Juntos somos mais fortes

Filie-se agora

Notícias

11 de maio, quinta-feira - Os DESTAQUES do dia que a ABRACAM traz para você

DESTAQUE 1 Filiado ao PSD, que compõe o Centrão, Fábio Faria está no quarto mandato como deputado federal Bolsonaro prometeu na campanha ter 'no máximo' 15 ministérios; agora serão 23.     Governo anuncia a recriação do Ministério das Comunicaçõesuma rede social a recriação do Ministério das Comunicações. ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8618004/ O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (10) em uma rede social a recriação do Ministério das Comunicações.   Pouco depois do anúncio, o "Diário Oficial da União" publicou a nomeação do deputado Fábio Faria (PSD-RN) como ministro. O secretário-executivo da pasta será Fábio Wajngarten, atual secretário de Comunicação Social do governo. A pasta da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações foi desmembrada em duas: Ministério das Comunicações e Ministério da Ciência e Tecnologia, chefiado por Marcos Pontes. "Nesta data, via MP, fica recriado o Ministério das Comunicações a partir do desmembramento do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Para a pasta foi nomeado como titular o Deputado Fabio Faria/RN", publicou Bolsonaro na internet. Cerca de uma hora depois, ao chegar ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que houve "aceitação excepcional" sobre a decisão. O presidente também negou ter negociado a indicação de Fábio Faria com o Centrão, afirmando que não se lembra qual o partido do deputado (leia detalhes sobre o tema mais abaixo). "Vamos ter alguém que não é um profissional do setor, mas tem conhecimento até pela vida que tem junto à família do Silvio Santos", acrescentou o presidente. "É uma pessoa que sabe se relacionar e vai dar conta do recado", completou. Cris Lôbo: ‘Recriação do ministério é reivindicação do conjunto do centrão’ Assista o comentário  https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/cris-lobo-recriacao-do-ministerio-e-reivindicacao-do-conjunto-do-centrao-8617965.ghtml Despesas Segundo a Secretaria-Geral da Presidência, a recriação do ministério não representará aumento de despesa, uma vez que, segundo a pasta, o novo ministério utilizará "apenas cargos de estruturas já existentes". Ainda de acordo com a Secretaria-Geral, a Secretaria Especial de Comunicação Social, atualmente vinculada à Secretaria de Governo, será extinta, e as competências da secretaria, incorporadas ao novo ministério. O Ministério das Comunicações existiu até maio de 2016. Na ocasião, o então presidente, Michel Temer, que assumiu o cargo com o afastamento de Dilma Rousseff, unificou o Ministério das Comunicações e o Ministério da Ciência e Tecnologia. Temer nomeou à época como ministro Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo e presidente do PSD, partido de Fábio Faria.       Camarotti: ‘A gente já falava que o centrão iria ocupar o primeiro escalão do governo’ Assista o comentário https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/camarotti-a-gente-ja-falava-que-o-centrao-iria-ocupar-o-primeiro-escalao-do-governo-8617967.ghtml   Número de ministérios Na campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro disse que, se eleito, o governo teria "no máximo" 15 ministérios. Quando tomou posse, em 1º de janeiro de 2019, o presidente deu posse a 22 ministros. Com a recriação da pasta das Comunicações, serão 23 ministérios. Nesta quarta, o presidente declarou: "Algumas coisas nós exageramos, né, até era a questão dos ministérios. Num país continental como esse, a gente queria 15 ministérios, montamos um número, depois chegou a 22. E o ministério em si não tem muita despesa a mais sendo criado ou não mais um ministério, não é por aí". Na semana passada, Bolsonaro afirmou que também "existe a possibilidade" de ele recriar o Ministério da Segurança Pública, extinto no início do governo. Mais cedo, nesta quarta-feira, porém, o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, afirmou que, para ele, não é o momento de a pasta ser recriada.   Deputado Fábio Faria (PSD-RN) — Foto: Canindé Soares Centrão Fábio Faria está no quarto mandato de deputado federal e é filiado ao PSD, partido que integra o Centrão. Conforme o site de Fábio Faria, ele é formado em administração de empresas, pela Universidade Potiguar (UnP). O deputado é genro do empresário e apresentador Silvio Santos. A escolha de Bolsonaro pelo deputado ocorre em meio à aproximação do presidente com o Centrão, em troca de apoio político.   Nas últimas semanas, o Centrão também emplacou integrantes em outros cargos no governo. A diretoria do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), por exemplo, que conta com R$ 50 bilhões, ficou com o PL. O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas, cujo orçamento é de R$ 1 bilhão, ficou com uma indicação do Progressistas. Bolsonaro sempre criticou o que chama de "velha política" e sempre afirmou que formaria um "ministério técnico", isto é, segundo ele, live de indicações políticas.   Natuza: ‘Fábio Faria no ministério é visto como um bom movimento político de Bolsonaro’ Assista o comentário https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/natuza-fabio-faria-no-ministerio-e-visto-como-um-bom-movimento-politico-de-bolsonaro-8617968.ghtml Investigações Fabio Faria e o pai, Robinson Faria, foram delatados por Ricardo Saud, da JBS. Segundo o delator, os dois teriam recebido R$ 10 milhões para que privatizassem a Companhia de Água e Esgoto do Rio Grande do Norte e favorecessem a empresa na disputa. Um inquérito chegou a ser aberto no Surepmo Tribunal Federal (STF), mas a Procuradoria Geral da República (PGR) entendeu que não houve contrapartida e que não havia provas suficientes contra Fabio Faria. Diante disso, a PGR pediu o arquivamento do caso. O processo relativo a Robinson Faria foi encaminhado para o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE/RN). A PGR, posteriormente, pediu o desarquivamento do caso e a volta da investigação. Mas Faria alegou que as provas foram consideradas ilegais. A PGR aceitou o argumento e desistiu do desarquivamento, devolvendo o caso à Justiça Eleitoral do Rio Grande do Norte.   Fábio Faria também foi delatado por ex-executivos da Odebrecht por suposto recebimento de caixa 2, mas o inquérito foi arquivado porque a PGR entendeu não haver provas suficientes. Fabio Faria e o pai sempre negam irregularidades. DESTAQUE 2 Shoppings do Rio reabrem nesta quinta-feira com protocolos de segurança e restrições; veja lista Estabelecimentos retomam as atividades a partir de 12h.   rça-feira, 17 de março/ 17h: Shopping Leblon com corredores vazios antes da decisão de fechamento total dos estabelecimentos na quarta-feira — Foto: Marcos Serra Lima/ G1Após o prefeito do Rio anunciar que shoppings poderiam abrir nesta quinta-feira (11), empreendimentos garantiram a reabertura com protocolos de segurança e horário de funcionamento reduzido. Shoppings das zonas Sul, Oeste e Norte já vão reabrir nesta quinta-feira (11), na véspera do Dia dos Namorados (confira restrições e estabelecimentos que já confirmaram ao G1 que vão retomar as atividades no fim da reportagem). Desinfectação nas áreas comuns, manutenção da abertura das portas automáticas para renovar o ar, tapetes higienizadores e reforço na limpeza do filtro do ar-condicionado são algumas das medidas preventivas adotadas pelos estabelecimentos. A prefeitura anunciou, em 1º de junho, uma reabertura gradual da cidade e o retorno dos shoppings foi inserido na fase 2, mas o prefeito decidiu antecipar a abertura. Um decreto do estado do Rio publicado neste sábado (6) recomendou que os estabelecimentos fossem reabertos. Reabertura Quinta-feira (11) Shopping Metropolitano Barra, na Barra da Tijuca Shopping Nova América, em Del Castilho Shopping Boulevard, em Vila Isabel Botafogo Praia Shopping, em Botafogo Madureira Shopping, em Madureira Rio Design Barra, na Barra da Tijuca Shopping Leblon, no Leblon NorteShopping, no Cachambi Shopping Tijuca, na Tijuca Bangu Shopping, em Bangu Carioca Shopping, na Vila da Penha Passeio Shopping, em Campo Grande Via Parque Shopping, na Barra da Tijuca Recreio Shopping, no Recreio Santa Cruz Shopping, em Santa Cruz Terça-feira (16) Shopping Rio Sul, em Botafogo Restrições Estacionamentos com um terço da capacidade; Praças de alimentação fechadas para consumo no local; Restaurantes só podem funcionar por serviços de delivery, take away e drive thru; Áreas de lazer, festa e games fechadas; Medição de temperatura na entrada dos estabelecimentos; Distanciamento de 2 metros entre as pessoas; Horário de atendimento de 12h às 20h nas lojas. Além disso, os shoppings devem seguir medidas de precauções definidas pela prefeitura, chamadas de “regras de ouro”. Regras de Ouro da Prefeitura do Rio para a reabertura da cidade — Foto: Infografia: Fernanda Garrafiel/G1 DESTAQUE 3 Brasil tem 1.300 mortes por coronavírus em 24 horas, revela consórcio de veículos de imprensa; são 39.797 no total   Levantamento feito por jornalistas de G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de Saúde mostra ainda que houve 33.100 novos casos de Covid-19 em um dia; são 775.184 no total.   O Brasil teve 1.300 novas mortes registradas em razão do novo coronavírus nas últimas 24 horas, aponta levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde. Com isso, são 39.797 óbitos pela Covid-19 no país até esta quarta-feira (10). Veja os dados, consolidados às 20h: 39.797 mortes ; eram 38.497 até as 20h de terça-feira (9), uma diferença de 1.300 óbitos 775.184 casos confirmados; eram 742.084 até a noite de terça Os dados foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. O objetivo é que os brasileiros possam saber como está a evolução e o total de óbitos provocados pela Covid-19, além dos números consolidados de casos testados e com resultado positivo para o novo coronavírus. http Mortes por coronavírus no acumulado e por dia no Brasil, até 10 de junho — Foto: Editoria de Arte/G1     EXCLUSIVO G1: Veja taxa de ocupação nas UTIs, número de testes e pacientes recuperados da Covid-19 nos estados Parceria A parceria entre os veículos de comunicação foi feita em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de Covid-19. Personalidades do mundo político e jurídico, juntamente com entidades representativas de profissionais e da imprensa, elogiaram a iniciativa. Mudanças feitas pelo Ministério da Saúde na publicação de seu balanço da pandemia reduziram por alguns dias a quantidade e a qualidade dos dados. Primeiro, o horário de divulgação, que era às 17h na gestão do ministro Luiz Henrique Mandetta (até 17 de abril), passou para as 19h e depois para as 22h. Isso dificultou ou inviabilizou a publicação dos dados em telejornais e veículos impressos. “Acabou matéria no Jornal Nacional”, disse o presidente Jair Bolsonaro, em tom de deboche, ao comentar a mudança. A segunda alteração foi de caráter qualitativo. O portal no qual o ministério divulga o número de mortos e contaminados foi retirado do ar na noite da última quinta-feira (4). Quando retornou, depois de mais de 19 horas, passou a apresentar apenas informações sobre os casos “novos”, ou seja, registrados no próprio dia. Desapareceram os números consolidados e o histórico da doença desde seu começo. Também foram eliminados do site os links para downloads de dados em formato de tabela, essenciais para análises de pesquisadores e jornalistas, e que alimentavam outras iniciativas de divulgação. Entre os itens que deixaram de ser publicados estão: curva de casos novos por data de notificação e por semana epidemiológica; casos acumulados por data de notificação e por semana epidemiológica; mortes por data de notificação e por semana epidemiológica; e óbitos acumulados por data de notificação e por semana epidemiológica. Neste domingo (7), o governo anunciou que voltaria a informar seus balanços sobre a doença. Mas mostrou números conflitantes, divulgados no intervalo de poucas horas. Nesta quarta (10), o Ministério da Saúde divulgou os dados completos, obedecendo a ordem do STF. Segundo a pasta, houve 1.274 novos óbitos e 32.913 novos casos, somando 39.680 mortes e 772.416 casos desde o começo da pandemia – números menores que os apurados pelo consórcio. DESTAQUE 4 Durante pandemia, cresce número de candidatos que passam aceitar contratação como PJ; entenda a diferença em relação à CLT Procura das empresas aumentou quase 40% por candidatos com CNPJ; entenda as diferenças entre os contratos PJ e CLT.       O aumento das incertezas causado pela pandemia do coronavírus está mudando o mercado de trabalho. Levantamento da Revelo, empresa de tecnologia para recursos humanos, mostra que, no fim de março, início da quarentena, houve aumento de 27% entre os candidatos que buscavam vagas no modelo de contratação PJ (pessoa jurídica). No caso das empresas, o número de oportunidades para contratação dentro da modalidade aumentou 36%. A modalidade de contratação de pessoas com CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) é diferente do emprego com carteira assinada porque o profissional PJ não tem direitos trabalhistas como 13º salário, FGTS e seguro-desemprego, já que não tem vínculo formal com a empresa contratante (veja abaixo as diferenças entre os modelos de contratação). O levantamento foi feito entre os mais de 14 mil clientes da empresa e mais de um milhão de candidatos da plataforma entre março e maio deste ano e leva em conta processos de recrutamento e seleção em todo o Brasil. Flexibilidade e negociação Bruna Harumi Ikeda, de 25 anos, decidiu se candidatar a vagas PJ após três empregos com carteira assinada — Foto: Arquivo pessoal A diretora de arte Bruna Harumi Ikeda, de 25 anos, decidiu se candidatar a vagas na modalidade PJ depois de ter trabalhado em três empregos com contrato CLT. Ela está em busca de recolocação desde maio na área de design e marketing e já se candidatou a cerca de 150 vagas, a maior parte delas com a flexibilidade de contrato para um modelo PJ com negociação de salário.   ntre as razões estão o fato de ter mais chances de conseguir recolocação por causa do aumento de vagas no modelo de contratação e flexibilidade de horários. “Houve realmente um aumento das vagas neste modelo, acredito que por conta da instabilidade do cenário econômico neste período de pandemia. Mas o trabalho PJ permite certa flexibilidade em horários e organização de prazos e, em alguns casos, a possibilidade de prestar serviços a mais de uma empresa, possibilitando o aumento do retorno financeiro por conta da menor taxa de pagamento sobre impostos”, afirma. Bruna tem CNPJ aberto há três anos, quando se tornou MEI para fazer trabalhos freelancers de fotografia e design. A designer acha que a flexibilidade e o retorno financeiro maior compensam a perda da maior estabilidade e os benefícios trabalhistas do contrato CLT. “Por já estar acostumada a controlar meus projetos e administrar prazos em minhas experiências CLT, a flexibilidade me permitiria evoluir ainda mais nos estudos e especializações dentro da minha área de atuação, o que me permitiria galgar as posições desejadas em meu plano de carreira”, conta. Para ela, é possível ter um retorno financeiro de aproximadamente 80% a mais do que na modalidade CLT porque a empresa acaba por ter menos gastos com um profissional PJ do que um CLT. “Ainda que prefira uma vaga CLT, por conta da estabilidade e dos benefícios como 13º salário, férias, convênio médico, vale-refeição e vale-transporte, o investimento nos estudos e nos planos de vida pedem um pouco mais de recurso financeiro”, justifica. A pesquisa da Revelo mostra ainda que o nível hierárquico mais buscado está a carreira sênior, ou seja, profissionais com sólida experiência nas descrições de atividades buscadas pelas empresas. De acordo com Lucas Mendes, cofundador da Revelo, o modelo de contratação PJ chega em um momento de incertezas causado pela crise de saúde mundial e é visto como uma alternativa ao tradicional regime CLT, preferido dos candidatos.   Esse movimento de empresas e candidatos é uma tentativa de se adaptar à crise que estamos enfrentando. É uma maneira de flexibilizar a contratação em vez de cancelar ou congelar a vaga. Os candidatos também entendem que para seguir com a busca de uma nova oportunidade é necessário pensar em novos modelos de contratação. Quando houver uma retomada econômica significativa, o modelo CLT poderá voltar com força", afirma Mendes. Diferenças entre PJ e CLT Quem trabalha dentro do regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) tem carteira assinada, com direito a férias remuneradas, 13º salário, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), entre outros benefícios trabalhistas. No entanto, há empresas que optam por contratar profissionais que são pessoas jurídicas, com CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica). Esses profissionais contratados como PJ têm uma empresa aberta em seu nome e se tornam prestadores de serviços para a empresa contratante, emitindo notas fiscais. Eles não têm nenhum direito trabalhista previsto na CLT, porque não se trata de uma relação de emprego. Dentro dessa modalidade de profissionais com CNPJ entram por exemplo os microempreendedores individuais (MEIs) e os microempresários (MEs). A diferença entre os dois tipos está no faturamento anual, nas atividades e número de funcionários permitidos e no regime de tributação. De acordo com o advogado trabalhista Eduardo Pragmácio Filho, quando se contrata a prestação pessoal de um serviço, com habitualidade, salário e sob ordens, há o vínculo de emprego, conforme o artigo 3º da CLT. Nessas circunstâncias, o empregador, que é o tomador dos serviços, possui algumas obrigações e encargos trabalhistas e previdenciários, como recolher FGTS e o INSS patronal, pagar férias e 13º, assinar a carteira de trabalho, entre outros. “Para fugir desses encargos trabalhistas e previdenciários, as empresas optam por contratar essas pessoas mediante a emissão de notas fiscais emitidas pelos prestadores de serviços, em um fenômeno popularmente conhecido como pejotização, em referência às iniciais de pessoa jurídica (PJ)”, explica.   ragmácio destaca que o trabalhador que recebe salário em sua pessoa física (CPF), registrado em carteira, paga imposto de renda com alíquotas de até 27,5%, enquanto como PJ pode pagar menos tributo. “Essa modalidade de contratação, no entanto, é arriscada para as empresas, podendo gerar passivos trabalhistas e previdenciários enormes, além de levar à fiscalização da inspeção do trabalho e investigação do Ministério Público do Trabalho, podendo gerar multas e risco em sua reputação”, alerta. Esses problemas aos quais se refere o advogado ocorrem quando o profissional com CNPJ exerce o mesmo papel do empregado celetista, pois nesse caso fica caracterizado o vínculo empregatício. O advogado trabalhista Danilo Pieri Pereira explica que todo trabalho prestado pessoalmente, de forma habitual, remunerada e mediante subordinação a um empregador resulta em vínculo de emprego. Em caso de processo judicial, é possível que o profissional obtenha êxito no reconhecimento da relação empregatícia, tendo direito ao que os demais trabalhadores com carteira assinada recebem, como férias remuneradas, 13º salário e FGTS. Veja abaixo o que caracteriza o vínculo de emprego: Elementos típicos da relação de emprego: Subordinação Remuneração Pessoalidade Habitualidade Exemplos de situações que caracterizam o vínculo: Tem que responder a um chefe Recebe remuneração de forma periódica Realiza tarefas pré-estabelecidas Cumpre horário pré-determinado Presta serviço apenas para uma empresa A advogada trabalhista Bianca Canzi alerta que, para entrar com ação trabalhista, o profissional deve comprovar o vínculo empregatício. Entretanto, Pereira vê o trabalhador com CNPJ como uma alternativa em momentos de crise econômica como a gerada pela pandemia. “Sempre que a pessoa desejar empreender, não estar presa a uma prestação de serviços subordinada e tiver a intenção de ingressar no mercado de trabalho prestando serviços de forma autônoma, pode ser interessante a abertura de empresa e registro do respectivo CNPJ”, diz.   Mas não se pode confundir com empregado o pequeno empreendedor, formalizado como pessoa jurídica, que presta serviços com autonomia para um ou mais tomadores de serviços. São vários exemplos, como o parceiro em salão de beleza, o representante comercial autônomo, o transportador autônomo de cargas, microfranqueado e tantos outros”, ressalta Pragmácio. Direitos do PJ O MEI e o ME têm direito a aposentadoria por invalidez ou idade com tempo de contribuição, além de auxílio-doença e salário-maternidade. Para o MEI, a contribuição mensal equivale a 5% do salário mínimo, acrescida do ICMS ou ISS. Já para o microempresário, a contribuição varia de 11% a 20% do salário mínimo. Já o seguro-desemprego é pago a quem tem carteira assinada e que foi demitido sem justa causa. E, se o trabalhador tiver CNPJ aberto no momento da demissão, terá o benefício negado. Segundo Pereira, como apenas pessoas físicas (com CPF) podem deter a condição de empregados, é juridicamente impossível o pagamento do benefício a pessoas jurídicas (com CNPJ). “Para a ótica da Receita Federal, o registro de MEI possibilita ao profissional receber renda justamente através de sua microempresa”, diz. “O seguro-desemprego é destinado a pessoas que não tenham outra fonte de renda, assim, o registro na Receita Federal se torna o sinônimo de faturamento”, enfatiza Bianca Canzi. A advogada ressalta, entretanto, que o MEI pode ter direito ao seguro-desemprego caso não tenha renda mensal igual ou superior a um salário mínimo. “Porém, essa regra não tem sido respeitada. O sistema tem negado o benefício do seguro-desemprego para microempreendedores individuais, independente da renda mensal. Neste caso, o MEI deve tentar resolver de forma administrativa, comprovando que não possui nenhum outro tipo de renda ou que o faturamento não é suficiente. Caso não resolva, deverá procurar um advogado para ingressar na Justiça”.    comprovação da renda pode ser feita através de extrato bancário ou pela declaração de Imposto de Renda. Quem tem CNPJ pode ter carteira assinada De acordo com Eduardo Pragmácio Filho, quem tem um CNPJ pode trabalhar como empregado com carteira assinada. Ele cita como exemplos um médico empregado de um hospital e que é sócio de uma clínica, ou um advogado sócio de um escritório e empregado de uma universidade. “Uma coisa não exclui a outra. O que seria muito estranho, no entanto, é a pessoa ser empregada de uma empresa e, ao mesmo tempo, ser prestadora de serviços via PJ para essa mesma empresa, o que poderia levantar suspeita de pagamento de parte do salário via nota fiscal. Se uma pessoa tem uma empresa aberta (CNPJ) terá sempre a obrigação contábil de mantê-la em dia com as declarações ao Fisco”, explica. Entretanto, os microempreendedores individuais (MEIs) só podem ter emprego formal se as atividades exercidas nas duas modalidades não forem compatíveis. Pragmácio cita o exemplo de um auxiliar de serviços gerais empregado de uma empresa que, aos fins de semana, trabalha vendendo sanduíche na praia como empreendedor autônomo. "A atividade do MEI não pode gerar uma espécie de concorrência com o empregador, o que pode levar até a uma demissão por justa causa, por concorrência desleal. Ou seja, ser MEI numa atividade diretamente concorrente ao da empresa em que trabalha", esclarece. Segundo ele, é comum a pessoa abandonar seu CNPJ após conseguir emprego com carteira assinada e depois ter de pagar tributos atrasados, multas por falta de declarações, além de o fato de estar com o registro aberto impedir o recebimento do seguro-desemprego.  Pedidos de seguro-desemprego disparam na primeira quinzena de maio   assista ao vídeo https://globoplay.globo.com/v/8602991/  

