseguindo "achatar a curva" de propagação do coronavírus, isto é, retardar o pico de mortes e contaminações pela doença. Eles destacam, no entanto, que o número abaixo do previsto, e o consequente achatamento da curva, são resultados de uma combinação de pelo menos três fatores: sucesso das medidas de isolamento social, subnotificação das mortes e dos casos de coronavírus no estado e atraso no diagnóstico, já que mais de 20 mil amostras ainda aguardam resultado em SP. Entenda. Mais de 2 mil pacientes estão internados com coronavírus em SP Tragédia no Equador Coronavírus: Equador recolhe 700 corpos de pessoas que morreram em casa Entenda por que o sistema hospitalar e os necrotérios entraram em colapso no Equador. Ausência de monitoramento dos casos, falta de testes, demora na tomada de decisões e violações da quarentena amplificaram tragédia no país. Leia no blog da Sandra Cohen. Máscara fashion Marca paulistana Irrita vem produzindo máscaras com retalhos de tecidos nesta quarentena — Foto: Acervo Pessoal / Irrita Estilistas criam peças cheias de cores e estilo. Tecidos de acervo e retalhos viram matéria-prima. Marcas da moda sofrem com quedas nas vendas e usam produção de máscaras para agradar clientes e dar trabalho a costureiras. Curtas e Rápidas - Coronavírus: Papai Noel usa redes sociais e manda mensagens para crianças na quarentena de coronavírus 87% das denúncias de falta de equipamentos de proteção são sobre máscaras N95, diz associação 'Papai Noel' usa redes sociais e manda mensagens para crianças se comportarem na quarentena contra o coronavírus Sam Smith diz que gravação caseira na quarentena é exemplo de isolamento: 'Estamos nessa juntos' Blog do Altieres Rohr: União Google-Apple: quais os desafios para a tecnologia que pretende alertar sobre contágio do novo coronavírus?   Contrato Verde e Amarelo Câmara aprova texto-base da medida provisória do Contrato Verde e Amarelo A Câmara dos Deputados aprovou ontem em sessão remota o texto-base da medida provisória (MP) que cria o chamado Contrato Verde e Amarelo. O programa foi criado pelo governo federal para reduzir encargos trabalhistas para empresas e, assim, estimular a geração de empregos, principalmente entre jovens. A MP tem validade até o próximo dia 20 e ainda precisa ser aprovada pelo Senado para seguir para sanção do presidente Jair Bolsonaro. Se o texto não for aprovado pelos senadores até o dia 20, perderá validade. BBB20   Gizelly no 'BBB20' — Foto: Reprodução / TV Globo Fausto faz homenagem a Moraes Moreira — Foto: Divulgação / Fausto Moraes Moreira é homenageado por cartunistas em exposição virtual. Um dos maiores nomes da música brasileira, cantor morreu na segunda-feira (13) aos 72 anos, após sofrer um infarto agudo do miocárdio. Veja as imagens. Mega-Sena   Aposta única da Mega-Sena custa R$ 4,50 e apostas podem ser feitas até às 19h — Foto: Marcelo Brandt / G1 O concurso 2.252 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 17 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h deste quarta-feira no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. A aposta mínima custa R$ 4,50.

Covid-19: Os número do Ministério da Saúde hoje

Brasil registra 25.262 casos confirmados de coronavírus e 1.532 mortes Última atualização em Terça, 14 de Abril de 2020, 17h54      Foram 1.832 novas confirmações em 24 horas. São Paulo concentra a maior parte das notificações da lista nacional e apenas Tocantins não tem óbito pela doença no país Subiu para 25.262 o número de casos confirmados de coronavírus no Brasil. Foram 1.832 novas confirmações em 24 horas. O número de óbitos também aumentou, agora são 1.532. Os números estão consolidados com as informações que foram repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde ao Ministério da Saúde até às 14h desta terça-feira (14). Confira os números em cada estado, clicando aqui Clique para abrir a apresentação com detalhamento A maior parte das notificações da lista nacional está em São Paulo, com 9.371 casos confirmados e 695 mortes. Apenas o estado de Tocantins não tem, até o momento, óbito pela doença, mas também registrou casos confirmados, assim como todos os demais estados brasileiros. Leia também:  Censo Hospitalar começa a ser realizado para internações de coronavírus Atualmente, os estados do Amazonas, Amapá, Distrito Federal, Ceará, São Paulo, Rio de Janeiro e Roraima estão em estado de emergência, ou seja, precisam de redobrar os cuidados em relação à prevenção do coronavírus por estarem 50% acima da incidência nacional de casos de coronavírus. HOSPITALIZAÇÕES E GRUPOS DE RISCO Do total de casos, 6.043 estão em estado grave, necessitando de internação em hospitais de referência em todo o Brasil. Atualmente, dos 1.532 óbitos confirmados, 73% ocorreram em pessoas com mais de 60 anos e 73% do total das vítimas apresentavam pelo menos um fator de risco. Pessoas acima de 60 anos se enquadram no grupo de risco, mesmo que não tenham nenhum problema de saúde associado. Além disso, pessoas de qualquer idade que tenham comobirdades, como cardiopatia, diabetes, pneumopatia, doença neurológica ou renal, imunodepressão, obesidade, asma e puérperas, entre outras, também precisam redobrar os cuidados nas medidas de prevenção ao coronavírus. Assista ao vídeo da coletiva desta segunda (14/04) Saiba mais sobre coronavírus, acessando nossa página especial Da Agência SaúdeAtendimento à imprensa