Quarta-feira, 10 de junho - RESUMO das notícias que foram destaques

  Boa noite! Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado.  o Pará, Helder Barbalho é alvo da PF. No Rio, foi aberto o processo de impeachment de Witzel. Em SP, Doria relaxa a quarentena na Grande SP e endurece em 3 regiões do estado. Na capital, reabertura do comércio provocou aglomerações. Com 1.300 mortes em 24 horas, Brasil chega perto das 40 mil vítimas do coronavírus. Mulher cobra Bolsonaro sobre mortos por Covid e presidente responde: 'Sai daqui'. E Fachin vota pela validade do inquérito das fake news.   Helder Barbalho alvo da PF O governador do Pará, Helder Barbalho, foi alvo de operação da Polícia Federal que apura supostas fraudes na compra de respiradores pulmonares para tratamento de Covid-19. Foram 23 mandados de busca e apreensão no Pará e em mais cinco estados (RJ, MG, SP, SC, ES) e no Distrito Federal. Segundo as investigações, a compra custou R$ 50,4 milhões ao governo paraense, com pagamento antecipado de R$ 25,2 milhões por equipamentos 'imprestáveis para uso'. O presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), Alberto Beltrame, também foi alvo de buscas. Barbalho, Beltrame e empresários tiveram bens bloqueados. Barbalho é o 2º governador alvo da PF em investigação sobre combate ao coronavírus; relembre Natuza Nery: 'É preciso cuidado para nem passar o pano, nem se precipitar' De acordo com a Procuradoria-Geral da República, as irregularidades na compra de respiradores 'passam claramente pelo crivo' de Helder Barbalho. O governador nega as acusações e diz que agiu 'a tempo de evitar danos ao erário público'. Em entrevista à GloboNews, disse que é de seu interesse resolver essa questão.   Quase 40 mil mortes Enquanto as polêmicas na política acontecem, o novo coronavírus segue avançando no Brasil. O país registrou mais 1.300 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa. São 39.797 no total, e 775.184 casos confirmados da doença. Balanço do Ministério da Saúde indica 1.274 novas vítimas em 24 horas  Bolsonaro é cobrado por ex-apoiadora e reage: 'Cobre do seu governador. Sai daqui' Mulher cobra Bolsonaro sobre mortos por Covid e presidente responde: 'Sai daqui' Veja ocupação nas UTIs, testes feitos e pacientes recuperados em cada estado Contágios desaceleram nas capitais e avançam no interior, diz estudo 3 fatores que mostram por que país não atingiu pico da pandemia   Quarentena em SP O governo de SP prorrogou a quarentena até 28 de junho e atualizou as flexibilizações em algumas cidades. Barretos, Presidente Prudente e Ribeirão Preto recuam na abertura do comércio (clique aqui para ver detalhes). Já a Grande São Paulo, litoral e Registro terão menos restrições a partir do dia 15. O estado registrou 340 mortes nas últimas 24 horas, o maior número em um dia desde o início da pandemia. Movimentação na região central de São Paulo (SP), nesta quarta-feira (10), no primeiro dia de reabertura do comércio de rua — Foto: Nelson Almeida/AFP Comércio de rua da capital paulista reabre com filas nas lojas; veja fotos   Relaxamento no Rio Os shoppings da cidade do Rio poderão abrir amanhã, véspera do Dia dos Namorados, anunciou o prefeito Marcelo Crivella. Os estabelecimentos terão restrições como estacionamentos com um terço da capacidade e praças de alimentação fechadas. Estado do RJ passa de 7 mil mortes e 74 mil casos confirmados de Covid-19   Impeachment de Witzel A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro autorizou o processo de impeachment contra o governador Wilson Witzel (PSC) nesta quinta-feira. O pleito foi unânime. Em nota, Witzel disse que recebeu a notícia com 'espírito democrático e resiliência', e que vai provar sua inocência. A decisão da Alerj não afasta o governador do cargo. Veja os próximos passos.   Sem consulta O presidente Jair Bolsonaro editou Medida Provisória que permite que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, escolha reitores temporários de universidades federais durante a pandemia. O texto, que exclui a necessidade de consulta a professores e estudantes ou a formação de uma lista para escolha dos reitores, ainda precisa ser aprovado pelo Congresso — a Comissão da Câmara pediu que o Congresso devolva a MP. A medida pode atingir 19 instituições de ensino, que têm dirigentes com mandatos que vencem neste ano. Para a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior, a MP 'atenta de forma absurda contra a democracia'.   Caso Marielle Foi preso nesta quarta, no Rio, o sargento do Corpo de Bombeiros Maxwell Corrêa, suspeito de ajudar a jogar no mar as armas usadas no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Segundo o Ministério Público do Rio e a Polícia Civil, Suel é braço-direito de Ronnie Lessa, apontado como autor dos disparos no atentado. Ele foi detido em casa, uma mansão avaliada em R$ 1,9 milhão, onde também foi apreendido um carro de R$ 170 mil. Como sargento, Suel recebia salário de R$ 4,8 mil. Ele será investigado por lavagem de dinheiro.  65 prisões em 2 anos, mas crime ainda não foi esclarecido Veja a cronologia do atentado e da investigação   Inquérito das fake news O ministro Edson Fachin votou a favor da validade do 'inquérito das fake news', que investiga ameaças a ministros no Supremo Tribunal Federal e a disseminação de conteúdo falso na internet. Fachin defendeu que são 'inadmissíveis' as defesas da ditadura, do fechamento do Congresso e do Supremo. 'Não há liberdade de expressão que ampare a defesa desses atos', afimrou. Após o voto de Fachin, que é relator do caso, o julgamento desta quarta foi suspenso e será retomado no dia 17. Enem A enquete com os inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio para a definição da nova data da avaliação será feita entre os dias 20 e 30 de junho. São três datas possíveis: dezembro deste ano, janeiro ou maio de 2021. A votação será feita através da Página do Participante.   Irmã de Aécio indiciada A Polícia Federal concluiu o inquérito da Operação Escobar e indiciou Andrea Neves, irmã do deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG), por obstrução de Justiça. Segundo as investigações, Andrea se aproveitava de informações para impedir ou embaraçar investigações de organizações criminosas. A defesa vê o indiciamento com 'perplexidade'. Cabe ao Ministério Público definir se abre ou não denúncia contra ela.   Colombo degolado Duas estátuas de Cristovão Colombo foram alvo de depredação nos EUA, nas cidades de Boston e Richmond. Parte dos protestos dos últimos dias, que começaram após a morte de George Floyd, tem tido como alvo monumentos que simbolizam o passado imperialista do país e figuras ligadas à escravidão e à Guerra Civil. Banksy propõe nova versão de estátua derrubada na Inglaterra 'E o Vento Levou' é retirado de plataforma de streaming após protestos contra racismo Dicionário de referência nos EUA vai modificar sua definição de racismo    Tem 5 minutos? O Brasil caiu 10 posições no Índice Global da Paz, e agora ocupa a 126ª colocação no ranking que mede a paz em 163 países — é a pior posição entre as nações da América do Sul. O índice analise fatores como economia, estabilidade política, combate à corrupção e criminalidade urbana. Islândia é o país mais bem colocado. Confira a lista.   Efeitos da pandemia 7,4% é quanto deve ser a queda do PIB no Brasil em 2020, segundo projeções da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. A OCDE ainda afirma que, caso haja uma segunda onda de contágio pelo novo coronavírus no país, a retração pode chegar a 9,1%. A previsão é de uma recessão mundial de pelo menos 6% este ano. Miriam Leitão: 'Proteger vida é também proteger a economia' Brasil tem deflação de 0,38% em maio, menor índice em 22 anos 10 milhões de trabalhadores já tiveram redução de salário ou contrato suspenso   Influencers do sexo Já mandou seu nude hoje? É o que muitos brasileiros têm feito nesta quarentena. E mais: ganham por isso. Na rede social OnlyFans, o dono do perfil pode cobrar pelo acesso aos posts. Funciona para qualquer conteúdo, de músicas a aulas, mas basta entrar e ver que a maioria está ali para vender nudes. A busca na internet por 'OnlyFans' no Brasil dobrou de março — quando começou o período de isolamento social — a junho, e já há cinco mil perfis brasileiros ativos.

ARTIGO - DA PROPAGANDA ELEITORAL ANTES DAS CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS

ARTIGO - DA PROPAGANDA ELEITORAL ANTES DAS CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS. Dr.César Rômulo Rodrigues de Assis - Vice-presidente Jurídico da ABRACAM  Autorizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral a realização das Convenções Partidárias de maneira virtual (via internet) a partir do dia 20 de julho até o dia 05 de agosto do corrente ano, devem os pré-candidatos ficar atentos à possibilidade da realização de propaganda eleitoral visando a escolha do seu nome como candidato pelos convencionais, a fim de aumentarem as suas possibilidades de serem escolhidos pelos partidos para disputarem as eleições municipais. A legislação eleitoral vigente, trata da matéria da forma seguinte: A propaganda eleitoral é permitida a partir de 16 de agosto do ano da eleição (Lei nº 9.504/1997, art. 36). Ao postulante a candidatura a cargo eletivo é permitida a realização, durante as prévias e na quinzena anterior à escolha em convenção, de propaganda intrapartidária com vista à indicação de seu nome, inclusive mediante a afixação de faixas e cartazes em local próximo ao da convenção, com mensagem aos convencionais, vedado o uso de rádio, de televisão e de outdoor (Lei nº 9.504/1997, art. 36, § 1º). A propaganda deverá ser destinada exclusivamente aos convencionais, e imediatamente retirada após a respectiva convenção. Não será permitido qualquer tipo de propaganda política paga na rádio e na televisão (Lei nº 9.504/1997, art. 36, § 2º). A violação destas normas, sujeitará o responsável pela divulgação da propaganda e o beneficiário, quando comprovado o seu prévio conhecimento, à multa no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) a R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) ou equivalente ao custo da propaganda, se este for maior (Lei nº 9.504/1997, art. 36, § 3º) . Assim sendo, a serem realizadas as convenções partidárias pelos meios virtuais, ao nosso entender, podem os pré–candidatos comunicarem-se com os filiados dos partidos e os convencionais, por meio da internet ,usando o whatsapp , mensseger, twiter , e outros aplicativos de mensagens para em contato com os filiados nos quinze dias anteriores a data marcada para a realização da convenção, divulgarem suas propostas, visando a sua escolha como candidatos para as próximas eleições municipais.

10 de junho, quarta-feira - DESTAQUES DO DIA que a ABRACAM mostra para você

  Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.  Ritmo de contágio desacelera nas capitais e avança no interior. É o que mostra levantamento com cidades onde há mais mortos por Covid-19 no Brasil. Em SP, um dia após recorde de mortes no estado, o comércio reabre na capital com horário reduzido. Brasil cai 10 posições em ranking sobre paz, e relatório diz que pandemia deve agravar violência no mundo. No Rio, um bombeiro suspeito de envolvimento no caso Marielle foi preso. No podcast O Assunto, a epidemia que a ditadura escondeu. O Senado vota MP que libera suspensão de contratos e redução de salários. O STF analisa ação que questiona o inquérito das fake news. E a exoneração de Regina Duarte. Ritmo de contágio Agentes de saúde testam morador de comunidade ribeirinha Roli Madeira, no Pará, para coronavírus — Foto: Tarso Sarraf / AFP Photo O ritmo de contágio do novo coronavírus desacelerou em capitais e aumentou no interior do país entre o fim de maio e o começo de julho, aponta levantamento da plataforma Farol Covid, que analisou a situação das 124 cidades mais afetadas pela pandemia. Juntas, elas somavam 29.122 mortes na segunda-feira (8), o que representa 80% do acumulado no Brasil. O levantamento obtido com exclusividade pelo G1 detalha a situação nas 10 com maior e nas 10 com menor ritmo de contagio. Ele aponta que sete das dez cidades com maior ritmo de contágio estão no Pará. Também simbolizado por Rt, o "ritmo de contágio" é um número que traduz o potencial de propagação de um vírus: quando ele é superior a 1, cada infectado transmite a doença para mais de uma pessoa e a doença avança. Mais de 38 mil mortos  Consórcio da imprensa contabiliza 1.185 novos óbitos por Covid-19 no Brasil ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8614835/   Brasil tem 38.497 mortes por coronavírus, revela consórcio de veículos de imprensa. São 1.185 nas últimas 24 horas. Levantamento feito por jornalistas de G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de Saúde mostra ainda que houve 31.197 novos casos de Covid-19 em um dia; são 742.084 no total. Apenas Mato Grosso não divulgou os dados a tempo de entrar no balanço. Reabertura em São Paulo Comércio de rua reabre nesta quarta-feira (10) na capital ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8614507/ A Prefeitura de São Paulo autorizou a reabertura das lojas de rua e das imobiliárias da capital paulista a partir desta quarta-feira. Os estabelecimentos terão horário de funcionamento reduzido e regras de higiene. Segundo o prefeito Bruno Covas (PSDB), o acordo com os representantes dos shoppings centers deve ser assinado hoje, para que os estabelecimentos voltem a funcionar amanhã, véspera do dia dos namorados. Para dar conta da demanda de movimentação de passageiros na cidade neste primeiro dia de reabertura do comércio, a SPTrans prometeu colocar nas ruas 92% da frota de ônibus da cidade em operação, com 11.800 coletivos circulando pela capital. Governo de SP diz que testes de anticorpos já correspondem a 15% das confirmações de casos de coronavírus no estado Reabertura no Rio de Janeiro Mudanças nas regras de isolamento confundem os cariocas ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8614486/ Decretos e vaivém de decisões judiciais sobre flexibilização confundem cariocas. Veja o que está valendo. Empresários sugerem mais diálogo entre autoridades públicas, após decisões divergentes do poder público municipal e estadual. Alto risco Pessoas andando pelas ruas da Áustria: formas de relaxamento da quarentena são temas de debate mundial — Foto: Leonhard Foeger / Reuters  Um estudo matemático realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford e do Centro Britânico de Hidrologia e Ecologia de Wellingford, ambos do Reino Unido, e publicado na revista científica "Frontiers in Public Health", diz que a forma ideal de finalizar um período de quarentena não é liberando 100% da população de uma vez do isolamento. A pesquisa foi divulgada como "provisoriamente aceita", o que signific que já passou por revisão e aprovação de outros cientistas, mas ainda pode sofrer pequenas alterações para ganhar uma versão final. Isto é: fim de quarentena para toda a população de uma vez tem alto risco. Prisão de suspeito de ligação com o caso Marielle A Polícia Civil e o Ministério Público do RJ iniciaram nesta quarta-feira (10) uma operação contra suspeitos de ligação com o PM reformado Ronnie Lessa. Lessa é apontado como o autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes. O alvo, já preso, é o sargento do Corpo de Bombeiros Maxwell Simões Corrêa, de 44 anos, conhecido como Suel, que foi detido no início da manhã em casa, em um condomínio de luxo no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. Na porta da mansão, uma BMW X6 avaliada em R$ 170 mil. Maxwell Corrêa, o Suel, sargento do Corpo de Bombeiros do RJ e amigo do policial reformado Ronnie Lessa — Foto: Reprodução   Regina Duarte Regina Duarte — Foto: Isac Nóbrega / PR A atriz Regina Duarte foi exonerada do cargo de secretaria especial de Cultura. A exoneração foi publicada em edição desta quarta-feira (10) do "Diário Oficial da União". Ranking da paz Manifestantes queimam pneus em uma barricada enquanto protestam para solicitar alimentos do governo durante quarentena geral em meio à disseminação da doença por coronavírus (Covid-19) no bairro 'Puente Alto' em Santiago, no Chile, nesta segunda (25) — Foto: Ivan Alvarado / Reuters O mundo ficou menos pacífico neste ano, aponta o relatório Índice Global da Paz 2020. A situação é ainda pior no Brasil, que caiu 10 posições e agora aparece na 126ª colocação no ranking que mede a paz em 163 países. De acordo com o relatório, o mundo manteve a tendência de aumento nas tensões causadas por crises políticas e econômicas em quase todos os continentes. Além disso, há a preocupação de que a situação da paz no mundo se deteriore ainda mais no próximo ano devido aos efeitos da pandemia do novo coronavírus. Meningite: a epidemia que a ditadura esqueceu Vacinação contra meningite durante a epidemia da década de 1970 — Foto: Reprodução / TV Globo Escolas vazias, hospitais lotados, um governo que sonega informações... O Brasil da meningite tem algumas semelhanças com o da Covid-19. Na década de 1970 o país viveu sua pior epidemia letal da doença, que matou 13% dos infectados só na cidade de São Paulo. Para mostrar o subdimensionamento da crise praticado pelo governo militar, Renata Lo Prete fala com Carlos Fidelis Ponte, pesquisador do Observatório História e Saúde da Fiocruz. Ele explica como isso atrapalhou o enfrentamento do problema e aumentou a letalidade. Participa também a jornalista Eliane Cantanhêde, que conta o episódio da censura a uma entrevista reveladora feita por ela com o então ministro da Saúde. Ouça:   Suspensão de contratos e redução de salários   Senado vota amanhã (10/06) MP que suspende contratos de trabalho e reduz jornada ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8614960/ O Senado deve votar hoje a Medida Provisória que permite a suspensão de contratos de trabalho e a redução temporária de salários durante a pandemia. A medida está valendo desde abril e, de acordo com o Ministério da Economia, ajudou a manter mais de dez milhões de empregos - a maioria no setor de serviços e no comércio, que precisaram fechar as portas para garantir o distanciamento social. O texto que está em vigor permite que as empresas reduzam a jornada de trabalho e o salário dos funcionários por até três meses. Ou que suspendam o contrato de trabalho por até dois meses. Em contrapartida, os patrões não podem demitir esses funcionários pelo dobro do período acordado. Ajuda de R$ 600 — Foto: Marcos Santos / USP Imagens  Caixa Econômica Federal (CEF) libera as transferências e os saques em dinheiro da segunda parcela do Auxílio Emergencial depositada em poupanças sociais digitais do banco para os 2,6 milhões de beneficiários nascidos em setembro. Mais de 8 milhões de brasileiros que declararam estar desempregados tiveram auxílio negado Governo fala em prorrogar auxílio; 10 milhões não receberam nem a 1ª parcela Maia sugere cortar salários nos 3 poderes para manter valor em R$ 600 Novos saques do FGTS: veja como consultar o saldo de contas ativas ou inativas Imposto de Renda selo feed Imposto de Renda 2020 — Foto: Arte G1 O prazo para declaração do Imposto de Renda 2020 termina em três semanas - e pouco mais da metade dos contribuintes já enviou o documento à Receita Federal. Para ajudar nessa tarefa, o G1 vai trazer um especialista para responder, em vídeo, às perguntas dos contribuintes. Saiba tudo sobre o IR 2020 Brazil at Silicon Valley   Brazil at Silicon Valley discute nesta quarta como investidores de risco estão reagindo à crise e o que esperar para o futuro. G1 transmite. Hernan Kazah, Mariana Donangelo, Scott Sobel e Renata Quintini vão debater a reação do setor à crise da Covid-19 e o que podemos esperar. Conversa especial com Luciano Huck e Ashton Kutcher encerra o dia. Inquérito das Fake News  Supremo vai julgar ação que questiona investigação sobre fake news em 10 de junho ASSISTA AO VÍDEO https://g1.globo.com/globonews/jornal-globonews-edicao-das-18/video/supremo-vai-julgar-acao-que-questiona-investigacao-sobre-fake-news-em-10-de-junho-8595039.ghtml O Supremo Tribunal Federal (STF) julga hoje uma ação que questiona a validade do inquérito das fake news. A investigação foi aberta em 2019 para apurar ameaças a ministros do tribunal e a disseminação de conteúdo falso na internet. 'Armas biológicas venezuelanas' Migrantes venezuelanos chegam a acampamento perto de terminal de ônibus em Bogotá, na Colômbia, onde outros migrantes esperam conseguir ajuda para voltar para casa, em foto de 8 de junho — Foto: Fernando Vergara / AP Photo O regime comandado por Nicolás Maduro tacha como armas biológicas os refugiados que fugiram da fome e de perseguições e agora querem regressar à Venezuela para escapar da pandemia nos países vizinhos. Em vez de serem acolhidos e repatriados, os migrantes são tratados como potenciais transmissores do novo coronavírus e barrados nas fronteiras. Leia no blog da Sandra Cohen. Reitores das federais O presidente Jair Bolsonaro editou Medida Provisória (MP) que permite ao ministro da Educação, Abraham Weintraub escolher reitores temporários das universidades federais durante o período de pandemia. Texto vale para término de mandato de dirigente durante o período da emergência de saúde pública. MP não se aplica às instituições cujo processo tenha sido concluído antes da suspensão das aulas presenciais. Enem 2020 Enem 2020 será adiado por causa da pandemia no coronavírus — Foto: André Melo Andrade/Myphoto Press/Estadão Conteúdo  oje é o último dia para pagar inscrição do Enem 2020. Mais de 300 mil candidatos não efetuaram o pagamento, e Inep estendeu o prazo. OnlyFans Brasileiros que criaram perfis no OnlyFans (da esquerda): a 'web-striper' Aurora, a youtuber Lu Cremonez, a 'camgirl' Thamires Moura, a atriz e modelo Iara Ferreira e o escritor Fabrício Viana — Foto: Reprodução / Instagram — Foto: Reprodução / Instagram e Arquivo Pessoal OnlyFans: site que permite vender nudes cresce no Brasil e amplia mercado de influencers do sexo. Portal amplia mercado erótico e atrai amadores que querem ir além dos limites do Instagram e 'camgirls' profissionais. Eles dizem que seguidores pagam por intimidade e conexão pessoal. Lives de hoje Jorge e Mateus — Foto: Elias Dantas / Ag. Haack Jorge & Mateus, Luiza Possi, Beto Barbosa e Sepultura recebe Zé Ramalho: os shows para ver em casa. Veja horários. Veículos voadores Conheça os diferentes tipos de motos voadoras — Foto: Wagner Magalhaes / G1  oto voadora ou drone gigante? Conheça projetos de veículos voadores compactos e tripulados. Ao menos dois modelos devem ser lançados ainda em 2020; alguns utilizam hélices, e outros jatos. Em Dubai, vídeo de queda em teste foi divulgado nesta terça (9).  Moto voadora sofre acidente em Dubai Curtas e Rápidas: ‘Live’ nesta quarta faz ‘esquenta’ de encontro de desenhistas paralelo ao Rio Capital Mundial da Arquitetura Aluno de escola pública comove a web ao estudar usando wi-fi de açougue, em Goiás  Com informações do G1