14 de abril, terça-feira - A ABRACAM apresenta os destaques da mídia nacional

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado. Cerca de 9,4 milhões de pessoas recebem a partir de hoje a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600. Dados mostram que em apenas três semanas mais pessoas foram internadas por síndrome respiratória em São Paulo que em todo o ano de 20191. Podcast O Assunto fala sobre Cloroquina e o que os estudos indicam até agora. Juntos, mas separados: como casais afastados por causa do isolamento lidam com isso. Na Nicarágua, que não adotou isolamento, o presidente sumiu da mídia. Veja relatos de profissionais da saúde e como a periferia encara a quarentena em algumas partes do país. Auxílio de R$ 600 Caixa começa a pagar nesta terça mais R$ 4,7 bilhões em Auxílio Emergencial Assista o vídeo https://globoplay.globo.com/v/8479793/ Cerca de 9,4 milhões de pessoas recebem a partir de hoje a primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 anunciado pelo governo para trabalhadores informais. A expectativa da Caixa é pagar cerca de R$ 4,7 bilhões até o final da semana para beneficiários do Bolsa Família e inscritos no Cadastro Único. Até segunda-feira, a Caixa já havia liberado mais de R$ 1,5 bilhão para mais de 2,5 milhões de beneficiários. Os primeiros a receber, já na última quinta-feira (9), foram aqueles que estão no Cadastro Único do governo federal, mas não recebem Bolsa Família, e que têm conta no Banco do Brasil ou poupança na Caixa.  Saiba como regularizar o CPF Passo a passo para pedir o auxílio emergencial Calendário e formas de pagamento Quem tem direito e como funciona? Tire suas dúvidas Recorde de síndrome respiratória em SP Em apenas três semanas, mais pessoas foram internadas por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em São Paulo que em todo o ano de 2019, mostra levantamento feito pelo G1 com base em dados da Fiocruz. Em todo o ano de 2019, foram registradas 9.701 internações por SRAG no estado de São Paulo, segundo o sistema de monitoramento Infogripe. Em 2020, 9.759 pessoas foram internadas somente entre 8 e 28 de março.    Testes rápidos em desenvolvimento Rodolfo Giunchetti coordena pesquisa para desenvolvimento de teste da Covid-19 — Foto: Júlia Duarte / UFMG / Divulgação Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) começaram a desenvolver um teste rápido para diagnosticar a Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Pode ser o primeiro a ser criado no país. Mas eles precisam de R$ 1,5 milhão e pedem doações. Testes para Covid-19: entenda a situação no Brasil e tire dúvidas sobre os exames diagnósticos Doações Itaú Unibanco anuncia doação de R$ 1 bilhão para financiar ações de combate ao coronavírus Assista o vídeo https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/itau-unibanco-anuncia-doacao-de-r-1-bilhao-para-financiar-acoes-de-combate-ao-coronavirus-8479778.ghtml Itaú e mais empresas farão doações para combater a pandemia. Banco prometeu R$ 1 bi. Bradesco, Santander, Gerdau, Ambev, Petrobras, Vale e outras grandes companhias já haviam anunciado iniciativas. Ajuda a estados e municípios Câmara aprova projeto que repõe a estados e municípios perdas com ICMS e ISS ASSISTA O VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8479795/   A Câmara dos Deputados aprovou um projeto que recompõe durante seis meses as perdas de estados e municípios com a arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS, estadual) e com o Imposto Sobre Serviços (ISS, municipal). O objetivo da proposta é reduzir os efeitos na economia da crise do novo coronavírus. O texto segue para o Senado. Como prefeituras e estados estão compensando ausência da merenda Juntos, mas separados Casal faz conferência virtual para conversar — Foto: Frédéric Cirou / AltoPress / PhotoAlto / via AFP / Arquivo Como casais afastados por causa do isolamento lidam com isso. Terapeuta de casal e família também dá dicas para superar a situação e fala sobre a importância de se lembrar sempre que 'essa é uma situação transitória'. Tinder no isolamento: brasileiros usam ‘app de paquera’ para conhecer pessoas e praticar idiomas Isolamento social   índia prorroga período de isolamento social — Foto: Mahesh Kumar A/AP O segundo país mais populoso do mundo, a Índia estendeu o isolamento social até 3 de maio para impedir a propagação do Covid-19, disse o primeiro-ministro indiano Narendra Modi em um discurso televisionado que foi ao ar nesta terça-feira (13). Na França, as medidas de isolamento social mais restritivas contra o vírus continuarão em vigor até 11 de maio, ao menos. O país está em quarentena praticamente completa desde 16 de março. Especialistas temem segunda onda de infecções nos EUA Presidente da Nicarágua sumiu Homem com máscara caminha em frente a um muro com a figura do presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, em 30 de março — Foto: Oswaldo Rivas / Reuters A Nicarágua não adotou isolamento para conter coronavírus, e seu presidente não aparece há um mês. Sumiço alimenta rumores sobre o estado de saúde de Daniel Ortega, alvo de protestos desde 2018. Com o presidente fora de cena, a primeira-dama - que também é vice-presidente - dá notícias sobre o governo por meio de notas à imprensa oficial. Dicas para economia de energia no RJ A distribuidora de energia elétrica do RJ dá dicas de como economizar durante isolamento, pois a recomendação para ficar em casa e 'home office' podem aumentar consumo de energia. Diário do profissional de saúde Relato de 'plantões terríveis' em UTI Enfermeira Mara Santos com os equipamentos de proteção que utiliza para cuidar de pacientes na UTI. — Foto: Arquivo Pessoal   A enfermeira Mara Santos, de 40 anos, trabalha há 18 anos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular localizado na Zona Sul de São Paulo. Ela relata plantões terríveis. Pacientes em estado grave e lotação dos leitos sempre fizeram parte do dia a dia da profissional de saúde. Entretanto, há 20 dias a UTI em que trabalha passou a atender apenas pacientes com coronavírus. Em entrevista ao G1, a enfermeira relata que a pandemia do COVID-19 deixou sua rotina ainda mais intensa, o que abalou, principalmente, o seu psicológico. Pandemia na periferia Escola Municipal Novo Mangue fica no Coque, comunidade na região central do Recife — Foto: Reprodução / Google Street View Minas Gerais - Doação de cestas básicas ameniza fome de famílias em ocupação de Belo Horizonte durante crise do coronavírus. Muitas pessoas que vivem na Rosa leão são autônomas e, devido ao isolamento e à quarentena, estão sem condições de faturar. Prioridade de entrega são aqueles que estão em situação de extrema necessidade. Distrito Federal - Catadores do DF enfrentam isolamento social dependentes de doações e sem saneamento e renda. Região de Santa Luzia, comunidade na Estrutural, abriga trabalhadores que dependem de doações após serem afastados da coleta de lixo por medidas de prevenção contra o coronavírus. Pernambuco - Falta de cestas básicas prejudica alunos de escola municipal no Coque. Foram afetados 18 estudantes da Escola Municipal Novo Mangue, na região central do Recife. Prefeitura disse que situação deve ser regularizada nesta terça-feira.   Curtas e Rápidas - Coronavírus Blog da Mariza Tavares: pesquisa levanta dados sobre idosos para ajudar no combate à pandemia Fotos mostram pontos turísticos vazios durante a quarentena no Parque Nacional da Tijuca Detentos em Pernambuco produzem 650 mil máscaras para ajudar no combate ao coronavírus Emprego Veja cargos que tiveram maior alta em vagas de emprego em março. Cargos relacionados às áreas da saúde, supermercadista, farmácia e logística foram os que mais apresentaram crescimento desde o início do isolamento social. Previsão do tempo    ASSISTA O VÍDEO  https://globoplay.globo.com/v/8479698/ Com informalões do G1

13 de abril, segunda-feira - A ABRACAM apresenta os destaques da mídia

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.  O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, concedeu entrevista exclusiva ao Fantástico. O Assunto fala sobre o cotidiano transformado com Ruy Castro e Heloisa Seixas. Participe da "Expedição Fotográfica Globo - Da Janela". Professores da rede municipal de São Paulo vão voltar ao trabalho hoje para planejar, à distância, como deve ocorrer a retomada do ensino. A quarentena dos cães: como agir com pets. EXCLUSIVO: Mandetta falou ao Fantástico  'Maio e junho serão os meses mais duros', afirma Mandetta em entrevista ASSISTA O VÍDEO https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/maio-e-junho-serao-os-mes VÍDEOes-mais-duros-afirma-mandetta-em-entrevista-8476665.ghtml O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, concedeu entrevista exclusiva ao Fantástico. De Goiânia, no Palácio das Esmeraldas, sede do governo goiano, ele falou sobre os meses que virão, o que os brasileiros podem esperar lá na frente e sobre a relação com o presidente Jair Bolsonaro. Assista à entrevista completa no vídeo acima. O ministro afirmou que atitudes de Bolsonaro levam "dubiedade" à população e que maio e junho serão meses mais duros da pandemia. "Brasileiro não sabe se escuta o ministro ou o presidente", disse Mandetta.     Expedição fotográfica: Participe! Durante o isolamento social, é importante explorar diferentes formas de se relacionar para além de nossas casas e com as pessoas que fazem parte de nossas vidas. As ferramentas para se comunicar são as mais diversas e podem ser simples como uma janela — que permite ver o que acontece lá fora — ou tecnológicas — como as redes sociais. A "Expedição Fotográfica Globo - Da Janela" é a proposta da Globo para unir o singelo e o sofisticado em uma forma enriquecedora de se manter em contato com o mundo, mesmo estando dentro de casa. E, a partir desta segunda-feira qualquer pessoa pode fazer parte dessa iniciativa. Para participar, é preciso deixar o perfil aberto e postar suas fotos nas redes sociais usando a #ExpedicaoGloboDaJanela e o nome da sua cidade na legenda. Ensino à distância — Foto: Divulgação   Os professores da rede municipal de São Paulo vão voltar ao trabalho hoje para planejar, à distância, como deve ocorrer a retomada do ensino em meio à pandemia de coronavírus. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, o processo de aprendizagem se dará por meio de material impresso e, complementarmente, em ambiente virtual. Até quarta-feira (15), os docentes serão orientados sobre plataformas digitais e organização do trabalho online. Aplicativo para aulas a distância na rede estadual de SP já está disponível para alunos Coronavírus faz educação a distância esbarrar no desafio do acesso à internet e da inexperiência dos alunos Show... em casa João Bosco e Vinícius — Foto: Rubens Cerqueira / Divulgação João Bosco & Vinícius preparam live mais light e comentam atrito com Naiara Azevedo. 'A gente não está preocupado com visualizações', diz João Bosco ao G1.130806615169782-4300674182231487544-n.jpg 2x" style="box-sizing: inherit;"> — Foto: Reprodução / Instagram   lém de mudar hábitos, a quarentena também está interferindo na rotina dos cães. O número de passeios diminuiu - ou deixou de existir - e as saídas são mais curtas e cheias de cuidados. Falta de atividade pode deixar pets ansiosos mesmo com casa cheia. Brinquedos interativos, treinos de comandos e música clássica podem ajudar a entretê-los. Colo e atenção o tempo inteiro podem gerar ansiedade de separação quando isolamento acabar. Economia O Ministério da Economia divulga hoje o resultado da balança comercial. Até 22 de março, o país registrou superávit de US$ 2,683 bilhões no mês passado. O Banco Central divulga relatório com as previsões do mercado financeiro para PIB, inflação, entre outros índices. BBB20 Flayslane — Foto: Reprodução / TV Globo Flayslane foi eliminada do "BBB20" ontem á noite, com 63% dos votos. Ela foi a 13ª participante a deixar a casa. Babu e Thelma continuaram no jogo. Thelma recebeu 36,53% dos votos e Babu, apenas 0,47%. Desligou no final de semana? Veja algumas das principais notícias Boris Johnson recebe alta após ser internado com Covid-19   Brasil tem 1.223 mortes e 22.169 casos confirmados de coronavírus, diz ministério Cristo Redentor 'veste' jaleco em homenagem a médicos durante pandemia do coronavírus; vídeo 1,4 mil profissionais de saúde já se infectaram no Brasil e 18 morreram Boris Johnson deixa hospital após ser internado e ficar na UTI por causa do novo coronavírus Hospital de campanha no Pacaembu tem 1ª morte por coronavírus Em missa pela internet, Papa prega união para enfrentar pandemia Santuário de Aparecida fica vazio no domingo de Páscoa pela 1ª vez Ministério da Saúde alerta: não é hora de relaxar o isolamento Governo ameaça ir à Justiça contra medidas restritivas nos estados Bolsonaro descumpre medidas de distanciamento social pelo terceiro dia seguido  Bolsonaro descumpre medidas de distanciamento social pelo 3º dia seguido   Ministro afirmou ainda que 'maio e junho serão os meses mais duros' da pandemia de Covid-19. *COM INFORMAÇÕES DO G1

Brasil tem 1.223 mortes e 22.169 casos confirmados de coronavírus, diz ministério

Balanço da pasta foi divulgado neste domingo (12). Em 24 horas, foram mais 1.442 casos e 99 mortes somadas às estatísticas.   Evolução das mortes por coronavírus no Brasil desde 17 de março — Foto: Guilherme Pinheiro/ G1    balanço dos casos de Covid-19 divulgados pelo Ministério da Saúde neste domingo (12) aponta: 1.223 mortes 22.169 casos confirmados Letalidade: 5,5% No sábado (11), havia 1.124 mortes e 20.727 casos confirmados. São 1.442 casos (alta de 7%) e 99 mortes (alta de 9%) a mais, em 24 horas. Casos de coronavírus no Brasil e no mundo VÍDEOS: coronavírus, perguntas e respostas Tocantins segue sendo o único estado do país sem mortes devido à Covid-19. São Paulo (8.755), Rio de Janeiro (2.855), Ceará (1.676), Amazonas (1.206) e Pernambuco (960) são os estados com maior número de casos. A região Sudeste registrou 12.799 (57,7%) dos casos do país. A região Nordeste é a segunda mais afetada com 4.246 (19,2%), seguida das regiões Sul, com 2.159 (9,7%); Norte, com 1.898 (8,6%); e Centro-Oeste, com 1.067 (4,8%).     Ministério da Saúde: Brasil tem 1.223 mortes por coronavírus Assista o vídeo   https://g1.globo.com/globonews/jornal-globonews/video/ministerio-da-saude-brasil-tem-1223-mortes-por-coronavirus-8476567.ghtml   Mortes mais que dobram em uma semana O total de mortes mais que dobrou desde a semana passada. Na segunda-feira(6) eram 553 mortes. O aumento em relação ao total divulgado neste domingo foi de 121%. Gráfico mostra crescimento das mortes por coronavírus no Brasil em uma semana — Foto: Guilherme Pinheiro/G1 Na sábado (11), eram 1.124 mortes. Em 24 horas foram confirmadas mais 99 vítimas, um aumento de 9%. Casos de Covid-19 no Brasil — Foto: Guilherme Pinheiro/ G1 Neste domingo (12), não aconteceu a coletiva de imprensa com os jornalistas, os dados foram divulgados no site do Ministério da Saúde. Brasil tem 22.169 casos confirmados da Covid-19 — Foto: Guilherme Pinheiro/G1   Vídeos:     Fortaleza é a capital com maior incidência de Covid-19- Assista o vídeo https://g1.globo.com/globonews/jornal-globonews/video/fortaleza-e-a-capital-com-maior-incidencia-de-covid-19-8476530.ghtml

Feliz Páscoa

Aos vereadores e vereadoras do Brasil Páscoa é dizer sim ao amor e à vida; é investir na fraternidade, é lutar por um mundo melhor,  é vivenciar a solidariedade. Feliz Páscoa!  

12 de abril- Domingo - ABRACAM exibe os destaques da mídia

Destaque 1 Últimas notícias de coronavírus de 12 de abril Espanha voltou a registrar alta no número de mortes neste domingo. Premiê Boris Johnson deixou o hospital onde se tratou de Covid-19.   Um voluntário da ONG espanhola Open Arms empurra em cadeira de rodas um idoso residente de um lar de idosos com sintomas de coronavírus para um hospital em Barcelona, ​​Espanha. — Foto: Felipe Dana/AP  Espanha registrou 619 mortes pelo novo coronavírus neste domingo (12). A nova alta quebra uma série de três dias de declínio. O número total de mortos pela pandemia de Covid-19 no país já passa de 16,9 mil e o de infectados, de 166 mil. Após uma semana de internação, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, deixou o hospital St.Thomas, em Londres, onde se tratou de Covid-19. Ele agradeceu ao serviço público de saúde britânico, o NHS, por ter salvado "sua vida". A China anunciou pela segunda vez que não registrou nenhuma morte provocada pelo novo coronavírus neste domingo. Porém, o número de casos importados bateu recorde. Com mais 97 casos, o país já soma 1.280 de infecção entre viajantes vindos do exterior. Em 24 horas, os Estados Unidos registraram 1.920 mortes relacionadas ao novo coronavírus, de acordo com uma contagem da Universidade Johns Hopkins feita às 21h30 (horário de Brasília) no sábado (11). A informação é da agência France Presse. PANDEMIA: veja quais países já registraram casos da doença GUIA ILUSTRADO: sintomas, transmissão e prevenção SÉRIE DE VÍDEOS: coronavírus, perguntas e respostas EM CASA: Andrea Bocelli fará live neste domingo; confira shows para ver online Domingo de Páscoa Papa Francisco dá a benção "Urbi et Orbi" na Basílica de São Pedro, neste domingo de Páscoa — Foto: Andreas Solaro / Reuters Na Itália, o Papa Francisco celebrou a missa do Domingo de Páscoa, com a tradicional benção "Urbi et Orbi". O pontífice pediu união. Por causa da pandemia, a basílica de São Pedro ficou com as portas fechadas, como aconteceu em todas as cerimônias da Semana Santa no Vaticano. Os países com mais casos confirmados de coronavírus neste domingo são: Estados Unidos, Espanha, Itália, França, Alemanha e China. O Brasil está na 14ª posição. Os dados da Johns Hopkins, que monitora os casos, apontam que: Nos EUA, há mais de 530 mil casos confirmados e 20,6 mil mortes. Na Itália, são 152 mil casos confirmados e 19,4 mil mortes Na França, são 130,7 mil casos confirmados e 13,8 mil mortes Na Alemanha, são 125,4 mil casos confirmados e 2,8 mil mortes Na China, são mais de 83 mil casos confirmados e 3,3 mil mortes No Brasil, as secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até as 22h deste sábado (11), 20.984 casos confirmados e 1.141 mortes. Acompanhe a celebração da Páscoa pelo Brasil e pelo mundo; FOTOS VÍDEO Estados Unidos passam a marca de 10 mil mortos pela Covid-19 e superam a Itália Assista o vídeo https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/estados-unidos-passam-a-marca-de-10-mil-mortos-pela-covid-19-e-superam-a-italia-8476292.ghtml Com informações do G1 Destaque 2 Ministério da Saúde pede que capitais não relaxem o isolamento   Manaus vai ser a primeira capital a receber reforço de médicos de outros estados Ministério da Saúde pede que capitais não relaxem o isolamento O Ministério da Saúde confirmou quase 21 mil casos de Covid-19, com mais de 1,1 mil mortes. Já pelo levantamento do G1, feito até as 20h deste sábado (11), são 237 casos a mais e 16 mortes a mais. Diante do aumento constante do número de casos de Covid-19, o Ministério da Saúde defendeu que não é hora de relaxar as medidas de isolamento social, principalmente em cidades com alta incidência. “Manaus, Fortaleza, São Paulo e Rio de Janeiro são os locais onde nós não podemos relaxar ainda com as medidas de distanciamento social e esta conversa tem sido regular. O momento é de pensar em distanciamento social, lavar as mãos com frequência, cobrir o rosto ao tossir e espirrar, usar as máscaras como nos mencionamos anteriormente. Se estiver doente, ficar em casa. Medidas de higiene, de etiqueta social e as medidas de distanciamento social são as únicas e mais eficientes armas que nós dispomos no momento”, diz o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira. Sobre a cidade de São Paulo, onde o movimento nas ruas aumentou nos últimos dias, os técnicos do ministério alertaram que o isolamento precisa ser ampliado para diminuir a velocidade da doença. “Nós estamos observando em São Paulo que para se ter um efeito mais significativo ou um resultado, um benefício do distanciamento social, este distanciamento social deveria estar em torno de 70%. Ainda não está no momento de relaxamento da situação em São Paulo. É o que dizem as próprias autoridades locais e é o que a gente vem observando. Obviamente todo esse desafio implica numa compreensão da população e numa adesão da população para que ela compreenda que estas medidas são justamente para proteger quem eles mais gostam, que é sua família, pessoas mais velhas e também a sua comunidade”, afirma Wanderson. A situação mais preocupante neste momento é a de Manaus, segundo o Ministério da Saúde. Na cidade, a curva de casos está subindo tão rápido que a capacidade de atendimento está se esgotando. Por isso, o ministério está preparando medidas para ajudar a cidade, que também está enfrentando um aumento de casos de outras doenças respiratórias. ‘É uma sobreposição de duas epidemias. A epidemia de coronavírus junto com a epidemia de influenza. Então, há uma concomitância ali, uma sobreposição dessas duas curvas. A realidade de Manaus hoje no país talvez seja a mais próxima de uma tomada de decisão mais incisiva caso a população permaneça não aderindo às orientações das autoridades de saúde locais”, explica o secretário. Na semana que vem, o governo vai mandar para Manaus mais profissionais de saúde e leitos de UTI. E neste sábado o ministério anunciou a construção de um hospital de campanha. “Nós vamos colocar recursos para Manaus para que eles possam, imediatamente, colocar 350 leitos em funcionamento. Mandamos ontem 20 equipamentos, 20 respiradores para aumentar sua capacidade de atendimento em UTIs. Vamos mandar mais 20 respiradores ainda para Manaus. Estamos, a partir de segunda-feira, encaminhando médicos intensivistas de outros hospitais do país, alguns do Rio Grande do Sul, outros de outros locais, para ajudar no atendimento desses pacientes em Manaus“, afirma o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo. O ministério disse que vai aumentar a quantidade de testes, incluindo também casos leves. “Vamos iniciar muito em breve uma estratégia para testagem de casos leves. Isso vai se dar de modo gradual, porque precisamos garantir que primeiro os casos graves sejam identificados corretamente porque a testagem do caso grave é para auxiliar no manejo do caso dentro do hospital. Agora há pouco eu chequei, 151 mil amostras. Toda hora aumenta. Amostras em investigação”, diz o secretário Wanderson Oliveira. O secretário anunciou um programa piloto para aumentar a capacidade de testes por dia, mas admitiu que não será possível testar toda a população. “Devemos iniciar um piloto na região de Curitiba e no Rio de Janeiro com as máquinas da Fundação Oswaldo Cruz. Estamos em parceria com o Instituto Butantan e o estado de São Paulo, porque lá vai se concentrar a maior rede de testagem. A gente vai chegar ao ponto de testar entre 30 e 50 mil amostras por dia. Hoje fazemos em média 4,2 mil amostras por dia. Nós não teremos testes para todas as pessoas. Os testes são para conhecer a epidemia e para algumas regiões do pais para que a gente possa tomar a decisão baseada na evidência mais robusta possível”, diz Wanderson. Com informações do G1 Destaque 3 Bolsonaro descumpre medidas de distanciamento social pelo terceiro dia seguido O presidente visitou o canteiro de obras de hospital de campanha em Águas Lindas de Goiás. Em meio à aglomeração provocada pela presença dele, Bolsonaro usou as mãos para retirar a máscara e cumprimentar quem se aproximava. Bolsonaro descumpre medidas de distanciamento social pelo 3º dia seguido   Pelo terceiro dia seguido, o presidente Jair Bolsonaro dedicou alguns minutos ao descumprimento das medidas de distanciamento social defendidas pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde. Desta vez, ele visitou o canteiro de obras de um hospital de campanha em Águas Lindas de Goiás, no entorno de Brasília, o primeiro construído pela União. Em meio à aglomeração provocada pela presença dele, Bolsonaro usou as mãos para retirar a máscara e depois cumprimentar quem se aproximava. Ganhou até beijo na mão, e foi embora de helicóptero. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, acompanhou de longe. Ao ser questionado sobre aquelas cenas, disse que não julgaria a atitude do presidente, mas que o distanciamento é bom, e repetiu que as pessoas devem manter o isolamento social, ficar em casa. Assista o vídeo https://globoplay.globo.com/v/8476218/ Informações e foto do G1