Terça-feira, 9 de junho - RESUMO das notícias que foram destaques que a ABRACAM traz para você

  Boa noite! Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado.  Ministério da Saúde cumpre ordem do STF e volta a divulgar dados completos da Covid-19. Estado de de SP registra o número mais alto de mortes desde o início da pandemia, e o comércio reabre amanhã na capital paulista. A Organização Mundial da Saúde reafirma que os assintomáticos transmitem o novo coronavírus. O governo prorroga o auxílio emergencial. E multidão acompanha o enterro de George Floyd nos EUA. Após ordem do STF O Ministério da Saúde obedeceu a ordem do Supremo Tribunal Federal e voltou a divulgar os números completos de contágios e mortes por coronavírus. Desde sexta, o governo estava anunciando apenas os casos e óbitos confirmados nas últimas 24 horas, sem levar em conta as vítimas de dias anteriores confirmados nessas 24h. Ministro interino vai à Câmara e ouve pedidos de transparência A decisão do governo Bolsonaro de esconder os dados acumulados da pandemia gerou fortes críticas, e o ministro do STF Alexandre de Moraes determinou a retomada do formato original. A Organização Mundial da Saúde cobrou do Brasil a transparência na comunicação com os cidadãos. Desde ontem, veículos de imprensa iniciaram uma parceria para coletar e divulgar dados das secretarias estaduais de Saúde. O levantamento mostra que o país registrou mais 1.185 mortes nas últimas 24 horas, e o total de vítimas chegou a 38.497. Balanço do Ministério da Saúde aponta 1.272 mortes em 24 horas Entenda o que o Brasil pode perder no cenário internacional ao omitir dados de Covid-19 Recorde em SP O estado de São Paulo registrou o maior número de mortes em 24 horas por coronavírus desde o início da pandemia: 334. O total de óbitos pela Covid-19 chega a 9.522, e há 150.138 casos confirmados da doença, segundo a secretaria de Saúde. A taxa de ocupação de UTIs na capital é de 74,1%. A prefeitura de SP autorizou a abertura do comércio de rua a partir de amanhã, e dos shoppings na quinta.   E no Rio... O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, desembargador Claudio de Mello Tavares, derrubou nesta terça a decisão que havia suspendido os decretos de flexibilização do governo e da prefeitura da capital. O estado tem quase 7 mil mortes por coronavírus e 73 mil casos confirmados de Covid-19. Hoje, a capital teve orla cheia e comércio aberto. Veja fotos. Assintomáticos x pré-sintomáticos  OMS recua e afirma que pacientes assintomáticos podem transmitir Covid-19   A Organização Mundial da Saúde reiterou hoje que as pessoas sem sintomas de Covid-19 transmitem a doença. "A questão é saber quanto", segundo a entidade. Ontem, uma representante da OMS havia dito que este tipo de contágio parecia ser 'raro'. À GloboNews, o biólogo Atila Iamarino afirmou que a declaração foi tirada de contexto. Confira a entrevista e entenda a diferença entre assintomático e pré-sintomático. Auxílio prorrogado Em reunião ministerial nesta terça, o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou a prorrogação por dois meses do auxílio emergencial, mas não deixou claro se o valor de R$ 600 será mantido ou se haverá uma redução para R$ 300, como havia sido informado na semana passada. O presidente Jair Bolsonaro disse que aceita aumentar o valor se deputados e senadores cortarem nos próprios salários: 'Eu sei que tem parlamentar que quer mais duas de R$ 600. Tudo bem, se tivermos um programa para diminuir o salário do parlamentar.' Novo normal Provadores fechados, quarentena para as trocas e luvas: como será a reabertura de lojas Celulares e objetos feitos de algodão e madeira devem ser limpos mais vezes, diz estudo VÍDEO: Como lidar com o desconforto causado pela máscara? Três respiros no noticiário Bailarinos do Balé Real do Reino Unido filmaram um curta-metragem no qual dançam nas ruas de Londres ao som de 'Living in a ghost town', dos Rolling Stones. Na Argentina, uma instituição para idosos criou uma 'cortina do abraço', para que residentes possam diminuir a distância de seus familiares. E, na Nova Zelândia, onde os casos de coronavírus foram zerados, os habitantes comemoraram o primeiro dia após a suspensão de todas as restrições com direito a muito abraço, festas e compras. Chapa Bolsonaro-Mourão O Ministério Público Eleitoral informou nesta terça ao Tribunal Superior Eleitoral ser a favor da inclusão das provas do 'inquérito das fake news' nos processos que tramitam sobre a chapa Bolsonaro-Mourão. As ações apuram supostas irregularidades na campanha de 2018, por meio do disparo de mensagens em massa. Já o inquérito apura ameaças a ministros do Supremo e a disseminação de conteúdo falso na internet. O pedido de compartilhamento de informações foi feito pelo PT. A defesa do presidente Jair Bolsonaro se manifestou contrária à inclusão. O julgamento que pede a cassação dos mandatos de Bolsonaro e Mourão foi retomado pelo TSE na noite desta terça. 🎧 O ASSUNTO: 8 ações pedem a cassação da chapa Bolsonaro-Mourão Recuo milionário Após críticas, o governo revogou nesta terça a portaria que transferia R$ 83,9 milhões do Bolsa Família destinados à região Nordeste para a Secretaria de Comunicação da Presidência da República, que cuida da propaganda oficial. A justificativa era de que a procura pelo auxílio emergencial, de valor maior, tinha feito parte do dinheiro para o Bolsa Família ficar sem uso — os brasileiros podem optar por receber um dos dois benefícios.  Caso Floyd Multidão acena durante a passagem de carruagem que transporta o caixão de George Floyd no cemitério Houston Memoria Gardens, em Pearland, Texas, na terça-feira (9) — Foto: Reuters/Carlos Barria Uma multidão acompanhou a cerimônia que antecedeu o funeral de George Floyd nesta terça, em Houston, no Texas. Também participaram artistas como Jamie Foxx e Channing Tatum e, por vídeo, o candidato democrata a presidente dos EUA Joe Biden. O corpo de Floyd foi enterrado ao lado de sua mãe, que ele chamou enquanto era sufocado por um policial de Minneapolis no dia 25 de maio. No Estúdio i, Maria Beltrão cita lição da professora americana Jane Elliott Vai um cafezinho? Para quem tem achado ainda mais difícil controlar a quantidade de café com a ansiedade gerada pela pandemia, reunimos dicas para entender a linha que separa os benefícios de eventuais efeitos prejudiciais sobre a saúde. Afinal, quantas xícaras podemos são recomendáveis por dia? Tire as dúvidas aqui. Desemprego no país 960.258 foi o número de pedidos de seguro desemprego registrados em maio, de acordo com o Ministério da Economia — valor 53% maior se comparado com o mesmo mês de 2019. Já são quase dois milhões de pedidos desde a segunda quinzena de março, início da pandemia no Brasil. Previstos para começar na segunda, novos saques do FGTS ainda aguardam calendário da Caixa A BOA DO DIA  Carlos D'Avila uniu criatividade e solidariedade para ajudar quem busca um trabalho em Porto Alegre e não tem como se locomover: ele criou um delivery de currículos. Kaká, como é conhecido, já recebeu mais de dois mil CVs e os entregou em lojas, restaurantes e agências de emprego. 'Fiquei mais de dois anos desempregado, sei como é complicado', conta.

9 de junho, terça-feira - A ABRACAM mostra os destaques do dia

  Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.   O ministro do STF Alexandre de Moraes manda o governo voltar a divulgar os dados completos do coronavírus. Consórcio de veículos de imprensa revela que o Brasil registrou 849 mortes em 24 horas, e total passa de 37 mil. Número de refugiados no Brasil aumenta mais de 7 vezes no semestre; maioria é de venezuelanos. No podcast O Assunto o tema é Bolsonaro e Mourão na mira do TSE. Nos EUA, o enterro de George Floyd. Dados completos Ministro Alexandre de Moraes — Foto: Gabriela Biló / Estadão Conteúdo Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o Ministério da Saúde retome a divulgação dos dados acumulados do coronavírus. O ministro determinou que a Advocacia Geral da União (AGU) preste as informações "que entender necessárias" no prazo de 48 horas. Antes, o Ministério da Saúde divulgava os dados totais de pessoas infectadas, mortes e curvas de infecção por região, por exemplo. Na semana passada, o governo mudou a forma. Decidiu excluir os dados totais e divulgar somente os dados referentes às últimas 24 horas. A decisão do governo gerou críticas de entidades de diversos setores da sociedade no Brasil e em outros países e também em diversos setores políticos e de especialistas em áreas da saúde. "[Decido] determinar ao ministro da Saúde que mantenha, em sua integralidade, a divulgação diária dos dados epidemiológicos relativos à pandemia (Covid-19), inclusive no sítio do Ministério da Saúde e com os números acumulados de ocorrências, exatamente conforme realizado até o último dia 4 de junho", escreveu Moraes na decisão. 849 morte em 24 horas Mortes por coronavírus acumuladas e por dia no Brasil até 8 de junho — Foto: Editoria de Arte/G1 O Brasil teve 849 novas mortes registradas em razão do novo coronavírus nas últimas 24 horas, aponta levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde. Com isso, já são mais de 37 mil óbitos pela Covid-19 no país até ontem. Veja os dados, consolidados às 20h: 37.312 mortes - eram 36.463 até as 20h de domingo (7), uma diferença de 849 óbitos 710.887 casos confirmados; eram 691.256 até a noite de domingo Os dados foram obtidos após uma parceria inédita entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e UOL, que passaram a trabalhar de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. Na mira do TSE Hamilton Mourão e Jair Bolsonaro — Foto: Adriano Machado / Reuters  Nesta terça-feira o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) retoma o julgamento da chapa formada por Bolsonaro e Mourão eleita em 2018. Para entender o que está em jogo nas 8 ações contra o presidente e o vice, as chances de elas avançarem e as consequências do julgamento, Renata Lo Prete conversa com Maria Cristina Fernandes, repórter especial e colunista do jornal Valor Econômico, que explica por que essas ações geram temor no Palácio do Planalto. Ouça: Ajuda de R$ 600 Auxílio emergencial de R$ 600 reais para trabalhadores informais — Foto: CAIO ROCHA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO A Caixa Econômica Federal (CEF) libera as transferências e os saques em dinheiro da segunda parcela do Auxílio Emergencial depositada em poupanças sociais digitais do banco para os 2,6 milhões de beneficiários nascidos em setembro. Refugiados no Brasil Travessia da fronteira entre Brasil e Venezuela, em foto de 2019 — Foto: Ricardo Moraes / Reuters O Brasil tem cerca de 43 mil pessoas reconhecidas atualmente como refugiadas, informa o Comitê Nacional para os Refugiados (Conare). O número representa mais de sete vezes o registrado no inicio de dezembro, quando havia cerca de 6 mil pessoas em situação de refúgio no país. Quase 90% vieram da Venezuela. Com a pandemia do novo coronavírus, porém, número de pessoas que pedem refúgio às autoridades brasileiras deve diminuir. Entenda. Litoral de SP: Médica indígena teme 'extermínio' em aldeias por conta do coronavírus O enterro de George Floyd Centenas de pessoas comparecem ao funeral de George Floyd em Houston O corpo de George Floyd será sepultado hoje. Ontem, centenas de pessoas compareceram à cerimônia organizada em Houston, Texas, cidade onde o ex-segurança passou a maior parte da vida. Além do luto, os visitantes demonstraram repúdio ao racismo e à violência policial nos Estados Unidos. O governador do Texas, Greg Abbot, orou diante do caixão dourado. Vice de Biden nos EUA Kamala Harris faz campanha em um café na cidade de Detroit — Foto: Brian Snyder / Reuters A onda de protestos antirracistas desencadeada pela morte cruel de George Floyd reforça a pressão sobre Joe Biden para escolher uma mulher negra como companheira da chapa democrata que enfrentará o presidente Donald Trump. E a senadora Kamala Harris, que concorreu com o ex-vice de Obama na primeira fase da corrida e desistiu para apoiar sua candidatura, desponta como a favorita. Leia no blog da Sandra Cohen. UTIs particulares no Rio Ocupação dos leitos de UTI na rede privada do Rio Números chegaram ao pico de 93%, mas vêm queda no meio de maio Percentual de ocupação dos leitosTaxa de Ocupação de leitos de UTI30/04/202010/05/202029/05/202008/06/2020707580859095 Fonte: Associação de Hospitais do Estado do Rio de Janeiro (Aherj) Durante a pandemia de Covid-19, a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nos hospitais da rede privada do Rio de janeiro – que já chegou ao pico de 93% – estava em 75% até ontem. Os dados são da Associação de Hospitais do Estado do Rio de Janeiro (Aherj). Mas médicos temem segunda onda. MEIs  Governo sanciona linha de crédito para micro e pequenas empresas MEIs aguardam operação de nova linha para destravar crédito em meio à crise. Segundo o governo, empréstimos começam nesta semana e prometem dar as garantias que os 10 milhões de microempreendedores não conseguem demonstrar para ter acesso a crédito privado. Livros na quarentena Box de livros faz sucesso na quarentena — Foto: Divulgação O mercado editorial pode ter quase quase naufragado com o fechamento do comércio para conter a pandemia do novo coronavírus no Brasil, mas os boxes de livro emergiram durante os meses de quarentena. De Jane Austen a Sherlock Holmes, pelo menos 10 caixas estiveram entre os 20 livros mais vendidos no Brasil em março, abril e maio deste ano. Bonnie Pointer Bonnie Pointer em 10 de abril de 2019, em Los Angeles. — Foto: Leon Bennett / GETTY IMAGES / AFP Photo Bonnie Pointer, uma das integrantes originais do grupo The Pointer Sisters, conhecidas por sucessos como "I'm so excited" e "Jump (For my love)", morreu ontem aos 69 anos, informou o grupo em seu site na internet. Lives de hoje Teresa Cristina — Foto: Divulgação Teresa Cristina é o destaque entre as lives desta terça-feira. Veja a lista. Em Goiás Apresentação de dança do grupo cênico Ateliê do Gesto, Goiás — Foto: Daniel Calvet / Arquivo pessoal Bailarinos dão aulas de dança de graça pela internet durante a pandemia de coronavírus. Grupo de Goiânia explica que as coreografias são voltadas para o público em geral, com limite de 100 inscritos por sessão. Saiba como se inscrever. Máscara para piscina ou praia  Empresa alemã desenvolve máscara para ser usada na piscina ou na praia   Uma empresa da Alemanha criou uma máscara para uso na piscina ou na praia — demanda que, segundo os inventores, surgiu com a chegada do primeiro verão na Europa na pandemia do novo coronavírus, momento em que países começam a reabrir aos poucos o turismo. Veja no VÍDEO acima. Curtas e Rápidas: Blog da Mariza Tavares: 'Até a recuperação de pacientes negros em enfermarias é menor que a dos brancos’, afirma professor Iniciativa faz 'delivery' de currículos para ajudar desempregados de Porto Alegre Projeto dribla Covid-19 e cria ambiente online de educação ambiental para todo o Brasil Controladoria revoga afastamento de 199 policiais suspeitos de participar de motim no Ceará Com informações do G1

Segunda-feira, 08 de junho - RESUMO das notícias que foram destaques na mídia

  Boa noite! Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado.  Mudanças na metodologia, no horário da divulgação e erros nos dados do governo sobre a pandemia no Brasil geram críticas e reações. A OMS cobra transparência. E veículos de imprensa se unem para garantir a informação correta para a população. Segundo levantamento, são 849 mortes pelo coronavírus em 24 horas, e total passa de 37 mil. Flexibilização no RJ é barrada pela Justiça. Toffoli pede trégua entre os poderes. E as homenagens a George Floyd. Confusão de números Desde a quarta-feira passada, a divulgação dos dados oficiais sobre o novo coronavírus no Brasil vem passando por mudanças que dificultaram sua informação para a população. Além de alterar o horário, o Ministério da Saúde omitiu informações como o total consolidado de casos e o de mortes. Por fim, ontem à noite, a pasta ainda apresentou números divergentes para 25 estados, e somente hoje à tarde esclareceu o erro. A mudança no formato do boletim foi criticada por autoridades e especialistas. A Organização Mundial de Saúde (OMS) destacou a necessidade de maior transparência e consistência dos dados sobre a pandemia no país. Já o presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre, informou que a comissão que acompanha as medidas de combate ao coronavírus passará a trabalhar só com os dados divulgados pelos estados. Ainda assim, o Ministério da Saúde insistiu em divulgar apenas as mortes ocorridas no período das últimas 24 horas. Com isso, o governo retirou dessa conta os óbitos por Covid-19 confirmados nas últimas 24 horas e os que aconteceram em dias anteriores. Veículos se unem Diante dos obstáculos à informação correta, os veículos G1, O Globo, Extra, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e UOL formaram uma parceria inédita para trabalhar de forma colaborativa na busca dos dados precisos e necessários nos 26 estados e no Distrito Federal. Autoridades e entidades consideram iniciativa 'fundamental' e 'bem-vinda'; veja repercussão De acordo com o levantamento, feito com as secretarias estaduais, o Brasil registrou 849 mortes em 24 horas. O total de vítimas do coronavírus chegou a 37.312 e casos confirmados são quase 711 mil. Balanço do Ministério da Saúde aponta 679 mortes em 24 horas Ainda não é hora A Justiça do Rio de Janeiro, a pedido do Ministério Público e da Defensoria Pública do estado, suspendeu trechos dos decretos do governador Wilson Witzel e do prefeito Marcelo Crivella que autorizavam a flexibilização das medidas de isolamento social contra a Covid-19. Passaram a estar suspensas, por exemplo, atividades esportivas ao ar livre, funcionamento de bares e restaurantes e abertura de shoppings. Decretos que previam a flexibilização foi publicados na semana passada tanto pelo governo estadual quanto pela prefeitura do Rio. Estudo aponta que isolamento evitou 3,1 milhões de mortes por Covid-19 na Europa Hora da trégua Trégua entre os poderes da República para combater a pandemia de coronavírus. Quem defendeu o diálogo foi o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, durante evento organizado nesta segunda-feira pela Associação dos Magistrados Brasileiros. Ao se referir ao presidente Jair Bolsonaro, Toffoli falou que algumas de suas atitudes têm 'certa dubiedade' que 'assusta' a sociedade. Inquérito prorrogado O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta segunda-feira a prorrogação por mais 30 dias do inquérito que apura se o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal. Relator do caso, o ministro atendeu a um pedido feito pela PF e a proposta recebeu aval do procurador-geral da República, Augusto Aras. Em 29 de maio, a PF enviou ao STF documento no qual afirma que precisa ouvir o presidente no inquérito. Fiança de US$ 1 milhão Uma fiança mínima de US$ 1 milhão foi estipulada ao ex-policial Derek Chauvin, acusado de assassinar George Floyd no último dia 25 de maio. O caso - que envolve a morte de um homem negro após violência policial de um agente branco - gerou uma série de protestos antirracistas nos Estados Unidos e no mundo. O enterro de Floyd está marcado para a tarde desta terça-feira, após funerais realizados em Minnesota, Carolina do Norte e Texas. Tem 5 minutos? Seis meses depois do surgimento do novo coronavírus, batizado de Sars-CoV-2, ele continua avançando e infectando milhares de pessoas por dia, apesar dos esforços da comunidade científica internacional para contê-lo. Mas, neste período, também houve progressos, como a decodificação do genoma do vírus já em janeiro. Mas, afinal, o que se sabe até agora sobre a Covid-19? Entenda. Retração da economia 5,2%. Essa deve ser a retração da economia global este ano, de acordo com estimativas divulgadas nesta segunda-feira pelo Banco Mundial. Devido aos impactos da pandemia do novo coronavírus, o mundo está caminhando para a maior recessão desde a Segunda Guerra Mundial. A queda do Produto Interno Bruto deve ser maior entre as economias mais avançadas, mas nos países emergentes e em desenvolvimento, a contração pode levar a milhões de pessoas à situação de extrema pobreza. Dólar encerra o dia a R$ 4,85, com queda de 2,79%, menor patamar em quase três meses A BOA DO DIA Aos 27 anos, o cientista brasileiro Rômulo Neris foi um dos sete pesquisadores brasileiros selecionados para estudar o novo coronavírus com uma bolsa da Dimensions Sciences, organização fundada nos Estados Unidos. Nascido e criado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, Neris voltou no final de maio da Califórnia, onde estava fazendo parte de seu doutorado em imunologia e inflamação. 'O Brasil ainda lida, principalmente na ciência, de um jeito muito amador com os pesquisadores', disse. Conheça a trajetória de Rômulo.

8 de junho,segunda-feira - A ABRACAM mostra os destaques do dia

  Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado. A semana começa com a confusão nos dados sobre o coronavírus no Brasil. O Ministério da Saúde divulgou dois boletins com diferença de mais de 850 óbitos sem explicar o motivo. A mudança da maneira de divulgar os números foi criticada autoridades e especialistas. Os protestos pró-democracia e contra o racismo do fim de semana. Os concursos abertos com mais de 10,6 mil vagas. E os pagodeiros comentando a explosão do ritmo nessa quarentena. Confusão nos dados O Ministério da Saúde divulgou neste domingo (7) dados diferentes sobre a quantidade de mortos e infectados por Covid-19. Questionado, o governo ainda não explicou a razão da diferença dos dados. O primeiro balanço do ministério apontava para 1.382 mortes nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos para 37.312. O segundo, no entanto, divulgado no painel oficial do ministério que acompanha a evolução da doença, informava 525 óbitos, somando 36.455 mortes desde o início da pandemia no Brasil. A diferença na apuração das mortes das últimas 24 horas entre os dois balanços é de 857 pessoas. 'Brincar com a morte é perverso', diz Maia após governo divulgar dados divergentes sobre o coronavírus Após governo omitir dados, secretários lançam site paralelo Carlos Wizard recusa cargo e se desculpa com famílias de vítimas da Covid-19 O número de casos informados nas últimas 24 horas também é diferente. O primeiro balanço indicava 12.581 casos, levando o total de casos confirmados para 685.427. O painel oficial do ministério, no entanto, apontava para 18.912 casos a mais da doença, somando 691.758 casos. Desde sexta-feira, o ministério mudou a forma de divulgação dos indicadores do coronavírus, deixando de apresentar alguns dados consolidados. A decisão foi criticada por autoridades e especialistas. O MPF abriu um procedimento extrajudicial pedindo explicações para o ministro interino Eduardo Pazuello do que motivou a nova forma de apresentar os números.  Governo volta atrás e divulga novamente  números de infectados e mortos por Covid-19 ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8609437/    Protestos pelo país Protesto no largo da Batata, região de Pinheiros, em São Paulo — Foto: Roberto Sungi/Futura Press/Estadão Conteúdo Ao menos 20 capitais brasileiras registraram protestos pacíficos durante a manhã e a tarde deste domingo (7). A maioria dos manifestantes usou máscara durante os atos e carregou cartazes contra o racismo e o fascismo. Os participantes gritaram palavras de ordem em defesa da democracia. Grupo distribui flores para a polícia: 'Momento de união' FOTOS: PM dispersa grupo que tentou furar bloqueio em SP Os protestos por essas pautas no Brasil começaram no último domingo (31), com manifestações em São Paulo e no Rio de Janeiro. Em São Paulo, no Rio e em Brasília, também houve manifestações a favor do presidente Jair Bolsonaro. A maioria dos participantes carregava bandeiras do Brasil. Não houve tumulto. Domingo no Brasil é marcado por protestos em 20 capitais ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8609407/   GloboNews Debate Fernando Henrique Cardoso, Marina Silva e Ciro Gomes em entrevista à GloboNews — Foto: Reprodução/GloboNews O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e os ex-candidatos à Presidência da República Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede) defenderam neste domingo (7) uma frente ampla para proteger a democracia. Os três participaram de um debate promovido pela GloboNews e mediado pela jornalista Míriam Leitão. PLAYLIST: Veja o debate promovido pela GloboNews Sobre os atos pró-democracia, Fernando Henrique afirmou que 'não podemos calar'. Ciro disse que 'Quem não defende a democracia é traidor'. E Marina Silva defendeu a união para enfrentar a crise. Eles também criticaram a mudança feita pelo governo federal na divulgação de informações de infectados e mortes pelo coronavírus. Isso é Fantástico A palavra tomou as redes sociais nas últimas semanas: fascismo. Em um levantamento exclusivo feito para o Fantástico, o Google revelou que o termo bateu recentemente todos os recordes de procura no site de buscas. Em debates acalorados, virou uma palavra usada para ofender interlocutores. Mas será que a palavra está sendo usada no contexto correto? Afinal, o que foi o fascismo histórico e que relação ele tem com os eventos que acontecem hoje no Brasil e no mundo? Para ajudar você a entender melhor essa história, Murilo Salviano recebe dois historiadores especialistas no assunto. Ouça abaixo:  Assunto Na reunião ministerial de 22 de abril, Ricardo Salles recomendou aos colegas aproveitar a “tranquilidade” da pandemia para implementar, longe dos olhos do Congresso, da imprensa e do público em geral, toda a desregulamentação possível na área ambiental. A fala lhe rendeu acusações formais de improbidade administrativa, crime de responsabilidade e, na última sexta-feira, um pedido de impeachment. Em conversa com Renata Lo Prete, a pesquisadora Natalie Unterstell explica que a “desregulamentação” é, na verdade, um desregramento generalizado da proteção ambiental, feito por meio de decretos, portarias e desmoralização de funcionários públicos de carreira. Integrante de um grupo que monitora cada decisão da área publicada no Diário Oficial da União, ela mostra também o que essa política já está custando ao Brasil em reputação e recursos externos perdidos. Auxílio emergencial Auxílio emergencial libera mais uma etapa de pagamentos nesta segunda-feira — Foto: Nayra Halm/Fotoarena/Estadão Conteúdo A Caixa libera nesta segunda-feira (8) as transferências e os saques em dinheiro da segunda parcela do Auxílio Emergencial depositada em poupanças sociais digitais do banco para os 2,6 milhões de beneficiários nascidos em agosto. VEJA A PÁGINA ESPECIAL As liberações começaram no em 30 de maio e seguem um cronograma ligado ao mês de nascimento do trabalhador. Até a data de liberação, os recursos já depositados nas poupanças podem ser usados apenas para pagamento de contas, de boletos e compras por meio do cartão de débito virtual. Para os trabalhadores que receberam a primeira parcela do benefício em outra conta, os recursos depositados na poupança digital serão transferidos automaticamente também na data de liberação dos saques e transferências. Com isso, esses beneficiários terão que procurar os bancos em que têm conta caso queiram sacar o dinheiro. Imposto de Renda O trabalhador demitido que recebeu verbas na rescisão do contrato de trabalho no ano passado deve incluir os valores na declaração deste ano. O envio da declaração do Imposto de Renda vai até 30 de junho. SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA De acordo com Sandro Rodrigues, contabilista, economista e fundador da Attend Assessoria Consultoria e Auditoria S/S, os valores só devem ser declarados se forem efetivamente recebidos, ou seja, quando depositados na conta corrente. “Portanto, só deve constar da declaração de 2020 o que foi efetivamente recebido até 31 de dezembro de 2019”, salienta. Concursos País tem mais de 10,6 mil vagas em concurso — Foto: Divulgação Pelo menos 94 concursos públicos estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (8) no país para preencher mais de 10,6 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. CONFIRA A LISTA COMPLETA DE CONCURSOS Além de vagas para preenchimento imediato, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso. Somente na Prefeitura de Barra dos Coqueiros, em Sergipe, são oferecidas 586 vagas, com salários de até R$ 3.232,49. Lives de pagode Lives em junho incluem transmissões agendadas de Xande de Pilares, Martinho da Vila e Thiaguinho — Foto: Divulgação As lives de pagode foram a maior surpresa da atual temporada de transmissões musicais ao vivo. E o sucesso deve seguir, com alguns grandes nomes do estilo já com lives engatilhadas para junho (veja lista abaixo). Mesmo que o pagode tenha menos hits atuais do que estilos como funk, pop e forró, e esteja muito atrás dos líderes sertanejos, quando começaram as lives, o ritmo mostrou sua força. O podcast G1 Ouviu mostrou como lives de grupos como Raça Negra, Sorriso Maroto e Pixote fizeram a audiência dos artistas disparar, com base na nostalgia. Ouça abaixo:

06 DE JUNHO, SÁBADO - A ABRACAM apresenta os destaques do dia

DESTAQUE 1 'Acabou matéria do Jornal Nacional', diz Bolsonaro sobre atrasos na divulgação de mortos por coronavírus Presidente fez afirmação ao ser questionado sobre mudança na divulgação do balanço. Globo disse em nota que espectadores 'serão informados sobre os números tão logo sejam anunciados'.   Ministério da Saúde atrasa divulgação do número de mortes por coronavírus e gera críticas O presidente Jair Bolsonaro foi questionado nesta sexta-feira (5) por jornalistas sobre os atrasos na divulgação de dados sobre a pandemia do novo coronavírus. Sem que ninguém fizesse qualquer menção a nenhum órgão de imprensa específico, o presidente disse: "Acabou matéria do Jornal Nacional". Depois, o presidente alegou que o atraso se devia à necessidade de pegar os dados mais consolidados, mas não explicou por que, por mais de 70 dias, foi possível consolidar os dados mais cedo. E nem por que os números que são divulgados às 22h constam de uma planilha que atualiza dados até as 19h. Em seguida, como faz habitualmente, Jair Bolsonaro criticou o jornalismo da Globo e acrescentou: "Ninguém tem que correr para atender a Globo". Sobre a declaração, a Globo divulgou a seguinte nota: "O público saberá julgar se o governo agia certo antes ou se age certo agora. Saberá se age por motivação técnica, como alega, ou se age movido por propósitos que não pode confessar mais claramente. Os espectadores da Globo podem ter certeza de uma coisa: serão informados sobre os números tão logo sejam anunciados porque o jornalismo da Globo corre sempre para atender o seu público". Dados das últimas 24 horas   Bolsonaro também defendeu excluir do balanço diário sobre os dados do coronavírus no Brasil os números de pessoas que morreram em dias anteriores. O balanço diviulgado atualmente pelo Ministério da Saúde inclui os dados das últimas 24 horas e os números acumulados. "Ontem [quinta-feira], praticamente dois terços dos mortos eram de dias anteriores. Tem que divulgar o [número] do dia. O resto, consolida para trás", afirmou o presidente. Bolsonaro não explicou, contudo, como os óbitos dos dias anteriores devem ser computados pelo Ministério da Saúde. Em relação à alteração no horário de divulgação dos boletins, Bolsonaro afirmou que "é para pegar o dado mais consolidado". Inicialmente, o boletim era divulgado às 17h. Depois, passou a ser apresentado às 19h. Nos últimos dias, a divulgação só tem sido feita às 22h. Nesta sexta, o ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União, disse que "cogita propor" ao TCU e aos tribunais de contas estaduais que sejam requisitados e consolidados os dados estaduais para divulgação diária dos dados até as 18h. Mortes por milhões de habitantes Bolsonaro também disse que falta seriedade na apresentação dos números de mortos feita pela imprensa. “Parece que esse pessoal que faz... o Globo, Jornal Nacional gosta de dizer que o Brasil é recordista em mortes. Agora, falta inclusive seriedade. Bote mortes por milhões de habitantes. Nem isso faz. É a mesma coisa que querer comparar mortes no Brasil que tem 210 milhões de habitantes com países que tem 10 milhões”, disse Bolsonaro. Pela análise do número de mortes por milhões de habitantes, o Brasil também figura entre os países com maiores índices de mortes. Veja a seguir: Reino Unido: 598,7 mortes por milhão de habitantes; Espanha: 578,03 mortes por milhão de habitantes; Itália: 558,13 mortes por milhão de habitantes; França: 433 mortes por milhão de habitantes; Estados Unidos: 325,64 mortes por milhão de habitantes; Brasil: 153,88 mortes por milhão de habitantes.   OMS Na mesma entrevista, concedida em frente ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro fez críticas à Organização Mundial da Saúde (OMS). “O Trump [presidente dos Estados Unidos] cortou a grana deles, voltaram atrás em tudo. E adianto aqui: os Estados Unidos saíram da OMS. A gente estuda no futuro – ou a OMS trabalha sem o viés ideológico – ou nós vamos estar fora também. Não precisamos de gente de fora dar palpite na saúde aqui dentro”, disse o presidente. Na sequência, Bolsonaro foi questionado se pretende fazer com que o Brasil deixe a OMS. Ele afirmou: “É o seguinte: ou a OMS realmente deixa de ser uma organização política, partidária, assim, vamos dizer, até partidária, ou nós estudamos sair de lá”, frisou. DESTAQUE 2 Casos de coronavírus e número de mortes no Brasil em 6 de junho As secretarias estaduais de Saúde confirmam no país 646.006 casos do novo coronavírus (Sars-CoV-2), com 35.047 mortes.  Veja os dados sobre o coronavírus no Brasil neste sábado (6), segundo levantamento exclusivo do G1 junto às secretarias estaduais de saúde. Os principais dados são: 35.047 mortes 646.438 casos confirmados Já segundo o balanço nacional do Ministério da Saúde, divulgado nesta sexta (5) às 21h40, o Brasil chegou a 35.026 mortes e 645.771 casos confirmados. A diferença para o último balanço foi de 1.005 novos óbitos registrados. Avanço de mortes por coronavírus no Brasil até 5 de junho — Foto: Editoria de Arte/G1 Abaixo, veja curva de mortes no Brasil e nos estados, cidades com maior mortalidade, cidades com maior incidência, taxa de ocupação de leitos de UTI, testes feitos pelos estados e pacientes recuperados.     Consulte o número de casos e mortes em sua cidade no Mapa do Coronavírus. Das 20 cidades com maior mortalidade no Brasil, 12 estão no Amazonas e só quatro fora da Região Norte. No ranking, aparecem cinco capitais, nesta ordem: Belém (1°), Fortaleza (5°), Recife (11°), Manaus (13°) e Rio de Janeiro (15°).   Taxa de ocupação de leitos de UTI Acre – 82,6% em todo o estado em 4/6 Alagoas – 79% em todo o estado 4/6 Amapá – 98,84% em todo o estado em 4/6 Amazonas – 70% em todo o estado em 3/6 Bahia – 71% em todo o estado em 5/6 Ceará – 82,72% em todo o estado em 4/6 Distrito Federal – 69,5% na rede privada e 42,24% na rede pública em 29/5 Espírito Santo - 85,14% em todo o estado em 4/6 Goiás - 46,6% dos leitos de gestão estadual, em todo o estado em 3/6 Maranhão –96,25% na Grande São Luís, 80,85% no interior e 85,2% em Imperatriz em 2/6 Mato Grosso – 37,6% em todo o estado em 4/6 Mato Grosso do Sul – 7% em todo o estado em 4/6 Minas Gerais – 71% em todo o estado em 3/6 Pará – 79% em todo o estado em 3/6 Paraíba – 67% em todo o estado em 5/6 Paraná – 40% em todo o estado em 4/6 Pernambuco – 98% em todo o estado em 3/6 Piauí - 61% em todo o estado em 24/5 Rio de Janeiro – 90% no SUS em todo o estado em 5/6 Rio Grande do Norte – 84% na rede pública e 71% na rede privada em 5/6 Rio Grande do Sul – 71,9% em todo o estado em 5/6 Rondônia – 77,9% em todo o estado em 3/6 Santa Catarina – 61,7% do sistema público em todo o estado em 3/6 São Paulo – 71% em todo o estado em 5/6 Sergipe – 68,3% na rede pública e 85% na rede privada em todo o estado em 4/6 Tocantins – 60% dos leitos ocupados em 3/6 Roraima não divulgou a lotação dos leitos de UTI do estado. Testes feitos pelos estados Número de testes de coronavírus feitos pelos estados Estado Nº de testes Data de divulgação Acre 15.988 4/6 Alagoas 18.048 1º/6 Amapá 21241 3/6 Amazonas 6.183 27/4 Bahia 39.949 21/5 Ceará 137.434 4/6 Distrito Federal 141.344 29/5 Espírito Santo 56.831 5/6 Goiás 12.925 30/5 Maranhão 66.717 3/6 Mato Grosso 8.253 3/6 Mato Grosso do Sul 11.713 4/6 Minas Gerais 23.461 4/6 Pará 54.311 3/6 Paraíba 60.022 5/6 Paraná 26.063 25/5 Pernambuco 50.392 28/5 Piauí 43.109 3/6 Rio Grande do Norte 25.465 5/6 Rio Grande do Sul 12.508 26/5 Rondônia 18.891 3/6 Roraima 718 23/4 Santa Catarina 33.000 4/6 São Paulo 87.463 27/5 Sergipe 20.702 2/6 Tocantins 7.095 25/5 Total 999.836   Fonte: secretarias estaduais de Saúde Rio de Janeiro não divulgou o número de testes. Pacientes recuperados Pacientes recuperados de Covid-19 nos estados Estados Nº de pacientes recuperados Data de divulgação Acre 3.209 4/6 Alagoas 8.461 5/6 Amapá 5.766 5/6 Amazonas 34.583 2/6 Bahia 11.464 5/6 Ceará 39.263 4/6 Distrito Federal 7.336 5/6 Espírito Santo 9.919 5/6 Goiás 738 26/5 Maranhão 15.629 4/6 Mato Grosso 1.145 5/6 Mato Grosso do Sul 872 4/6 Minas Gerais 5.606 4/6 Pará 39.177 5/6 Paraíba 3.945 5/6 Paraná 2.267 4/6 Pernambuco 20.375 4/6 Piauí 456 29/5 Rio de Janeiro 41.838 2/6 Rio Grande do Norte 1.824 3/6 Rio Grande do Sul 8.391 5/6 Rondônia 2.600 3/6 Roraima 1.230 4/6 Santa Catarina 6.442 4/6 São Paulo 24.616 5/6 Sergipe 2.999 2/6 Tocantins 1.933 5/6 Total 302.084   Fonte: secretarias estaduais de Saúde   DESTAQUE 3 ASD Decreto de Witzel libera futebol, bares, restaurantes e shoppings a partir deste sábado Prefeitura da capital fluminense, no entanto, tem outras datas para reabertura. Decreto publicado em edição extra do Diário Oficial nesta sexta (5) também permite a volta do futebol e outros esportes de alto rendimento, desde que sem público.  Rio de Janeiro tem início de flexibilização do isolamento neste sábado (6)    ASSISTA AO VÍDEO   https://g1.globo.com/globonews/jornal-globonews/video/rio-de-janeiro-tem-inicio-de-flexibilizacao-do-isolamento-neste-sabado-6-8607437.ghtml   um decreto publicado no fim da noite desta sexta-feira (5), em edição extra do Diário Oficial, dá início à flexibilização do isolamento no estado do Rio de Janeiro devido ao novo coronavírus. O texto, assinado pelo governador Wilson Witzel, libera a reabertura parcial de bares, restaurantes e shoppings centers, mas a prefeitura da capital do estado, por exemplo, a ainda não autorizou a reabertura. A volta do futebol e outros esportes de alto rendimento, desde que sem público, também está autorizada pelo governo. Em sua rede social, Witzel afirmou que com as medidas de isolamento adotadas até agora, milhares de vidas foram salvas. "Com as medidas restritivas que estabelecemos em 16 de março, e que começam a diminuir a partir deste sábado por decreto, salvamos mais de 46.000 vidas. Vamos seguir no enfrentamento ao Covid-19. E deixaremos hospitais de alta complexidade como legado para os próximos 5 anos", disse o governador. Witzel autorizou a reabertura de shoppings; decreto de Crivella só permite na fase 2, prevista para o dia 17 — Foto: Marco Serra Lima/ G1 Witzel autorizou a reabertura de shoppings; decreto de Crivella só permite na fase 2, prevista para o dia 17 — Foto: Marco Serra Lima/ G1   As medidas foram anunciada no dia em que o RJ chegou a 6.473 mortes por Covid-19 e 63.066 casos confirmados. O estado diz, no entanto, que as decisões foram baseadas em dados que indicam a redução da pandemia no RJ (entenda abaixo). A partir deste sábado (6), estão autorizados a funcionar pelo Governo do RJ (algumas medidas dependem também dos decretos das prefeituras): Bares e restaurantes, com limite de 50% de sua capacidade (medida só seria permitida na fase 3 da prefeitura); shopping centers e centros comerciais, das 12h às 20h, com limitação de 50% da capacidade, garantindo fornecimento de álcool em gel 70%. As praças de alimentação também podem reabrir, obedecendo ao limite de 50% da capacidade. Áreas de recreação, cinemas e afins, no entanto, permanecerão fechados (medida só seria permitida na fase 2 da prefeitura); Equipamentos e pontos turísticos, como Cristo Redentor e Pão de Açúcar, também estão autorizados a abrir para o público, respeitando o limite de 50% de sua capacidade de lotação. organizações religiosas podem funcionar, desde que seja observada a distância de 1 metro entre as pessoas; parques, para a prática de esportes, desde que não haja aglomeração; atividades esportivas individuais ao ar livre, inclusive em praias e lagoas, preferencialmente próximo à residência; atividades esportivas de alto rendimento, como o futebol, desde que sem público e com os devidos protocolos de higienização (medida só seria permitida na fase 3 da prefeitura); atividades culturais de qualquer natureza no modelo drive-in; feiras livres de produtos de gênero alimentício, com restrições como distância de barracas de 1 metro e disponibilização de álcool 70%; retorno gradual do transporte intermunicipal de passageiros. Protocolos Todos os estabelecimentos abertos devem seguir protocolos e medidas de segurança recomendadas pelas autoridades sanitárias: assegurar a distância mínima de 1 metro entre as pessoas; disponibilizar álcool em gel 70%; obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção facial por clientes e funcionários.   Restrições prorrogadas O decreto também prorrogou algumas medidas restritivas até 21 de junho: aulas presencias das redes de ensino estadual, municipal e privada; atividades coletivas em cinemas, teatros e afins; funcionamento de academias de ginástica; visita a unidades prisionais, inclusive aquelas de natureza íntima; visita a pacientes diagnosticados com a Covid-19, internados na rede pública ou privada; permanência em praias, lagoas, rios e piscinas públicas Shoppings Segundo o decreto, shoppings poderão funcionar entre 12h e 20h, com até 50% da capacidade. Veja outras restrições ao funcionamento: fornecer equipamentos de proteção individual e álcool em gel 70% a todos os empregados, colaboradores, terceirizados e prestadores de serviços; Disponibilizar álcool em gel 70% ou compostos de efeito similar a todos os clientes; obrigatoriedade do uso de máscara por clientes e funcionários; garantir o distanciamento mínimo de 1 metro entre as pessoas; proibição do funcionamento de áreas de recreação e lojas como brinquedotecas, de jogos eletrônicos, cinemas, teatros e congêneres; funcionamento da praça de alimentação com 50% de lotação; provadores de lojas proibidos; estacionamento com limite de 50%; garantia da qualidade do ar dos ambientes climatizados, com protocolos de manutenção dos aparelhos e sistemas de climatização, realizando a troca dos filtros. Horários de indústria e comércio O decreto determina também o funcionamento de alguns setores do comércio e da indústria em horários específicos para evitar aglomerações: Comércio de produtos essenciais: da 0h às 23h59 Indústria e serviços: das 9h às 17h Comércio varejista, exceto shoppings: 11h às 19h Construção civil: 7h às 15h Achatamento da curva Para a elaboração do decreto, o governo diz que levou em consideração os dados epidemiológicos da Secretaria de Estado de Saúde, como a redução do número diário de óbitos e das internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Segundo o governo, no final de abril, mais de 1,5 mil pessoas aguardavam por leitos de enfermaria e UTI no estado. Atualmente, esse número caiu para pouco mais de 100, com tempo de espera de regulação de cerca de 2 dias. "Outro dado importante é a redução de números de casos da Covid-19 por data de início de sintomas. Somente no dia 1º de maio, foram registrados 2.042 pacientes com coronavírus, marca que é o pico desde o início da pandemia. No dia 31 de maio, foram apenas 86 casos. Já para óbitos, o pico aconteceu no dia 4 de maio, com 172 óbitos ocorridos nessa data. No fim de maio, também no dia 31, foram 39. Também em queda, a taxa de incidência de casos no estado terminou o último mês com 109 casos para cada 100 mil habitantes", diz a nota do governo. "Os dados fazem parte do Boletim Epidemiológico, que foi lançado pela Secretaria de Estado de Saúde nesta sexta-feira (05/06) e que pode ser consultado através do site www.saude.rj.gov.br. O boletim, que será atualizado periodicamente, apresenta ainda, pela primeira vez, o perfil dos pacientes mais acometidos pela doença. Os óbitos, por exemplo, em sua maioria, são de homens (57,17%) com idades entre 60 e 79 anos, sobretudo em pessoas com comorbidades como cardiopatia, hipertensão arterial e diabetes, asma, obesidade e pacientes imunodeprimidos", acrescenta a nota. Transportes O Governo do Estado também também determinou nesta sexta-feira o retorno gradual do transporte intermunicipal de passageiros a partir deste sábado (6). O transporte intermunicipal coletivo estava interrompido desde o início das medidas de isolamento social em março. Segundo o poder executivo do estado, medida "visa atender às demandas sociais e econômicas, tendo em vista a flexibilização progressiva do isolamento social adotada por diversos municípios". O RJ1 mostrou que trabalhadores reclamavam da falta de transporte público para chegar em seus locais de trabalho, na capital do estado. UFRJ estima pico da pandemia no final da 1ª quinzena de junho RJ registrou 317 mortes por Covid-19 na última quinta A partir de sábado, será retomada a operação das linhas rodoviárias e vans intermunicipais, com exceção dos municípios de Barra Mansa, Pinheiral e Volta Redonda. Nessas cidades, permanece restrita a circulação de ônibus intermunicipal, ônibus fretado e vans nas conexões com outras cidades. O transporte coletivo entre os três municípios está mantido.   everão operar com ocupação limitada ao número de assentos do veículo as seguintes linhas: que fazem a ligação entre os municípios da Região Metropolitana; entre os municípios do interior do estado; e as de transporte complementar, em qualquer região. De acordo com o decreto, fica vedado o transporte de passageiros em pé. Já as linhas que fazem a ligação entre a Região Metropolitana e o interior deverão operar com até 50% dos assentos ocupados, nos veículos tipo Rodoviário, e apenas com passageiros sentados, no caso dos veículos tipo Urbano. A fiscalização do cumprimento dessas medidas será realizada pelo Detro, com auxílio das Forças Policiais. Metrô, trem e barca Também a partir do próximo sábado, fica suspenso o controle de acesso de passageiros em todas as estações. No metrô e no trem, a disponibilidade de lugares ficará restrita a, no máximo, 50% da capacidade de lotação. No sistema ferroviário, a operação do ramal Guapimirim seguirá suspensa. No caso das barcas, as viagens serão realizadas com o quantitativo de passageiros equivalente ao número de assentos existentes na embarcação utilizada. Ou seja, o decreto proíbe a viagem de passageiros em pé. As estações Charitas e Cocotá permanecerão temporariamente fechadas. A operação da linha Arariboia terá intervalos de, no mínimo, 30 minutos no horário de pico (das 5h30 às 9h e das 16h às 18h) dos dias úteis. Os intervalos serão de 1 hora nas viagens fora dos horários de pico dos dias úteis e aos sábados, domingos e feriados. Já a linha de Paquetá continuará operando com intervalos de até 3 horas, em qualquer dia e período. O Governo do RJ orienta que, havendo possibilidade e segurança, todos os meios de transportes deverão circular com janelas destravadas e abertas. O objetivo é proporcionar plena circulação de ar, nos ônibus, barcas, trens e no transporte complementar.so de máscara A utilização de máscaras de proteção respiratórias também será obrigatória nos transportes coletivo e individual. O poder executivo também determinou que as concessionárias deverão disponibilizar álcool em gel 70% ou um produto higienizador com eficácia semelhante em todas as estações de trem, metrô e barcas, assim como nos ônibus urbanos e rodoviários do estado.  Oferta de transporte não acompanha processo de reabertura no Rio Assista ao vídeo https://globoplay.globo.com/v/8605435/   Deslocamentos difíceis Antes do novo decreto do governo entrar em vigor, o RJ1 mostrou, nesta sexta-feira, que muitos trabalhadores reclamavam da falta de opções de transporte para chegar ao Rio. "Um certo transtorno, né? Porque um trajeto que eu levaria bem menos tempo, hoje fica bem mais longo, tem que sair mais cedo", disse Nascimento, que mora em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O que diz a Fetranspor Em nota, a Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) informou que as empresas que operam linhas intermunicipais com destino à cidade do Rio de Janeiro estão prontas para a retomada das operações. "Os protocolos de saúde estão sendo seguidos à risca, para garantir maior segurança dos passageiros, com a distribuição de equipamentos de proteção individual aos colaboradores e a higienização diária da frota de ônibus, de acordo com todas as especificações técnicas", dizia a nota.   egundo a federação, as condições de saúde de motoristas e outros trabalhadores serão acompanhadas diariamente. Equipamentos de higiene e proteção estão sendo distribuídos para os funcionários. A Fetranspor admitiu também que "problemas pontuais" podem acontecer na primeira semana de retomada. A federação acredita que isso possa acontecer "caso a procura pelo transporte supere em muito as expectativas, já que é necessária a convocação extra de rodoviários para o retorno ao trabalho, a limpeza e a higienização da frota adicional e a negociação com fornecedores".

Sexta-feira, 5 de junho - RESUMO das notícias que a ABRACAM traz para você

  Boa noite! Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado.  Brasil registra mais de mil mortes por coronavírus pelo 4º dia seguido, aponta levantamento do G1. Mais uma vez, o governo atrasa a divulgação dos dados oficiais, e recebe críticas. Trump diz que EUA teriam 2,5 milhões de mortos se agissem como o Brasil. A morte do menino Miguel provoca protestos em Pernambuco, e a mãe dele dá um depoimento doloroso. Números da pandemia O Brasil registrou mais 1.149 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas, segundo levantamento do G1 com as secretarias de Saúde. São 35.033 vítimas e 645.438 casos confirmados. Mais uma vez, o Ministério da Saúde atrasou a divulgação dos números atualizados. Antes, era às 17h, passou para as 19h e agora tem acontecido às 22h. Essa demora e a falta de transparência do governo gerou críticas nos outros poderes, e o Congresso pode intervir para fazer o levantamento mais cedo. Combate à pandemia O presidente americano, Donald Trump, afirmou que o Brasil está num 'momento bem difícil' em frente à pandemia de coronavírus. 'Se tivéssemos agido assim, teríamos perdido 1 milhão, 1,5 milhão, talvez 2,5 milhões de vidas ou até mais". Trump disse que pelo menos um milhão de pessoas foram salvas ao 'fechar os Estados Unidos'. Inicialmente, o presidente minimizou a ameaça do vírus que já matou mais de 108 mil pessoas nos EUA, país com maior número de óbitos pela Covid-19. Caso Miguel Montagem com Mirtes, mãe do menino Miguel, e a patroa, Sarí Corte Real — Foto: Montagem/G1  A primeira e única vez que confiei meu filho a ela, ela deixou meu filho ir para a morte", afirmou Mirtes Renata Santana de Souza, mãe do menino Miguel Silva, de 5 anos, sobre a patroa Sarí Gaspar Côrte Real. A criança morreu ao cair do 9º andar de um edifício de luxo no Recife, após a mãe descer para passear com o cachorro da família para quem trabalhava e deixar o menino aos cuidados da patroa. Assista à entrevista de Mirtes ao programa "Encontro com Fátima Bernardes". Em carta, patroa pede perdão a mãe de Miguel: 'Solidária a seu sofrimento' #JustiçaPorMiguel: ato homenageia o menino no Recife O caso do menino Miguel inflamou o debate sobre racismo no Brasil. 'É um retrato de como os brancos tratam os negros no país', afirma a filósofa Djamila Ribeiro à GloboNews. Para historiadora, a 'nossa supremacia branca é assim'. Uma militante negra diz que é possível combater essas práticas através de quatro atos: ver, ouvir, falar e agir. Entenda. Enquanto isso... O Ministério Público Federal pediu a abertura de inquérito para apurar se o presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, cometeu crime de racismo. Em áudios captados em uma reunião fechada, Camargo chamou o movimento negro de 'escória maldita' e criticou religiões de matriz africana. Movimento negro protesta e pede saída de Sérgio Camargo Inquérito das fake news A defesa do presidente Jair Bolsonaro pediu ao Tribunal Superior Eleitoral, nesta sexta-feira, que o inquérito das fake news não seja incluído em dois processos que investigam se a chapa Bolsonaro-Mourão contratou empresas para efetuar disparos em massa de mensagens com informações falsas contra adversários eleitorais em 2018. O inquérito das fake news, por sua vez, está sob a alçada do STF e apura a produção e disseminação orquestradas de informações falsas e ameaças contra ministros da Corte. O pedido para unir o inquérito aos processos foi feito pelo PT.  Aras reconhece que políticos com foro privilegiado têm relação com 'gabinete do ódio' 'Centrão' na mira A Procuradoria-Geral da República denunciou nesta sexta ao Supremo Tribunal Federal o deputado federal Arthur Lira (PP-AL), um dos líderes do 'Centrão', bloco parlamentar informal que passou a integrar a base do governo na Câmara. Lira é acusado de corrupção passiva em investigação no âmbito da Lava Jato. Ele teria recebido R$ 1,6 milhão em propina de uma empreiteira. Cabe ao STF analisar se vai receber a denúncia. Ex-presidente do BNDES O economista Carlos Lessa morreu de Covid-19, nesta sexta, no Rio. Lessa, que tinha 83 anos, foi presidente do BNDES e reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Fã da cultura, fundou o bloco de carnaval Minerva Assanhada. 'Foi um exemplo de amor incondicional pelo Brasil', disse um de seus três filhos. Devastação Hoje é o Dia Mundial do Meio Ambiente, e por aqui não há motivos para comemorar: os alertas de desmatamento na Amazônia subiram 22% este ano, segundo balanço preliminar com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Os sinais de devastação não desapareceram nem mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus. Veja aqui o total de área desmatada por estado. Tem 5 minutos? Clássico da literatura brasileira, 'Memória póstumas de Brás Cubas' foi relançado nos EUA esta semana, com nova tradução para o inglês, e esgotou em um dia nas maiores cadeias de livros do país. Uma crítica da revista 'The New Yorker' classificou a obra como 'uma das mais espirituosas, divertidas e, portanto, mais vivas e atemporais de todos os tempos'. Sem o básico Mais de 40 mil. Este é o número de brasileiros que foram internados com complicações por causa da falta de saneamento básico nos três primeiros meses do ano, aponta um estudo da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES). A internações custaram mais de R$ 16,1 milhões aos cofres públicos — 46% apenas na região Norte. Dólar a R$ 4,99 Pela primeira vez desde março, o dólar fechou abaixo dos R$ 5 nesta sexta-feira. A cotação reflete o cenário externo mais otimista, com os dados de criação de emprego nos Estados Unidos dando fôlego adicional aos mercados.