11 de abril, sábado - A ABRACAM apresenta os destaques da mídia.

Brasil ultrapassa mil mortes por covid-19; 19,6 mil estão infectados Aumento de infectados  em 24 horas, é de 1.781 casos O Ministério da Saúde divulgou ontem (10) os números atualizados do novo coronavírus. De acordo com a pasta, o número de infectados, no momento, é de 19.638. o que representa aumento de 1.781 casos em relação ao balanço divulgado ontem (9). Além disso, o número de mortes superou hoje os mil casos. Até o momento, foram registradas 1.056 mortes pela doença. A taxa de letalidade do vírus no Brasil é de 5,4%. O estado de São Paulo ainda concentra o maior número de casos (8.216) e de mortes (540). O Rio de Janeiro vem em segundo lugar, com 2.464 casos e 147 mortes. Na Região Norte, o Amazonas concentra o maior número de casos, com 981, além de 50 mortes. No Nordeste, o Ceará se destaca, com 1.478 casos e 58 mortes. No Centro-Oeste, o Distrito Federal tem o maior número de casos, muito à frente dos demais, com 555 casos e 17 mortes. Os estados do Sul do país apresentam números de casos mais próximos. Santa Catarina é o estado da região com mais casos, 693, e o Rio Grande do Sul com menos casos, 636. Com informações da Agência Brasil Rio atinge 2.464 casos e 147 mortes por coronavírus Foram 248 novos casos e 25 óbitos desde a última atualização (10) O estado do Rio de Janeiro atingiu 2.464 casos confirmados de covid-19 e 147 mortes. Foram 248 novos casos e 25 óbitos desde a última atualização. Os dados fazem parte da estatística diária divulgada pela Secretaria estadual de Saúde nesta sexta-feira (10).Os novos óbitos estão concentrados na capital, com dez casos, seguida por Duque de Caxias (7), Volta Redonda (2), Tanguá (1), Mangaratiba (1), Bom Jesus de Itabapoana (1), São Gonçalo (1), Maricá (1) e Nova Iguaçu (1). A vítima mais nova é um homem de 30 anos, do Rio de Janeiro, e a mais velha, uma mulher, de 93 anos, também do Rio de Janeiro. Ainda há 101 óbitos em investigação. Dos novos casos da doença, a capital segue liderando com o maior número, 1.808, ou 73% do total. Em seguida, entre os municípios com mais casos estão Niterói (117), Volta Redonda (71), Nova Iguaçu (68), Duque de Caxias (62), São Gonçalo (35), Belford Roxo (28), Petrópolis (26), Mesquita (23), Itaboraí (20), Maricá (15), Nova Friburgo (13), Nilópolis (13), Magé (11), Barra Mansa (11), Queimados (8), Teresópolis (8), Macaé (6), Resende (6) e Rio das Ostras (5). Os demais municípios têm menos de cinco casos cada - Angra dos Reis (4), Cabo Frio (4), Campos dos Goytacazes (4), Itaguaí (4), Rio Bonito (4), São Pedro da Aldeia (4), Seropédica (4), Araruama (3), Barra do Piraí (3), Bom Jesus de Itabapoana (3), Casimiro de Abreu (3), Guapimirim (3), Iguaba Grande (3), Japeri (3), Mangaratiba (3), Paraíba do Sul (3), Bom Jardim (2), Itaperuna (2), Miguel Pereira (2), Paty do Alferes (2), Porto Real (2), Quatis (2), Tanguá (2) e Valença (2). Os municípios de Arraial do Cabo, Cachoeiras de Macacu, Cantagalo, Itatiaia, Paracambi, Paraty, Porciúncula, Rio das Flores, São Francisco de Itabapoana, São João da Barra, Sapucaia, Sumidouro e Três Rios têm um caso cada. Ainda há um município em investigação. Para mais informações sobre a doença, é possível ligar gratuitamente para o número 160 ou acessar www.coronavirus.rj.gov.br. Com informações da Agência Brasil Governador do DF autoriza reabertura de lojas de móveis e eletro Também voltam às atividades as instituições do Sistema S O governador do Distrito Federal (DF), Ibaneis Rocha, determinou hoje (10) a reabertura de lojas de móveis e eletrodomésticos. Assim, as lojas especializadas na comercialização de itens como fogão, geladeira, cama, sofá e outros móveis para casa e escritório poderão reabrir as portas. O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal. O governador também autorizou o retorno às atividades das instituições do Sistema S. Dessa forma, voltam a funcionar o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o Serviço Social do Comércio (Sesc), o Serviço Social da Indústria (Sesi), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), o Serviço Social de Transporte (Sest), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat). A decisão confirma o abrandamento das medidas de isolamento determinadas por Ibaneis no dia 19 de março. Na ocasião, ele determinou o fechamento do comércio em geral, com exceção de atividades relacionadas à saúde e compra de artigos de primeira necessidade, como supermercados e padarias. Escolas e faculdades também foram proibidas de abrir. No dia 1º de abril, Ibaneis editou um decreto prorrogando o fechamento de vários tipos de comércio e instituições de ensino, mas permitindo a reabertura de feiras permanentes. O decreto de hoje inclui lojas de móveis e eletrodomésticos no rol de estabelecimentos contemplados no decreto do início do mês. Balanço de hoje do Ministério da Saúde que atualiza os números do coronavírus no país mostra que o DF tem 555 casos confirmados, com 14 mortes. Além disso, o ministério inclui o Distrito Federal em uma lista, juntamente com São Paulo, o Rio de Janeiro, Ceará e Amazonas como os estados que podem estar entrando numa fase de aceleração descontrolada da pandemia. Arrecadação de recursos No mesmo decreto publicado hoje, Ibaneis criou o programa Todos Contra o Covid. Segundo o decreto, o programa permite a arrecadação de recursos para aquisição e contratação, de forma imediata, de serviços, equipamentos, insumos, alimentos e demais bens necessários ao enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Segundo a publicação, essas arrecadações não poderão exigir ônus ou encargos ao Distrito Federal. O Instituto BRB, vinculado ao Banco de Brasília, executará o programa. Com informações da Agência Brasil SP: isolamento social cai para 47%; ideal é 70% Se taxa continuar baixa, número de leitos será insuficiente  O índice de isolamento social no estado de São Paulo foi de apenas 47% nessa quinta-feira (9), de acordo com o Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP) do governo estadual. Na quarta-feira (8), o índice foi de 50%. De acordo com o coordenador do Centro de Contingência do coronavírus em São Paulo, o médico infectologista David Uip, a adesão ideal para controlar a disseminação da covid-19 é de 70%. Segundo o governo do estado, se a taxa continuar baixa, o número de leitos disponíveis no sistema de saúde não será suficiente para atender a população. A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. O sistema é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM, para que o estado possa consultar informações agregadas sobre deslocamento nos 645 municípios paulistas. De acordo com o governo estadual, as informações são aglutinadas sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Com informações da Agência Brasil

10 de abril, sexta-feira – A ABRACAM exibe os destaques da mídia

Bolsonaro espera retomada de atividades no país em até quatro meses Para o presidente, quem tem menos de 40 anos poderia voltar a trabalhar O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (9) que espera a normalização da atividades do país em menos de "três ou quatro" meses, para não haver, segundo ele, uma complicação no cenário econômico. Ao citar os gastos de cerca de R$ 600 bilhões para programas de combate à pandemia do novo coronavírus e manutenção de empregos e renda das empresas, o presidente comparou a situação às margens de um rio após a destruição de uma ponte. "Estamos com esses R$ 600 bilhões mantendo a comunicação com as duas margens do rio, só que temos um limite, acredito que três meses ou quatro meses fica complicado, então a gente espera que as atividades voltem antes disso", afirmou durante sua live semanal transmitida pelo Facebook. Bolsonaro voltou a defender o fim do isolamento social amplo para pessoas fora dos grupos de risco da covid-19, como idosos e pessoas com doenças crônicas. "Por mim, quem tem menos de 40 anos já estaria trabalhando, porque nós deveríamos, no meu entender, partir para o isolamento vertical", disse. O presidente lembrou decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que assegurou a autonomia de governos estaduais e prefeituras para determinar medidas de fechamento de comércio e isolamento social, e disse que quem se sente prejudicado por essas decisões deve cobrar os governadores e prefeitos. Ainda de acordo com presidente, no entanto, alguns estados e cidades já estão retomando as atividades, como ele defende. "Eu tenho certeza que brevemente isso tudo estará resolvido. Tenho notícias que alguns governadores, alguns prefeitos também, [em] cidades que não tem ninguém detectado com o vírus, está sendo liberado [o comércio] pelo respectivo governador", afirmou. O número de mortes decorrentes do novo coronavírus totalizou 941, segundo atualização divulgada pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira. Ao todo, o Brasil registrou 141 mortes e 1.930 novos casos confirmados nas últimas 24 horas. Com informações da Agência Brasil Bolsonaro voltou a defender o fim do isolamento social amplo para pessoas fora dos grupos de risco da covid-19, como idosos e pessoas com doenças crônicas. "Por mim, quem tem menos de 40 anos já estaria trabalhando, porque nós deveríamos, no meu entender, partir para o isolamento vertical", disse. O presidente lembrou decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que assegurou a autonomia de governos estaduais e prefeituras para determinar medidas de fechamento de comércio e isolamento social, e disse que quem se sente prejudicado por essas decisões deve cobrar os governadores e prefeitos. Ainda de acordo com presidente, no entanto, alguns estados e cidades já estão retomando as atividades, como ele defende. Com informações da Agência Brasil Covid-19: governo reforça recomendações para feiras livres e sacolões Produtores e agricultores devem redobrar cuidados de higiene O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento enfatizou a importância de produtores e agricultores familiares cujas mercadorias são vendidas em feiras livres, sacolões e lojas varejistas redobrarem os cuidados de higiene a fim de evitar a contaminação pelo novo coronavírus (covid-19). Em parceria com o Ministério da Saúde e com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a pasta elencou 19 recomendações para a manipulação dos alimentos. São medidas que contemplam desde os cuidados com a higiene pessoal por parte dos trabalhadores à limpeza dos ambientes, superfícies e veículos de transporte, passando pela estrutura das feiras e orientações que os vendedores podem repassar aos seus clientes. Previstas em leis e normas, as recomendações contribuem para a segurança e a manutenção dos serviços de abastecimento à população. Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, os produtores e agricultores familiares devem: - limpar e higienizar regularmente todos os veículos de transportes, bem como as superfícies dos locais de acondicionamento de produtos, equipamentos e utensílios; - manter pelo menos um metro de distância entre as bancas; entre os funcionários e entre os empregados e clientes. Para isso, poderão ser usadas faixas ou fitas para demarcar os limites e ampliar a divisão dos turnos de trabalho a fim de evitar aglomeração de pessoas; - disponibilizar pias com água corrente e sabonete, além de álcool 70% para uso de feirantes e consumidores; - as bancas e barracas devem ser instaladas em locais amplos, preferencialmente ao ar livre. O lixo deve ser frequentemente coletado e estocado em local isolado da área de preparação e armazenamento dos alimentos; - caso opte por usar máscaras, o comerciante deve substituí-las e higienizá-las sempre que elas estiverem úmidas ou sujas. No caso das luvas, estas devem ser utilizadas apenas para a manipulação do alimento; - separar o local de pagamento de maneira a manter o distanciamento entre quem estiver cobrando e quem estiver pagando dos demais clientes e feirantes e encarregar uma ou mais pessoas de receber o dinheiro dos consumidores; - proibir qualquer tipo de degustação ou consumo de produtos no local; - manter as unhas curtas, bem aparadas, sem esmaltes, e não usar adornos que possam acumular sujeiras e micro-organismos, como anéis, aliança e relógio; - não conversar, espirrar, tossir, cantar ou assoviar em cima dos alimentos, superfícies ou utensílios. A recomendação vale tanto para o momento do preparo dos alimentos/mercadorias quanto para o de servir; - quem prepara os alimentos deve lavar as mãos com frequência e, principalmente, depois de: tossir, espirrar, coçar ou assoar o nariz; coçar os olhos ou tocar na boca; preparar alimentos crus, como carne, vegetais e frutas; manusear celular, dinheiro, lixo, chaves, maçanetas, entre outros objetos; ir ao sanitário; retornar dos intervalos; - pessoas com mais de 60 anos ou que possuam doenças crônicas como diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares, insuficiência renal crônica ou doença respiratória crônica devem se afastar das atividades, bem como os comerciantes que, mesmo não fazendo parte do grupo de risco, têm contato direto com pessoas do chamado grupo do risco; - trabalhadores com sintomas como tosse, febre, coriza, dor de garganta e falta de ar, independentemente de pertencerem a algum grupo de risco, devem se afastar da atividade e permanecer em casa, isolados, por 14 dias, e procurar o serviço de saúde caso o quadro se agrave. Além dessas medidas, o ministério também recomenda aos feirantes que procurem organizar o fluxo de pessoas, evitando aglomerações. E lembra que não há, segundo as principais autoridades de saúde, até o momento, evidências de que o novo coronavírus possa ser transmitido por meio de alimentos, embora pesquisas apontem que o vírus pode persistir por horas ou até dias em algumas superfícies, dependendo da temperatura e da umidade do ambiente. Com informações da Agência Brasil Onyx defende volta gradual da atividade econômica após a Páscoa O ministro da Cidadania fez uma live promovida pelo Grupo Voto O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, defendeu uma volta gradual da atividade econômica no Brasil após o próximo domingo (12). Para ele, um retorno “responsável” das pessoas ao trabalho a partir dos próximos dias dará condições de o Brasil retomar o crescimento. “Eu acredito que se nós retornarmos após o feriado da Páscoa de maneira gradual, responsável, à atividade econômica, vamos sofrer um baque este ano, sem dúvida, mas vamos ter, sim, a condição de poder retomar a atividade econômica e fazer o Brasil continuar crescendo”, disse o ministro, durante uma live promovida pelo Grupo Voto, uma empresa de comunicação política e institucional, na tarde de hoje (9). Atualmente, cada governador tem determinado uma forma de isolamento social em seu estado para diminuir a circulação de pessoas e, com isso, as chances de propagação do novo coronavírus. O comércio de produtos não essenciais, além de bares e restaurantes estão fechados em várias cidades. Onyx acredita que o Brasil se recuperará rápido da crise econômica gerada pela pandemia do covid-19. Ele entende que as demandas dos outros países aos produtos que o Brasil exporta são peça chave nesse processo. “A nossa base é minerais e commodities agrícolas e vai ter uma super demanda. O Brasil deve, no segundo semestre, recuperar um perfil de crescimento muito positivo”. Ele ponderou, no entanto, que o Brasil também dependerá da recuperação econômica dos seus compradores que, assim como grande parte do mundo, está mergulhado na mesma crise. “Nossos compradores de commodities agrícolas precisam também retomar o seu desenvolvimento e isso está ligado à demanda que eles vão ter para fornecer para outros países. Esse processo não tem como prever. A gente tem que ir trabalhando para dar condição para o Brasil responder”. O ministro ainda estimou que a duração da epidemia seja de 12 a 14 semanas, com base, segundo ele, na duração da maior parte das epidemias ocorridas no mundo no século 20. Durante a live, ele ainda destacou o pagamento do auxílio emergencial, que teve início hoje. Ele citou o pagamento feito hoje a pouco mais de 2 milhões de pessoas. Segundo o ministro, a expectativa é que o auxílio atenda de 30 a 35 milhões de pessoas. Com informações da Agência Brasil Coronavírus: como higienizar as compras do mercado ou da feira Jean Gorinchteyn, infectologista do Hospital Emílio Ribas, em São Paulo, indica descartar embalagens plásticas e deixar frutas e verduras em solução de hipoclorito de sódio antes de guardar. Além dos cuidados que devem ser tomados ao sair de casa para ir a supermercados e feiras, as pessoas também devem dar uma atenção especial à higienização das compras ao chegar em casa, apontam especialistas. Embalagens e sacos plásticos podem servir como meio de contaminação para o novo coronavírus, já que podem ser manuseados por várias pessoas. Segundo informações da Organização Mundial da Saúde (OMS), o novo vírus necessita de um hospedeiro para se multiplicar. A transmissão ocorre somente de pessoa para pessoa, de forma direta ao ter contato com um indivíduo contaminado, ou indireta, tendo contato com uma superfície contaminada e não higienizando as mãos posteriormente. Por isso, o G1 consultou um infectologista para saber a melhor forma de higienizar as compras do mercado ao chegar em casa. Como higienizar caixas de leite e embalagens de plástico? Segundo Jean Gorinchteyn, infectologista do Hospital Emílio Ribas, de São Paulo, água e sabão são suficientes para limpar itens que vêm em embalagens de plástico, como os produtos de limpeza. "Para higienizar produtos que sejam à base de papelão, aí pano umedecido com um pouquinho de álcool a 70%. Passa o pano e pode colocar no armário de forma