5 de junho, sexta-feira -A ABRACAM mostra os destaques do dia

  Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.  Cem dias depois do 1º caso de coronavírus, o Brasil passa a Itália em número de mortes. São mais de 34 mil vítimas, 1.473 em 24 horas, o terceiro recorde seguido. Enquanto os números disparam, os cientistas alertam: não é hora para reabertura. O podcast O Assunto discute as pesquisas sobre a hidoxicloroquina e o uso político do remédio sem eficácia comprovada contra a Covid-19. Aras vê indícios de crimes contra o STF e defende prosseguir com inquérito das fake news. E a live no G1 debate como pode ser a escola pós-pandemia. Triste recorde Enterro de Jose Soares, vítima do coronavírus, no Cemitério São Luiz, em São Paulo — Foto: Amanda Perobelli / Reuters O número de mortes no Brasil causadas pelo novo coronavírus passou o da Itália e chegou a 34.021. O país agora é o 3º do mundo com mais óbitos. Nas últimas 24 horas, foram 1.473 registros, o maior balanço diário pela terceira vez consecutiva. Não é hora de reabertura    Pesquisadores avaliam os riscos para a abertura precoce do comércio em meio à pandemia Assistaz ao vídeo  https://globoplay.globo.com/v/8604055/ Os números de mortos e contaminados pelo novo coronavírus dispararam no Brasil. O quadro é um alerta. Pesquisadores avaliam que não é a hora de reabrir o comércio. Estudos mostram que a curva de contágio ainda avança - e de forma acelerada - e que nós somos o único país que, a partir do 50º dia de epidemia, manteve a curva de aceleração da Covid-19. O Assunto: cloroquina Enquanto pesquisadores se desdobram em busca de vacina e remédio para o novo coronavírus, a cloroquina e sua derivada, a hidroxicloroquina, estão no centro da pauta científica e política. Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com o infectologista Marcus Lacerda, coordenador do estudo CloroCovid-19 da Fundação de Medicina Tropical em parceria com a Fiocruz. Lacerda fala sobre os ataques que sofreu de militantes governistas e explica por que a disputa política em torno da cloroquina atrapalha os estudos clínicos. Participa também a jornalista da TV Globo especializada em saúde Fabiane Leite, que detalha o que os principais estudos sobre a droga dizem até aqui. Ouça:   Vacina Estudiosos tentam desenvolver vacina contra coronavírus. — Foto: CDC/Unsplash Lote da vacina de Oxford já chegou ao Brasil. Saiba quem pode ser voluntário e como será o teste contra a Covid-19. Dois mil voluntários em SP e no RJ serão vacinados nas próximas três semanas. Acompanhamento dos participantes será feito durante um ano para avaliar resultados da imunização contra o coronavírus. O vírus e a relação com um morcego Foto de 2016 mostra morcego da espécie Desmodus rotundus a caminho de uma caçada noturna — Foto: Brock Fenton / Nature Publishing Group / AFP Uma parceria internacional entre cientistas realizou uma análise sobre a relação entre os coronavírus e os morcegos. No trabalho, o grupo analisa as sequências genéticas de 781 vírus da mesma família do Sars CoV-2. Segundo a revista "Science", mais de 30% deles não estavam descritos ainda na literatura. A partir do estudo, os pesquisadores apontam que a hipótese principal é que o novo coronavírus seja derivado de um grupo de vírus originários de morcegos-ferradura. Auxílio Emergencial — Foto: Marcos Santos / USP Imagens A Caixa Econômica Federal (CEF) libera as transferências e os saques em dinheiro da segunda parcela do Auxílio Emergencial para os 2,6 milhões de beneficiários nascidos em junho. Calendário de novos saques do FGTS sai em breve, diz Caixa Indícios de crimes contra o STF O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou que as apurações envolvendo políticos com foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal (STF), dentro do inquérito das fake news, têm relação com as investigações do chamado "gabinete do ódio". Aras reconhece que tribunal tem sido alvo de campanha difamatória. Aras não cita quais são os políticos investigados. A Polícia Federal (PF) intimou, até o momento, seis deputados a prestarem depoimento sobre o suposto esquema de disseminação de fake news e ameaças a autoridades. Zambelli fica calada em depoimento à PF no inquérito das fake news Live do G1: a escola pós-pandemia Sala de aula vazia em escola pública de Alagoas — Foto: Valdir Rocha O G1 debate hoje, a partir das 19 horas, o que mudará na educação após a pandemia. Discussão terá participação da youtuber e educadora Flavia Calina, da coordenadora Raquel Franzim (Instituto Alana) e da professora Mara Mansani (Nova Escola). Como a pandemia mudará a educação? Acompanhe o debate e participe! Quarentena com 7 filhos: vida agitada Ana Cristina, Reinaldo e os sete filhos — Foto: Ana Cristina Pádua/ Arquivo pessoal A casa da família da técnica em enfermagem Ana Cristina Pádua e do bombeiro Reinaldo Soares nunca está silenciosa nesta pandemia que está quase completando três meses. Eles têm sete filhos e os pais de Ana Cristina também moram com eles, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O isolamento social na casa deles reúne 11 pessoas. A harmonia e boa convivência é mantida com trabalho em equipe, divisão de tarefas domésticas, dedicação e organização nos estudos. Há regras e uma rotina estabelecida já que com o isolamento social, todos passam a maior parte do dia dentro de casa. Mas a vida lá é agitada. Quíntuplos Quíntuplos aprenderam na escola e em casa a importância de usar máscara de proteção — Foto: Arquivo Pessoal Mãe confinada com quíntuplos há 70 dias em SP diz que vida virou "loucura". Moradores de Santos, no litoral paulista, Karina Barreira e João Biagi Júnior estão se desdobrando com as crianças em casa o dia todo. Se vestiu até de noiva Professora se vestiu de noiva em maio para simbolizar o mês das noivas — Foto: Arquivo pessoal/Vania Loureiro  Uma professora universitária de Santos, no litoral de São Paulo, encontrou uma maneira divertida de animar e motivar os alunos durante as aulas: em cada encontro online, ela usa assessórios ou fantasias de carnaval. Vania Loureiro, de 56 anos, usa a nova tática para deixar os dias mais leves, mesmo em meio ao isolamento social, por causa da pandemia do novo coronavírus. Cidades mineradoras no caminho do vírus Duas minas e três usinas de beneficiamento funcionam em Itabira (MG). — Foto: Thais Pimentel/G1 A pandemia do novo coronavírus avança em cidades mineradoras de Minas Gerais. Só em Itabira, há mais de 440 casos, e ao menos metade é de funcionários de uma empresa. Mariana, Barão dos Cocais e Itabirito são alguns dos outros municípios que tiveram aumento do número de registros de Covid-19. Lives de hoje Mano Walter, Marcelo D2 e Rashid fazem lives neste sexta-feira — Foto: Divulgação / e Celso Tavares/G1  Mano Walter, Marcelo D2, Rashid, Ponto de Equilíbrio e mais shows para ver em casa nesta sexta-feira. O cantor de forró fará arraiá e diz: 'Povo não vai ficar sem São João'. Mulheres em perigo Denuncie: Disque 180 ou 190. — Foto: Acervo ALEAM O Rio de Janeiro tem em média 266 denúncias por dia à Central 190 sobre crimes contra mulher durante o período de isolamento social. Os dados foram obtidos com exclusividade pelo G1 através do Monitor da Violência contra Mulher durante a Pandemia, do Instituto de Segurança Pública do Rio (ISP-RJ). A ferramenta é inédita. Curtas e Rápidas:  Coronavírus: Como lavar máscaras de pano? ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8602757/   Coronavírus: como lavar máscaras de pano? Bispo contraria recomendação do governo de SP e vai retomar missas presenciais no ABC Paulista   Previsão do tempo  Veja a previsão do tempo para esta sexta-feira (5) em todo o país ASSISTA AO VÍDEO   https://globoplay.globo.com/v/8604265/  Com informações do G1

TSE autoriza convenções partidárias virtuais para eleição deste ano

Abrir O Campo De Busca     TSE autoriza convenções partidárias virtuais para eleição deste ano Partidos terão liberdade de estabelecer regras e procedimentos   Share on WhatsApp   Share on Facebook   Share on Twitter   O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou hoje (4), por unanimidade, a realização de modo virtual das convenções partidárias para a escolha dos candidatos nas eleições municipais deste ano, tendo em vista as recomendações de distanciamento social durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19). Pela decisão, ficou estabelecido que os partidos têm liberdade de estabelecer regras e escolher os procedimentos para a realização das convenções virtuais, desde que garantam ampla publicidade a todos os filiados e atendam a todas exigências da legislação eleitoral já em vigor. A flexibilização foi autorizada em resposta a duas consultas feitas por deputados federais e a uma terceira feita pelo partido Republicanos. "No meu modo de ver, negar a adoção desse formato virtual no momento atual seria ignorar a realidade enfrentada no combate à doença. Na seara específica do processo eleitoral, seria inviabilizar essa etapa imprescindível à realização de eleições democráticas e transparentes", disse o relator das consultas, ministro Luis Felipe Salomão, que foi acompanhado por todos os outros seis ministros que compõem o TSE. O tribunal formará um grupo de trabalho para estabelecer regras de envio virtual dos resultados das convenções para a Justiça Eleitoral. Uma norma sobre o tema deve ser votada ainda neste mês, segundo o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso. De acordo com a legislação eleitoral, as convenções, obrigatórias para a escolha dos candidatos, devem ser realizadas por todos os partidos entre 20 de julho e 5 de agosto. No mesmo julgamento desta quinta-feira (4), o TSE reafirmou que não pode alterar tais datas sem prévia autorização do Congresso. Com informações da Agência Brasil

Quinta-feira,04 de junho - ABRACAM mostra o RESUMO das notícias que foram destaques

  Boa noite! Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado.   O coronavírus segue avançando no Brasil. O país ultrapassou a Itália e agora é o terceiro com mais mortes pela Covid-19 — 33.884, segundo as secretarias de saúde. Na economia, o governo deve estender o auxílio emergencial, programado anteriormente para três meses. E o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, revogou ato do ministério que poderia cancelar infrações na Mata Atlântica. Mais de 33,8 mil mortes Levantamento do G1 com base nos dados divulgados pelas secretarias de saúde mostra que a pandemia segue avançando. Até as 20h30, eram 612.862 casos confirmados de Covid-19 e 33.884 mortes provocadas pela doença. O Brasil ultrapassou a Itália e agora é o terceiro país com mais vítimas, atrás apenas de EUA e Reino Unido. O coronavírus já chegou a 72% das cidades brasileiras. Os números disparam em meio a medidas de relaxamento em várias regiões. No Rio, a prefeitura liberou a volta às ruas de 14 mil camelôs, e houve pontos de aglomeração. Na cidade de São Paulo, concessionárias e escritórios poderão reabrir amanhã com atendimento limitado. Não é hora Especialistas alertam que a abertura precoce pode causar uma explosão ainda maior de casos. 'Estamos pisando no acelerador', diz um deles. Alguns cientistas preveem aumento de 150% de casos e mortes no Brasil nos próximos dez dias. Auxílio emergencial Como Ana Flor adiantou em seu blog, o auxílio emergencial deve ser estendido em mais duas parcelas de R$ 300. A proposta do governo precisa passar pelo Congresso. O benefício foi criado em abril, com previsão de ser pago em três parcelas de R$ 600. Saiba tudo sobre o auxílio emergencial Remanejamento O governo transferiu R$ 83,9 milhões do Bolsa Família para a Secretaria de Comunicação, segundo portaria publicada no 'Diário Oficial' nesta quinta. A transferência foi motivada por baixa execução do programa, já que beneficiários podem optar pelo Bolsa Família ou pelo auxílio emergencial de R$ 600, o que for maior. Sem Justiça! Sem paz!  Menina viraliza nas redes sociais durante os protestos antirracistas em Nova York    ASSISTA AO VÍDEO  https://g1.globo.com/globonews/estudio-i/video/menina-viraliza-nas-redes-sociais-durante-os-protestos-antirracistas-em-nova-york-8602745.ghtml Um vídeo de uma menininha nos atos antirracistas em Nova York viralizou nas redes sociais e emocionou muita gente, com sua postura combativa. A análise da comentarista Flávia Oliveira, da GloboNews, é mais do que pertinente: 'Uma crueldade que em tão tenra idade você precise defender com ardor a desigualdade e a violência pela qual passa sua comunidade.' E no 10º dia de protestos nos EUA teve o início do funeral de George Floyd. O ex-segurança negro morto por um policial branco foi homenageado pela família, políticos e ativistas. o corpo de Floyd será velado em 3 cidades e as cerimônias vão durar 6 dias. ASSISTA: Djamila Ribeiro fala sobre racismo no Brasil A 'boiada' de Salles O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, revogou um ato do ministério que, na prática, poderia cancelar infrações ambientais na Mata Atlântica, como desmatamento e queimadas, e regularizava invasões no bioma até julho de 2008. O Ministério Público Federal já havia entrado com uma ação na Justiça para tentar anular o ato. Para Miriam Leitão, Salles 'sabia que iria perder na Justiça'. Veja análise. Parlamento holandês rejeita acordo Mercosul-UE e cita Amazônia Comitê americano se opõe a acordo com Brasil em defesa ao meio ambiente Ofensa a chineses O ministro da Educação, Abraham Weintraub, prestou depoimento nesta quinta, na Polícia Federal em Brasília, no inquérito sobre suposto crime de racismo. Weintraub insinuou, em uma rede social, que a China poderia se beneficiar, de propósito, da crise do coronavírus. O texto imitava o jeito de falar do personagem Cebolinha, da Turma da Mônica, que troca a letra 'R' pela 'L', ridicularizando a maneira de alguns chineses quando falam português. O ministro entregou posição por escrito e deixou o prédio em meia hora. Zambelli depõe no inquérito das fake news Limites Um parecer da Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados afirma que o artigo 142 da Constituição Federal 'não autoriza a realização de uma 'intervenção militar constitucional''. Na reunião ministerial de 22 abril, o presidente Jair Bolsonaro disse que, com base nesse artigo, as Forças Armadas poderiam intervir para 'restabelecer a ordem'. O relatório chama ainda de 'fraude ao texto constitucional' a interpretação de que o dispositivo confere ao Exército 'o poder de sobrepor-se a decisões de representantes eleitos pelo povo ou de quaisquer autoridades constitucionais a pretexto de 'restaurar a ordem''. 🎧 O ASSUNTO: o artigo 142 e os limites das Forças Armadas Convenção virtual O Tribunal Superior Eleitoral autorizou a realização de convenções partidárias de forma virtual pelos partidos nas eleições municipais de 2020, em razão da pandemia de coronavírus. Nessas reuniões, os partidos definem os candidatos a prefeito e a vereador. As convenções, pelo calendário eleitoral, devem acontecer entre 20 julho e 5 de agosto. Caso da facada O Ministério Público Federal concluiu que Adélio Bispo de Oliveira agiu sozinho no ataque contra o então candidato à presidência Jair Bolsonaro, em setembro de 2018, em Juiz de Fora (MG). Diante disso, o órgão se manifestou nesta quinta pelo arquivamento provisório do inquérito, pois ainda há uma diligência pendente que depende do Supremo Tribunal Federal. A decisão agora cabe à Justiça. Tem 5 minutos? Se você não dispensa um pãozinho com manteiga, como quase todo brasileiro, já parou para pensar de onde vêm esses alimentos? Conheça a produção do trigo e do leite, negócios bilionários no Brasil — o faturamento foi de R$ 39,5 bilhões em 2019 — e que empregam milhões de pessoas. Poupança em alta R$ 37,2 bilhões foi quanto os depósitos nas cadernetas de poupança superaram os saques em maio, de acordo com o Banco Central. É o maior valor em 26 anos, e reflete o momento de dúvidas sobre a retomada da economia por causa da pandemia. Enfim, a live de Caetano Caetano Veloso, enfim, se rendeu às lives. E por uma boa causa. O jornalista André Trigueiro anunciou que vai bater um papo com o cantor amanhã, Dia Mundial do Meio Ambiente. A pauta, é claro será a crise ambiental. Mas Trigueiro avisa que também não faltará música. É às 20h, nas redes sociais do comentarista. Com informações do G1