tranquila", diz. "Pode também lavar com água e sabão, usando uma esponjinha para retirar resíduos de sujeiras que podem ter ficado, não obrigatoriamente relacionada a vírus, mas bactérias, sujidades." Frutas e verduras devem ser deixadas em solução com hipoclorito de sódio antes de guardar, aponta infectologista. — Foto: Celso Tavares/G1 E as frutas e verduras? "As frutas e legumes devem ser colocados num recipiente com água e 4 gotinhas de hipoclorito de sódio. Mantém por 5 ou 10 minutos, depois despreza essa água e lava com água corrente normalmente", diz Gorinchteyn. O que fazer com as embalagens de carnes e peixes? Nos casos de proteínas como carnes e peixes, o infectologista afirma que a preocupação tem que ser com a embalagem, que pode ter sido manipulada por outros pessoas, e não com o conteúdo em si. "Então, chego em casa, abro essas embalagens de forma cuidadosa e já jogo no lixo. Lavo a mão com água e sabão, porque vou estar do lado da pia, e coloco [a carne] em outro recipiente no qual eu possa guardar na geladeira", diz. O que fazer com as sacolas plásticas e outras embalagens? Gorinchteyn diz que as pessoas devem ter cuidado também com as sacolas plásticas, pois o vírus pode aderir nas superfícies. Por isso, o melhor é descartá-las. "Os sacos plásticos devem ser desprezados. Mesmo as embalagens de papel devem ser desprezadas, uma vez que a gente não sabe quem e quantos manipularam essas caixas ou essas embalagens de uma forma recente." Sobrevida do coronavírus em superfícies — Foto: Arte/G1 Com informações do G1 Confinamento diminui poluição em SP, Rio e outros centros urbanos; veja imagens feitas com dados de satélite   Confinamento para combater a Covid-19 fez o trânsito diminuir, e um composto químico que surge com a queima de combustível é menos presente na atmosfera das maiores cidades brasileiras. Imagem feita a partir de informações de concentração de poluente na atmosfera — Foto: Diego Hemkemeier Silva/Divulgação/Via G1 Satélites que monitoram os poluentes na atmosfera registraram uma melhora do ar em grandes centros urbanos brasileiros, afirmam pesquisadores. Com as regras de confinamento impostas pelos governadores estaduais para combater a Covid-19, diminuiu o trânsito de veículos. Um dos poluentes que são emitidos quando há queima de combustíveis fósseis é o dióxido de nitrogênio. O satélite Sentinel 5P, da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) registrou manchas desse composto químico menores nas regiões metropolitanas do Brasil. Mapa mostra poluentes em Curitiba em 2019 e 2020, quando houve redução do trânsito por causa da Covid-19 — Foto: Diego Hemkemeier Silva/Divulgação/ Via G1 Os dados foram transformados em mapas por Diego Hemkemeier Silva, gerente de informações ambientais e geoprocessamento e Fábio Castagna da Silva, do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA/SC). Visualmente, os maiores impactos são nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. "A principal variável que influencia é a redução do fluxo de veículos", diz Hemkemeier. Os carros não são os únicos emissores de dióxido de nitrogênio: usinas termelétricas que usam carvão mineral ou óleo pesado para gerar energia também dispersam o composto na atmosfera. Esse tipo de geração é pouco presente no Brasil --na Europa e na China, elas são mais comuns, e, por isso, as manchas nesses outros lugares retrocederam mais, diz ele. Ainda não há tempo suficiente para fazer uma comparação com números, ele explica. Em um período curto, fatores como vento, chuva, umidade do ar podem influenciar os dados, então é preciso aguardar para poder fazer uma avaliação mais precisa. O pesquisador estima que sejam necessários 30 dias. Leonardo Hoinaski, professor da Universidade Federal de Santa Catarina, especializado em poluição atmosférica, diz que é difícil medir os benefícios desse tipo de redução de poluição. O dióxido de nitrogênio causa problemas de respiração, que podem, inclusive, agravar a condição dos pacientes da Covid-19. "Se essa redução se mantivesse ao longo dos anos, os efeitos seriam nítidos", diz. Os carros emitem outros poluentes que também diminuíram, ainda que não apareçam no mapa, diz Honiaski. Com informações do G1 Coronavírus: distância mínima entre quem caminha, corre ou pedala ao ar livre deve ser de 4 a 20 metros, aponta estudo   Conclusão, que ainda não foi publicada em meio científico, é de pesquisadores da Bélgica e da Holanda. Em outro estudo, cientistas da Finlândia simularam, em vídeo, como o vírus da Covid-19 se espalha pelo ar em um ambiente fechado. Imagem mostra como as gotículas de saliva se espalham atrás de uma pessoa que corre a 14,4km/h e podem infectar alguém que vem logo atrás se a pessoa estiver contaminada com a Covid-19. — Foto: Universidade de Tecnologia de Eindhoven Uma pesquisa feita por cientistas da Bélgica e da Holanda recomenda que, durante a pandemia de Covid-19, as pessoas devem manter distância de até 20 metros umas das outras em exercícios físicos ao ar livre, a depender da atividade. O estudo ainda não foi publicado em revista científica, mas já foi divulgado pelas universidades responsáveis – a Universidade Católica de Leuven, na Bélgica, e a Universidade de Tecnologia de Eindhoven, na Holanda – por ter sido considerado urgente para ajudar no combate ao novo coronavírus. Os cientistas analisaram simulações feitas em computador de movimentos de caminhada, corrida e pedalada e concluíram que as gotículas de saliva emitidas pelas pessoas durante esses exercícios ficam no ar logo atrás delas enquanto elas se movimentam. (Veja detalhes sobre a sobrevivência do vírus da Covid-19 no ar mais abaixo nesta reportagem). Imagem animada mostra caminhos que as gotículas de saliva fazem quando uma pessoa caminha ao lado da outra, atrás da outra ou na diagonal. — Foto: Universidade de Tecnologia de Eindhoven Por isso, recomendaram que, em atividades físicas ao ar livre, o ideal é manter a seguinte distância mínima das outras pessoas: Caminhada: ficar longe entre 4 e 5 metrosda pessoa que está à sua frente; Corrida: ficar longe pelo menos 10 metros da pessoa que está à sua frente; Pedalada: ficar longe pelo menos 20 metrosda pessoa que está à sua frente. Os pesquisadores, que estudam aerodinâmica, não analisaram o vírus da Covid-19, mas, sim, a forma com que as gotículas de saliva viajam pelo ar. Essas gotículas são a forma de transmissão do vírus. "As gotículas que nós geramos quando respiramos ou exalamos o ar são muito pequenas, na verdade, e não viajam para muito longe. Se estivermos falando e estamos parados, a uma distância de 1,5 metros [distância mínima recomendada pela OMS], as suas gotículas não vão me alcançar e nem as minhas vão alcançar você", explicou o professor Bert Blocken, líder do estudo, em entrevista ao G1. "Mas o problema é que, claro, quando você se mexe é diferente. Quando você está pedalando ou andando na minha frente, e respira e se move, as gotículas se movem para trás de você, no que chamamos de 'corrente de ar'. E, como as gotículas são muito leves, precisam de algum tempo para chegar ao chão. Mas, se eu estou correndo muito perto atrás de você, eu vou respirar e inalar a sua nuvem de gotículas", alertou. De acordo com as simulações, esse distanciamento mínimo faz menos diferença se as pessoas estiverem andando ou correndo ao lado uma da outra em tempo calmo, sem vento. Outra forma de evitar as gotículas dos outros que caminham à frente é manter uma linha diagonal, em vez de caminhar ou pedalar diretamente atrás da outra pessoa. "Se você anda logo atrás da outra pessoa, e relativamente rápido, a 4km/h, precisa manter uma distância de 4 a 5 metros ou chegar um pouco para o lado, para não estar na corrente de ar do outro", explicou Blocken. "Você precisa deixar as gotículas caírem no chão, e por isso não pode andar muito rápido. Ou, então, manter uma longa distância da outra pessoa". Ele recomenda, para evitar essas gotículas, que as pessoas usem máscaras durante atividades físicas ao ar livre ou que se exercitem em casa. "Se as máscaras forem boas, e se ajustarem muito bem ao rosto, podem parar as gotículas e também prevenir que você emita muitas delas no ambiente ou nas pessoas. O problema é se haveria máscaras suficientes – aqui na Bélgica, nós não temos", explica. No Brasil, milhares de denúncias foram feitas por médicos e enfermeiros sobre a falta de equipamento de proteção nos hospitais. Por causa dessa falta, que está sendo registrada no mundo inteiro, a Organização Mundial de Saúde (OMS) pediu à população que não compre máscaras destinadas a profissionais de saúde. Espalhamento em ambientes fechados Outro estudo, divulgado em 6 de abril por quatro instituições de pesquisa na ). Na simulação, a nuvem de aerossol se espalha da vizinhança imediata da pessoa que tosse e se dilui no processo. Mas isso pode levar alguns minutos. Simulação finlandesa mostra o que acontece quando alguém tosse ou espirra em um ambiente fechado e com ar condicionado, como um supermercado. — Foto: Reprodução/YouTube Aalto University "Uma pessoa infectada pelo coronavírus pode tossir e sair, mas deixar para trás as partículas carregando o vírus. Essas partículas podem, então, acabar no trato respiratório de outros que estão perto", explicou o professor Ville Vuorinen, da Universidade de Aalto. Segundo a universidade, as partículas que saem da boca de alguém que tosse, por exemplo, são tão pequenas que, em vez de descer para o chão, pegam "carona" em correntes de ar ou continuam flutuando no mesmo lugar. Com essas constatações, os cientistas ressaltaram a importância de evitar lugares cheios e fechados. "O Instituto Finlandês de Saúde e Bem Estar recomenda que você fique em casa se estiver doente e que mantenha distância física de todos. As instruções também incluem tossir na manga da roupa e ter boa higiene das mãos", declarou Jussi Sane, especialista chefe do instituto. O vírus da Covid-19 é transmitido pelo ar? Os cientistas não sabem com certeza, mas estão discutindo isso. Uma pesquisa publicada em 17 de março por várias universidades americanas apontou que o novo coronavírus (Sars-Cov-2) pode permanecer no ar em forma de gotículas por até 3 horas e continuar infeccioso. Mas, segundo a OMS, uma análise de 75,4 mil casos de Covid-19 na China não demonstrou esse tipo de transmissão. A entidade reforça que a forma de transmissão é pelo contato direto com as gotículas de alguém infectado ou com uma superfície contaminada. Apesar disso, a organização reconheceu, em uma nota do dia 29 de março, que a transmissão pelo ar da Covid-19 "pode ser possível" durante procedimentos de aerossol – por exemplo, uma entubação de alguém infectado. Já uma carta publicada no dia 1º pela Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS, na sigla em inglês) admite a possibilidade de que o vírus pode se espalhar até quando alguém respira – e não somente tosse ou espirra. Com informações do G1 e Destaques do jornalista Milton Atanazio

Brasil tem 941 mortes e 17.857 casos confirmados de coronavírus, diz ministério

Balanço da pasta foi divulgado nesta quinta-feira (9). Em 24 horas, foram mais 1.930 casos e 141 mortes somadas às estatísticas.    Brasil tem 941 mortes e 17.857 infectados pelo novo coronavírus, diz Ministério da Saúde O balanço dos casos de Covid-19 divulgados pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (9) aponta: 941 mortes 17.857 casos confirmados Letalidade: 5,27% Na quarta (8), havia 800 mortes e 15.927 casos confirmados. São 1.930 casos (alta de 12%) e 141 mortes (alta de 18%) a mais em 24 horas. Tocantins é o único estado do país sem mortes devido à Covid-19. O ministério também divulgou as regiões com maior incidência da doença no país - número de infecções para cada 100 mil habitantes. Veja a lista: 1ª região de Fortaleza (CE) - 43,9 São Paulo (SP) - 40,4 Manaus, entorno, e Alto do Rio Negro - 28,1 Distrito Federal (DF) - 16,9 Área Central (AP) - 16,8 Laguna (SC) - 15,7 Rio Negro e Solimões (AM) - 15,4 Metropolitana (RJ) - 15,4 São Luís (MA) - 15,1 Região 22 - Pampa (RS) - 14,9 As três primeiras regiões com a maior incidência também são as que tem o maior coeficiente de mortalidade - óbitos por 100 mil habitantes. São elas: São Paulo (SP), com índice de 2,8 mortes por 100 mil; 1ª Região de Fortaleza (CE), com 1,5; e Rio Negro e Solimões (AM), com 1,3.   Evolução dos casos do Sars-CoV-2 no Brasil até 09 de abril — Foto: Guilherme Pinheiro/G1   Casos de coronavírus registrados no Brasil até 9 de abril de 2020 — Foto: Guilherme Pinheiro/G1         Estados Unidos é o país com o maior nímero de casos no mundo Com informações do G1

Busca por regularizar CPF para obter auxílio emergencial causa filas em agências da Receita

Receita Federal recomenda que regularização seja solicitada prioritariamente pela internet. Saque de R$ 600 para informais foi disponibilizado nesta quinta. Agências da Receita Federal registram filas em várias regiões do país   -  Assista o vídeo  https://globoplay.globo.com/v/8468904/ O auxílio emergencial de R$ 600 a trabalhadores informais que o governo federal disponibilizou para saque a partir desta quinta-feira (9) causava filas em cidades pelo país no início da manhã. O auxílio é uma das medidas de combate aos efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus. Este foi o segundo dia de filas provocadas pelo auxílio emergencial. Na quarta-feira, possíveis beneficiários se aglomeraram perto de unidades da Receita Federal de cidades como Belém, Recife e Curitiba. Nesta quinta, houve aglomerações em cidades como Fortaleza, Rio, Recife e Curitiba. As filas ocorriam principalmente em unidades da Receita, para regularização de CPF, mas houve também em locais para o saque, como em uma lotérica na Região Metropolitana de João Pessoa. No dois casos, as pessoas contrariavam recomendações de isolamento social e orientações de órgãos do governo sobre o benefício. Tire dúvidas: quem tem direito; quando sacar, como baixar app Veja o passo a passo para ter acesso ao auxílio A Caixa Econômica Federal lançou, na terça-feira (7), um site e um aplicativo para solicitação do auxílio emergencial, mas muitas pessoas ainda enfrentam problemas, como CPF irregular. O benefício é concedido somente após a regularidade cadastral, feita pela Receita Federal. A Receita orientou os beneficiários que precisam regularizar o CPF a fazer o processo pelo site ou por e-mail. A ida às unidades de atendimento presencial deve ocorrer somente nos casos em que não for possível resolver de casa. Algumas unidades da Receita trabalham com horário e quantidade de funcionários reduzidos.   Veja abaixo onde houve filas.   Ceará  Pessoas ficam próximas umas às outras na fila e não mantêm o distanciamento recomendado pelos órgãos de saúde — Foto: Isaac Macedo Em Fortaleza, uma multidão de trabalhadores informais e outros interessados em solicitar o auxílio emergencial formavam uma grande aglomeração no início da manhã em uma fila que rodeia a sede da Receita Federal em Fortaleza. A concentração de pessoas teve início ainda na noite desta quarta-feira (9), mas é proibida pelo decreto estadual em vigor no Ceará desde o dia 20 de março.Pernambuco Receita Federal registra fila para regularização de CPF pelo segundo dia consecutivo, no Recife, nesta quinta-feira (9) — Foto: Reprodução/TV Globo   No Recife, a sede da Receita Federal, na região central da capital pernambucana, voltou a registrar fila e aglomeração pelo segundo dia consecutivo. Mesmo após o órgão informar que não está com atendimento presencial, muitos foram para a unidade tentar regularizar o CPF para ter acesso ao auxílio emergencial. Rio de Janeiro Fila às 7h35 desta quinta (9) no posto da Receita em Campo Grande, Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/TV Globo Na Zona Oeste do Rio, beneficiários também se aglomeraram na tentativa de regularizar o CPF em unidade da Receita Federal no bairro de Campo Grande. Às 7h35, a fila já dobrava um quarteirão. Paraíba Fila registrada em uma casa lotérica em Bayeux, na Grande João Pessoa, para receber o auxílio emergencial nesta quinta-feira (9) — Foto: Walter Paparazzo/G1 Na Paraíba, houve registro de fila para saque em lotéricas na capital e também em Bayeux, Região Metropolitana de João Pessoa. Goiás Goiânia teve nesta quinta-feira (9) o segundo dia de filas e aglomerações. Paraná Contribuintes fazem fila em frete à sede da Receita Federal, em Curitiba — Foto: Victor Hugo Bittencourt/RPC A capital paranaense, Curitiba, também teve registro de filas nesta manhã, também pelo segundo dia. Às 9h da manhã, a fila tinha pelo menos 100 pessoas e ocupava mais de um quarteirão, no Centro. Sergipe Fila na Receita Federal em Aracaju no início da manhã desta quinta-feira — Foto: Kedma Ferr/TV Sergipe Uma fila com centenas de pessoas foi registrada no início da manhã na agência da Receita Federal localizada no Bairro Inácio Barbosa, a única funcionando na capital sergipana. Amazonas Agências bancárias de Manaus acumulam filas para saque de auxílio emergencial liberado nesta quinta-feira — Foto: Carolina Diniz Em Manaus, a fila foi na entrada de uma agência da Caixa Econômica. Rondônia