4 de junho, quinta-feira - A ABRACAM apresenta os destaques do dia

  Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado. O Brasil registra mais de 1,3 mil mortes por coronavírus em 24 horas e bate novo recorde. São 32.548 vítimas, segundo o balanço do Ministério da Saúde, que saiu ontem só no fim da noite. Protestos contra o racismo ganham tom mais pacífico nos EUA. Desperdício de água aumenta pelo terceiro ano seguido no Brasil. Em Brasília, o ministro Weintraub depõe na PF sobre ofensas à China. O podcast O Assunto discute o Artigo 142, citado por Bolsonaro, e se há espaço dentro da lei para uma eventual intervenção militar. E veja a lista de filmes que estrearam direto nas plataformas digitais por causa dos cinemas fechados na pandemia.   Recorde de mortes Brasil registra 1.349 mortes por coronavírus e bate novo recorde diário; total é de 32.548 O Brasil registra 1.349 mortes por coronavírus e bate novo recorde diário. Agora o país conta agora 32.548 vítimas. Em apenas 24 horas, foram contabilizados mais 28.633 casos de Covid-19 e chega a 584.016 confirmações. Estudo mundial sobre solidão mostra que idosos não são os únicos vulneráveis Garimpeiros podem levar coronavírus à Terra Yanomami e causar genocídio, diz procurador de RR   Protestos nos EUA  Protestos nos EUA chegam ao 9º dia com manifestações mais tranquilas    ASSISTA AO VÍDEO  https://globoplay.globo.com/v/8601426/   As manifestações antirracismo nos Estados Unidos ontem começaram de forma bem mais tranquila do que nos atos anteriores, em um dia marcado por novas acusações contra ex-policiais envolvidos na morte de George Floyd e pela presença maciça da Guarda Nacional na capital Washington. Após um início pacífico, houve aumento de tensão em Nova York com o início do toque de recolher na maior cidade norte-americana. Policiais detiveram pessoas que descumpriram a determinação. Outros estados não registraram maiores ocorrências até o início da madrugada desta quinta. Ex-secretário de Defesa critica Trump: 'Ele tenta nos dividir' Obama pede que prefeitos revejam uso da força policial   Debate jOornalistas debatem racismo no Em Pauta, na GloboNews — Foto: GloboNews Veja em vídeos como foi o debate sobre racismo no GloboNews Em Pauta. Participaram do programa Maju Coutinho, Aline Midlej, Flávia Oliveira, Lilian Ribeiro, Zileide Silva e Heraldo Pereira. 'Ser preto aqui é ter sua identidade apagada': negros relatam como o racismo afeta o cotidiano de quem vive no Ceará   Hits antirracistas Childish Gambino no clipe "This is America" — Foto: Divulgação  This is America", "Fight the power" e mais hits antirracistas têm disparada de audiência nos EUA. Lista de músicas que tiveram aumento de até 500% de audiência durante onda de protestos contra o racismo inclui faixas de Childish Gambino, Beyoncé, N.W.A, Public Enemy e mais. Estudo aponta que o desperdício de água aumentou nos últimos anos no Brasil — Foto: Fernanda Garrafiel / Arte O desperdício de água aumentou pelo terceiro ano seguido no Brasil, segundo estudo do Instituto Trata Brasil feito em parceria com a Water.org e obtido com exclusividade pelo G1 e pela TV Globo. Os dados mostram que, em 2015, 36,7% da água potável produzida no país foi perdida durante a distribuição. Já em 2018, o ano mais recente com os dados disponibilizados, o índice atingiu 38,5%. Isso significa que, a cada 100 litros de água captada da natureza e tratada para se tornar potável, quase 40 litros se perdem por conta de vazamento nas redes, fraudes, “gatos”, erros de leitura dos hidrômetros e outros problemas. Em 2018, a perda chegou a 6,5 milhões de metros cúbicos de água, o equivalente a 7,1 mil piscinas olímpicas desperdiçadas por dia. Além disso, como essa água não foi faturada pelas empresas responsáveis pela distribuição, os prejuízos econômicos chegaram a R$ 12 bilhões, o mesmo valor dos recursos que foram investidos em água e esgoto no Brasil durante todo o ano.   Depoimento de Weintraub   Abraham Weintraub — Foto: Reprodução / TV Globo O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um recurso do ministro da Educação, Abraham Weintraub, e manteve o depoimento do ministro à Polícia Federal por suposto crime de racismo. Celso de Mello é o relator do inquérito aberto a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) depois das declarações de Weintraub em redes sociais sobre a China. O depoimento está marcado para a tarde desta quinta-feira (4).   O Assunto O Artigo 142 e os limites das Forças Armadas. Entenda o que está previsto na Constituição no artigo citado pelo presidente Jair Bolsonaro. Renata Lo Prete conversa com Oscar Vilhena, diretor da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas, que explica a discussão jurídica em torno do artigo, e com o repórter da TV Globo em Brasília Márcio Falcão, que relembra em qual contexto Bolsonaro lembrou o artigo. Ouça:   Ajuda de R$ 600 ht— Foto: Marcos Santos / USP Imagens A Caixa Econômica Federal (CEF) libera transferências e saques em dinheiro da segunda parcela do Auxílio Emergencial depositada em poupanças sociais digitais do banco para os 2,7 milhões de beneficiários nascidos em maio. TCU suspeita que 6 milhões podem ter recebido auxílio do governo sem ter direito   Agro é Pop: trigo e leite   Existem diversas variedades de trigo cultivados no Brasil — Foto: Embrapa Trigo/Divulgação De onde vem o que eu como? Conheça a produção do trigo e do leite, negócios bilionários no Brasil que ainda enfrentam desafios. Durante a pandemia, cereal ganhou ainda mais espaço, com o surgimento de novos padeiros, em busca de sustento ou como forma de terapia dentro de casa. No entanto, produção nacional ainda é insuficiente e a maior parte do trigo é importada.    Policiais também tombam   Cabo Jaziel de Oliveira Firmino, vítima Covid-19 — Foto: Reprodução A Polícia Militar do Rio de Janeiro já perdeu 23 policiais na luta contra a Covid-19. Até a tarde de ontem, a PM tinha 1.508 casos confirmados do novo coronavírus, entre eles um agente do Bope de 36 anos, que está entubado em estado grave. A corporação também registrou 5.237 recuperados da doença e 910 policiais afastados, que entraram em LTS (Licença para Tratamento de Saúde) por apresentarem sintomas gripais com suspeita de contaminação por Covid-19.   Mais uma tragédia em Mariana]   Rompimento da barragem de Fundão, em Bento Rodrigues, distrito de Mariana — Foto: Luis Eduardo Franco / TV Globo Calejada pela tragédia de 2015, Mariana agora enfrenta avanço da pandemia. Casos de coronavírus triplicam em uma semana. De acordo com o último boletim da Secretaria de Saúde do município, 306 casos e 8 mortes já foram confirmados. Caso Madeleine   Madeleine McCann, britânica desaparecida aos 3 anos em 2007 em Portugal — Foto: HANDOUT / METROPOLITAN POLICE / AFP Um homem de 43 anos que está preso na Alemanha e que viajou numa van por Portugal é novo foco da investigação da Scotland Yard sobre o caso Madeleine McCann, menina britânica desaparecida aos 3 anos em 2007, enquanto passava férias com os pais em uma praia portuguesa. Relembre 5 marcos da investigação. Polícia busca informação de veículos usados por suposto assassino de Madeleine McCann Cinema em tempos de lançamento digital   Ferdia Shaw em cena de 'Artemis Fowl: O Mundo Secreto', cena de 'Scooby! O Filme!' e Pete Davidson em cena de 'The king of Staten Island' — Foto: Divulgação Com o isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus, os grandes estúdios de Hollywood enfrentam a maior necessidade de repensar suas estratégias de lançamentos dos últimos anos. Assim, desde março, alguns lançamentos do cinema foram reprogramados para estreias em serviços de transmissão digital de vídeos nos Estados Unidos. Entre as grandes produções que passaram pela mudança estão filmes como a adaptação literária "Artemis Fowl: O Mundo Secreto", o novo projeto dirigido por Judd Apatow ("O virgem de 40 anos"), "The king of Staten Island", e a animação "Scooby! O Filme!". Curtas e Rápidas:   Paranaenses criam robô que monitora projetos de lei da causa LGBTQI+ em rede social Imposto de renda 2020: como declarar rendimentos do INSS Rio vota projeto que prevê ajuda a parentes de pacientes com Covid-19 levados para outras cidades COM INFORMAÇÕES DO G1

Quarta-feira, 3 de junho - RESUMO dos fatos que foram destaques na mídia

  Boa noite! Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado.  Bolsonaro veta R$ 8,6 bilhões para ações de combate à pandemia. A vacina britânica contra o coronavírus será testada por 2 mil brasileiros. Mais 3 policiais responderão pela morte de George Floyd nos EUA. E morre a atriz Maria Alice Vergueiro. Repasse suspenso O presidente Bolsonaro vetou o uso de R$ 8,6 bilhões no combate ao coronavírus. O dinheiro foi aprovado pelo Congresso, mas o governo explicou que a liberação violaria a lei, já que criava uma despesa obrigatória ao poder público sem indicar o impacto financeiro. Corrida pela vacina Dois mil brasileiros participarão dos testes da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford. Considerado o atual epicentro da pandemia pelos pesquisadores, o Brasil será o primeiro país fora do Reino Unido a começar a testar a eficácia da imunização contra o novo coronavírus. A aplicação começa este mês e acontecerá em São Paulo e no Rio de Janeiro. Os voluntários serão pessoas na linha de frente do combate ao coronavírus, com uma chance maior de exposição. Alta dos casos faz Brasil virar local de oportunidade para testes, diz infectologista 133 candidatas a vacina desafiam o tempo; duas pesquisas são brasileiras OMS retoma testes com hidroxicloroquina, após revisar dados sobre aumento de mortalidade Estudo não aponta eficácia da cloroquina para prevenir Covid-19 Caso George Floyd O ex-policial Derek Chauvin, filmado com o joelho sobre o pescoço de George Floyd, agora irá responder por homicídio em segundo grau (quando há intenção de matar). Já os outros três colegas que participaram da ação, mas não haviam sido acusados ou presos, também passarão a responder criminalmente pela morte do segurança. O caso envolvendo mais um homem negro morto por um policial branco vem provocando uma série de protestos antirracistas nos EUA, que hoje entraram no 9º dia. Em discurso, Obama apoia manifestações e pede que prefeitos revejam uso da força policial 'Intolerável', diz papa Francisco sobre racismo. GUROVITZ: Floyd virou símbolo da opressão do mundo pela pandemia, pelo racismo e pelo autoritarismo Sem projeto  FFlávia Oliveira: ‘Sérgio Camargo se destaca pelas grosserias e não por propostas’ Na GloboNews, Flávia Oliveira comentou as declarações do presidente da Fundação Palmares, que chamou o movimento negro de 'escória maldita' em reunião gravada sem que ele tivesse conhecimento: 'Falta projeto. Sérgio Camargo tem se destacado por grosserias'. Mãe de santo xingada por presidente da Fundação Palmares presta queixa Educafro pede ação por racismo contra Sérgio Camargo Inquérito das fake news O governo federal veiculou mais de 2 milhões de anúncios em canais com 'conteúdos inadequados', segundo relatório feito a pedido da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News. Entre os meios estão sites, aplicativos de celular e canais no Youtube que veiculam, por exemplo, informações falsas, material pornográfico, e difundem jogos de azar e investimentos ilegais. O governo informou que não patrocina nenhum site ou blog. Rodrigo Maia sobre 'fake news': 'Tema precisa avançar' Luto nas artes A atriz e diretora Maria Alice Vergueiro, de 85 anos. — Foto: Acervo Pessoal  A atriz e diretora de teatro Maria Alice Vergueiro morreu em São Paulo nesta quarta-feira aos 85 anos. Ela estava internada no Hospital das Clínicas com um quadro de grave de pneumonia. Uma das damas do teatro brasileiro, com mais de 50 anos de carreira, Maria Alice passou por grandes grupos teatrais de São Paulo, como Teatro de Arena, Teatro Oficina e o Teatro do Ornitorrinco. Em 2006, ela protagonizou o curta metragem 'Tapa na Pantera', um dos primeiros vídeos que viralizaram na internet brasileira. Artistas lamentam morte: 'atriz histórica', 'nossa oráculo' Antes de virar meme, atriz atuou em peças históricas Tem 5 minutos? O Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, reúne seis comunidades onde moram cerca de 64 mil pessoas. Na batalha contra a Covid-19, moradores reforçaram o acesso à informação dentro da favela: são rádios de 'de poste', jornais, áudios e podcasts, como o 'Maré em Tempos de Coronavírus'. A iniciativa é uma das que surgiram da necessidade de conscientizar a população sobre a importância do isolamento social. Veja como elas funcionam. Efeitos da pandemia 18,8% foi o tamanho da queda da produção industrial brasileira em abril, na comparação com março, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Instituto Brasieiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse é o nível mais baixo já registrado no Brasil e reflete a dimensão do impacto das medidas de isolamento social na atividade econômica, por conta da pandemia do novo coronavírus. Veja o comentário de Miriam Leitão no Bom Dia Brasil. A BOA DO DIA Deixe a vergonha de lado e se entregue, porque os carros de mensagem estão de volta. Num mundo sem abraços por conta da pandemia e no clima de nostalgia que tomou conta do confinamento, o serviço está tendo um retorno triunfal. Empresas do setor falam em crescimento de até 60% na procura durante a quarentena. E viva o amor Com informações do G1

ARTIGO - QUEM VAI SE ELEGER VEREADOR NAS ELEIÇÕES DE 2020.

ARTIGO - QUEM VAI SE ELEGER VEREADOR NAS ELEIÇÕES DE 2020. Dr.César Rômulo Rodrigues de Assis - Vice-presidente Jurídico da ABRACAM Os pré-candidatos a eleição e reeleição para o cargo de vereador nas Câmaras Municipais, devem prestar muita atenção nas alterações da lei eleitoral.Se antes os partidos poderiam fazer coligações proporcionais e candidatos com menos votos se elegiam pelo quociente eleitoral em detrimento de candidato mais votado que não alcançou o quociente, nas próximas eleições isso não será mais possível.A Emenda Constitucional n. 97/2017 acabou com as coligações para as eleições de vereador e a Lei 13.488/2017 alterou o Código Eleitoral e agora independente do partido alcançar ou não o quociente eleitoral, o candidato só se elege se tiver pelo menos votos equivalentes a dez por cento do quociente eleitoral.Assim dispõe a Resolução do TSE n. 23.611/2017 em conformidade com a Lei n. 9.504/97 e a Lei n. 4.737/65:As eleições para vereador obedecerão ao princípio da representação proporcional (Código Eleitoral, art. 84).Estarão eleitos, dentre os candidatos registrados por partido político, os que tenham obtido votos em número igual ou superior a 10% (dez por cento) do quociente eleitoral, tantos quantos o respectivo quociente partidário indicar, na ordem da votação nominal que cada um tenha recebido (Código Eleitoral, art. 108).O quociente eleitoral é determinado pela divisão da quantidade de votos válidos apurados pelo número de vagas a preencher, desprezando-se a fração, se igual ou inferior a 0,5 (meio), ou arredondando-se para 1 (um), se superior (Código Eleitoral, art. 106).Nas eleições proporcionais, contam-se como válidos apenas os votos dados a candidatos regularmente inscritos e às legendas partidárias (Lei nº 9.504/1997, art. 5º).O quociente partidário é determinado pela divisão da quantidade de votos válidos dados sob o mesmo partido político pelo quociente eleitoral, desprezada a fração (Código Eleitoral, art. 107).As vagas não preenchidas com a aplicação do quociente partidário e a exigência de votação nominal mínima, serão distribuídas entre todos os partidos políticos que participam do pleito, independentemente de terem ou não atingido o quociente eleitoral, mediante observância do cálculo de médias (Código Eleitoral, art. 109):I a média de cada partido político é determinada pela quantidade de votos válidos a ele atribuída dividida pelo respectivo quociente partidário acrescido de 1 (um) (Código Eleitoral, art. 109, I);II ao partido político que apresentar a maior média cabe uma das vagas a preencher, desde que tenha candidato que atenda à exigência de votação nominal mínima (Código Eleitoral, art. 109, I);III deverá ser repetida a operação para a distribuição de cada uma das vagas (Código Eleitoral, art. 109, II);IV quando não houver mais partidos políticos com candidatos que atendam à exigência de votação nominal mínima, as cadeiras deverão ser distribuídas aos partidos políticos que apresentem as maiores médias (Código Eleitoral, art. 109, III).Na repetição de que trata o inciso III, para o cálculo de médias, serão consideradas, além das vagas obtidas por quociente partidário, também as sobras de vagas que já tenham sido obtidas pelo partido político, em cálculos anteriores, ainda que não preenchidas (ADI n° 5.420/2015).No caso de empate de médias entre dois ou mais partidos políticos, considera-se aquele com maior votação (Res.-TSE nº 16.844/1990).Ocorrendo empate na média e no número de votos dados aos partidos políticos, prevalece, para o desempate, o número de votos nominais recebidos pelo candidato que disputa a vaga.O preenchimento das vagas com que cada partido político for contemplado deverá obedecer à ordem de votação nominal de seus candidatos (Código Eleitoral, art. 109, § 1º).Em caso de empate na votação de candidatos e de suplentes de um mesmo partido político, deverá ser eleito o candidato com maior idade (Código Eleitoral, art. 110).Se nenhum partido político alcançar o quociente eleitoral, serão eleitos, até o preenchimento de todas as vagas, os candidatos mais votados (Código Eleitoral, art. 111).Em resumo está escrito que: Não haverá coligação para as eleições de Vereador; O partido pode alcançar o quociente eleitoral, obter um número de vagas pelo quociente partidário e ficar de fora da composição da Câmara Municipal, se nenhum dos seus candidatos obtiver votos igual ou superior a dez por cento do quociente eleitoral.Se não forem preenchidas as vagas pelo quociente eleitoral, Os partidos políticos que não alcançarem o quociente eleitoral poderão concorrer as sobras de vagas e elegerem seus candidatos mais votados que superarem os dez por cento do quociente eleitoral.Dessa forma devem os partidos políticos escolherem em convenção os candidatos com maior potencial de votos e os candidatos se esforçarem para terem o maior número de votos superando os dez por cento do quociente eleitoralNas próximas eleições correm risco os partidos com vários candidatos fracos em votos e mesmo obtendo o quociente eleitoral não elegerem nenhum; e os que não alcançarem o quociente eleitoral, mas tiverem candidatos fortes com boa quantidade de votos elegerem seus escolhidos.É preciso prestar muita atenção, pois as regras mudaram e pode trazer muitas surpresas.QUEM VAI SE ELEGER VEREADOR NAS ELEIÇÕES DE 2020. Os pré-candidatos a eleição e reeleição para o cargo de vereador nas Câmaras Municipais, devem prestar muita atenção nas alterações da lei eleitoral.Se antes os partidos poderiam fazer coligações proporcionais e candidatos com menos votos se elegiam pelo quociente eleitoral em detrimento de candidato mais votado que não alcançou o quociente, nas próximas eleições isso não será mais possível.A Emenda Constitucional n. 97/2017 acabou com as coligações para as eleições de vereador e a Lei 13.488/2017 alterou o Código Eleitoral e agora independente do partido alcançar ou não o quociente eleitoral, o candidato só se elege se tiver pelo menos votos equivalentes a dez por cento do quociente eleitoral.Assim dispõe a Resolução do TSE n. 23.611/2017 em conformidade com a Lei n. 9.504/97 e a Lei n. 4.737/65:As eleições para vereador obedecerão ao princípio da representação proporcional (Código Eleitoral, art. 84).Estarão eleitos, dentre os candidatos registrados por partido político, os que tenham obtido votos em número igual ou superior a 10% (dez por cento) do quociente eleitoral, tantos quantos o respectivo quociente partidário indicar, na ordem da votação nominal que cada um tenha recebido (Código Eleitoral, art. 108).O quociente eleitoral é determinado pela divisão da quantidade de votos válidos apurados pelo número de vagas a preencher, desprezando-se a fração, se igual ou inferior a 0,5 (meio), ou arredondando-se para 1 (um), se superior (Código Eleitoral, art. 106).Nas eleições proporcionais, contam-se como válidos apenas os votos dados a candidatos regularmente inscritos e às legendas partidárias (Lei nº 9.504/1997, art. 5º).O quociente partidário é determinado pela divisão da quantidade de votos válidos dados sob o mesmo partido político pelo quociente eleitoral, desprezada a fração (Código Eleitoral, art. 107).As vagas não preenchidas com a aplicação do quociente partidário e a exigência de votação nominal mínima, serão distribuídas entre todos os partidos políticos que participam do pleito, independentemente de terem ou não atingido o quociente eleitoral, mediante observância do cálculo de médias (Código Eleitoral, art. 109):I a média de cada partido político é determinada pela quantidade de votos válidos a ele atribuída dividida pelo respectivo quociente partidário acrescido de 1 (um) (Código Eleitoral, art. 109, I);II ao partido político que apresentar a maior média cabe uma das vagas a preencher, desde que tenha candidato que atenda à exigência de votação nominal mínima (Código Eleitoral, art. 109, I);III deverá ser repetida a operação para a distribuição de cada uma das vagas (Código Eleitoral, art. 109, II);IV quando não houver mais partidos políticos com candidatos que atendam à exigência de votação nominal mínima, as cadeiras deverão ser distribuídas aos partidos políticos que apresentem as maiores médias (Código Eleitoral, art. 109, III).Na repetição de que trata o inciso III, para o cálculo de médias, serão consideradas, além das vagas obtidas por quociente partidário, também as sobras de vagas que já tenham sido obtidas pelo partido político, em cálculos anteriores, ainda que não preenchidas (ADI n° 5.420/2015).No caso de empate de médias entre dois ou mais partidos políticos, considera-se aquele com maior votação (Res.-TSE nº 16.844/1990).Ocorrendo empate na média e no número de votos dados aos partidos políticos, prevalece, para o desempate, o número de votos nominais recebidos pelo candidato que disputa a vaga.O preenchimento das vagas com que cada partido político for contemplado deverá obedecer à ordem de votação nominal de seus candidatos (Código Eleitoral, art. 109, § 1º).Em caso de empate na votação de candidatos e de suplentes de um mesmo partido político, deverá ser eleito o candidato com maior idade (Código Eleitoral, art. 110).Se nenhum partido político alcançar o quociente eleitoral, serão eleitos, até o preenchimento de todas as vagas, os candidatos mais votados (Código Eleitoral, art. 111).Em resumo está escrito que: Não haverá coligação para as eleições de Vereador; O partido pode alcançar o quociente eleitoral, obter um número de vagas pelo quociente partidário e ficar de fora da composição da Câmara Municipal, se nenhum dos seus candidatos obtiver votos igual ou superior a dez por cento do quociente eleitoral.Se não forem preenchidas as vagas pelo quociente eleitoral, Os partidos políticos que não alcançarem o quociente eleitoral poderão concorrer as sobras de vagas e elegerem seus candidatos mais votados que superarem os dez por cento do quociente eleitoral.Dessa forma devem os partidos políticos escolherem em convenção os candidatos com maior potencial de votos e os candidatos se esforçarem para terem o maior número de votos superando os dez por cento do quociente eleitoralNas próximas eleições correm risco os partidos com vários candidatos fracos em votos e mesmo obtendo o quociente eleitoral não elegerem nenhum; e os que não alcançarem o quociente eleitoral, mas tiverem candidatos fortes com boa quantidade de votos elegerem seus escolhidos.É preciso prestar muita atenção, pois as regras mudaram e pode trazer muitas surpresas.