9 DE ABRIL, QUINTA-FEIRA - A ABRACAM apresenta os Destaques da Mídia

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.  O auxílio emergencial de R$ 600 para os trabalhadores informais começa a ser pago hoje, segundo o governo. O governo também vai bancar a conta de luz dos consumidores de baixa renda por três meses. Entenda como será o novo saque do FGTS de até R$ 1.045 por trabalhador. Em seu quinto pronunciamento durante a crise do coronavírus, Bolsonaro volta a pedir retorno ao trabalho e diz que isolamento é de responsabilidade dos governadores. O presidente também defendeu o uso da cloroquina, que é alvo estudos e testes. E veja o guia completo do G1 para a vida em casa, com dicas para o isolamento social. Auxílio emergencial Governo começa a pagar nesta quinta (9) auxílio emergencial de R$ 600 Assista o vídeo  https://globoplay.globo.com/v/8468104/ Um dia após o início do cadastramento, mais de 26 milhões de pessoas já se inscreveram no programa de auxílio emergencial de R$ 600, que começa a ser pago hoje. Foram mais de 217 milhões de acessos ao site do programa, 22,5 milhões de downloads do aplicativo e 3,3 milhões de ligações. O pagamento começa nesta quinta-feira (9) pelos trabalhadores já inscritos no Cadastro Único e que têm conta no Banco do Brasil ou na Caixa. Quem não tem conta nesses bancos vai receber a primeira parcela na terça (14), segundo o governo. Para quem recebe o Bolsa Família, o pagamento seguirá o calendário do programa. E os demais trabalhadores que se enquadram nas regras do benefício devem receber em até cinco dias úteis após o cadastro no site ou no aplicativo. Veja o calendário completo de pagamentos. Veja quem tem direito e como funciona o auxílio Passo a passo para pedir a ajuda emergencial Calendário e formas de pagamento dos R$ 600 Tire suas dúvidas sobre o auxílio emergencial Problemas com o CPF? Veja como resolver sem sair de casa Conta de luz O governo publicou medida provisória (MP) para isentar os consumidores de baixa renda do pagamento da contas de luz. A medida provisória foi editada em razão da crise provocada pelo coronavírus e prevê que União gastará R$ 900 milhões com o pagamento. A isenção vale para quem consome até 220 kWh: Os consumidores terão desconto de 100% na tarifa entre 1º de abril e 30 de junho; A isenção vale para unidades que consomem até 220 quilowatts-hora (kWh) por mês e que estejam incluídas na Tarifa Social; O que passar dos R$ 900 milhões serão pagos pela Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). Saque do FGTS Governo libera novos saques do FGTS a partir de junho - Assista o vídeo  https://globoplay.globo.com/v/8468102/ O governo liberou uma nova rodada de saques do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), de até R$ 1.045 de contas ativas e inativas. A retirada começa em 15 de junho e vai até 31 de dezembro. Veja quem poderá sacar, o calendário, o montante destinado ao benefício e mais detalhes. Calamidade no Rio Prefeito Marcelo Crivella decreta calamidade pública no Rio por causa do coronavírus - Assista o vídeo  https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/prefeito-marcelo-crivella-decreta-calamidade-publica-no-rio-por-causa-do-coronavirus-8468325.ghtml O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, decretou na noite de quarta estado de calamidade pública na cidade devido à epidemia do Covid-19. O estado de calamidade permite que a prefeitura descumpra vários itens da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), inclusive limites de despesas de gasto com pessoal e metas fiscais. Pronunciamento de Bolsonaro Jair Bolsonaro faz novo pronunciamento sobre a Covid-19 - Assista o vídeo  https://g1.globo.com/politica/video/jair-bolsonaro-faz-novo-pronunciamento-sobre-a-covid-19-8468036.ghtml  Em seu quinto pronunciamento na TV sobre o coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro pediu a volta ao trabalho, "observadas as normas do Ministério da Saúde". Ele disse ter "certeza" que a "grande maioria" quer voltar a trabalhar e afirmou que medidas de isolamento são "responsabilidade exclusiva" dos governadores. Bolsonaro elencou medidas adotadas pelo governo para enfrentar a crise e também aproveitou o pronunciamento para defender o emprego da substância hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19, doença causada pelo coronavírus. Cidades brasileiras registram novo panelaço contra Bolsonaro Cloroquina Existe algum remédio para tratar o novo coronavírus? Assista o vídeo  https://globoplay.globo.com/v/8410286/ O uso da cloroquina por pacientes infectados com o novo coronavírus ainda está em fase de testes e de estudos. Não há resultados conclusivos as pesquisas com o remédio, usado principalmente contra a malária. Apesar de as evidências em alguns estudos indicarem que ela pode funcionar em certos casos, há alertas sobre o risco de complicações causadas pela toxicidade da droga.  A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o uso da cloroquina junto com o antibiótico azitromicina é uma das quatro combinações de medicamentos que estão em fase de testes em 74 países. Os resultados são monitorados pela organização, que informou ao G1 que "até agora, nenhum produto farmacêutico se mostrou seguro e eficaz para tratar a Covid-19".   Mais de 800 mortos Mapa de casos de coronavírus no Brasil em 8 de abril — Foto: Arte/G1 As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até as 21h45 de ontem, 16.195 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil, com 822 mortes pela Covid-19. MAPA: a evolução dos casos e onde estão os pacientes Guia completa para a vida em casa Tempo os filhos ficou maior no isolamento: veja dicas de brincadeiras e convivência — Foto: Editoria de Arte/G1 Ficar isolado é difícil, mas é importante na batalha contra o coronavírus. Como enfrentar os desafios da convivência intensa com todos da casa, as preocupações com a pandemia e ainda manter a rotina e as obrigações? Este guia do G1 reúne dicas para levar mais bem-estar para sua vida em casa.  ejVeja as dicas para o trabalho em casa ou para buscar oportunidades — Foto: Editoria de Arte/G1 Saiba como adaptar trabalho, estudo e os relacionamentos, veja medidas que podem mexer com seu bolso e o que fazer para se distrair e matar a saudade de quem está longe. Aulas online Estados adotam plataformas online e aulas na TV aberta para transmitir conteúdo em tempos de pandemia — Foto: Annie Spratt / Unsplash A suspensão de aulas para conter o avanço do novo coronavírus levou escolas e professores a se adaptarem e encontrarem formas de manter a aprendizagem dos alunos em tempos de pandemia. Aulas pela TV e internet, já comuns na redes privadas de ensino, estão sendo implementadas também nas redes estaduais – um avanço que deverá permanecer e complementar a aprendizagem após o fim do isolamento social. Emprego em tempo de pandemia Com a pandemia de Covid-19, muitos profissionais temem perder o emprego ou enfrentam dificuldades para encontrar um novo trabalho. Mas muitas posições estão com abertura de vagas neste momento de incertezas. Veja lista com 20 cargos com alta demanda. Posições estão ligadas a áreas da saúde, logística, comércio, atendimento ao cliente e telemarketing. Mais que views... As cenas de 'lives' da quarentena que já estão na história do entretenimento brasileiro  - Assista o Vídeo - https://g1.globo.com/pop-arte/video/as-cenas-de-lives-da-quarentena-que-ja-estao-na-historia-do-entretenimento-brasileiro-8456061.ghtml  Lives arrecadam ao menos 1,2 mil toneladas de alimentos e quase R$ 1 milhão. Levantamento do G1 leva em conta as principais transmissões ao vivo e cifras divulgadas pelas próprias equipes dos artistas. Veja a lista das entidades beneficiadas. Curtas e Rápidas - Coronavírus: Governadora de Tóquio contraria premiê do Japão e quer isolamento mais severo contra coronavírus Gatos na quarentena: mudança na rotina da casa pode deixar animais estressados Blog da Mariza Tavares: como cuidadores podem diminuir o estresse durante a pandemia Inflação Saem hoje os dados de março da inflação. Em fevereiro, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, subiu 0,32% - o resultado mais baixo para o mês desde 2000. Curtas e Rápidas: Blog do Altieres Rohr: como funciona um programa espião? Mega-Sena, concurso 2.250: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 13,5 milhões Com informações do G1

ABRACAM

A Associação Brasileira da Câmaras Municipais, foi fundada em 1999 e há vários anos faz inúmeras ações que buscam dar capacidade e qualificação aos vereadores para que exerçam suas funções da melhor maneira possível.

Contato

Sede Brasília, SAS - Quadra 05 - Lote 05, Bloco F - Sala 08 (Setor de Autarquias Sul) Brasília/DF - CEP: 70070-910
Tel.: (61) 3322-0499 - Cel.: (61) 98111-0460
assessoria@abracambrasil.org.br

Menu