CARTA ABERTA SOBRE AS ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE 2020

A ABRACAM – Associação Brasileira de Câmaras Municipais, entidade representativa que congrega as Câmaras Municipais e atua vigorosamente no fortalecimento do poder legislativo municipal, vem a público externar o seguinte: Em meio a maior pandemia do século, o país enfrenta essa grave crise sanitária provocada pela COVID-19 e já registrou mais de meio milhão de casos confirmados, com mais de 31 mil mortes, de acordo com o Ministério da Saúde. Nesse cenário, mexeu com todos os setores da nossa sociedade e a ABRACAM vem se solidarizar com os vereadores e vereadoras do Brasil, neste triste momento nacional. Internamente estamos dialogando com nossos pares e a grande demanda é a discussão sobre as eleições municipais. A sociedade vive dias de distanciamento social e a tendência é que perdure por mais alguns meses. Em meio a esta pandemia, estão programadas as eleições municipais vigorando um calendário eleitoral, com determinações e prazos a serem cumpridos. Neste ano, os brasileiros vão às urnas para eleger ou reeleger seus candidatos a prefeito e a vereador. De acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o primeiro turno está marcado para 4 de outubro e o segundo turno, para 25 de outubro. A ABRACAM vê como inoportuno e dascabido, uma vez que pelo momento atual prejudica a democracia porque não dará ao cidadão/eleitor a tranqüilidade de escolha de seus representantes e não dará aos candidatos a oportunidade de levar ao eleitor as suas propostas, deixando-os órfãos de ideias e propostas de gestão. A ABRACAM promoveu recentemente uma enquete com 1.105 câmaras  e o resultado foi de 93,4 % favoráveis ao adiamento imediato das eleições. Essa pandemia está presente em cada município brasileiro com consequências econômicas e uma crise sem precedentes, com empresas falindo, alto número de desemprego, falta de recursos públicos, especialmente para as prefeituras manterem suas estruturas e exercer as políticas públicas para dar dignidade aos menos favorecidos e equilibrar o desenvolvimento econômico dos municípios. PROPOMOS: 1-O ADIAMENTO IMEDIATO DAS ELEIÇÕES marcadas para dia 04 de outubro (1° turno) e 25 de outubro (2° turno); 2-A UNIFICAÇÃO DAS ELEIÇÕES para o ano de 2022, a fim de manter o equilíbrio nas contas públicas. 3- Concordamos com a Entidade Municipalista Confederação Nacional dos Municípios (CNM) sobre as Eleições 2020, na qual  temos o mesmo posicionamento institucional em RELAÇÃO A PRORROGAÇÃO DE MANDATOS. 4- Destinação do Fundo Eleitoral para a Saúde. Brasília – DF, 03 de junho de 2020 A DIRETORIA

3 de junho, quarta-feira - A ABRACAM mostra os destaques do dia

Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado.   O número diário de mortes pela Covid-19 no Brasil bateu recorde. O podcast O Assunto aborda a ameaça do novo coronavírus aos indígenas, um dos grupos mais vulneráveis no país. A busca por uma vacina está a todo vapor, mas o processo é longo. Estratégias podem ajudar a reduzir os impactos da pandemia na saúde mental. O Brazil at Silicon Valley discute como a tecnologia e a inovação vão influenciar o futuro da saúde. Em Brasília, a PF deve ouvir investigados no inquérito das fake news. E mais: trabalhadores informais nascidos em abril podem sacar a segunda parcela do auxílio emergencial. Recorde de mortes  O Brasil registra novo recorde diário de mortes por Covid-19: 1262 óbitos ASSISTA AO VÍDEO  https://globoplay.globo.com/v/8598562/ O Brasil registrou ontem mais uma triste marca durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo o Ministério da Saúde, foram 1.262 mortes em 24 horas, maior número contabilizado em um dia. O balanço do ministério aponta ainda que o total de infectados passou de 555 mil. Questionado por uma apoiadora que pediu palavra de conforto às famílias das vítimas, o presidente Jair Bolsonaro respondeu que lamenta "todos os mortos, mas é o destino de todo mundo". O Assunto: indígenas ameaçados 14 de maio - Indígenas participam do velório do cacique Messias Kokama, 53, que morreu vítima de coronavírus (COVID-19), no Parque das Tribos, em Manaus — Foto: Bruno Kelly / Reuters  O novo coronavírus se espalhou por quase 80 etnias, infectou mais de 1.800 índios e fez cerca de 180 mortos. A situação é especialmente grave na região amazônica, onde está a técnica de enfermagem Vanda Ortega Witoto, que vive na comunidade Parque das Tribos. Vanda conversa com Renata Lo Prete e explica como a realidade da pandemia é muito diferente do que mostram os números oficiais. Episódio tem também a participação de Ailton Krenak, escritor e líder indígena fundador da Aliança dos Povos da Floresta, que explica como seu povo está se protegendo e reagindo. Ouça: A busca pela vacina Técnica de laboratório exibe uma dose de uma candidata a vacina contra a Covid-19 pronta para ser testada em macacos no Centro Nacional de Pesquisa de Primatas da Tailândia, na Universidade Chulalongkorn — Foto: Mladen Antonov / AFP Photo  Relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostra que estão em desenvolvimento mais de 100 candidatas a vacina contra o vírus Sars-CoV-2, causador da Covid-19, sendo que dez delas estão na fase clínica, ou seja, sendo testadas em humanos. Embora os estudos avancem, muitos especialistas acreditam que a vacina não estará disponível em 2020. Projeções otimistas falam num prazo de 12 a 18 meses, o que já seria recorde. Saúde mental durante a pandemia Moradores se exercitam em suas varandas durante o isolamento para evitar a propagação da doença por coronavírus (COVID-19) em Hamburgo, na Alemanha, em 26 de março — Foto: Fabian Bimmer / Reuters É esperado que as populações sintam medo, estresse, ansiedade e solidão durante a pandemia de coronavírus, mas isso não significa que todos adoecerão mentalmente. Isso porque é possível - e necessário - cuidar da mente enquanto vivemos este momento de tensão. Mas atenção: é preciso cuidar agora para não adoecer depois. Como fazer isso? Os profissionais ouvidos pelo G1 indicam que existem estratégias para proteger a saúde mental. Barreiras comerciais As barreiras comerciais praticadas contra os produtos brasileiros no comércio internacional já chegam a 70, segundo um novo levantamento realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O mapeamento da entidade começou a ser realizado em maio de 2018 e é atualizado de forma periódica em parceria com associações e federações industriais. Nessa última atualização, a CNI encontrou 17 novas barreiras, sendo 10 impostas pelo governo da China. As demais foram criadas por Argentina, México, Índia, Arábia Saudita e União Europeia.  Intervenção no RJ Governador Wilson Witzel decreta intervenção em hospitais de campanha do RJ    ASSISTA AO VÍDEO  https://g1.globo.com/globonews/jornal-das-dez/video/governador-wilson-witzel-decreta-intervencao-em-hospitais-de-campanha-do-rj-8598560.ghtml O governador Wilson Witzel assinou um decreto afastando a Organização Social Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas) da construção e gestão dos sete hospitais de campanha do estado. O motivo para a decisão foi o atraso para a conclusão das obras dessas unidades. De acordo com o decreto, as unidades exclusivas para o enfrentamento da Covid-19 serão controladas pela Fundação Estadual de Saúde, que deverá assumir a conclusão das obras dos hospitais e a gestão de todas as unidades temporárias. Violência no Ceará Em pouco mais de dois meses desde o início da quarentena no Ceará, pelo menos, 69 crianças e adolescentes foram assassinados. O dado compreende de 20 de março de 2020 até o último dia 27 de maio. Comparado a igual período de 2019, houve aumento de 165% no número de vítimas menores de idade. Protestos nos EUA  Protestos contra o racismo continuam nos EUA mesmo com toque de recolher ASSISTA AO VÍDEO https://globoplay.globo.com/v/8598576/  Os Estados Unidos entraram ontem no oitavo dia de manifestações contra o racismo após a morte do ex-segurança George Floyd em uma ação policial em Minneapolis. Os protestos ocorrem na maioria das vezes de maneira pacífica. As duas maiores cidades dos EUA, Nova York e Los Angeles, além da capital Washington, mantêm novamente toque de recolher . Cerca de 40 pessoas já haviam sido detidas em Nova York. Em Atlanta, apesar de os manifestantes marcharem pacificamente, a polícia lançou bombas de gás lacrimogêneo quando começou o horário do toque de recolher, às 21 horas. Em Milwaukee, Wisconsin, a polícia anunciou em redes sociais que lançou gás lacrimogêneo para dispersar manifestantes após ser atacada com pedras e vidros. Outras grandes cidades, como Portland (Oregon), não vão adotar a medida após autoridades considerarem que a violência diminuiu na noite anterior. Trump x governadores OO presidente dos EUA, Donald Trump, posa com uma Bíblia nas mãos em frente a Igreja Episcopal St. John, em Washington, na segunda-feira (1) — Foto: Reuters/Tom Brenner Trump pode mandar tropas para conter protestos contra a vontade dos governadores? Presidente invoca a Lei de Insurreição, aplicada em raras ocasiões nos EUA, mas ação unilateral tem limitações. Leia no blog da Sandra Cohen. Brazil at Silicon Valley   O Brazil at Silicon Valley discute como a tecnologia e a inovação vão influenciar o futuro da saúde no Brasil e no mundo. O painel começa às 20h e terá transmissão do G1. Depoimentos do inquérito das fake news Roberto Jefferson e deputados são alvo de operação da PF de inquérito do STF sobre fake News  ASSISTA AO VÍDEO   https://globoplay.globo.com/v/8592576/ Polícia Federal ouvirá alvos do inquérito que apura ameaças a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e disseminação de fake news. As medidas foram definidas pelo ministro relator do caso no STF, Alexandre de Moraes. Na quarta, ele autorizou 29 mandados de busca e apreensão contra ativistas, blogueiros e empresários suspeitos. Moraes determinou os depoimentos de seis deputados federais e dois estaduais, todos do PSL. Os agentes também estiveram nas casas da ativista Sara Winter e do blogueiro Allan dos Santos para a notificação dos depoimentos. Ajuda de R$ 600 — Foto: Marcos Santos / USP Imagens  A Caixa Econômica Federal (CEF) libera nesta quarta as transferências e os saques em dinheiro da segunda parcela do auxílio emergencial depositada em poupanças sociais digitais do banco para os 2,6 milhões de beneficiários nascidos em abril. Produção industrial Saem hoje os dados de abril da produção industrial. Em março, houve grande queda de 9,1%, pior resultado para meses de março da série histórica da pesquisa, iniciada em 2002. É também a queda mensal mais acentuada desde maio de 2018 (-11%), quando o setor foi afetado pelas paralisações provocadas pela greve dos caminhoneiros. Vida na Pandemia... na Maré Moradores da Maré têm podcast, jornal e rádio para se informar sobre a pandemia Podcast, jornal e rádio de poste: moradores da Maré usam meios comunitários para se informar durante pandemia. Uma das iniciativas é a distribuição do conteúdo de um podcast como um 'audião' de WhatsApp, já que a cobertura de internet na comunidade não é boa. Veja como veículos informam sobre a Covid-19 e combatem fake news na Maré. Sexo, horóscopo e vida adulta A cantora americana Kehlani — Foto: Divulgação / Warner / Arturo Torres  Kehlani lança álbum com hip hop falando de sexo, horóscopo e vida adulta. Cantora fala ao G1 sobre disco recém-lançado, 'It Was Good Until It Wasn't'. "Ser mãe me deixou bem mais paciente, me entendo melhor para transformar o que eu penso em música", diz. Lives de hoje Tiago Iorc na gravação do álbum 'Acústico MTV' — Foto: Marcos Hermes / Divulgação Tiago Iorc, bate-papo de Carlinhos Brown e Elza Soares, Sepultura, Filipe Catto, Lobão e Teresa Cristina e mais shows para ver em casa. Mega-Sena Aposta única da Mega-Sena custa R$ 4,50 e apostas podem ser feitas até às 19h — Foto: Marcelo Brandt / G1 O concurso 2.267 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 45 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. A aposta mínima custa R$ 4,50 e pode ser realizada pela internet - saiba como fazer.Curtas e Rápidas: Enem: leia 10 redações nota mil em 2019 e veja dicas para um bom texto Varas do Trabalho registram 1.457 ações trabalhistas envolvendo a Covid-19; setores da indústria, transporte e comércio lideram Passeios virtuais permitem visitas a museus, trilhas na floresta e diversos pontos turísticos do RJ Com informações do G1

Terça-feira, 2 de junho - RESUMO das notícias que foram destaques

  Boa noite! Aqui estão as notícias para você terminar o dia bem-informado.  O Brasil bateu recorde diário de mortes pelo novo coronavírus. O presidente Jair Bolsonaro diz lamentar as vidas perdidas, mas considera ser o "destino de todo mundo". O ministro da Justiça pediu investigação sobre o suposto vazamento de dados pessoais de Bolsonaro e aliados. A Procuradoria-Geral da República se posicionou a favor de estender o prazo do inquérito que apura se o presidente interferiu ou não na Polícia Federal. Nos Estados Unidos, os protestos contra o racismo entraram no oitavo dia. E, na França, houve confronto durante as manifestações. Recorde de mortos por Covid-19 no Brasil Enterro de vítimas de coronavírus no Cemitério do Cajú, no Rio de Janeiro — Foto: Saulo Angelo/Futura Press/Estadão Conteúdo O Brasil registrou nesta terça mais uma triste marca durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo o Ministério da Saúde, foram 1.262 mortes em 24 horas, maior número contabilizado em um dia. O balanço do ministério aponta ainda que o total de infectados passou de 555 mil. Questionado por uma apoiadora que pediu palavra de conforto às famílias das vítimas, o presidente Jair Bolsonaro respondeu que lamenta "todos os mortos, mas é o destino de todo mundo". SP tem recorde de casos e mortes por Covid-19, e taxa de ocupação de UTIs volta a subir Vazamento de supostos dados de Bolsonaro e aliados O grupo de hackers Anonymous Brasil vazou na noite desta segunda-feira (1º), criminosamente, no Twitter, supostos dados pessoais de Bolsonaro, seus filhos, ministros, empresário e políticos bolsonaristas. O presidente classificou o episódio como uma tentativa de intimidação por um "movimento hacktivista". E o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, pediu à Polícia Federal a abertura de um inquérito para investigar o vazamento.  Ministro da Justiça determinou que PF apure vazamento de dados de Bolsonaro e dos filhos   assista ao vídeo   https://globoplay.globo.com/v/8597352/ Arquivamento de pedido de apreensão de celulares de Bolsonaro O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), arquivou o pedido de partidos para que fossem apreendidos celulares de Bolsonaro e do filho, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). O procurador-geral da República, Augusto Aras, já havia se manifestado no STF contra a apreensão dos aparelhos. Ministro Celso de Mello, do STF, arquivou o pedido de apreensão de celular de Bolsonaro   Assista ao vídeo    https://globoplay.globo.com/v/8597333/ PGR a favor de prorrogar inquérito sobre suposta interferência na PF O procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou ao STF parecer favorável ao pedido da Polícia Federal para prorrogar o inquérito que apura suposta interferência de Bolsonaro na PF. A delegada Christiane Correa Machado pediu ao Supremo 30 dias adicionais para concluir a investigação. O relator do caso no STF, Celso de Mello, pediu a manifestação da PGR e deve decidir, agora, se prorroga ou não o inquérito. Aras encaminha parecer favorável à prorrogação de inquérito que apura interferência na PF.    Assista ao vídeo   https://globoplay.globo.com/v/8597343/ Constituição não prevê militares como 'poder moderador', diz OAB A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou um parecer para refutar a interpretação de que o artigo 142 da Constituição Federal permitiria uma "intervenção militar constitucional" para interferir na relação entre os poderes da República. No domingo (31), apoiadores do presidente Jair Bolsonaro promoveram manifestação na qual defenderam intervenção militar e outras medidas inconstitucionais. Entenda o que é o artigo 142  OAB nega que intervenção militar constitucional seja prevista na lei    Assista ao vídeo   https://g1.globo.com/globonews/jornal-globonews-edicao-das-18/video/oab-nega-que-intervencao-militar-constitucional-seja-prevista-na-lei-8598067.ghtml A quarentena de Moro Sergio Moro — Foto: JN A Comissão de Ética Pública da Presidência decidiu que o ex-ministro da Justiça Sergio Moro terá que cumprir um período de quarentena. Moro receberá salário por seis meses e poderá dar aulas e escrever artigos no período. Neste tempo, ele não pode trabalhar como advogado. A lei que dispõe sobre conflito de interesse no serviço público diz que pessoas que tenham exercido cargo de ministro, entre outros no alto escalão do governo federal, devem respeitar a quarentena antes de assumir emprego no qual possam se valer de informação privilegiada. Ofensa do presidente da Fundação Palmares ao movimento negro: 'Escória maldita' Sergio Camargo é presidente da Fundação Palmares — Foto: Fundação Palmares/Divulgação O presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, chamou o movimento negro de "escória maldita" em uma reunião gravada sem que ele tivesse conhecimento. Na ocasião, Camargo também disse que Zumbi dos Palmares era "filho da puta que escravizava pretos", criticou o Dia da Consciência Negra, falou em demitir "esquerdista" e usou o termo "macumbeira" para se referir a uma mãe de santo. Os trechos foram divulgados pelo jornal "O Estado de S. Paulo". Procurado, Camargo lamentou a "gravação ilegal de uma reunião interna e privada". Oitavo dia de protestos contra o racismo nos EUA Manifestantes fazem ato contra o racismo na Foley Square, em Nova York (EUA), nesta terça-feira (2) — Foto: Yuki Iwamura/AP Photo   Os Estados Unidos entraram no oitavo dia de manifestações contra o racismo após a morte do ex-segurança George Floyd em uma ação policial em Minneapolis. A maior parte dos protestos ocorreu de maneira pacífica. Veja um resumo dos atos desta terça. Multidão e tumulto em manifestação antirracismo na França Manifestantes montam barricada em Paris, França, em ato antirracismo nesta terça-feira (2) — Foto: Michel Euler/AP Photo Os protestos nos Estados Unidos se espalharam por outros países. Na França, milhares de manifestantes foram às ruas de Paris em atos contra o racismo e lembraram o caso de Floyd e do jovem francês Adama Taoré, que morreu enquanto estava sob custódia policial, em 2016. A polícia lançou gás lacrimogênio contra os participantes do ato. Eles responderam ateando fogo em objetos e lançando pedras contra os policiais. 90% a favor de regulamentação contra fake news Uma pesquisa feita pelo Ibope a pedido da ONG Avaaz mostra que 90% dos eleitores brasileiros apoiam a regulamentação das plataformas de redes sociais para combater as "fake news". Além disso, 76% acham que as plataformas devem rotular todos os robôs e suspender contas falsas. Senado adia votação de projeto que prevê medidas contra 'fake news'    90% dos brasileiros apoiam a regulamentação de redes sociais para combater fake news   - Assista ao vídeo  https://globoplay.globo.com/v/8598323/   A boa do dia Na nova série do G1, "Agora é assim?", o escritor Clóvis de Barros debateu qual será o impacto do isolamento na vida em comunidade após a pandemia. Para o filósofo, o momento pede reflexão. 'Não só sobre as estratégias, mas uma reflexão mais rara e mais difícil que é sobre o que queremos, não só para nossa vida singular e individual', disse Barros. Assista.  Agora é Assim? Como será a nova relação do indivíduo com a comunidade - Assista ao vídeo   http://g1.globo.com/videos/v/agora-e-assim-como-sera-a-nova-relacao-do-individuo-com-a-comunidade/8590679/   Com informações do G1

Brasil registra recorde de 1.262 mortes por Covid-19 em 24 horas e chega a 31.199

Em apenas um dia, houve também um aumento em mais de 28,9 mil confirmações; país agora tem 555.383 casos confirmados de acordo com o Ministério da Saúde. Saiba mais... https://foconapolitica.com.br/brasil-registra-recorde-de-1-262-mortes-por-covid-19-em-24-horas-e-chega-a-31-199/

ABRACAM

A Associação Brasileira da Câmaras Municipais, foi fundada em 1999 e há vários anos faz inúmeras ações que buscam dar capacidade e qualificação aos vereadores para que exerçam suas funções da melhor maneira possível.

Contato

Sede Brasília, SAS - Quadra 05 - Lote 05, Bloco F - Sala 08 (Setor de Autarquias Sul) Brasília/DF - CEP: 70070-910
Tel.: (61) 3322-0499 - Cel.: (61) 98111-0460
assessoria@abracambrasil.org.br

Menu